28° C

Agência de Regulação
de Pernambuco

ARPE Informa

Clipagens de jornais e sites

Clipagens de jornais e sites

ARPE Informa

CLIPAGENS 2022: 

 

CLIPAGEM 04 DE AGOSTO DE 2022. 

Blog Roberto Araripina

Governo de PE autoriza reajuste de 8,59% no preço do gás natural

Autorizado pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), o reajuste médio de 8,59% no preço do gás natural no estado, distribuído pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), já faz parte do cotidiano do pernambucano. A medida se aplica para quem utiliza o produto nos carros, empresas, comércio e residências. Os novos valores passam a valer até o dia 31 de outubro deste ano.

De acordo com a Arpe, o reajuste foi provocado pelo repasse do aumento médio de 9,48% no custo de aquisição do gás natural. Agora, o percentual corrigido varia de acordo com o consumo do cliente.

Segundo o economista João Rogério Barros, a mudança na tabela de valores é quase que ineficaz, pois o mercado não está preparado para o reajuste.

O economista também comentou sobre a “reunião de conciliação” dos estados e a União no STF, para tentar entrar em um acordo a respeito das novas regras do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Segundo João Rogério, os estados entrarão prejudicados em 2023.

A lei complementar é defendida pelo governo Federal e por parlamentares, sendo destacada como uma forma de segurar os preços e aliviar a pressão inflacionária às vésperas das eleições. Resta agora esperar pelos próximos passos.

 

Site CBN Recife

Gás natural tem aumento de 8,59% em Pernambuco

Os novos valores vão valer até o dia 31 de outubro deste ano.

Autorizado pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), o reajuste médio de 8,59% no preço do gás natural no estado, distribuído pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), já faz parte do cotidiano do pernambucano. A medida se aplica para quem utiliza o produto nos carros, empresas, comércio e residências. Os novos valores passam a valer até o dia 31 de outubro deste ano.

De acordo com a Arpe, o reajuste foi provocado pelo repasse do aumento médio de 9,48% no custo de aquisição do gás natural. Agora, o percentual corrigido varia de acordo com o consumo do cliente.

Segundo o economista João Rogério Barros, a mudança na tabela de valores é quase que ineficaz, pois o mercado não está preparado para o reajuste. 

O economista também comentou sobre a “reunião de conciliação” dos estados e a União no STF, para tentar entrar em um acordo a respeito das novas regras do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Segundo João Rogério, os estados entrarão prejudicados em 2023.

A lei complementar é defendida pelo governo Federal e por parlamentares, sendo destacada como uma forma de segurar os preços e aliviar a pressão inflacionária às vésperas das eleições. Resta agora esperar pelos próximos

 

Site CBN Recife

Trecho da Adutora do Agreste deve ser inaugurado ainda este ano, afirma Presidente da Compesa, Manuela Marinho

A maior obra hidríca do país está em obras há mais de oito anos e deve levar abastecimento para 68 municípios do Agreste Pernambucano

Com as chuvas que atingem Pernambuco nos últimos meses, as barragens do estado apresentam nível positivo de armazenamento. A afirmação veio através da Presidente da Compesa, Manuela Marinho.

Ainda segundo Manuela, trecho de obra da adutora do agreste deve ser inaugurada até o fim do ano.

A maior obra hidríca do país está em obras há mais de oito anos e deve levar abastecimento para 68 municípios do Agreste Pernambucano que sofrem com a falta d'água.

 

Site Rádio Cultura FM

Compesa suspende abastecimento de água em alguns bairros de Caruaru

O abastecimento será retomado na próxima sexta-feira (5). Imagem: Divulgação/Compesa)

A Companhia de Abastecimento de Pernambuco (Compesa) suspendeu o abastecimento de água em diversos bairros de Caruaru, nesta terça-feira (02), para realizar uma manutenção emergencial na Estação 2 do Sistema Jucazinho. A interrupção segue até a próxima sexta-feira (5).

Os bairros que estão com o abastecimento de água suspenso são o Salgado (parte alta), José Liberato, Morada Nova, Rendeiras (parte baixa), Gonçalves Ferreira, Jacaré, parte do Cedro e do Indianópolis. Além do Sítio Contendas e Rafael (lado A), Riacho Doce, Lajes, Juá (Coqueiros e Barrinhos ) e Jurity. Por meio de nota, a Compesa informou que, após o término da manutenção, o abastecimento dessas localidades será retomado de acordo com o calendário.

 

Blog Carlos Britto

Lagoa de estabilização desativada pela Compesa gera transtornos aos moradores

A lagoa de estabilização situada na Avenida Sete de Setembro, em Petrolina, desativada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), tem gerado transtornos para quem mora nas imediações. Segundo os comunitários, além da fedentina, por conta do despejo ilegal de lixo, muitos animais silvestres também invadem as áreas urbanas.

De acordo com o gerente regional do órgão, Marcelo Guimarães, o local está passando por uma fase de secagem e, por conta disso, os animais aparecem. “Se for identificada mais uma espécie, vamos cuidar para reintroduzi-las no ambiente natural e posteriormente na limpeza do espaço urbano”, declarou ao GRTV, da TV Grande Rio.

 

Site CBN Recife

Compesa instala sistema de abastecimento de água em Jagatá, Ipojuca

A Compesa tem buscado, e realizado, a execução de obras de pequeno e médio portes, com o objetivo de ampliar a rede de abastecimento de água. Uma das intervenções está sendo executada na comunidade Jagatá, área central do município do Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife, cujas obras estão em andamento com previsão para finalização neste mês de agosto. 

Estão sendo implantados 700 metros de rede de distribuição que transportarão água a partir do sistema Suape para 800 pessoas residentes na localidade, que não contam com água tratada e de qualidade nas torneiras. Essa realidade vai mudar ainda em agosto, quando o novo sistema de abastecimento será testado. 

Segundo a diretora Regional Metropolitana da Compesa, Nyadja Menezes, que na última semana vistoriou o andamento dos serviços, a intervenção recebeu investimentos de R$ 200 mil com grande alcance social para a comunidade que não é atendida pela Companhia. “Continuam focados no planejamento e execução de projetos que visem à ampliação da oferta de água para os pernambucanos, independente do porte da obra ou recursos financeiros. Estamos usando a criatividade das nossas equipes, que têm apontado soluções que nos permitam a execução dessas iniciativas para atendimento às necessidades da população”, reforça a diretora da Compesa.

 

Blog Carlos Eugênio

Compesa informa Roubo de Cabos em Estação Elevatória e amplia regime de Abastecimento em Garanhuns, Caetés, Jucati, São João e Angelim

A Compesa emitiu nota informando que a Estação Elevatória de Mundaú foi furtada no último sábado, dia 30, “causando diversos prejuízos e impedindo a continuidade de seu funcionamento”. Segundo a Estatal, foram levados cabos e componentes elétricos, deixando a Unidade inoperante.

“A Companhia esclarece que na sexta-feira, dia 29, já havia adotado um calendário provisório de abastecimento nas cidades atendidas pelo Sistema Integrado Garanhuns, devido às constantes quedas de energia. O calendário fica em vigor até essa quinta-feira, dia 4, data prevista para o retorno da Operação da Unidade”, registra a Compesa, em Nota distribuída a Imprensa.

Diante dessa nova realidade, o abastecimento d´água ficará da seguinte forma: Garanhuns será atendida no regime de dois dias com água e quatro dias sem. Caetés com 1 dia com águia e 4 sem; Jucati 1 dia com água e 2 sem abastecimento. Já São João e Angelim terão um dia com água e seis dias sem.

 

Site G1

Furto em estação de água prejudica abastecimento do Sistema Integrado de Garanhuns

Unidade deve voltar a operar normalmente na quinta-feira (4), segundo a Compesa.

Um furto de cabos e componentes elétricos deixou a Estação Elevatória de Mundaú sem operar. O crime prejudicou o abastecimento de municípios atendidos pelo Sistema Integrado de Garanhuns, no Agreste.

De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), um calendário provisório de abastecimento nas cidades atendidas pelo sistema foi adotado e fica em vigor até a quinta-feira (4), data prevista para o retorno da operação da unidade.

Garanhuns será atendida no regime de dois dias com água e quatro dias sem. Caetés, um dia com água e quatro sem; Jucati, com um dia com água e dois sem; e São João e Angelim com um dia com água e seis sem.

 

Jornal do Commercio – Opinião

Voz do Leitor do dia 4 de agosto de 2022

Leitores enviaram suas denúncias para a coluna Voz do Leitor, do Jornal do Commercio

Compesa

Atenção, Compesa! Há quatro meses uma cratera aberta por vocês, nas proximidades do Atacadão de Camaragibe, tem tirado o sossego dos pedestres e, principalmente, dos motoristas. Ela está atrapalhando demais o trânsito da via, mais precisamente defronte ao Cooper Une. Favor solucionar o problema.

Fábio Santana, por e-mail

Resolvido

Gostaria de agradecer ao JC e a coluna Voz do Leitor pela publicação da minha solicitação referente a um vazamento. E aproveito para parabenizar a Compesa pela solução do problema e concretização dos serviços solicitados.

João Lopes, por e-mail

  

Jornal do Commercio - Pernambuco

Furto de energia elétrica: Neoenergia Pernambuco registra mais de 73 mil ligações irregulares no primeiro semestre de 2022

Quem pratica o roubo de energia elétrica, popularmente conhecido como ‘macaco’, causa uma concorrência desleal na economia.

É um consenso de que os furtos de energia elétrica são um problema social em todo o Brasil. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que rege o setor elétrico junto às empresas concessionárias de energia, tem um grande desafio que é de mitigar os danos causados por este crime.

Em Pernambuco, de janeiro a junho de 2022, considerando todos os segmentos de consumidores - residenciais, rurais, industriais e comerciais - foram identificadas mais de 73 mil ligações irregulares pela Neoenergia Pernambuco. A energia recuperada pela distribuidora, neste primeiro semestre, foi de 120 milhões de KWh.

Além de cometer o crime de furto de energia elétrica, empresas e comércios, por exemplo, promovem concorrência desleal, ao levarem uma vantagem indevida no mercado, que compromete todo o setor energético e a cadeia econômica daquela região.

Seja por meio das ligações clandestinas feitas diretamente no sistema elétrico ou por alterações no relógio medidor, os conhecidos ‘macacos’ encarecem as contas de energia e impactam diretamente no valor final dos consumidores.

De acordo com Gustavo Santos, gerente de operações na Neoenergia, a ANEEL determina que uma parte das perdas, que não conseguem ser combatidas pela distribuidora, sejam repassadas na tarifa de energia para os clientes. Ou seja: todos saem perdendo e pagando mais quando ligações clandestinas são feitas.

A prática ilegal precisa ser combatida não apenas pelo furto de energia em si, mas também por caracterizar uma concorrência desleal, frente as vantagens e os lucros que um determinado estabelecimento tem diante de uma empresa concorrente que age de forma regular.

O alerta é também sobre os riscos à vida, por causa dos perigos de se fazer uma ligação irregular, “quem faz ligação clandestina, corre um grande risco de provocar um acidente, seja um choque elétrico ou até uma descarga elétrica. Além disso, impacta diretamente na qualidade do fornecimento de toda a comunidade”, ratifica o gerente Gustavo Santos.

O crescimento no furto de energia vem não só dos clientes de contas residenciais, mas também dos estabelecimentos comerciais, que praticam fraudes milionárias de energia elétrica, o suficiente para iluminar cidades inteiras.

“O furto de energia aqui em Pernambuco está bem pulverizado. Elas acontecem em diversos grupos de clientes, sejam eles classe A, classe média ou baixa renda”, explica Gustavo Santos.

O que configura o furto de energia?

Segundo Gustavo Santos, o furto de energia é configurado quando o consumo mensal de todos os equipamentos de um estabelecimento, seja ele residencial ou comercial, não está sendo registrado pelo equipamento de medição instalado pela concessionária. O furto de energia é crime com base no artigo 155 do código penal brasileiro.

Como identificar se um local está furtando energia elétrica?

Uma das formas do cidadão identificar uma ligação clandestina é que, na maioria das vezes, essas ligações são realizadas por fios coloridos como, brancos, vermelhos, verdes, azuis, amarelos, e que fogem do padrão de ligação regular da Neoenergia Pernambuco.

Sendo assim, a coloração dos fios é uma indicação importante que sinaliza para a população sobre uma ligação irregular. Além disso, a Neoenergia Pernambuco utiliza cabos, de uma outra cor e espessura, como padrão para realizar tais ligações de forma regular.

A Neoenergia Pernambuco hoje atua de diversas formas no combate às ligações clandestinas. Dentro da distribuidora existe uma área de inteligência que faz o monitoramento dos consumos, além de receber denúncia de toda a população.

“No momento em que é ocorrido essa sinalização, equipes são enviadas a campo, que atestam a irregularidade, corrige o desvio e regularizam o fornecimento de energia deixando-o de forma muito mais segura”, afirma Gustavo.

Por isso, é importante que diversos segmentos da economia fiquem atentos a roubos de energia elétrica e denunciem a prática criminosa.

Como denunciar?

Para denunciar uma ligação irregular, o cidadão pode entrar em contato com a Neoenergia Pernambuco por meio do site www.neoenergiapernambuco.com.br, enviar mensagem no canal de WhatsApp de número 3217-6990 ou a partir do 116, tele atendimento da concessionária de energia elétrica.

“Toda a população pode contribuir com a Neoenergia Pernambuco na identificação dessas irregularidades. As denúncias são anônimas. É importante que tenha um detalhamento do local, da rua ou um ponto de referência para que as nossas equipes sejam deslocadas e a gente consiga identificar essa irregularidade”, finaliza Gustavo Santos.

 

Site G1

Roubo de energia é flagrado em 418 apartamentos de dois conjuntos residenciais em Olinda

Segundo Neoenergia Pernambuco, energia recuperada nos conjuntos Peixinhos I e II seria suficiente para abastecer 7,3 mil residências por 30 dias.

Uma operação contra o roubo de energia elétrica flagrou o crime em 418 apartamentos localizados em dois conjuntos residenciais em Olinda, no Grande Recife. Segundo a Neoenergia Pernambuco, foi possível recuperar 1.100.000 KWh, o suficiente para abastecer mais de 7,3 mil residências por 30 dias.

A concessionária que presta o serviço no estado disse que “foi uma das maiores operações de recuperação de energia da sua história”.

Por meio de nota, a empresa informou que a operação foi finalizada nesta quarta (3), após oito dias de inspeções. A ação ocorreu nos residenciais Peixinhos I e II, na rua do Geriquiti.

De acordo com a concessionária, “pouco mais de 77% dos moradores dos residenciais, que conta com 540 apartamentos, consumiam energia sem pagar”.

No comunicado, a empresa informou que “houve fraudes nos medidores e adulteração de equipamentos”.

O crime foi descoberto a partir da análise da quantidade de energia consumida e do faturamento dos clientes.

Com o cruzamento de dados, o núcleo de inteligência da distribuidora identificou a possibilidade de desvio.

Uma equipe foi ao local e confirmou que “existia um furto generalizado”. Todas as ligações irregulares foram retiradas e o consumo das unidades passou a ser totalmente o medido.

A Neoenergia Pernambuco afirmou, ainda, que o roubo de energia é crime. Quem pratica essa infração está sujeito a penalidades do artigo 155 do Código Penal Brasileiro.

“Além de acarretar prejuízos à população, a prática representa riscos de acidentes graves, acrescentou o comunicado.

Em caso de denúncias, os clientes podem entrar em contato pelos canais de atendimento da concessionária: teleatendimento (116), whatsapp (32176990) e site, sem a necessidade de identificação.

 

Blog Alvinho Patriota

Neoenergia Pernambuco realiza projeto “Energia com Cidadania” em Moreilândia

Em parceria com a prefeitura, a Neoenergia Pernambuco (antiga Celpe) está realizando em Moreilândia o projeto “Energia com Cidadania”. A unidade móvel da empresa ficou na sede do município nos últimos dois dias e segue hoje, 4, para o distrito de Cariri Mirim.

Durante a ação, clientes residenciais têm acesso a palestra sobre uso eficiente da energia e ainda podem obter até cinco lâmpadas LED na troca por modelos que consomem mais energia. Também são oferecidos serviços de inscrição na Tarifa Social, negociação de débitos e troca de titularidade.

Para trocar lâmpadas é necessário ser cliente da Neoenergia, ser morador de comunidade popular ou estar cadastrado na Tarifa Social, apresentar conta de energia do mês anterior paga, não ter débitos com a concessionária, não ter trocado lâmpadas nos projetos da Neoenergia nos últimos 6 anos e entregar lâmpadas incandescentes, fluorescentes ou halógenas.

 

Site Neoenergia

NEOENERGIA INICIA OPERAÇÃO DE UMA DAS MAIORES SOLUÇÕES DE SISTEMA DE CONTROLE E GERENCIAMENTO AVANÇADO DA DISTRIBUIÇÃO

A Neoenergia concluiu em julho mais uma fase do projeto de modernização e padronização dos sistemas de controle e gerenciamento da distribuição do grupo, com a entrada em operação do novo Sistema de Controle e Gerenciamento Avançado da Distribuição do Grupo. Novas funcionalidades, alta tecnologia, digitalização, velocidade e soluções baseadas em inteligência artificial fazem parte do novo sistema. A expectativa é que a nova ferramenta traga mais agilidade e eficiência com o objetivo de melhorar ainda mais a qualidade do serviço de fornecimento de energia.

Iniciado em 2018 o Programa SISCON é composto por vários projetos que contemplam a implementação de novos sistemas, a modernização da infraestrutura de informação e a padronização dos processos de operação. Até 2024 serão implantados todos os projetos do programa beneficiando os clientes dos quase 1000 municípios atendidos pela Neoenergia Pernambuco (PE), Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Cosern (RN) e Neoenergia Elektro (SP e MS).

“O programa SISCON faz parte de uma estratégia robusta de investimentos em digitalização, buscando eficiência e aumento da qualidade do serviço de fornecimento de energia prestado aos clientes da Neoenergia. Até 2024, continuaremos modernizando os centros de operação e datacenters, além de reforço de práticas de cibersegurança e novas ferramentas que impulsionarão a transformação digital no modelo de operação das distribuidoras", afirma Carlos Eduardo Ferreira Soares, superintendente de Desenvolvimento e Aplicação da Neoenergia.

A etapa realizada na Neoenergia Pernambuco já permite a operação remota de todas as 162 subestações e mais de 2760 equipamentos de redes, como religadores e sensores, atualmente espalhados por toda a área de concessão da distribuidora, além de permitir o restabelecimento do fornecimento de energia em até 60 segundos, por meio de uma tecnologia de recomposição automática conhecida como self healing. 

“A implantação de novos sistemas de gerenciamento da distribuição é sempre um grande desafio, já que falamos de um serviço crítico em uma empresa de distribuição de energia. Através desse projeto asseguramos maior robustez, tecnologia, segurança e eficiência aos nossos processos e consequentemente a melhoria da prestação do serviço de distribuição a todos os pernambucanos" ressalta Benedito Somaio, gerente do Programa SISCON na Neoenergia.

A Neoenergia Pernambuco possui uma área de concessão de 98,5 mil quilômetros quadrados e fornece energia para 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes) e distribui energia elétrica e qualidade de vida para os 184 municípios pernambucanos e a Ilha de Fernando de Noronha, além da cidade de Pedra de Fogo, na Paraíba. 

 

Site Portal de Prefeitura

Neoenergia flagra Panificadora Pão de Cristo e o Mercadinho do Filho Ronny furtando energia; proprietários dos estabelecimentos foram conduzidos à delegacia

A quantidade da energia consumida é suficiente para abastecer aproximadamente 2.000 famílias por 30 dias. A operação foi realizada na última semana.

A Neoenergia Pernambuco recuperou o consumo de energia de aproximadamente 2.000 famílias por 30 dias durante operação realizada na última semana, em dois estabelecimentos comerciais, na Ilha de Joana Bezerra, no Recife.

Com o apoio da Polícia Militar e do Instituto de Criminalística, a distribuidora identificou a Panificadora Pão de Cristo e o Mercadinho do Filho Ronny, localizados na Rua Cabo Eutrópio, furtando energia. Juntos, os dois locais desviaram cerca de 232.000 kW.

Após confirmar o crime, os proprietários dos estabelecimentos foram conduzidos à delegacia, onde pagaram fiança e foram liberados.

A panificadora e o mercadinho estavam consumindo energia desviada por meio de uma ligação direta na rede de distribuição, sem passar pelo medidor. Este tipo de ligação, além de ser crime, pode gerar uma série de problemas para quem faz e para os próprios clientes do local.

Isso porque a pessoa que executa a gambiarra não segue nenhuma regra de segurança e pode sofrer uma descarga elétrica no momento da execução. Os equipamentos da unidade consumidora também podem sofrer avarias, como sobrecarga, gerando incêndios ou choques elétricos.

Para o consumidor que está comprando no local, além do choque e do risco de incêndio, ele ainda está contribuindo com uma concorrência desleal, pois enquanto as demais padarias e mercadinho pagam pela energia consumida, quem furta tem a possibilidade de aumentar os ganhos de forma ilícita ou mesmo baixar os preços para prejudicar quem está trabalhando de forma correta.

“Quem comete o crime de fazer uma ligação clandestina está sujeito aos riscos de segurança e ainda vão pagar todo o consumo anterior ao ser descoberto. Nesses dois casos, estamos fazendo a cobrança retroativa e regularizamos os dois clientes.”

Nossas equipes farão o acompanhamento dos dois locais nos próximos meses para garantir que o consumo seja medido, cobrado e pago dentro da normalidade do processo de comercialização de energia elétrica”, afirmou o supervisor de recuperação de energia da Neoenergia Pernambuco, Ícaro Bezerra.

É importante ressaltar que o furto de energia é crime sujeito às penalidades do artigo 155 do Código Penal Brasileiro. Além de acarretar prejuízos à população, a prática representa riscos de acidentes graves. Em caso de denúncias, os clientes podem entrar em contato pelos canais de atendimento​ da concessionária, sem a necessidade de identificação.

Sobre a Neoenergia Pernambuco

A Neoenergia Pernambuco distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha.

Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

Neoenergia Pernambuco

 

Site FIERN

SENAI-RN e Neoenergia Cosern inauguram primeira turma exclusiva de mulheres no curso de eletricistas de rede

A Neoenergia Cosern e o SENAI-RN fizeram a abertura oficial da primeira turma do curso de Eletricistas de Redes de Distribuição formada exclusivamente por mulheres no Rio Grande do Norte na noite desta segunda-feira (1).

São 28 alunas, selecionadas entre mais de 300 candidatas inscritas no início do ano, que deram o pontapé inicial nos estudos para atuar, futuramente, em pé de igualdade com os homens na rede de distribuição de energia do estado.

O momento histórico, realizado de forma on-line (formato da parte inicial teórica do curso), foi prestigiado pelo Diretor Presidente da Neoenergia Cosern, Márcio Caires Vasconcelos, a Gerente de Treinamento da Neoenergia, Chistiane Tavares, a Especialista em Treinamento da Neoenergia, Jéssica Ferraro, o Gerente de Saúde e Segurança da Neoenergia Cosern, Valfrido Holanda, o Gerente de Recursos Humanos da distribuidora, Max Delfino, e a Coordenadora de Projetos do SENAI-RN, Amora Vieira. 

Nas suas palavras de boas-vindas às alunas, Márcio Caires Vasconcelos ressaltou que o tripé fundamental da formação é trabalhar com ética, segurança e a busca pela eficiência com foco no cliente, tanto nesse momento de estudos quanto numa possível colocação na distribuidora no futuro.

“Com essa turma exclusiva para mulheres, vemos mais uma iniciativa na prática do que tanto defendemos sobre igualdade de gênero na empresa”, ressaltou o Diretor Presidente da Neoenergia Cosern.

“Estamos marcando um gol tão importante quanto o que levou a Neoenergia a patrocinar a Seleção Brasileira Feminina de Futebol, campeã da Copa América Feminina na Colômbia”, concluiu Márcio Caires.

“A Escola de Eletricistas oferece oportunidade para mulheres e homens que buscam formação profissional e desejam atuar no setor elétrico, um mercado que possui uma alta demanda de mão de obra qualificada. Temos o compromisso de incentivar a participação feminina na sociedade e dentro da nossa companhia”, afirmou a Gerente de Treinamento da Neoenergia, Chistiane Tavares.

Amora Vieira, falando pelo SENAI-RN, lembrou que as alunas vão viver uma jornada pessoal e profissional de aprendizado inesquecível. “É muito importante que nenhuma de vocês desista, pois é uma honra estarmos aqui fazendo história”, ressaltou a Coordenadora de Treinamento.

Igualdade de gênero

Desde 2013, a Escola de Eletricistas da Neoenergia já formou 4.695 alunos, dos quais 3.462 foram contratados pela empresa. Desse total, 297 são mulheres. Na Neoenergia Cosern, 24 mulheres já atuam como Eletricistas de Redes de Distribuição, desde agosto de 2020, oriundas de turmas mistas.

A Neoenergia pretende ampliar a presença de mulheres em postos de liderança e em atividades ligadas à operação até 2030. Recentemente, a companhia assinou a declaração de apoio aos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, na sigla em inglês), iniciativa promovida pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global.

A Escola de Eletricistas visa qualificar novos profissionais para atuar em redes de distribuição de energia elétrica e é realizada nas cinco distribuidoras – Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Pernambuco (PE), Neoenergia Cosern (RN), Neoenergia Elektro (SP e MS) e Neoenergia Brasília (DF).

 

Folha de Pernambuco - Noticias

Energia desviada por mais de 400 apartamentos de Olinda abasteceria 7,3 mil casas em 30 dias

Furto era feito por adulteração de equipamento, segundo a distribuidora

Uma operação da Neoenergia Pernambuco encerrada nesta quarta-feira (3) identificou desvio de energia em 418 apartamentos de dois residenciais, no bairro de Peixinhos, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

De acordo com a distribuidora, o total de energia recuperada foi de 1.100.000 kWh, o suficiente para abastecer mais de 7,3 mil residências por 30 dias.

Os técnicos passaram oito dias em campo nos habitacionais Peixinhos I e II, localizados na rua Giriquiti. Os residenciais têm 540 apartamentos - ou seja, em 77% deles havia desvio de energia. 

O furto era feito por adulteração de equipamento. Segundo a Neoenergia, o núcleo de inteligência identificou um possível desvio ao analisar a quantidade de energia que atendia à localidade e o faturamento cobrado aos clientes. 

Na última semana, uma equipe da Neoenergia verificou a existência de um furto generalizado. Todas as ligações irregulares foram retiradas e o consumo das unidades passou a ser totalmente o medido.

“Este foi um dos maiores casos que identificamos nos últimos anos. Foram 418 apartamentos usando energia sem pagar pelo consumido”, afirmou o supervisor de recuperação de energia da Neoenergia Pernambuco, Ícaro Bezerra.

Furto de energia é crime

A Neoenergia Pernambuco reforça que o furto de energia é crime sujeito às penalidades do artigo 155 do Código Penal Brasileiro. Além de acarretar prejuízos à população, a prática representa riscos de acidentes graves. 

Em caso de denúncias, os clientes podem entrar em contato pelos canais de atendimento da concessionária, entre eles o teleatendimento (116), o WhatsApp (81 3217-6990) e o site oficial (www.neoenergiapernambuco.com.br) sem a necessidade de identificação.

 

CLIPAGEM 29 DE JUNHO DE 2022. 

Blog Edenevaldo Alves

Compesa esclarece falta d’água em 18 bairros de Petrolina (PE) nesta terça (28)

A Compesa informa que o abastecimento de água dos bairros listados abaixo precisou ser interrompido na manhã de hoje (28) para a realização de reparo emergencial em rede de água localizada no bairro José e Maria, próximo à AESA. A previsão é de que às ainda hoje o serviço seja concluído e o abastecimento retomado gradativamente.

BAIRROS: Areia Branca, Caminho Do Sol, Dom Avelar, Dom Malan, Jose E Maria, Mandacaru, Maria Auxiliadora, Pedra Linda, Santa Luzia, São Joaquim, São Jorge, Terra Do Sul, Vale Dourado, Vila Eulália; Vila Esperança, Condomínio Mais Viver, Mais Viver Vinhedos, Residencial Novo Tempo

 

Jornal do Commercio - Economia

CONTA DE LUZ: aumento será revisto em Pernambuco; entenda como fica a conta

Um total de R$ 47,6 bilhões em tributos pagos a mais pelos consumidores ainda não foram restituídos por meio da conta de energia

O reajuste de 18,98% da conta de luz, que começou a vigorar em Pernambuco desde o fim do último mês de abril deverá ser revisto, com redução do percentual aplicado, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Durante a realização da 23ª reunião ordinária da agência, realizada nesta terça-feira (28), a diretora-interina da Aneel, Camila Figueiredo Bomfim Lopes, confirmou que a revisão será necessária para adotar a devolução de tributos pagos a mais pelos consumidores, projeto que foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Com a adoção da devolução dos valores pagos a mais em tributos embutidos na conta de luz, o reajuste já aprovado de 13 distribuidoras no início deste ano, incluindo a Neoenergia Pernambuco, será revisto. 

De acordo com a própria Aneel, a tendência que, com um processo extraordinário de revisão, os reajustes já aplicados caiam, passando a serem cobrados valores menores aos consumidores. 

O projeto de lei que especifica os procedimentos para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devolver ao consumidor, via tarifa de energia, os valores de PIS e Cofins pagos a mais pelas distribuidoras prevê que dos R$ 60,3 bilhões em créditos a devolver pela União às distribuidoras, R$ 47,6 bilhões ainda não foram restituídos aos consumidores.

O restante já havia entrado em revisões tarifárias desde 2020 - que resultaram em redução média de 5% até então, segundo os cálculos da própria agência. 

Quanto será reduzido agora, não é possível especificar ainda. Já que para cada distribuidora que teve o processo tarifário homologado será aberto um novo processo de revisão extraordinária. 

Essa revisão extraordinária será aplicada ainda às distribuidoras de energia elétrica com processos tarifários homologados a partir de janeiro de 2022.

De acordo com a Aneel, em razão das diferentes datas de ajuizamento das ações pelas distribuidoras, os efeitos serão sentidos de maneira diversa em cada região e área de atuação das concessionárias.

Como as revisões consideram outros custos que poderiam aumentar a tarifa na revisão, não necessariamente os valores implicarão em redução da fatura, mas em aumento menor, o que no caso de Pernambuco significa que o aumento 18,98% será reduzido, embora não haja definição de um prazo específico para aplicação do novo reajuste. 

O PESO DOS AUMENTOS NA CONTA DE LUZ

No fim de abril, a Neoenergia Pernambuco teve aprovado pela Aneel o aumento de 18,98% ( em média) alcançando um patamar só visto na crise iniciada em 2014 (17%).

Para os consumidores de alta tensão (a exemplo de fábricas e grandes comércios) a variação média foi de 19,01%. Já na baixa tensão, o efeito médio do reajuste será de 18,97%, incluindo os consumidores residenciais urbanos, que irão arcar com uma alta de 18,50%.

Na composição da conta, a Aneel aponta que pesaram mais o custo de energia (34,1%) e os tributos (27,5%). A Neoenergia, por sua vez, diz que fica com 22,7% do valor pago pelos consumidores.

 

Site Portal de Prefeitura

Neoenergia recebe embalagem do tipo Tetra Pak para reciclagem e oferece desconto na conta de energia; saiba valor do quilo

O cliente da Neoenergia que desejar participar do Projeto Vale Luz precisa apenas se apresentar no local de troca itinerante munido de sua conta contrato e um documento com foto.

Com a finalidade de oferecer mais uma opção para os clientes receberem desconto na conta de energia elétrica, a Neoenergia Pernambuco ampliou o número de resíduos aceitos pelo Projeto Vale Luz​, promovido pelo Programa de Eficiência Energética da concessionária, regulado pela ANEEL.

A partir deste mês de junho, as embalagens Tetra Pak (ou longa vida) passam a ser aceitas oficialmente em todos os pontos de recolhimento do projeto.

Cada quilo das embalagens entregue ao Projeto Vale Luz é revertido em R$ 0,08 para o cliente. Apenas caixinhas em bom estado, completamente vazias, secas e limpas serão aceitas. Caixas molhadas ou com qualquer item no seu interior não serão contabilizadas.

“A entrega das embalagens longa vida era um pedido dos nossos clientes, que muitas vezes terminavam descartando o material no lixo comum, impactando diretamente o meio ambiente. A inclusão do Tetra Pak no Vale Luz é, principalmente, mais uma oportunidade de todos receberem algum tipo de desconto na fatura neste momento tão sensível da economia”, afirmou o supervisor de Eficiência Energética da Neoenergia Pernambuco, Artur Costa.

Além do benefício financeiro, o Projeto Vale Luz também promove uma maior conscientização sobre a necessidade de descartarmos os resíduos de forma correta, diminuindo assim o impacto sobre o meio ambiente.

“A caixinha é um dos resíduos mais presentes nas nossas casas. Só para termos uma noção da importância dessa reciclagem, uma tonelada de embalagem cartonada produz cerca de 700 kg de papel, o que evitaria o corte de 21 árvores”, concluiu Artur Costa.

O cliente da Neoenergia que desejar participar do Projeto Vale Luz precisa apenas se apresentar no local de troca itinerante munido de sua conta contrato e um documento com foto.   

Os participantes do Vale Luz podem entregar, além do vidro, metal (latinhas de alumínio e ferro), papel, papelão, plásticos (garrafas PET, embalagens de produtos de limpeza e higiene), óleos vegetais (como os de coco, de cozinha, soja, canola, girassol, milho) e eletrônicos (exceto geladeiras, refrigeradores e condicionadores de ar). Os materiais precisam estar limpos e, em caso de papéis, já empilhados, o que facilitará o processo de pesagem. 

Condomínios também podem participar do projeto através do Vale Luz Condomínio, que faz a coleta de resíduos diretamente nas unidades localizadas na RMR, concedendo descontos na fatura de energia do condomínio cadastrado. Para se inscrever, basta baixar a ficha de cadastro no site da Neoenergia e enviá-la via e-mail para eficiêEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., com o assunto Vale Luz Pernambuco. 

 

Diário de Pernambuco – Economia

Sancionada lei que devolve PIS/Cofins cobrado na conta de luz

Os consumidores de energia elétrica terão aumentos menores nas contas de luz. O presidente Jair Bolsonaro sancionou, sem vetos, a Lei 14.385, publicada hoje (28) no Diário Oficial da União.

Aprovado pela Câmara dos Deputados no início do mês, o texto estabelece a devolução do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), imposto estadual, incluído na base de cálculo do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), tributos federais.

A lei alterou as normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para agilizar a devolução dos valores cobrados a mais no PIS/Cofins. A devolução será feita por meio de aumentos menores nas tarifas de energia.

Em 2017, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a exclusão do ICMS do preço que serve como base de cálculo do PIS/Cofins. A corte entendeu que havia dupla tributação (cobrança de um mesmo imposto duas vezes). Em 2021, o STF definiu o alcance da medida, que reveria ser retroativa a 15 de março de 2017.

Segundo a Câmara dos Deputados e o Senado, a União deveria devolver R$ 60,3 bilhões em créditos de PIS/Cofins às distribuidoras. Desse total, R$ 12,7 bilhões já foram devolvidos pela Aneel em revisões tarifárias desde 2020, que teriam impedido as contas de luz de aumentarem, em média, 5% desde então. Ainda há R$ 47,6 bilhões a serem ressarcidos aos consumidores.

Revisão extraordinária

Em nota, a Aneel informou que, desde 2020, tem devolvido os valores relativos à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins. O órgão informou que fará uma revisão extraordinária das tarifas para as companhias que tiveram o reajuste aprovado sem a restituição do imposto. As demais distribuidoras serão atendidas conforme o calendário de revisões tarifárias de 2022.

“Ressaltamos que a Aneel já vem realizando esse procedimento desde 2020. Para as distribuidoras que já passaram por processo tarifário em 2022, a Aneel aprovará uma revisão tarifária extraordinária, nos termos da referida lei. Já para as distribuidoras que ainda terão seus processos nos próximos meses, o ajuste será realizado nos processos tarifários ordinários conforme calendário divulgado no site da agência”, destacou o comunicado.

Segundo a Aneel, o reajuste médio de 12,04% para os clientes da Enel, que atende 7,6 milhões de unidades consumidoras no estado de São Paulo, já inclui a devolução dos créditos de PIS/Cofins. O órgão informou que 8,7% da composição do índice médio de reajuste, aprovado hoje pela agência reguladora, está relacionado à devolução dos tributos.

 

Jornal do Commercio - Economia

Conta de luz em Pernambuco vai mudar e pode baixar valor cobrado; saiba detalhes

Para cada distribuidora que teve o processo tarifário homologado será aberto um novo processo de revisão extraordinária

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou, em Reunião Ordinária realizada nesta terça-feira (28), que irá adotar uma revisão extraordinária para alterar os reajustes já aplicados as contas de energia em 2022. Pernambuco, que está entre os estados que já tiveram a alta homologada, terá revisão dos 18,98%, em média, aplicados a mais nas tarifas desde o fim do último mês de abril. 

A informação foi dada pela diretora-interina da Aneel, Camila Figueiredo Bomfim Lopes. A medida é  necessária para adotar a devolução de tributos federais pagos a mais pelos consumidores, projeto que foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Com a adoção da devolução dos valores pagos a mais em tributos embutidos na conta de luz, o reajuste já aprovado de 13 distribuidoras no início deste ano, incluindo a Neoenergia Pernambuco, será revisto. 

De acordo com a própria Aneel, a tendência que, com um processo extraordinário de revisão, os reajustes já aplicados caiam, passando a serem cobrados valores menores aos consumidores. 

O projeto de lei que especifica os procedimentos para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devolver ao consumidor, via tarifa de energia, os valores de PIS e Cofins pagos a mais pelas distribuidoras prevê que dos R$ 60,3 bilhões em créditos a devolver pela União às distribuidoras, R$ 47,6 bilhões ainda não foram restituídos aos consumidores.

O restante já havia entrado em revisões tarifárias desde 2020 - que resultaram em redução média de 5% até então, segundo os cálculos da própria agência. 

Quanto será reduzido agora, não é possível especificar ainda. Já que para cada distribuidora que teve o processo tarifário homologado será aberto um novo processo de revisão extraordinária. 

Essa revisão extraordinária será aplicada ainda às distribuidoras de energia elétrica com processos tarifários homologados a partir de janeiro de 2022.

De acordo com a Aneel, em razão das diferentes datas de ajuizamento das ações pelas distribuidoras, os efeitos serão sentidos de maneira diversa em cada região e área de atuação das concessionárias.

Como as revisões consideram outros custos que poderiam aumentar a tarifa na revisão, não necessariamente os valores implicarão em redução da fatura, mas em aumento menor, o que no caso de Pernambuco significa que o aumento 18,98% será reduzido, embora não haja definição de um prazo específico para aplicação do novo reajuste. 

O PESO DOS AUMENTOS NA CONTA DE LUZ

No fim de abril, a Neoenergia Pernambuco teve aprovado pela Aneel o aumento de 18,98% ( em média) alcançando um patamar só visto na crise iniciada em 2014 (17%).

Para os consumidores de alta tensão (a exemplo de fábricas e grandes comércios) a variação média foi de 19,01%. Já na baixa tensão, o efeito médio do reajuste será de 18,97%, incluindo os consumidores residenciais urbanos, que irão arcar com uma alta de 18,50%.

Na composição da conta, a Aneel aponta que pesaram mais o custo de energia (34,1%) e os tributos (27,5%). A Neoenergia, por sua vez, diz que fica com 22,7% do valor pago pelos consumidores.

 

CLIPAGEM 28 DE JUNHO DE 2022. 

Jornal do Commercio - Economia

Copergás interrompe fornecimento do GNV em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Entenda

Companhia divulgou um comunicado na segunda-feira (27) anunciando a suspensão do fornecimento

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) anunciou, nessa segunda-feira (27), a interrupção temporária da distribuição do gás natural veicular (GNV) em Petrolina, no Sertão.

De acordo com comunicado divulgado pela Copergás, o motivo são problemas com o fornecimento do GNV por parte do supridor.

Em nota, a Copergás informou que "tão logo a logística seja restabelecida pelo supridor, o fornecimento será retomado". Não foi estabelecido um prazo de retorno.

A companhia ainda se desculpou pelo ocorrido e afirmou estar "envidando todos os esforços para que esse impedimento seja superado".

Protesto de motoristas de aplicativo

Após a divulgação do comunicado da Copergás, a Associação dos Motoristas e Motofretistas de Aplicativos de Pernambuco (Amape) divulgou uma nota informando estar surpresa com a suspensão do fornecimento do GNV em Petrolina.

Atualmente, o GNV é uma opção mais barata para abastecer o veículo, principalmente para quem o usa como instrumento de trabalho, em comparação com a gasolina e o etanol. Em Petrolina, o preço máximo de venda do litro de gasolina chega a R$ 8,30.

"Após poucos meses de início da operação na cidade, através de uma nota vazia, sem detalhes ou data de retorno, comunicado divulgada pela Copergás, é evasivo e pouco informativo", dispara a Amape. O GNV começou a ser fornecido em Petrolina em 2021.

A Amape afirma que os trabalhadores investiram cerca de R$ 7 mil para converter o veículo para GNV e agora estão desamparados.

A Associação dos Motoristas de Aplicativos de Petrolina (AMAPET) já articula um protesto para a manhã desta terça-feira (28), em parceria com taxistas e motoristas particulares.

O ato deverá sair do Parque Josepha Coelho, passando por ruas centrais de Petrolina até a sede da Copergás no município.

 

Folha de Pernambuco - Notícias

Obra da Compesa modifica trânsito nas proximidades da Via Mangue, em Boa Viagem

A intervenção deve durar 60 dias

Motoristas que trafegam em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, devem ficar atentos. Isso porque uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que começa nesta segunda-feira (27) e deve durar 60 dias, vai bloquear as faixas central e esquerda da Rua Dom João VI, nas proximidades da Via Mangue.

A interferência será no trecho entre as ruas Padre Carapuceiro e Pedro Paes Mendonça. A recomendação da Compesa é que os motoristas evitem trafegar pela área e realizem um desvio pelas ruas Bruno Veloso e Professor João Medeiros.

A intervenção na pista ocorre para a implantação de uma rede coletora de esgoto, que será complementar ao sistema já existente em Boa Viagem. As obras foram iniciadas em julho de 2021 e, até o momento, já foram implantados no bairro uma nova estação elevatória de esgoto e mais de 4.400 metros de tubulações, de acordo com a Companhia.

Nesta etapa final das obras, cerca de 230 metros de tubulações serão assentadas a uma profundidade de quatro metros. Os serviços vão ser realizados nos turnos da manhã e da noite e a intervenção deve ser finalizada em até dois meses, segundo informou a Compesa.

Com investimento de R$ 5 milhões, a ação é realizada pelo Programa Cidade Saneada, parceria público-privada entre a Compesa e a empresa BRK, e deve beneficiar cerca de 40 mil moradores do bairro de Boa Viagem com coleta e tratamento de esgoto.

 

Folha de Pernambuco - Blog da Folha

Silvio Costa Filho discute aumento dos combustíveis e energia elétrica com ministro de Minas e Energia

Audiência acontece nesta terça (280, às 10h. Convidado, ministro já confirmou presença

O deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos) realizará, nesta terça-feira (28), audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor para discutir a política de preço dos combustíveis no país. Com os sucessivos aumentos do litro da gasolina, Silvio Costa Filho, que é presidente da Comissão, quer explicações do Governo Federal sobre os reajustes dos preços realizados pela Petrobras. 

Para isso, o deputado convidou e está confirmada a participação do ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida. A audiência começará às 10h, no plenário 8, da Câmara dos Deputados. Na avaliação do deputado, o brasileiro vem sofrendo com a elevação do preço do combustível e o Governo Federal não faz nenhuma sinalização para reduzir o impacto. 

Na audiência pública, o deputado também cobrará explicações do ministro sobre o aumento da energia elétrica. A cobrança é mais uma medida do deputado que, no começo do mês, já havia realizado audiência para tratar do aumento da conta de luz em Pernambuco e se reuniu recentemente com o presidente da Neoenergia, Saulo Cabral.

Neste último encontro, que também contou com as presenças do deputado Felipe Carreras e do deputado e pré-candidato ao Governo do Estado, Danilo Cabral, resultou na redução da conta de luz das vítimas das fortes chuvas que caíram no Estado.

 

Diário de Pernambuco – Vida Urbana

NEOENERGIA oferece até 65% de desconto na conta de energia de moradores do Rio Doce e bairros vizinhos, em Olinda

A partir desta segunda-feira (27), a Neoenergia Pernambuco estará no Habitacional Julia Beatriz, na Rua Trinta e Oito, na quarta etapa de Rio Doce, em Olinda, para oferecer até 65% de desconto na fatura de energia dos clientes de baixa renda que residem na região. Para conseguir o benefício, é preciso estar inscrito no CadÚnico do Governo Federal e possuir o Número de Identificação Social (NIS) ou o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com um desses números, mais um documento com foto, a pessoa pode se dirigir ao local de atendimento da distribuidora e se inscrever na Tarifa Social de Energia Elétrica.

Caso o cliente seja de baixa renda e não possua o NIS ou o BPC, ou esteja com o cadastro no CadÚnico desatualizado, a Centro de Referência em Assistência Social de Olinda (Cras) também estará com uma equipe no Habitacional Júlia Beatriz para que os interessados possam se inscrever ou atualizar os dados no Cadastro do Governo Federal e assim conseguir o NIS ou o BPC. Assim que se regularizar no Cras, o cliente poderá ir direto ao espaço da Neoenergia para efetivar a inscrição na Tarifa Social.

A equipe da Neoenergia Pernambuco estará na Rua Trinta e Oito até a próxima quinta-feira. O atendimento começa às 9h e vai até as 16h. Além da inscrição na Tarifa Social, os clientes da concessionária podem negociar dívidas, com a possibilidade de dividir o débito por até 24 parcelas no cartão de crédito. Pedido de nova ligação, troca de titularidade, religação e todos os demais serviços de uma agência tradicional estarão à disposição dos clientes.

A ação em Rio Doce tem como finalidade promover uma relação mais próxima e personalizada entre a concessionária e a comunidade. “A Ação em parceria com o CRAS do município é bastante produtiva, pois facilita o acesso dos clientes de baixam renda que têm direito ao benefício. Eles poderão realizar ou atualizar o seu Cadastro Único, e em seguinte, sem precisar se deslocar, poderão realizar de imediato a inscrição na TSEE”, afirmou a supervisora comercial da Neoenergia Pernambuco, Carla Malheiros.

Sobre a NEOENERGIA Pernambuco  

A Neoenergia Pernambuco distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

 

Diário de Pernambuco - Economia

Governo destina R$ 5,1 milhões para obras de saneamento em nove estados

O governo federal vai repassar R$ 5,1 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico em nove estados. Serão beneficiados municípios da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul, Sergipe e Roraima.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), o maior repasse, de mais de R$ 2,22 milhões, será destinado a Rorainópolis, em Roraima. Os recursos serão usados na implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) do município.

Ainda na Região Norte, a cidade de Vilhena, em Rondônia, vai contar com mais de R$ 953 mil para a ampliação e readequação do Sistema de Abastecimento de Água (SAA) e implantação do sistema no perímetro urbano da sede municipal. Também na Região Norte, a cidade de Ananindeua, no Pará, terá à disposição R%uFF04 24,4 mil para ampliação no Bairro Águas Lindas.

No Nordeste, o município de Camaçari, na Bahia, receberá mais de R%uFF04 339 mil para a ampliação do sistema de esgotamento sanitário em Arembepe. Em Pernambuco, o município de Olinda contará com mais de R%uFF04 731 mil para a ampliação na Bacia do Janga.

Já o município de Lagarto, em Sergipe, receberá mais de R%uFF04 262 mil para a ampliação do sistema integrado de abastecimento de água da Adutora do Piauitinga.

Na Região Sudeste, a cidade de Viçosa, em Minas Gerais, terá mais de R%uFF04 324 mil à disposição para a ampliação do SES na sede municipal.

No Centro-Oeste, a cidade de Águas Lindas de Goiás contará com mais de R%uFF04 262 mil para obras de saneamento Integrado no Jardim América II, III, IV, V e VI e Parque das Águas Bonitas.

Na Região Sul, o município de Santa Rosa, no Rio Grande do Sul, terá mais de R%uFF04 4 mil para a elaboração de estudo de concepção e projetos de engenharia para manejo de resíduos sólidos urbanos e manejo de água pluviais na sede municipal.

Saneamento

Segundo o governo, desde janeiro deste ano, já foram repassados R%uFF04 197,7 milhões para continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo país. Outros R%uFF04 504,4 milhões foram pagos para financiamentos por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Atualmente, 1.035 empreendimentos - contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – somam um total de R%uFF04 41,8 bilhões, dos quais R%uFF04 25,1 bilhões são oriundos de financiamentos e R%uFF04 16,6 bilhões de Orçamento Geral da União.

 

Diário de Pernambuco - Economia

Aneel mantém bandeira verde na conta de luz de julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou, na última sexta-feira (24), que vai manter a bandeira verde nas tarifas de luz de julho, sem complemento de cobrança nem taxas extras. A bandeira, que sinaliza condições favoráveis de geração de energia elétrica, será válida para todo o país. 

Desde 16 de abril de 2022, a bandeira verde retornou às contas de luz, quando terminou a vigência da Bandeira Escassez Hídrica, instituída pela Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG).  A cobrança foi iniciada em setembro de 2021.

No caso dos consumidores beneficiários da tarifa social, a bandeira é verde desde dezembro de 2021.

Novos valores para bandeira amarela e vermelha

Desde sexta-feira, passaram a valer também novos valores tarifários para as bandeiras amarela e vermelha. Os reajustes chegam a 64% pela Aneel, porém, especialistas acreditam que essa cobrança extra não será necessária, devido à esperança na recuperação dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas em 2022.

Com o aumento, a bandeira amarela pode chegar a R$ 2,989 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos, já a bandeira vermelha, nível 1 sobe 63,8%, para R$ 6,50 para cada 100 kWh. A bandeira vermelha nível 2, aumenta 3,2%, para R$ 9,795, também para cada 100 kWh.  

Bandeiras tarifárias 

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 pela Aneel como forma de conscientizar os consumidores sobre os gastos de energia elétrica.

 

Diário de Pernambuco - Economia

PPSA registra arrecadação recorde para a União

Nos seis primeiros meses deste ano, a Pré-Sal Petróleo (PPSA) arrecadou R$ 1,23 bilhão com a comercialização da parcela de petróleo e gás de direito da União em contratos de partilha de produção.

Segundo informou a empresa, hoje (27), no Rio de Janeiro, o montante é recorde desde a sua criação e supera em 1% o valor arrecadado no ano passado (R$ 1,22 bilhão).

Criada em novembro de 2013, a Pré-Sal Petróleo atua na gestão dos contratos de partilha de produção, gestão da comercialização de petróleo e gás natural e a representação da União nos acordos de unitização ou individualização.

No primeiro semestre de 2022, foi comercializado o petróleo dos contratos dos campos de pré-sal de Mero, Tupi e Sapinhoá para a Petrobras, que arrematou as cargas em leilão realizado na B3, Bolsa de Valores. Esses campos ficam na Bacia de Santos (SP).

Volume

Até o fim do ano, está prevista a comercialização de 19 cargas de 500 mil barris de petróleo cada. Desse total, sete cargas já foram entregues. Entre janeiro e junho, também foi comercializado o gás natural dos contratos dos campos de pré-sal de Búzios, Sapinhoá e Tupi.

Na avaliação da PPSA, o resultado obtido no primeiro semestre deste ano confirma o crescimento esperado para a receita da União com a comercialização de sua parcela nos contratos de partilha de produção de petróleo. Até dezembro próximo, a expectativa é que a arrecadação alcance perto de R$ 4 bilhões. Os recursos são destinados ao Tesouro Nacional.

Desde 2013, a PPSA já arrecadou R$ 5,21 bilhões para a União, dos quais R$ 3,9 bilhões resultaram da comercialização e R$ 1,3 bilhão da Equalização de Gastos e Volumes (EGV), acerto financeiro decorrente dos Acordos de Individualização da Produção de Sapinhoá, Tupi e Tartaruga Verde.

 

CLIPAGEM 21 DE JUNHO DE 2022. 

Jornal do Commercio - Pernambuco

"Preta e com mau cheiro." Moradores de cidade do Agreste de Pernambuco denunciam estado da água que sai das torneiras

População de Bom Jardim foi às redes sociais reclamar da má qualidade da água que tem chegado em suas casas

Moradores de Bom Jardim, no Agreste de Pernambuco, têm denunciado o estado da água que sai das torneiras nos últimos dias. Eles afirmam que o líquido está escuro e com mau cheiro, impróprio para uso.

Uma dessas pessoas foi o fotógrafo Lucas Pedro da Silva, de 32 anos, cuja água da própria casa está “como se fosse ferrugem” desde a tarde desse sábado (18). “A sorte é que aqui em casa tinha água guardada, mas se secar vai ser difícil encher com essa água, não tem como”, relatou.

O fotógrafo relatou a situação no blog que comanda, o Portal Bom Jardim Oficial (@portalbomjardimoficial). Nos comentários, muitos outros moradores disseram passar pelo mesmo. "Algumas pessoas dizem que está assim há mais dias. Se não está com a cor preta, está com um gosto ruim”, afirmou ele.

"Cadê as autoridades de Bom Jardim que não fiscalizam isso? Estamos pagando por uma água com gosto de pedra une e cor preta, ainda por cima com uma concentração de cloro fora do comum", detalhou outro morador, Welverton Santana.

Lucas, assim como outros vizinhos, já tentou contatar a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), responsável pelo abastecimento de água no Estado, mas não obteve sucesso. "Já tentei ligar, mas não atendem, não falam nada, nem veem a mensagem no Instagram. Não é a primeira vez que isso acontece, outras vezes a água já chegou barrenta", reclamou.

Resposta da Compesa

Em nota enviada ao JC, Compesa informou que testes de qualidade da água são realizados diariamente nas estações de tratamento, "para a comprovação de que a água tratada está saindo da ETA dentro do padrão de potabilidade".

Segundo a companhia, isso foi atestado ainda na manhã de domingo, após a realização de analises na estação de Estação de Tratamento de Água de Buraco do Tatú, que vem recebendo água da barragem de Pedra Fina, que atende, o município de Bom Jardim.

A Compesa acredita, portanto, que a situação relatada pelos moradores deve estar relacionada ao arraste de sedimentos localizados nas redes de distribuição de água. "Esse material pode ter se acumulado nas tubulações em decorrência do período em que essa rede de abastecimento esteve sem funcionamento, em virtude do colapso da barragem de Pedra Fina e, só recentemente foi reativada após a recuperação dos níveis do manancial", diz o texto.

A Companhia informou ainda que, até então, nenhum morador acionou formalmente a Compesa por meio do canal de atendimento 0800 081 091 para registrar a questão.

"Porém, agora ciente, equipes já estão em campo, realizando descargas na rede de abastecimento (processo de limpeza das tubulações) nas áreas que apresentaram a ocorrência. Os moradores que ainda estiverem enfrentando essa questão, devem ligar para o canal de atendimento e repassar os endereços completos para as devidas verificações e providências", finaliza a nota.

 

Jornal do Commercio - Economia

Após solicitar aumento de 11,68% na conta de água dos pernambucanos, Compesa desiste de reajuste

A discussão sobre o aumento, no entanto, será retomada em 2023, quando já estava previsto um processo de Revisão Tarifária Ordinária

Em aviso publicado no Diário Oficial do último sábado (18), a Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) informou que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) desistiu do processo de revisão extraordinária que poderia elevar o valor da conta de água do Estado em 11,68% já no mês de julho. A discussão sobre o reajuste, no entanto, será retomado em 2023, quando já estava previsto um processo de Revisão Tarifária Ordinária.

No início deste mês, a Compesa solicitou à Arpe a revisão extraordinária da tarifa de água e esgoto dos pernambucanos. Na época, a empresa alegou que "apesar de todos os esforços para otimizar os custos nos últimos anos, os impactos econômicos trazidos pela pandemia de covid-19, com diminuição de produção industrial mundial, pressão cambial e consequente inflação associados a crise hidroenergética brasileira, vêm pressionando o caixa da empresa em decorrência de sucessivos aumentos de custos relacionadas ao câmbio e energia, especificamente, os Produtos Químicos e a Energia Elétrica".

Uma audiência pública chegou a ser convocada pelas Arpe para debater o tema e a a deputada estadual Priscila Krause (Cidadania) protocolou junto à agência uma manifestação para constar na reunião contendo cinco argumentos para que o aumento não fosse viabilizado. Nesta segunda (20), após tomar conhecimento do recuo da Compesa, a parlamentar comemorou.

Compesa - ReproduçãoReprodução

"É uma vitória de todos os pernambucanos, que não aguentam mais pagar tão caro por um serviço que não atende às expectativas mínimas. Entendemos que a nossa participação no caso, apontando as falhas do processo de revisão extraordinária, foram decisivas para esse recuo e seguiremos em cima das contas da companhia, que pelo menos no papel apresenta bons resultados, como um lucro 40% maior em 2021. Agora é aguardar de que forma a companhia vai se posicionar em relação ao reajuste anual, que não pode onerar injustamente o bolso das famílias e empresas pernambucanas", observou Priscila.

No ano passado, a Compesa reajustou as contas de águas duas vezes (2,40% em janeiro e 11,90% em julho), o que levou Priscila a apresentar um projeto de lei, ainda em tramitação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), para que se tornasse proibido, no âmbito da Arpe, a homologação de dois reajustes ordinários de tarifas sob sua supervisão no mesmo exercício.

 

 

Site G1

Bairros de quatro cidades do Grande Recife ficam sem água durante manutenção emergencial da Compesa; confira lista

Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento, suspensão começa às 7h da terça (21) e dura 24 horas, afetando o abastecimento em Abreu e Lima, Igarassu, Olinda e Paulista.

Mais de 485 mil pessoas que moram nos municípios de Abreu e Lima, Igarassu, Olinda e Paulista , no Grande Recife, ficam sem água a partir das 7h da terça (21) até 7h da quarta (22), segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). A suspensão de 24 horas no abastecimento afeta 22 bairros (confira lista no final desta reportagem), exceto residências com poços.

A paralisação no abastecimento ocorre por causa de um serviço de manutenção emergencial na Estação de Tratamento de Água (ETA) Botafogo, localizada em Igarassu. Alguns dos ajustes operacionais são decorrentes dos efeitos das fortes chuvas no município, como o aumento da turbidez da água bruta que alimenta o Sistema Botafogo.

A Compesa também informou que vai utilizar esse período de interrupção no funcionamento da ETA Botafogo para avançar em etapas da obra de modernização e ampliação da capacidade de tratamento dessa unidade. Segundo a companhia, o investimento é de R$ 5,6 milhões nessas intervenções, que têm previsão de acabar em agosto de 2022.

A companhia informou, ainda, que o retorno do fornecimento de água nos quatro municípios afetados pela manutenção ocorre conforme o calendário de abastecimento de cada localidade, que será postergado em um dia. Os moradores podem tirar dúvidas através de uma ligação gratuita para o número 0800 081-0195.

Lista das áreas afetadas no Grande Recife

Olinda:

  • Bairro Novo;

  • Casa Caiada;

  • Alto da Mina (parte baixa);

  • Ouro Preto;

  • Rio Doce;

  • Jardim Atlântico;

  • Jardim Fragoso;

  • Sapucaia;

  • Parte de Jardim Brasil.

Igarassu:

  • Cruz de Rebouças.

Abreu e Lima:

  • Planalto;

  • Caetés III;

  • Desterro.

Paulista:

  • Vila Torres Galvão;

  • Área norte do Janga;

  • Jaguarana;

  • Antonio Maria;

  • Loteamento Nova Aurora;

  • Alameda Paulista;

  • Maranguape II;

  • Jardim Paulista Alto;

  • Jardim Paulista Baixo.

 

Diário de Pernambuco - Vida Urbana

Moradores do Ibura de baixo recebem atendimento especial da neoenergia até 22 de junho. 

A Neoenergia Pernambuco está com uma ação especial no bairro do Ibura de Baixo, no Recife. Até a próxima quarta-feira (22), equipes da concessionária estarão na Escola Florestan Fernandes, localizada na Rua Rio Novo do Sul, s/n, para oferecer todos os serviços de uma loja de atendimento tradicional. Os moradores locais e de bairros vizinhos devem se dirigir ao local entre 9h e 16h. Não é necessário marcar de forma prévia. O atendimento é por ordem de chegada.

Apesar de estar com todos os serviços de uma loja tradicional à disposição, a Neoenergia vai intensificar a negociação dos débitos dos clientes locais, que poderão dividir toda a dívida em até 24 parcelas no cartão de crédito, ou mesmo pagar à vista, no débito. O cliente que tiver com o fornecimento de energia elétrica cortado por falta de pagamento pode celebrar o acordo e solicitar, no mesmo momento, a religação da residência.

Outro serviço sempre muito procurado durante as ações de aproximação com o cliente proporcionadas pela Neoenergia Pernambuco é o da inscrição na Tarifa Social. Para conseguir o desconto de até 65% no valor da fatura de energia, a pessoa precisa se dirigir ao local de atendimento munido de documento com foto, Número de Identificação Social (NIS) ou o número do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a última conta de energia em seu nome.

Caso não possua o NIS, é preciso procurar o CRAs mais próximo da residência para obter o documento e, em seguida, entrar em contato com a distribuidora. Para aqueles que possuem um dos números e não são titulares da fatura de energia, basta levar a comprovação que é morador do local e as mesmas documentações acima para a unidade consumidora ser beneficiada.

Além do atendimento especial no Ibura de Baixo, a Neoenergia Pernambuco ainda realiza atendimento via Whatsapp (81.3217.6069), site oficial (www.neoenergiapernambuco.com.br), teleatendimento (116) e aplicativo disponível na Google Play e na Apple Store.

 

Blog Didi Galvão

Cabrobó: Fios se rompem e parte do centro comercial fica sem energia elétrica

Na noite desta segunda-feira (20/06) por volta das 21:30h, fios de energia elétrica se romperam na Avenida Castelo Branco em Cabrobó, deixando parte do centro comercial sem o serviço.

Funcionários da Neoenergia Pernambuco, já isolaram o local para evitar possíveis acidentes com veículos ou pedestres, e comunicaram ao Blog do Didi Galvão, que uma equipe especializada está à caminho de Cabrobó para realização da manutenção na rede elétrica.

 

Blog Didi Galvão

São João vai ser mais iluminado para os clientes da Neoenergia de Belém do São Francisco

Equipes da empresa vão percorrer as ruas da cidade entre a terça-feira (21) e a quarta-feira (22) para substituir lâmpadas usadas por novas, com a tecnologia LED.

Os moradores do município de Belém do São Francisco terão a oportunidade de celebrar o São João com lâmpadas novas em casa. Isso porque a Neoenergia Pernambuco estará na cidade, entre esta terça-feira (20) e quarta-feira (22), promovendo a troca de lâmpadas usadas por novas, com a tecnologia LED. As equipes da concessionária irão de porta em porta para oferecer a substituição dos equipamentos.

A iniciativa faz parte do Projeto Energia com Cidadania, do Programa de Eficiência Energética da concessionária, regulado pela Aneel. Para participar, a pessoa entrega uma lâmpada fluorescente compacta, incandescente ou halógena, de potência igual ou superior a 14 Watts, e recebe uma LED, que consome até 40% menos do que as demais. Cada cliente poderá trocar até cinco unidades por contrato com a empresa.

“Estaremos percorrendo as ruas de Nazaré da Mata durante os quatro dias. Esta ação tem como finalidade criar hábitos de consumo mais conscientes na população. A iluminação de Led pode produzir uma verdadeira redução na conta luz, uma vez que ela utiliza até 40% por ponto de luz, conseguindo entregar o mesmo resultado” Afirma o Supervisor de eficiência energética da Neoenergia Pernambuco, Artur Costa.

Caso, nos últimos seis anos, o cliente já tenha recebido um total de oito lâmpadas entregues pelo projeto, ele não poderá ser beneficiado novamente.

SOBRE A NEOENERGIA PERNAMBUCO – A Neoenergia Pernambuco distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

 

Diário de Pernambuco - Economia

Apoiando teto do ICMS, distribuidoras pedem tempo para redução da gasolina

Em nota encaminhada à imprensa, nesta segunda-feira (20), a Federação Nacional de Distribuidores de Combustíveis, Gás Natural e Bicombustíveis (Brasilcom), manifestou apoio ao Projeto de Lei Complementar que determinou um teto entre 17% e 18% para o ICMS incidido em bens e serviços, como os combustíveis (PLP 18/2022). A entidade reúne oito sindicatos estaduais (RS, SC, PR, GO, MG, PE, MT e SP). A Brasilcom conta também com o apoio da Associação Brasilcom, composta por mais de 40 empresas distribuidoras de combustíveis.

A entidade afirma que apoia o PLP 18 “integralmente”, mas lembra que mesmo após a sanção presidencial, as distribuidoras precisarão de mais tempo para renovar os estoques de combustíveis e baixar o preço dos combustíveis cobrados nos estabelecimentos.

“A Brasilcom apoia integralmente a PLP 18/22 pois entende a necessidade imediata de o governo utilizar ferramentas fiscais para tentar conter a alta dos preços dos combustíveis e seu impacto na inflação. Contudo se faz necessário esclarecer que o setor de combustíveis é dinâmico, e como o próprio texto do projeto de lei objetiva, movimenta produtos essenciais, comercializados diariamente”, posicionou.

“Ocorre que, por obrigação legal, as distribuidoras de combustíveis são obrigadas a manter estoques de segurança. Necessário se faz, portanto, tornar público que mesmo após a sanção presidencial e a publicação por parte dos estados e Distrito Federal da normatização de suas novas alíquotas de ICMS, serão necessários alguns dias para que os estoques das distribuidoras e dos postos revendedores sejam renovados com produtos faturados já com a diminuição desses tributos”, complementou.

Segundo a entidade, outro fator de impacto no preço dos combustíveis são as obrigações de cumprimento de metas anuais de aquisição de Créditos de Descarbonização (CBIOs), originados do programa Renovabio. De acordo com a Brasilcom, a plataforma precisa de melhorias para que se torne, de fato, efetivo para a sociedade.

“Não existe no programa Renovabio uma obrigação para que os emissores de CBIOs apliquem o rendimento obtido com sua venda em melhorias e redução de suas próprias emissões de gases de efeito estufa, tornando o programa uma simples transferência de valores dos consumidores para os emissores".

O Renovabio é uma política de Estado que parte do Ministério de Minas e Energia (MME), que reconhece o papel estratégico de todos os biocombustíveis (etanol, biodiesel, biometano, bioquerosene, segunda geração, entre outros) na matriz energética brasileira no que se refere à sua contribuição para a segurança energética, a previsibilidade do mercado e a de mitigação de emissões dos gases causadores do efeito estufa no setor de combustíveis.

A federação solicita ainda que o recolhimento dos tributos sobre o álcool combustível seja feito de forma monofásica, ou seja, na fase inicial da cadeia produtiva.

“Outro tema essencial para minorar os impactos nos preços dos combustíveis é a inclusão do Etanol Hidratado no regime monofásico de tributação do PIS/COFINS e ICMS, com recolhimento no produtor/importador à semelhança do que passou a ser feito com a tributação dos derivados de petróleo. O efeito principal desta alteração é o combate à sonegação e inadimplência neste segmento (R$ 14 bilhões — FGVRJ) com consequente aumento de arrecadação e maior controle do governo sobre esta significativa parcela da oferta de combustíveis ao mercado, aumentando a competição neste setor com consequentes benefícios aos consumidores”, posicionou.

 

CLIPAGEM 01 DE JUNHO DE 2022.

Diário de Pernambuco – Vida Urbana

16 barragens atingem capacidade máxima, mas situação está sob controle, diz Compesa

Nesta terça-feira (31), a Compesa atualizou a situação das barragens localizadas nas regiões Metropolitana do Recife, Agreste e Mata Norte, tomando como base a acumulação dos volumes de água nos últimos oito dias, período de incidência de chuvas fortes e frequentes no estado.

 No Grande Recife, seis mananciais atingiram a capacidade máxima de acumulação e estão vertendo: Várzea do Una (São Lourenço da Mata), Duas Unas (Jaboatão dos Guararapes), Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Sicupema (Cabo de Santo Agostinho), Utinga (Ipojuca) e Bita (Ipojuca). Outras barragens importantes para a região continuam acumulando um bom nível de água, a exemplo de Botafogo, que chegou a 78,7% e Tapacurá, que atingiu 71,5%.

Na Zona da Mata Norte e no Agreste, dez mananciais atingiram a capacidade máxima de acumulação e estão vertendo: Inhúmas e Mundaú (Garanhuns), Santana II (Brejo da Madre de Deus), São Jacques (Lajedo), Pedra Fina (Bom Jardim), Pau Ferro (Quipapá), Siriji, (Vicência), Orá/Cursaí (Paudalho), Tiúma, (Timbaúba) e Tabocas/Piaça (Belo Jardim).

Barragens importantes como Prata, Jucazinho e Poço Fundo também estão sendo monitoradas. O Prata passou de um acumulado de 50,39% no último dia 23, para 71,48% no dia de hoje. Jucazinho e Poço Fundo tiveram poucas alterações. O primeiro estava com 14,75% e hoje registra 15,40% e Poço Fundo passou de 16,19% para 17,28%.

A Compesa disse, em nota, que “continua acompanhando o nível das barragens” e reforçou “que está tudo dentro da normalidade”.

“Outro aspecto a ser avaliado, ao logo dos próximos dias, é o reflexo da acumulação no abastecimento, com o possível aumento do fornecimento de água para a população, que será estudado pelo Governo de Pernambuco e a Compesa”, disse a gestão estadual. 

 

Site Revista Leia Já

Compesa anuncia retomada do abastecimento de água

Confira quais são as cidades e bairros pernambucanos que contarão com água na torneira

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou, na noite da segunda-feira (30), que está trabalhando para retomar, de forma gradativa, o abastecimento de água nos municípios afetados pelas chuvas. A Compesa justifica que a distribuição havia sido paralisada por falta de energia elétrica, em alguns locais, e por medida de segurança nas áreas de risco.

"As intervenções seguem em curso, apesar dos desafios das equipes de trabalhar em áreas de difícil acesso e inundadas pelas chuvas", diz a companhia. 

A Compesa reitera que suas equipes estão atuando e pede, mais uma vez, a compreensão dos moradores e informa que todos os esforços estão sendo feitos para a normalização total dos seus sistemas, tão logo as condições sejam favoráveis e em alinhamento com as Defesas Civis dos municípios. À medida que o abastecimento nos demais bairros seja restabelecido, a população será comunicada.

Confira os locais onde o abastecimento está sendo normalizado

Olinda 

Jardim Brasil, Rio Doce, Jardim Atlântico, Ouro Preto, Bairro Novo, Casa Caiada, Passarinho, Caixa D’água, Alto Sol Nascente, Águas Compridas, Alto da Bondade, Aguazinha e Jardim Fragoso (parte).

Recife

O abastecimento foi restabelecido em Água Fria, Bola na Rede, Brejo da Guabiraba (parcialmente), Córrego do Jenipapo, Macaxeira, Dois Irmãos, Vila Dois Irmãos, Apipucos, Brejo de Beberibe, Dois Unidos, Passarinho, Alto José Bonifácio, Alto do Pascoal, Alto Santa Terezinha, Alto do Deodato, Beberibe, Linha do Tiro, Água Fria, Bomba do Hemetério e Alto da Brasileira.

Paulista

A água já voltou para Arthur Lundgren, Vila Torres Galvão, Janga e Pau Amarelo.

Ilha de Itamaracá

Foi retomada a distribuição para Baixa Verde e Vila Eldorado.

Goiana

A Compesa garante que o abastecimento voltou, menos para o centro da cidade.

Moreno

Totalmente abastecido

São Lourenço da Mata

Água voltou para Matriz da Luz.

Camaragibe 

A distribuição de água voltou para Cosme Damião e Centro.

Interior de Pernambuco

A distribuição de água foi retomada nos municípios de São Joaquim do Monte, Agrestina, Garanhuns, Macaparana, São Vicente Férrer, Timbaúba (parcial), Vitória de Santo Antão (menos o distrito de Pirituba), Rio Formoso, Tamandaré, Primavera, Sirinhaém, Pombos, Barra de Guabiraba, Belém de Maria, Sairé, São Bendito do Sul, Panelas, São Joaquim do Monte e Bonito.

Para outras informações, a Compesa pode ser contactada através do 0800 081 0195, ou por meio do site e aplicativo Compesa Mobile.

 

Site Revista Leia Já

PE: após chuvas, 16 barragens operam com capacidade máxima

A Compesa reforçou que o panorama de acumulação está dentro da normalidade

Nesta terça-feira (31), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) informou que 16 barragens espalhadas na Região Metropolitana do Recife (RMR), na Mata Norte e no Agreste estão com capacidade máxima de acumulação. Outros cinco mananciais importantes registraram aumento nos últimos oito dias.

Na RMR, seis barragens já estão vertendo, anunciou a Compesa. São elas: Várzea do Una (São Lourenço da Mata), Duas Unas (Jaboatão dos Guararapes), Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Sicupema (Cabo de Santo Agostinho), Utinga (Ipojuca) e Bita (Ipojuca).

Conforme o monitoramento, os açudes de Botafogo e Tapacurá atingiram o nível de 78,7% e 71,5%, respectivamente.   

Na Mata Norte e no Agreste, 10 mananciais estão na mesma situação. São elas: Inhúmas e Mundaú (Garanhuns), Santana II (Brejo da Madre de Deus), São Jacques (Lajedo), Pedra Fina (Bom Jardim), Pau Ferro (Quipapá), Siriji, (Vicência), Orá/Cursaí (Paudalho), Tiúma, (Timbaúba) e Tabocas/Piaça (Belo Jardim).

Apesar de ainda não operar com volume máximo, a Compesa registrou alterações nas barragens do Prata (71,48%), Jucazinho (15,40%) e Poço Fundo (17,28%).

Excesso pode ser distribuído à população

"A Compesa continua acompanhando o nível das barragens e reforça que está tudo dentro da normalidade. Outro aspecto a ser avaliado, ao logo dos próximos dias, é o reflexo da acumulação no abastecimento, com o possível aumento do fornecimento de água para a população, que será estudado pelo Governo do Estado e a Compesa", apontou.

 

Site NE10 Interor

CHUVA EM PERNAMBUCO: Veja como está a situação das BARRAGENS no estado

Compesa divulgou a situação atualizada considerando a acumulação nos últimos oito dias

Durante o período das fortes chuvas em grande parte de Pernambuco, muitas pessoas ficaram interessadas em saber como está a situação das barragens localizadas no estado.

A Compesa divulgou, nessa terça-feira (31), como está a situação nas regiões Metropolitana do Recife, Agreste e Zona da Mata Norte, considerando a acumulação dos volumes de água nos últimos oito dias, no período de incidência de chuvas frequentes.

Situação das barragens na Região Metropolitana do Recife

De acordo com a Compesa, seis mananciais atingiram a capacidade máxima de acumulação e estão vertendo: Várzea do Una (São Lourenço da Mata), Duas Unas (Jaboatão dos Guararapes), Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Sicupema (Cabo de Santo Agostinho), Utinga (Ipojuca) e Bita (Ipojuca).

Outras barragens importantes para a região ainda acumulam um nível alto de água, como Botafogo, que chegou a 78,7% e Tapacurá, que atingiu 71,5%.

Situação das barragens na Zona da Mata Norte e Agreste de Pernambuco

Nessas duas regiões, dez mananciais atingiram a capacidade máxima de acumulação e estão vertendo: Inhúmas e Mundaú (Garanhuns), Santana II (Brejo da Madre de Deus), São Jacques (Lajedo), Pedra Fina (Bom Jardim), Pau Ferro (Quipapá), Siriji, (Vicência), Orá/Cursaí (Paudalho), Tiúma, (Timbaúba) e Tabocas/Piaça (Belo Jardim).

Barragens como Prata, Jucazinho e Poço Fundo também estão sob monitoramento da Compesa. A barragem do Prata passou de um acumulado de 50,39% no dia 23, para 71,48% nessa terça (31).

Jucazinho estava com 14,75% e registrou 15,40% nessa terça (31) e Poço Fundo passou de 16,19% para 17,28%.

Ainda segundo a Compesa, a situação das barragens está dentro da normalidade e elas seguem sendo monitoradas. Nos próximos dias, deve ser avaliado o reflexo dessa acumulação no abastecimento de água das cidades.

 

Site G1

Sistema de Garanhuns volta a operar com 100% da vazão e abastecimento é retomado

No sábado (28), o sistema teve a vazão reduzida devido à falta de energia no sistema produtor Inhúmas.

O Sistema Integrado de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, voltou a operar com 100% da vazão na noite da segunda-feira (30). A informação foi divulgada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

De acordo com a Compesa, no sábado (28), o sistema teve a vazão reduzida devido à falta de energia no sistema produtor Inhúmas.

"A Companhia informou ainda que o abastecimento foi retomado nas cidades de Garanhuns, São João, Angelim, Jucati, Caetés e os distritos de Frexeiras, São Pedro, Neves e Quatro Bocas, de acordo com o calendário de cada localidade", conforme destacou a Companhia.

 

Site Patronoticias

NEOENERGIA USA TECNOLOGIA MPLS PARA EXPANDIR E MODERNIZAR SUAS REDES DE COMUNICAÇÃO

A Neoenergia iniciou a expansão e modernização da rede própria de comunicação para a Neoenergia Cosern, concessionária que atua no Rio Grande do Norte, e a Neoenergia Elektro, que atende municípios de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Com a expansão das redes elétricas inteligentes, dotadas de equipamentos digitalizados e automatizados, a companhia adotou a tecnologia MPLS (Multi-Protocol Label Switching), solução mais eficiente de encaminhamento de dados multisserviços. O projeto, iniciado em 2021 na Neoenergia Pernambuco, é pioneiro entre distribuidoras no Brasil. A expectativa é de concluir o projeto de implantação da rede ainda em 2022, atendendo à região metropolitana de Natal, capital do estado. Na primeira fase, serão contempladas seis estações, incluindo o edifício sede da distribuidora e cinco subestações. Na Neoenergia Elektro, a empresa concluiu o planejamento e a arquitetura da rede, e o início das instalações está previsto para o início de 2023.

O MPLS é a tecnologia mais moderna em transporte de dados e, devido à alta velocidade proporcionada, beneficia especialmente a comunicação dos religadores automatizados. Com esses equipamentos, é possível reduzir o tempo de recomposição da rede elétrica em caso de falta de energia, reforçando a qualidade do fornecimento para os consumidores. “O protocolo MPLS traz diversos benefícios, como o aumento da disponibilidade e da confiabilidade da rede, além da maior escalabilidade, permitindo agregar diversos serviços, incluindo automação, proteção, medição e segurança patrimonial, em uma única rede de telecomunicações. Essa modernização representa a nossa antecipação ao serviço de distribuição do futuro, que integrará a gestão de um sistema energético complexo, com geração distribuída e veículos elétricos, por exemplo”, disse o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Ricardo Leite.

O protocolo permite ainda a padronização da arquitetura de rede em todas as distribuidoras do grupo, há também a Neoenergia Coelba (BA) e a Neoenergia Brasília (DF), que totalizam mais de 15,7 milhões de clientes em cinco estados e no Distrito Federal. Isso representa mais eficiência no uso dos recursos e redução de custos. Em Pernambuco, onde o projeto foi iniciado, a primeira fase foi concluída com a instalação entre Recife e Caruaru, uma distância de cerca de 140 quilômetros. Em 2022, está em andamento a implantação em sete subestações entre Caruaru e Serra Talhada, cidades a aproximadamente 300 quilômetros de distância no interior do Estado. O projeto tem conclusão prevista para 2023, quando chegará a Petrolina, cidade localizada a mais de 700 quilômetros da capital. Ao todo, serão contempladas diretamente 34 subestações da Neoenergia Pernambuco entre Recife e Petrolina.

 

Diário de Pernambuco – Últimas Notícias

Câmara trava pautas sobre preços dos combustíveis para pressionar Senado

A lista de votações de projetos de lei que tentam controlar a alta dos combustíveis, proposta pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), pode ficar parada enquanto o Senado não pautar o PLP 18/2022, que estabelece um teto de 17% para cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre bens e serviços para os itens de combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo.

Nessa segunda-feira (30/5), após encontro com secretários de Fazenda de diversos estados, incluindo o do Distrito Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) definiu o senador Fernando Bezerra (MDB-PE) como relator do projeto na Casa, mas ainda não sinalizou a data em que o PLP será votado.

“Não adianta darmos sequência aqui para travar no Senado. O Pacheco disse que irá falar com os governadores para colocar em votação nesta semana, acho que não entrará. Estamos aguardando”, explicou o 1º vice-líder do PSD, Hugo Leal (RJ). Ele afirmou que isso foi consenso na reunião de bancada com o partido.

O assunto está em discussão na reunião de líderes e vice-lideranças que ocorre nesta terça-feira (31) na residência oficial de Arthur Lira (PP-AL). “Estão fazendo esse cabo de guerra, mas eles [senadores] não vão votar [o PLP 18/22]. Vai ter gente que terá que entrar para fazer com que prevaleça o sentimento contrário”, explicou um parlamentar da oposição que preferiu não ser identificado.

Para hoje, na Câmara, ainda está prevista a votação do requerimento de urgência do projeto 3.677/2021, que cria a transparência e as regras de composição de preços de derivados de petróleo praticados pela Petrobras. Esse tema é parte de um acordo entre governo e oposição que têm interesses em comum no tema. O autor da proposta é o líder do PT na Câmara, Reginaldo Lopes (MG).

Parlamentares acreditam que a inserção da urgência também faz parte do jogo político para amenizar a pressão que começa a se formar em torno do PL do teto para o ICMS.

 

Diário de Pernambuco – Vida Urbana

Unidades da Compesa passam por inundações ou falta de energia elétrica após chuvas, empresa restabelece 87 pontos

Um relatório da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) apontou que 90 unidades de distribuição de água foram impactadas (inundações ou falta de energia elétrica) pelas chuvas dos últimos dias, na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata e Agreste. De acordo com a empresa, na Região Metropolitana 51 unidades foram restabelecidas e outras sete seguem operando parcialmente. Na Zona da Mata e Agreste, 24 unidades foram restabelecidas e cinco estão operando de forma parcial, das 44 afetadas. Até o momento, 87 unidades foram recuperadas. A população pode ligar para 0800 081 0195 solicitar caminhões-pipas para atendimento emergencial.

“Neste momento, apesar da diminuição das chuvas, vários sistemas ainda estão comprometidos, com elevatórias inundadas e outras intercorrências. Estamos com equipes atuando nesses casos, retirando os equipamentos danificados e fazendo as ações necessárias. Jaboatão dos Guararapes e São Lourenço da Mata são exemplos de municípios que estão demandando intervenções mais complexas, por isso pedimos a compreensão da população. Estamos trabalhando incessantemente e não vamos descansar até que tudo esteja restabelecido”, explicou a presidente da Compesa, Manuela Marinho.

Jaboatão

Em Jaboatão dos Guararapes, diversas unidades também estão recebendo intervenções. Estão em cursos intervenções na adutora da Elevatória Manoel de Sena, em Santo Aleixo, que atende Vista Alegre, Vila Rica e Jaboatão Centro, e na adutora da Estação Elevatória Alto da Santa, em Floriano, que atende os bairros de Floriano, Sucupira e Socorro. Na divisa entre Jaboatão e Recife, No Ibura, está sendo inspecionando uma adutora que faz parte da Estação Elevatória Pintor Agenor, responsável pela distribuição de água nos bairros Dois Carneiros e parte do Barro, este já no município do Recife. 

São Lourenço

No município de São Lourenço da Mata estão sendo executadas intervenções para substituição de 30 metros de tubulação na Ponte Velha de Penedo, que foi arrastada pelas fortes chuvas e pelo aumento no nível do rio. A expectativa é que os trabalhos no local sejam concluídos amanhã, quando a distribuição de água será restabelecida de forma gradual, conforme calendário de abastecimento.

Zona da Mata

Na Mata Norte, há ações em curso para a retomada da distribuição de água em cidades como Nazaré da Mata, Chã de Alegria, Itaquitinga e Aliança. Até a normalização dos sistemas, estão sendo direcionados caminhões-pipas para atendimento emergencial, mediante solicitação no 0800 081 0195 ou nas lojas de atendimento.

 

Voz de Pernambuco - Cidades

Barragens em Paudalho, Vicência e Timbaúba atingiram capacidade máxima, afirma Compesa

Nesta terça-feira (31), a companhia Pernambucana de Saneamento e Abastecimento (COMPESA), emitiu atualização sobre as barragens no estado de Pernambuco. Segundo a companhia, várias barragens atingiram sua capacidade máxima.

Na zona da Mata Norte, as barragens do Orá/Cursaí em Paudalho, Siriji em Vicência e Tiúma em Timbaúba atingiram a capacidade máxima de acumulação, além delas, outros mananciais também chegaram a sua capacidade total: na RMR, seis mananciais atingiram a capacidade máxima de acumulação e estão vertendo: Várzea do Una (São Lourenço da Mata), Duas Unas (Jaboatão dos Guararapes), Pirapama (Cabo de Santo Agostinho), Sicupema (Cabo de Santo Agostinho), Utinga (Ipojuca) e Bita (Ipojuca), e no Agreste, Inhúmas e Mundaú (Garanhuns), Santana II (Brejo da Madre de Deus), São Jacques (Lajedo), Pedra Fina (Bom Jardim), Pau Ferro (Quipapá) e Tabocas/Piaça (Belo Jardim).

Outras barragens importantes continuam acumulando um bom nível de água, a exemplo de Botafogo, que chegou a 78,7% e Tapacurá, que atingiu 71,5%, barragens como Prata, Jucazinho e Poço Fundo também estão sendo monitoradas. O Prata passou de um acumulado de 50,39% no último dia 23, para 71,48% no dia nesta terça (31). Jucazinho e Poço Fundo tiveram poucas alterações. O primeiro estava com 14,75% e hoje registra 15,40% e Poço Fundo passou de 16,19% para 17,28%.

 

Folha de Pernambuco - Economia

Câmara aprova urgência para projetos que podem reduzir conta de luz e preço dos combustíveis

Texto faz parte de pacote selecionado pelo presidente Arthur Lira (PP-AL) para tentar diminuir os preços de energia e combustíveis, mudando a política da Petrobras

A Câmara dos Deputados aprovou a tramitação, em regime de urgência, de dois projetos que podem diminuir a conta de luz e o preço dos combustíveis. Os dois projetos foram pinçados pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), que escolheu o combate à inflação e redução dos preços de energia e combustível como prioridades da Câmara essa semana.

Um dos textos vai reduzir o preço da conta de luz para o consumidor, ao reembolsá-lo de cobranças indevidas de impostos. O outro prevê mudanças para dar mais transparência sobre as regras de composição de preços de derivados de petróleo praticados pela Petrobras. Na prática, esse projeto tem potencial de modificar a política de preços da companhia.

No caso da proposta de devolução tributária, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) terá de regulamentar a devolução de valores recolhidos indevidamente em descontos na conta de luz, e valem para alterações de normas ou decisões administrativas e judiciais que reduzam tributos.

É o caso da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de 2021, na tese do século, que determinou a exclusão do valor do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins válida a partir de 15 de março de 2017.

Em janeiro de 2021, a Aneel já tinha iniciado um processo de consulta pública para discutir como devolver mais de R$ 50,1 bilhões de créditos tribuários aos consumidores, de acordo com valores informados à época.

Questionada sobre qual o montante total a ser devolvido e quanto vai ser descontado, a Aneel não respondeu até esta publicação. A agência informou, no entanto, que os créditos terão regulamentação específica e que está na fase de análise das contribuições recebidas em consulta pública. A previsão é de que essa regulamentação seja concluída ainda no primeiro semestre.

A Aneel ressalta que já há um despacho que autoriza, em situações excepcionais, o uso desses créditos, mas limitado a 20% do valor total do potencial de crédito daquela ação judicial. O mecanismo já é usado em processos de reajuste ou revisão tarifárias nos anos de 2021 e 2022.

Já o projeto dos combustíveis torna obrigatória a divulgação de valores referentes aos componentes que influenciem os preços dos derivados de petróleo vendidos no país pela Petrobras.

Também determinar que os preços de venda praticados devem levar em conta os custos de produção e refino em moeda nacional. Hoje, a política de preços da estatal, que é criticada pelo governo e oposição, leva em conta a paridade de preços com o mercado internacional. Ou seja: os valores estão atrelados ao preço do petróleo no exterior e ao dólar, o que encarece o combustível por aqui.

Foco na energia

A Câmara já aprovou uma proposta que limita a cobrança de ICMS sobre energia, combustíveis, telecom e transportes coletivos a uma alíquota de 17%. Lira quer votar mais um texto que vai impactar na arrecadação dos estados, com um texto que impede a cobrança de ICMS sobre as bandeiras tarifárias.

Leia também: Estados querem aumento de imposto de petroleiras para compensar teto do ICMS dos combustíveis

O projeto que trata das devoluções tributárias foi localizado durante reuniões que contaram com a participação do Ministério de Minas e Energia. A pasta levantou outras alternativas que poderiam reduzir o valor da conta de luz, e o texto que prevê a devolução dos créditos tributários é um deles.

 

Folha de Pernambuco - Economia

Setor elétrico quer revogar obrigação de se instalar termelétricas

Em um cenário sem essa exigência, o investimento necessário para gerar essa quantidade de energia cairia para R$ 173 bilhões e o de operação ficaria em R$ 93 bilhões

Representantes de entidades do setor elétrico voltaram a defender, nesta terça-feira (31), a revogação da obrigação de instalação de usinas termelétricas na lei que autorizou a privatização da Eletrobras. Eles argumentam que a manutenção das térmicas pode gerar um aumento de R$ 52 bilhões no custo de geração de energia no país até 2036, com impactos forte na economia e no bolso dos consumidores.

A lei de conversão da medida provisória que autoriza a privatização da Eletrobras foi aprovada no ano passado com a inserção de um tema estranho ao discutido no projeto, conhecido como jabuti, que incluiu as usinas termelétricas como parte do processo.

A legislação determina a contratação o fornecimento de 8 gigawatts (GW) de usinas termelétricas a gás natural nas regiões Nordeste, Norte, Centro-Oeste e Sudeste a partir de 2026.

O texto define ainda que a inserção dessas usinas a gás no Sistema Interligado Nacional (SIN) ocorrerá até 2030, e que elas operarão em tempo integral com capacidade mínima de 70% por pelo menos 15 anos.

O tema foi debatido na manhã desta terça-feira na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

O presidente do Instituto Acende Brasil, Cláudio Sales, citou um estudo elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), ligada ao Ministério de Minas e Energia, que mostra que a inserção compulsória no Sistema Interligado Nacional (SIN) das usinas térmicas custaria R$ 192 bilhões até 2036. E que o custo de operação do sistema, no mesmo período, chegaria a R$ 145 bilhões.

Em um cenário sem essa exigência, o investimento necessário para gerar essa quantidade de energia cairia para R$ 173 bilhões e o de operação ficaria em R$ 93 bilhões, uma diferença de R$ 52 bilhões em relação ao cenário com as térmicas.

“E olha que nesse estudo não está sendo considerado o fato de que essas termelétricas estariam sendo localizadas em regiões onde não têm gás e já são regiões exportadoras de energia”, alertou Sales, citando como exemplo a Região Nordeste. “A inserção dessas usinas foge totalmente do que seria razoável do ponto de vista econômico, do que seria razoável na oferta de energia, e ela implica que essa usina seja acionada mesmo que não se precise dela”, disse.

O presidente executivo da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), Paulo Pedrosa, lembrou que parte dessas usinas deve ficar em áreas sem infraestrutura adequada. Ele disse que a obrigação de contratação das térmicas vai levar obrigatoriamente à construção de gasodutos e de linhas de transmissão de energia para resolver o novo problema.

A associação apresentou uma estimativa de alguns desses impactos, que poderiam gerar um aumento de 10% na tarifa de energia do país, algo em torno de R$ 27 bilhões. O custo com a construção de gasodutos ficaria entre R$ 60 bilhões e R$ 89 bilhões, e as linhas de transmissão custariam cerca de R$ 600 milhões.

“Isso vai levar a obrigação de construção de gasoduto para levar o gás até essas regiões, a construção de termelétricas propriamente ditas, e depois a de linhas de transmissão para trazer a energia de volta. Essa energia deslocará energia de outras fontes, pois os projetos de energia renovável vão ter que esperar para entrar no sistema porque o espaço do mercado estará ocupado pelas térmicas”, explicou.

O gerente executivo de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Wagner Cardoso, disse que a entidade endossa as críticas à obrigatoriedade das térmicas. Na visão da entidade, o governo tem adotado políticas setoriais equivocadas para determinados setores, sem considerar o impacto em toda a economia.

Segundo Cardoso, “o custo maior da energia impacta violentamente nos custos de produção industrial”, diminuindo a competitividade das empresas brasileiras. Ele disse que a queda na participação do setor no Produto Interno Bruto (PIB) do país, hoje em cerca de 11%, pode ser parcialmente creditada ao aumento com o custo de energia, que vem crescendo desde 1995.

“Hoje a energia é um entrave para o desenvolvimento da indústria, e a explicação é de que a gente tem politicas setoriais equivocadas, impacto crescente de subsídios setoriais e impostos que explicam boa parte dessa situação. Essa é uma escolha errada, na hora errada”, disse.

O presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia (Abiape), Mário Menel, lembrou que “a medida não atende ao planejamento previsto para a operação desse tipo de usina, que deve se localizar próxima a um centro de gás, com estruturas para o transporte e linhas de transmissão para a energia. E devem ainda trabalhar de forma flexível, sem a necessidade de produzir constantemente”. Mas, segundo Menel, não é o que está previsto na proposta, que vai impor a construção de toda essa infraestrutura.

“Ninguém é contra a construção de novos gasodutos no Brasil. Eles são bem-vindos, mas dentro de uma ótica econômica”, disse, acrescentando que “o planejamento setorial deve ser respeitado na sua integridade, sob pena de termos perda de qualidade da governança do setor elétrico”.

O representante do Instituto Internacional Arayara, Juliano Araújo, disse que além de prejudicar a economia, a inserção das térmicas vai trazer diversos impactos ambientais, entre eles ao aumento não volume de gases do efeito estufa na atmosfera, como o CO2.

Ele afirmou ainda que, anteriormente, já haviam tentado inserir a obrigação das termelétricas em outros projetos relacionados ao setor, como o que tratou do novo mercado do gás e o do risco hidrológico.

Em março, ao lado de 22 organizações, a entidade assinou um manifesto contra a inserção de um “jabuti” para a criação de um fundo para bancar gasodutos no projeto de Lei 414/2021, que altera regras do setor elétrico.

Araújo pediu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as térmicas, que, segundo ele, a inserção no projeto da Eletrobras atendeu a interesses obscuros.

"A associação Arayara pede que obviamente se instale uma CPI sobre a questão da energia, já que há elementos que, para não dizer ilícitos, são ocultos ou com interesses escusos no sentido de impor uma matriz energética suja, que já vem sendo substituída no mundo inteiro”, disse.

O deputado Eliaz Vaz (PSB-GO), autor do pedido de audiência, disse concordar com a criação de uma CPI e que ia levar a sugestão para a bancada partidária. O deputado lembrou que a obrigatoriedade das termelétricas foi colocada no relatório do projeto pouco antes da votação e que não houve discussão aprofundada com os parlamentares.

“Eu não sabia disso [da obrigatoriedade das termelétricas], fiquei sabendo só quando foi apresentado o relatório. Só fiquei sabendo na última hora. Quem articulou não discutiu com a sociedade. Acho que essa situação aqui merece, necessariamente, uma investigação de uma CPI”, defendeu o deputado.

“Não podemos dar isso como uma situação já consolidada. É uma legislação que pode alterar do ponto de vista negativo a situação econômica e de crescimento no país”, afirmou.

 

CLIPAGEM 01 DE ABRIL DE 2022. 

Site Naval Porte Estaleiro

Porto de Suape se une à Copergás e à Qair para viabilizar memorando de entendimento e construir planta para a produção de hidrogênio verde com foco na sustentabilidade

Com olhares para a sustentabilidade no setor portuário, o Porto de Suape, a Copergás e a Qair irão desenvolver um memorando de entendimento que trará novas perspectivas para a construção de uma planta que realizará a produção de hidrogênio verde

Na última quinta-feira, (24/03), representantes do Porto de Suape se uniram à diretoria da Copergás e da Qair para discutir um novo projeto de sustentabilidade no complexo, que irá viabilizar a construção de uma planta para a produção de hidrogênio verde no futuro. Assim, será realizada a assinatura de um memorando de entendimento para dar início aos estudos sobre a iniciativa.

Reunião entre Porto de Suape, Qair e Copergás determina a assinatura de um memorando de entendimento para projeto de produção de hidrogênio verde

Buscando atrair cada vez mais novos investimentos para a sustentabilidade dentro do setor portuário, o Porto de Suape realizou uma reunião com a Copergás e a Qair para discutir um novo projeto dentro do segmento no complexo portuário. Assim, as empresas irão realizar a assinatura de um memorando de entendimento para viabilizar a construção de uma planta para a produção de hidrogênio verde nas áreas do porto durante os próximos anos em uma parceria entre o trio. 

Participaram da reunião o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Porto de Suape, Carlos André Cavalcanti, o diretor técnico-comercial da Companhia de Gás de Pernambuco (Copergás), Fabrício Bomtempo, e o diretor de Operações da Qair Brasil, Gustavo Silva. Assim, o memorando de entendimento será o primeiro passo para o desenvolvimento do projeto da planta de produção do recurso, buscando aproveitar o grande potencial que a área possui para explorar o hidrogênio verde, unindo a sustentabilidade e a expansão nas operações em meio ao projeto. 

Assim, a companhia Copergás ressaltou que o hidrogênio verde vem se tornando cada vez mais uma alternativa viável para a descarbonização no Brasil e que, além de ser uma fonte totalmente renovável e limpa para a produção, ainda se trata de uma substância muito procurada no mercado internacional, abrindo portas para uma nova cadeia de exportação focada na movimentação de cargas com o hidrogênio verde, principalmente para os países da Europa e da Ásia durante os próximos anos. 

Qair já conta com projeto de sustentabilidade dentro do Porto de Suape e a administração do local comemora mais uma iniciativa nesse segmento a ser realizada com a empresa

A Qair é uma das maiores companhias no setor energético nacional, sendo uma subsidiária do grupo multinacional francês Qair International, que atua em 17 países com projetos voltados para a sustentabilidade dentro da produção de energias renováveis, como a solar, a eólica e, agora, o hidrogênio verde. A companhia já conta com um projeto dentro do porto, onde o investimento do grupo pode chegar a R$ 20 bilhões e a capacidade prevista é de 2.240 MW, com produção de 488 mil toneladas/ano, mas ainda quer expandir essa presença no setor.

Assim, Carlos Cavalcanti comentou sobre a parceria com a empresa e destacou que “A construção e a formalização dessa parceria tripartite é fundamental para o desenvolvimento da cadeia de produção do hidrogênio verde no Complexo Industrial Portuário de Suape. Com isso, pretendemos aprofundar os estudos de viabilidade econômica de mercado futuro, visando estruturar a escala de produção, o armazenamento e a distribuição progressiva por meio de rede de dutos da Copergás no complexo, e tendo como ponto de partida uma unidade de produção em pequena escala”.

Agora, com o memorando de entendimento sendo desenvolvido para levar adiante a construção da planta de produção de hidrogênio verde no Porto de Suape, as companhias Qair e Copergás se atentam aos novos investimentos que podem surgir dentro do segmento das renováveis.

 

Blog Didi Galvão

Governo de Pernambuco, por meio da Compesa, entrega obras de ampliação do abastecimento de água no Recife

Com investimentos cada vez mais consistentes para levar mais segurança hídrica aos pernambucanos, o Governo do Estado, por meio da Compesa, concluiu mais duas importantes obras de abastecimento na região metropolitana. O bairro do Totó, na zona oeste do Recife, foi contemplado com a reforma na estação elevatória de água tratada, investimento que possibilitará uma maior oferta de água para 45 mil pessoas. Já no bairro da Caxangá, na mesma região do Recife, a comunidade Zona 6 – Sementeira recebeu implantação de rede de distribuição, beneficiando cerca de 2 mil pessoas com abastecimento diário. As obras foram inauguradas nesta quinta-feira (31) pela secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado, Fernandha Batista, pela presidente da Compesa, Manuela Marinho, pela secretária de Saneamento do Recife, Erika Moura, demais autoridades e gestores da Compesa.

O investimento de R$ 800 mil na reforma da estação elevatória do Totó permitiu a substituição dos conjuntos motobombas, instalação e aferição dos macromedidores de vazão, além da instalação de equipamentos para o monitoramento de dados de vazão, nível, pressão e temperatura da unidade, entre outros serviços estruturais, como pintura e reestruturação elétrica. As intervenções proporcionaram um salto de 100 litros de água por segundo para 130 l/s na vazão para do sistema de abastecimento do bairro, ou seja, um incremento de 30% que representa mais água para a população.

Já no projeto de implantação de rede no bairro da Caxangá, na comunidade Zona 6 – Sementeira, foram aplicados recursos da ordem de R$ 1,3 milhão, contemplando o assentamento de mais de 7 mil metros de rede, 900 ligações de água, além da construção de caixas para três descargas e quatro registros de manobra. As intervenções realizadas permitiram o abastecimento de água via rede de distribuição na comunidade, com oferta de água diária. “Hoje é um dia de muita alegria, onde estamos fazendo entregas importantes dentro do plano de investimentos do Governo do Estado, que supera R$ 1 bilhão de reais. Serviços importantes foram entregues no município do Recife, no bairro do Totó e na Caxangá, para trazer cada vez mais melhorias na operação e também para a ampliação da cobertura de esgotamento sanitário, beneficiando milhares de pessoas”, destaca a secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista.

Durante a manhã de entregas, a presidente da Compesa, Manuela Marinho, avaliou positivamente as ações. “Como determina o governador Paulo Câmara, seguimos executando grandes projetos e promovendo as entregas necessárias para garantir mais água à população, a exemplo da elevatória do Totó e da nova rede de abastecimento na Comunidade Sementeira. No caso da elevatória, a reforma traz mais confiabilidade e segurança às operações de abastecimento. Já a nova rede em Sementeira passa a abastecer uma comunidade que antes não era atendida via rede, uma conquista muito significativa para a população e completamente alinhada às nossas metas de universalização do saneamento em todo o estado”, destacou.

 

Site Neoenergia

NEOENERGIA ATINGE MARCA DE MAIS DE 15 MIL EQUIPAMENTOS DE AUTOMATIZADOS NA REDE DE DISTRIBUIÇÃO

Aut​​​omação faz parte da estratégia da companhia para reforçar a qualidade dos serviços para os clientes e preparar as redes para o futuro

Investir em redes inteligentes e digitalização faz parte da estratégia da Neoenergia para melhorar a qualidade dos serviços para os 16 milhões de clientes e também está entre os pilares para apoiar a descarbonização do setor elétrico. Por este motivo, a companhia vem ampliando a automação de equipamentos nas suas cinco distribuidoras –  Neoenergia Coelba (Bahia), Neoenergia Pernambuco (Pernambuco), Neoenergia Cosern (Rio Grande do Norte), Neoenergia Elektro (São Paulo e Mato Grosso do Sul) e Neoenergia Brasília (Distrito Federal). As empresas ampliaram o parque instalado em 72% nos últimos quatro anos e, hoje, somam mais de 15 mil religadores e chaves telecomandadas, que permitem a implantação de lógicas de self healing.

Trata-se da auto recomposição da rede, ou seja, quando os equipamentos são dotados de tecnologias e conseguem realizar manobras de forma automatizada se houver ocorrências como quedas de árvores, descargas atmosféricas ou ações de animais. A área atingida pelo problema é isolada automaticamente e o maior número de consumidores pode ter a energia restabelecida em até 60 segundos.

Isso quer dizer que o self healing serve para melhorar a qualidade dos serviços para os clientes, vantagem que é demonstrada nos indicadores estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) – DEC, que mede a duração das interrupções, e FEC, que avalia a frequência em que elas acontecem. “Esses equipamentos trazem benefícios para os consumidores e modernização na rede de distribuição, que ganha um reforço de qualidade e uma operação mais segura, resiliente e eficiente”, destaca o superintendente de Smart Grids​ da Neoenergia, Ricardo Leite.

Os equipamentos automatizados são conectados ao Centro de Operações Integrada (COI), que recebem informações em tempo real, como localização exata de falhas, agilizando também o trabalho das equipes se houver a necessidade de reparos em campo. Com isso, é possível dar mais assertividade às atividades, reduzindo custos e emissões de gases do efeito estufa (GEE) causados pelos deslocamentos.

Os mais de 15 mil religadores e chaves telecomandadas estão instalados em aproximadamente 990 municípios localizados nos cinco estados onde a Neoenergia possui concessão e no Distrito Federal, beneficiando mais de 10,5 milhões de clientes. Em 2021, a companhia assumiu a distribuidora de energia na capital federal e, no ano, com a chegada da empresa, houve um aumento de mais de 90% do parque de equipamentos religadores. Dessa forma, a concessionária incorporou a estratégia de digitalização e automação do grupo.

A automatização integra um robusto plano de modernização das redes para preparar a infraestrutura para um ambiente com fluxos complexos devido a geração e armazenamento distribuídos, mobilidade elétrica e medição inteligente. “A Neoenergia está comprometida com o desenvolvimento sustentável e o combate às mudanças climáticas por meio da descarbonização. A digitalização é fundamental nesse processo, em que as distribuidoras de energia precisarão orquestrar um sistema mais complexo com a expansão das fontes renováveis, como eólica e solar. Por isso, seguimos ampliando os investimentos nessas tecnologias”, conclui Ricardo Leite.​

 

Blog Carlos Britto

Cortes no fornecimento de energia prejudicam produtores de frutas do Vale do São Francisco

A constante falta de energia elétrica e a demora para o restabelecimento do fornecimento em grande parte das propriedades agrícolas dos sertões de Pernambuco e Bahia, estão provocando uma série de prejuízos para produtores de frutas e agroindústrias a exemplo das vinícolas do Vale do São Francisco.

O problema, que vem se acentuando desde outubro do ano passado, veio à público nesta quinta-feira (31), com a divulgação de um documento elaborado pela Valexport – Associacão dos Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco.

No documento, o presidente da entidade, José Gualberto de Almeida, lembra que a situação se agravou a partir do corte de incentivos para a tarifa de irrigação noturna, um mecanismo do Governo Federal que dá descontos de 90% para os produtores rurais que trabalham com alta tensão e de 73% para aqueles que realizam os serviços em baixa. “As concessionárias do grupo Neoenergia (Celpe, em Pernambuco e Neoenergia Coelba na Bahia), cancelaram o fornecimento de inúmeras propriedades sem uma prévia comunicação. Estamos calculando os prejuízos principalmente com a interrupção dos sistemas de irrigação, câmaras frias, packing houses inteiros parados e os contratempos com a descontinuidade do fornecimento nas residências e escritórios”, ressaltou.

Ainda de acordo com o presidente, a Valexport vai colocar à disposição dos produtores, a partir desta quinta-feira (31), um serviço de coleta de denúncias através do telefone/whatsapp: (87) 98821-6210.

“O serviço vai ouvir as reclamações e cobrar a resolução imediata dos problemas identificados nos municípios pernambucanos de Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Cabrobó e Belém do São Francisco, e na Bahia, em Juazeiro, Sobradinho, Curaçá, Casa Nova, Remanso e Sento Sé”, concluiu.

 

Blog Carlos Britto

Neonergia responde sobre cortes no benefício de energia de produtores rurais

Após matéria divulgada no blog, sobre a denúncia da Valexport acerca das  concessionárias do grupo Neoenergia (Celpe, em Pernambuco e Neoenergia Coelba na Bahia) terem cancelado o benefício da Tarifa Rural de Energia Elétrica de inúmeras propriedades de produtores rurais sem uma prévia comunicação, o órgão encaminhou resposta.

De acordo com a Neonergia,  “os produtores rurais que não se recadastraram até o mês de dezembro de 2021, conforme obrigatoriedade da Resolução Normativa 901 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), perderam o benefício da Tarifa Rural de Energia Elétrica”.

Ainda segundo o órgão, “os clientes foram previamente comunicados pelas distribuidoras de energia por meio de aviso na fatura de energia elétrica. Os consumidores rurais que não apresentaram os dados completos, entre eles a Outorga d’Água e a Licença Ambiental, podem voltar a receber o benefício caso apresentem toda a documentação exigida pelo órgão legislador. Contudo, o benefício não será aplicado aos meses anteriores”, esclareceu.

A empresa informou ainda que o descadastramento não tem qualquer relação com a qualidade do serviço, que sofreu impacto das fortes chuvas associadas a ventos de maior intensidade e descargas atmosféricas registradas na região, nos últimos meses.

 

Site Diário do Nordeste

ANEEL e ANA contra o Nordeste e os nordestinos

A Aneel mantém a tarifa de bandeira vermelha para o Nordeste que exporta energia para o Sudeste. Sobradinho está cheio, mas ANA não aumenta outorga de água para o Projeto S. Francisco

Acontecerá depois de amanhã, sexta-feira, 1º de abril, o inacreditável: a barragem de Sobradinho, acumulando 32 milhões de m³ de água, sua capacidade máxima, liberará diretamente para o mar, pelo seu vertedouro, 3.500 m³ por segundo, mais do que o dobro de sua chamada vazão ambiental.

Estaremos diante de dois fatos graves que interessa ao Nordeste e aos nordestinos.

O primeiro fato grave diz respeito à geração de energia elétrica pela cascata de barragens que a Chesf construiu, com dinheiro do contribuinte, opera e administra.

O Nordeste gera muito mais energia do que consome. O excedente é exportado para s regiões Sul e o Sudeste, onde a baixa pluviometria reduziu bastante o volume de água das barragens nas quais estão suas hidrelétricas.

A Agência Nacional de Enerhia Elétrica (Aneel), cujos diretores parecem desconhecer o que se passa nas demais regiões do país, segue castigando o consumidor nordestino, impondo-lhe uma altíssima tarifa de bandeira vermelha.

Se as regiões Norte e Nordeste são autossuficientes  em energia, mandando para o resto do Brasil o que lhes sobra, devem, por isto mesmo, pagar por ela uma tarifa normal, de bandeira verde, pois lhe são favoráveis as condições de geração hidráulica, eólica e solar (estão no Nordeste os maiores parques de geração de energias renováveis).

O segundo fato grave envolve outra agência reguladora, a Agência Nacional de Águas (ANA) e diz respeito ao Projeto São Francisco de Integração de Bacias, que tem dois canais – o Norte, que traz água para o Ceará, Rio Grande do Norte e para uma parte da Paraíba, e o Leste, que leva água para Pernambuco e para outra parte da Paraíba.

Para fazer correr água em ambos os canais, a ANA outorgou-lhes 26,6 m³ por segundo, metade para cada um. 

Na mesma resolução da outorga, estabeleceu-se que, quando a barragem de Sobradinho estiver vertendo, o volume da vazão outorgada será elevado para até 100 m³ por segundo, providência que não será necessária agora por um motivo simples: não há, nas estações elevatórias dos dois canais, a terceira ou a quarta motobomba.

As duas motobombas existentes e em operação em cada uma das nove estações do Projeto São Francisco darão conta de bombear 26 m³/s para o Canal Leste e outros 26 m³/s para o Canal Norte, algo que, por exemplo, dobrará o volume de água que o rio São Francisco despeja hoje no açude Castanhão, no Ceará.

Uma motobomba que capta 13 m³/s não existe na prateleira de uma metalúrgica para pronta entrega. Ela tem de ser encomendada, projetada e fabricada, o que exige, no mínimo, 12 meses de prazo com 50% de pagamento adiantado. 

E não há, neste momento, no orçamento do Ministério do Desenvolvimento Regional dinheiro para a compra de nove ou de 18 motobombas para o Projeto São Francisco – que tem seis elevatórias no Canal Leste e três no Canal Norte.

Assim, o que poderá acontecer, e imediatamente, será a ANA decidir aumentar a outorga do Projeto São Francisco para 52 m³/s. Para isto, porém, torna-se necessária a pressão política dos governadores de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

 

Site Jornal Dia Dia

Em Fernando de Noronha, CPQD lidera projeto de mobilidade elétrica

Campinas, 30 de março do ano 2022 – Constituir modelos de negócio que contribuam para o desenvolvimento da mobilidade elétrica com viabilidade técnico-econômica em nível nacional. Foi com essa proposta que o CPQD passou a integrar o projeto Trilha Verde, em Fernando de Noronha, lançado oficialmente no último dia 21. O objetivo da iniciativa é levar mais sustentabilidade ao arquipélago administrado pelo estado de Pernambuco.

O Trilha Verde teve início em 2019, com a abertura da chamada de P&D Estratégico sobre Mobilidade Elétrica Eficiente da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Selecionado pelo órgão regulador para compor a iniciativa, encabeçada pela Neoenergia – concessionária de energia de Fernando de Noronha e do estado de Pernambuco -, coube ao CPQD estruturar todas as etapas do projeto, bem como buscar os parceiros para sua realização.

“Devido à multidisciplinaridade do projeto, buscamos outros ICTs e também parceiros industriais para complementar expertises”, explica Luiz Rolim, consultor especialista em sistemas de energia e telecomunicações do CPQD. Integram a parceria a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Instituto Avançado de Tecnologia e Inovação de Pernambuco (IATI) e as empresas WEG, Renault, eiON e InCharge.

Na fase inicial, o projeto irá analisar a performance de veículos elétricos e de recursos energéticos na ilha. Para isso, serão inseridos 14 carros elétricos e uma rede de eletropostos com 12 pontos de recarga interligados por uma plataforma de monitoramento, dois deles com suporte V2G (vehicle-to-grid) – em que o veículo, além de recarregar, também pode devolver a energia excedente. “Vamos definir os trajetos dos carros e os tipos de testes, que vão durar no mínimo um ano, para analisar toda a sazonalidade do clima e do fluxo turístico na região, coletando dados, avaliando e traçando os perfis para uso dos veículos. Tudo isso vai alimentar nossas análises estratégicas, que têm um foco não apenas tecnológico, mas também econômico, ambiental e social”, detalha Rolim. 

De acordo com o especialista do CPQD, as particularidades geográficas e o fato de ser uma área de preservação ambiental impuseram um grande desafio para a implementação do projeto. “Fernando de Noronha está a cerca de 400 quilômetros do continente, não dispõe de recursos naturais para geração de energia, e isso deixa tudo muito mais complexo”, observa. Ele acrescenta que apenas 10% da energia da ilha vem de fontes renováveis, de algumas usinas solares que foram instaladas no passado; a principal fonte energética ainda é o diesel, que é extremamente poluente. 

Para contornar esse desafio, o Trilhas Verdes pressupõe um sistema de armazenamento com duas plantas solares de 50 kW para obter o melhor aproveitamento da energia sustentável. A primeira deve estar operacional no começo de abril, conectada à rede elétrica, e a segunda está programada para julho ou agosto. Essa produção e a utilização dos recursos dessa usina serão monitoradas durante o período de um ano, para que a mobilidade elétrica avance no mesmo ritmo de desenvolvimento dos recursos energéticos renováveis.

Será possível acompanhar, por exemplo, a operação dos eletropostos para saber o momento em que estão sendo utilizados e quanto de energia está sendo carregada pelos veículos em teste. Em paralelo, será implantado um sistema de orquestração energética para otimização dos recursos renováveis, acompanhado de um esforço para criar parcerias com empreendedores da região. “Há uma atividade empresarial bastante forte na ilha; então, nada melhor do que estimular as empresas locais a abraçar a mobilidade elétrica, incentivando o uso dos carros elétricos e fomentando novas modalidades de negócios”, conclui Rolim. 

Sobre o CPQD

Com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação, o CPQD mantém um portfólio abrangente de soluções que são utilizadas nos mais diversos segmentos de mercado, no Brasil e no exterior, e aceleram a geração de valor no processo de transformação digital contribuindo para a excelência operacional das organizações, a transformação da experiência dos usuários, a reinvenção de modelos de negócios, a segurança e conformidade e a criação de novos produtos. Referência tecnológica no país, o CPQD integra o ecossistema de inovação aberta que vem alavancando o empreendedorismo, por meio de sua notória competência em Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Conectividade, Blockchain e Mobilidade Elétrica. O CPQD é uma organização privada, com mais de 40 anos, que entrega serviços e desenvolve tecnologias de produtos e de sistemas de missão crítica aderentes às necessidades complexas do mercado. Esses são resultados do seu programa de P,D&I, que é a base para inovação em seus temas estratégicos no futuro das cidades inteligentes, do agronegócio inteligente e da manufatura avançada. O CPQD atua em toda a jornada de inovação – da ideia à implementação – e é apaixonado pela tecnologia que gera o desenvolvimento, o progresso e promove o bem-estar da sociedade.

 

CLIPAGEM 31 DE MARÇO DE 2022. 

Diário de Pernambuco - Economia

Copergás finaliza fase de apresentação de propostas da chamada pública para biometano

A Copergás anunciou nesta quarta-feira (30) a conclusão da primeira etapa de sua chamada pública para aquisição de biometano, lançada em fevereiro deste ano. De acordo com a companhia, quatro empresas demonstraram interesse no projeto que visa a produção do combustível a partir de resíduos orgânicos agrícolas e de aterros sanitários.

Agora, o processo deverá entrar na fase de detalhamento e análise econômica das propostas. Em seguida, com a finalização da chamada pública, a empresa vencedora será anunciada. A previsão é que o fornecimento do biometano tenha início em 2024 com um volume de 3 mil m³/dia. O prazo de contratação é de 10 anos. 

O presidente da Copergás, André Campos, celebrou o momento e aproveitou a oportunidade para destacar o impacto positivo do biometano na redução da emissão de gases do efeito estufa. "Além de aumentar o número de fornecedores para a Copergás, nós estamos também dando uma grande contribuição para o meio ambiente. É com muito entusiasmo que vemos o sucesso dessa chamada pública", afirmou.

Obtido a partir da purificação do biogás, o biometado é um gás natural renovável originário de resíduos orgânicos de aterros sanitários, estações de tratamento de esgoto, da cana-de-açúcar, da agropecuária e da agroindústria, entre outras atividades. O aproveitamento do gás é considerado um importante fator de interiorização, já que os resíduos da agropecuária ou de aterros sanitários nos municípios tornam-se insumo para o biometano, criando oportunidade de negócios para a região e garantindo a produção local. 

Neste caso, a opção combina com a ação de interiorização executada pela Copergás, que já possui dois projetos de rede local, um em Petrolina, no Sertão do São Francisco, e outro em Garanhuns, no Agreste Meridional. "Estamos em ritmo acelerado de interiorização, seguindo recomendação do governador Paulo Câmara e do secretário Geraldo Julio (Desenvolvimento Econômico). E o biometano, fonte energética renovável e ambientalmente sustentável, pode ser um grande aliado nosso nesta caminhada",, observou André.

O biometano poderá ser injetado na malha de gasodutos de distribuição para atender aos segmentos industrial, residencial, comercial e de GNV, sem perda de competitividade nem de eficiência energética.

 

Diário de Pernambuco - Economia

Chamada Pública da Copergás para biometano tem quatro empresas inscritas

Concluindo a primeira etapa da Chamada Pública para aquisição de biometano, a Copergás recebeu quatro propostas de quatro empresas que visam a produção do combustível a partir de resíduos orgânicos agrícolas e de aterros sanitários.

Agora, as propostas serão analisadas economicamente e detalhadas para que ocorra o anúncio da empresa, ou empresas, vencedora (s). O início do fornecimento do biometano está previsto para 1º de janeiro de 2024, com prazo de contratação de 10 anos. O volume mínimo será de 3 mil m³/dia. 

O biometano é um gás natural renovável, obtido a partir da purificação do biogás e originário de resíduos orgânicos de aterros sanitários, de estações de tratamento de esgoto, da cana-de-açúcar, da agropecuária e da agroindústria, entre outras atividades. Seu aproveitamento é importante fator de interiorização do gás - os resíduos da agropecuária ou de aterros sanitários nos municípios tornam-se insumo para o biometano, criando oportunidade de negócios para a região e garantindo a produção local.  

Neste caso, a opção combina com a ação estratégica de interiorização executada pela Copergás, que já possui dois projetos de Rede Local: em Petrolina, no Sertão do São Francisco, região de grande produção agrícola, e em Garanhuns, no Agreste Meridional, região onde há forte atividade pecuária.  

 

Site G1

Compesa libera trânsito na Avenida Maria Merandolina no bairro Riachão, em Caruaru

No local foram realizadas intervenções da obra do lote 4A da Adutora do Agreste.

A Compesa liberou, na tarde desta quarta-feira (30), o trânsito na Avenida Maria Merandolina, a principal do bairro Riachão, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

No local foram realizadas intervenções da obra do lote 4A da Adutora do Agreste. A previsão inicial para a liberação seria no dia 1º, porém, no intuito de viabilizar a mobilidade urbana, a Compesa conseguiu antecipar esse prazo.

A Companhia reforçou que a reposição asfáltica do trecho será programada para acontecer durante o período da madrugada, de modo a gerar o mínimo de transtornos possíveis. A Compesa orienta ainda que os condutores mantenham a atenção ao passar pelo local.

 

Blog Didi Glavão

Compesa realiza recadastramento dos moradores de Orocó

Está em andamento na cidade de Orocó, no Sertão do São Francisco, a ação de atualização cadastral dos moradores atendidos pela Compesa. O objetivo é permitir que a Companhia conheça melhor os clientes e possa aperfeiçoar a prestação dos seus serviços. A iniciativa segue até o dia 20 de abril.

Não será necessário que a população se desloque até as lojas de atendimento da Compesa, pois, os serviços serão realizados por um cadastrador que visitará os imóveis. A Companhia ressalta que os cadastradores são tecnicamente capacitados, estarão usando farda e crachá de identificação e realizarão o trabalho com a concordância do proprietário. Na ocasião, não serão solicitadas informações financeiras.

“A atualização do cadastro é muito importante para que a Companhia tenha uma base de dados completa e consistente, facilitando a localização do cliente em nosso sistema, para que os atendimentos sejam prestados com maior agilidade. Em caso de dúvidas, a população poderá entrar em contato com a Compesa pelo telefone 0800 0810195.”, explica o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Kássio Kramer.

 

Blog Didi Glavão

Alô Compesa! Desperdício de água em vários pontos de Cabrobó

Não é de hoje que a população de Cabrobó, sofre com a falta d’água em suas residências, porém o que se ver pelo centro da cidade, são diversos pontos com canos estourados desperdiçando água potável e que deveria está indo para as torneiras do povo cabroboense.

Na Avenida Conrado Ferraz, são vários pontos onde ou há água jorrando ou há buracos abertos pela Compesa e que até então não foram fechados. O que se deve perguntar é; o que a Compesa realmente faz?

Não há água na casa do povo de Cabrobó, o que existe são serviços inacabados e um tremendo desperdício de água.

 

Blog Didi Glavão

Cabrobó: Moradores do Alto do Bozano reclamam da água parada na Estação da Compesa

Moradores da Rua Euza Pereira de Souza, no Bairro Alto do Bozano em Cabrobó, próxima a uma das estações elevatórias de esgoto da Compesa, estão incomodados com a água parada no local e com o forte odor.

De acordo com imagens enviadas, é possível ver a grande quantidade de água parada, o que pode contribuir com a proliferação de mosquitos, exatamente nesse período de combate as arboviroses.

“Faz mais de mês que essa água está parada, é um perigo pra gente, aqui na rua Euza Pereira de Souza quando chove ninguém consegue passar. Eu ia ficar muito feliz se essa rua fosse aterrada, ia facilitar muito.” – diz a moradora.

 

Blog Didi Glavão

Neoenergia beneficiará municípios do interior de Pernambuco com cerca de 7,5 mil luminárias LED

A Neoenergia promoverá, a partir de abril, a eficientização de mais de 7.500 lâmpadas de Iluminação Pública (IP), de 14 municípios pernambucanos. Algumas cidades terão 100% do parque de IP substituído. Além de contribuir para a economia na fatura das prefeituras com o uso racional da energia, o projeto também influencia diretamente na segurança dos moradores. Existem pesquisas que comprovam a relação entre a iluminação pública e a segurança, indicando que quanto mais iluminado, mais seguro o local fica. A ação faz parte do Programa de Eficiência Energética (PEE) da Neoenergia Pernambuco, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Os municípios beneficiados pela iniciativa estão distribuídos por todas as regiões do Estado. No Sertão, as cidades contempladas serão Serra Talhada, Parnamirim e Afogados da Ingazeira. No Agreste, serão beneficiados Barra de Guabiraba, Bezerros, Ibirajuba, Lagoa do Ouro, Angelim, Jucati, Capoeiras e Paranatama. Na Zona da Mata, Jaqueira, São Benedito do Sul e Tracunhaém.

As lâmpadas com tecnologia LED têm vantagens como ganho energético, redução com custos de manutenção, maior conforto visual e melhor visibilidade em relação às convencionais, feitas de vapor de sódio ou metálico. O modelo de LED é também mais sustentável, por não conter produtos químicos que, descartados de forma incorreta, podem prejudicar o meio ambiente.

“Com as medidas de eficiência energética na iluminação pública, espera-se uma economia de energia que pode chegar até 50% em algumas cidades. O benefício não é apenas na redução da conta de energia, os custos com manutenção também são reduzidos, já que a vida útil das lâmpadas de LED é superior aos sistemas convencionais”, afirma a gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Christina Mascarenhas.

PRÉDIOS PÚBLICOS

A Neoenergia substituiu mais de 108 mil lâmpadas ineficientes por LED, em 403 prédios públicos e Organizações Não-Governamentais, em 2021. O trabalho foi realizado em escolas, unidades de saúde, unidades militares, sedes administrativas e vários outros espalhados por 16 municípios. A iniciativa, que faz parte do Programa de Eficiência Energética da Neoenergia Pernambuco, regulado pela Aneel, teve investimento de R$ 3,7 milhões e representou uma economia de 3,23 GWh/ano no consumo desses prédios, o suficiente para abastecer mais de 85 mil consumidores por 30 dias. Isso porque a tecnologia LED consome até 40% menos do que as tradicionais.

SOBRE A NEOENERGIA PERNAMBUCO – A Neoenergia Pernambuco distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

 

Diário de Pernambuco - Economia

Produção nacional de petróleo teve queda de 3,8% em fevereiro

A produção nacional de petróleo em fevereiro teve queda de 3,8% em comparação a janeiro e aumentou 3,5% frente a fevereiro de 2021. No gás natural, a redução foi de 3,1% em relação ao mês anterior e aumentou 1,6% em relação a igual mês do ano passado. No total, foram produzidos 3,754 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo 2,917 milhões de barris diários de petróleo e 133 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

Os dados constam do Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural, divulgado nesta quarta-feira (30) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo informou a ANP, os principais motivos para a queda na produção em relação ao mês anterior foram as paradas para manutenção das plataformas P-70 (campos de Atapu e Oeste de Atapu, na Bacia de Santos), P-51 e P-56 (campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos) e da Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarga (FPSO, da sigla em inglês) Cidade de Anchieta (campo de Baleia Azul, na Bacia de Campos).

Pré-sal

A produção no pré-sal, em fevereiro, caiu 2,4% em relação ao mês anterior e subiu 9,4% em relação a fevereiro de 2021. A produção teve origem em 127 poços e registrou volume de 2,841 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo 2,235 milhões de barris de petróleo e 96,4 milhões de gás natural, o que correspondeu a 75,7% da produção nacional.

O boletim revela que o aproveitamento de gás natural em fevereiro foi da ordem de 97,7 %. Foram disponibilizados ao mercado 49,9 milhões de metros cúbicos. A queima de gás no mês somou 3 milhões de metros cúbicos por dia, mostrando redução de 6% se comparada ao mês anterior e de 12,6% se comparada ao mesmo mês em 2021.

Áreas

Em fevereiro, 267 áreas concedidas, cinco áreas de cessão onerosa e seis de partilha, operadas por 41 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Dessas áreas, 62 são marítimas e 216 terrestres, sendo 11 relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais. A produção ocorreu em 6.149 poços, sendo 468 marítimos e 5.681 terrestres.

O grau API (escala arbitrária que mede a densidade dos líquidos derivados do petróleo) médio do petróleo extraído no Brasil foi de 28,2, sendo 2,4% da produção considerada óleo leve, 92,6% óleo médio e 5% óleo pesado.

O boletim mostra que as bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 92,834 Mboe/d, sendo 72,056 Mbbl/d de petróleo e 3,303 MMm³/d de gás natural. Desse total, 50,1 mil boe/d foram produzidos pela Petrobras e 42,7 mil boe/d por concessões operadas por outras empresas.

 

CLIPAGEM 30 DE MARÇO DE 2022. 

Jornal do Commercio - Notícia

Compesa quer contratar empréstimo de R$ 250 milhões para investimentos com recursos próprios em 2022

Estatal de Pernambuco busca banco para financiar os investimentos

A estatal pernambucana de água e esgoto, a Compesa, busca contratar banco para tomar um empréstimo de R$ 250 milhões para realizar seu plano de investimentos em 2022.

O objetivo é a Compesa realizar investimentos com recursos próprios até o final do ano.

O edital para os bancos interessados será disponibilizado em 31 de março.

A abertura das propostas dos bancos interessados será em 27 de abril.

O plano de investimentos da Compesa colabora com o Plano Retomada, do governador Paulo Câmara (PSB), que pretende entregar obras até o final de 2022, quando encerra o mandato.

 

Blog Didi Galvão

Compesa realiza recadastramento dos moradores de Orocó

Está em andamento na cidade de Orocó, no Sertão do São Francisco, a ação de atualização cadastral dos moradores atendidos pela Compesa. O objetivo é permitir que a Companhia conheça melhor os clientes e possa aperfeiçoar a prestação dos seus serviços. A iniciativa segue até o dia 20 de abril.

Não será necessário que a população se desloque até as lojas de atendimento da Compesa, pois, os serviços serão realizados por um cadastrador que visitará os imóveis. A Companhia ressalta que os cadastradores são tecnicamente capacitados, estarão usando farda e crachá de identificação e realizarão o trabalho com a concordância do proprietário. Na ocasião, não serão solicitadas informações financeiras.

“A atualização do cadastro é muito importante para que a Companhia tenha uma base de dados completa e consistente, facilitando a localização do cliente em nosso sistema, para que os atendimentos sejam prestados com maior agilidade. Em caso de dúvidas, a população poderá entrar em contato com a Compesa pelo telefone 0800 0810195.”, explica o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Kássio Kramer.

 

Site farol de Notícias

Compesa divulga calendário de abril para ST

Nos últimos dias do mês de março, a Compesa preparou e divulgou o calendário de abastecimento de água de Serra Talhada deste mês de abril.

No quadro abaixo, é possível conferir quais são os dias da semana que terão água e as respectivas datas.

Conforme a organização dos dias com água, os bairros: Centro, Borborema, AABB parte baixa, Várzea, Caxixola, Bom Jesus/Malhada, DNOCS/GRANJAS terão água diariamente.

Os demais bairros permanecerão em sistema de rodízio. A dúvida é saber se o calendário será cumprido.

CONFIRA O QUADRO DE ABASTECIMENTO DE ABRIL COMPLETO

 

Blog Didi Glavão

Cabrobó: Equipe de prontidão da Neoenergia restabelece fornecimento de energia em localidade onde um poste caiu

Como tínhamos noticiado na manhã de hoje (29/03), as fortes chuvas do último domingo provocaram a queda de um poste na Avenida Nilo Coelho. Por conta disso o fornecimento de energia foi interrompido, alguns moradores ficaram horas sem energia elétrica e pontos comerciais tiveram que interromper suas atividades.

Logo após a matéria ser veiculada a direção estadual da Neoenergia Pernambuco, enviou uma equipe para o local e rapidamente o problema foi solucionado. Em menos de 4 horas de trabalho a equipe recolocou o poste de pé, com isso o fornecimento de energia foi totalmente restabelecido em toda área atingida.

 

CLIPAGEM 28 DE MARÇO DE 2022. 

Blog Carlos Britto

Compesa resolve problema de extravasamento de esgoto após registro do blog

Após a reclamação de um comunitário sobre um esgoto que estava há três meses na Avenida Sete de Setembro, a Companhia Pernambucana de Saneamento encaminhou resposta e justificou que, na primeira vez que atendeu ao chamado no local, em dezembro de 2021,  não foi encontrado ponto de obstrução e, após o novo registro feito no blog ontem (24),  esteve no local e encontrou o problema, que foi solucionado.

“A Compesa informa que esteve no ano passado, nesta via, em atendimento à solicitação referente ao protocolo registrado em 17/12/2021, mas que, na ocasião, não foi localizado qualquer ponto de obstrução na rede coletora de esgoto. Com referência ao segundo protocolo, datado de 25/12/2022, o serviço de manutenção de esgoto foi executado. Então, a partir dessa nova notificação, veiculada na imprensa, uma equipe esteve  no local e constatou um novo extravasamento decorrente de grande quantidade de óleo descartado irregularmente na tubulação. O serviço de desobstrução foi realizado e o problema corrigido”, informou.

A Companhia aproveitou ainda para falar sobre o descarte correto de óleo oriundo de oficinas mecânicas. “A Compesa aproveita para solicitar aos proprietários das oficinas mecânicas localizadas nessa área que não descartem o óleo utilizado em suas atividades nas redes coletoras de esgoto. Essa iniciativa contribui para a ocorrência de obstruções e, consequentemente, extravasamentos de esgoto, situação que causa transtornos à população, inclusive, impactando na saúde das pessoas, e provocando danos ao meio ambiente”, finalizou.

 

Jornal do Commercio - Economia

A vida sem acesso à água e esgoto no Recife e em Jaboatão, cidades entre as 20 piores do Brasil no ranking do saneamento

Em Pernambuco, apenas 30,8% da população tem acesso a esgoto e 81,7% a água tratada. Antes mesmo do Novo Marco Legal do Saneamento, PPP Cidade Saneada faz planos de universalizar os serviços em 15 cidades

Sérgio Tenório, 52 anos, conta que precisa desviar do esgoto para chegar ao final da Rua Laguna e entrar na casa onde mora, na comunidade Novo Horizonte, em Barra de Jangada, no município de Jaboatão dos Guararapes. Há 21 anos vivendo no local, ele reclama que o lugar parou no tempo quando o assunto é saneamento. Hilda Valdevina, 54 anos, perdeu as contas de quantas vezes precisou levantar o piso da sua casa para evitar que a água da chuva com esgoto invadisse o barraco. Acabou desistindo e saindo de Novo Horizonte. São histórias de pessoas sem acesso ao saneamento básico.

No Brasil, quase metade da população (100 milhões de pessoas) não têm serviço de coleta de esgoto e 35 milhões não têm acesso à água tratada. Na terça-feira (22), o Instituto Trata Brasil divulgou o ranking do serviço de saneamento básico nas 100 maiores cidades brasileiras. São Paulo, Paraná e Minas Gerais ocupam as primeiras posições, enquanto cidades do Norte e do Nordeste estão entre as mais vulneráveis. Recife e Jaboatão dos Guararapes aparecem na lisa das 20 piores deste ranking

Em entrevista à Rádio Jornal, no dia 22 de março, a engenheira ambiental da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Soraya El-Deir analisou as posições dos dois municípios e a realidade do saneamento básico em Pernambuco. Confira:

"Eu já cheguei a colocar placa de vende-se na minha casa para sair daqui, mas quem quer ficar à beira do esgoto? Quando usamos o banheiro ou as torneiras, a fossa vai para a canaleta e fica escorrendo pelo meio da rua. O mau-cheiro entra em casa e o local é foco de mosquitos e doenças. Não deixo meu filho pequeno brincar do lado de fora, nem ficar sem sandália", diz Tenório, na tentativa de proteger o pequeno Theo, 3 anos. "Nos 20 anos que moro aqui, nada mudou. O esgoto continua correndo pela rua e quando chove, a á água se mistura e forma poças", reforça.

Conhecida por ser uma área alagada, cercada por pequenas lagoas, Novo Horizonte foi chamada durante anos de Suvaco da Cobra, antes de ser rebatizada. O apelido fez jus ao local, onde já foram encontradas cobras e até jacarés. "Eu ficava apavorada quando chovia e começava a alagar tudo. Para entrar na minha rua era preciso usar botas de canos longo pra evitar o contato com a água suja do esgoto misturada com a da chuva. Além disso, ainda tem os ratos nadando e o temor que as cobras apareçam. Subi tanto o piso da minha casa que, de pé, a cabeça da gente quase batia no teto. Decidi ir embora, mas minha filha ainda mora aqui com meus netos em outra casa", observa Hilda.

Sem banheiro, sem dignidade, à espera de uma solução 

Na capital pernambucana são muitos os locais sem acesso a saneamento básico. Na comunidade do Pilar, 'escondida' em pleno Bairro do Recife, as condições sanitárias beiram o caos. Ter banheiro em casa é privilégio. Muitas famílias utilizam um espaço coletivo improvisado para fazer suas necessidades. As quatro paredes improvisadas em madeira servem para tomar banho (com água de um tonel) e defecar. Não tem privada no lugar. As pessoas usam um saco e depois desprezam o pacote. 

Mesmo para quem tem banheiro em casa, o benefício é incompleto. As casas que têm privada, torneira e chuveiro instalados, nunca viram eles funcionando plenamente. Sem água encanada, a descarga, a lavagem dos pratos e o banho são de 'cuia' (juntando água em baldes e bacias). É a realidade da casa de Cristiane Silva. 

Ela conta que, para minimizar as dificuldades, as mulheres colocaram uma mangueira em um ponto de água na comunidade para lavar louça e roupas. "Improvisamos uma lavanderia, com uma lona no chão, a mangueira e o sabão para garantir a lavagem", diz.  

Futuro do saneamento em Pernambuco

Aprovado em 2020, o Novo Marco Legal do Saneamento tem a meta de universalizar a oferta de água e esgoto no Brasil até 2033. Para isso, aposta na entrada da iniciativa privada no processo e prevê um investimento de R$ 700 bilhões no setor. A pandemia da covid-19 atrapalhou o início do Novo Marco. A expectativa anual de investimento era de R$ 30 bilhões por ano, quando em 2020 ficou em R$ 13,7 bilhões, tornando a meta mais difícil de ser alcançada.   

A 14ª edição do Ranking do Saneamento, realizada em parceria pelo Instituto Trata Brasil e GO Associados, baseia-se nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2020 para avaliar a situação dos 100 maiores municípios brasileiros. Das duas cidades pernambucanas que aparecem no ranking entre as 20 piores do País, Jaboatão dos Guararapes tem situação mais crítica. Pelos dados do SNIs, apenas 21,78% da população total tem acesso a rede de esgoto e 79,76% a água tratada. No caso do Recife, a situação é um pouco melhor, mas não menos preocupante. Só 30,8% das pessoas têm serviço de esgoto e 81,7% de água. 

A aposta na mudança deste cenário está na PPP Cidade Saneada, parceria da Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa) com a BRK Ambiantal. A PPP foi criada antes mesmo da aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento. Com investimento previsto em R$ 7 bilhões, a PPP tem a meta de atingir 90% de cobertura de esgoto nos 14 municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), além da cidade de Goiana (Mata Norte). O programa está há 8 anos em operação e investiu R$ 1,7 bilhão.  

"Diante da magnitude do programa, os primeiros anos das ações foram voltados para a recuperação e modernização das 200 unidades de esgoto existentes, entre estações de tratamento e estações elevatórias e o desenvolvimento de estudos e projetos para novas obras. Com os projetos em mãos, a Compesa, e sua parceira, a BRK Ambiental, deu início a fase das obras físicas para a ampliação dos sistemas de esgoto existentes e para a implantação de novos. Diante do alto montante de investimento e também do volume de empreendimentos necessários, a Compesa estabeleceu um planejamento que vem sendo cumprido.

Desta forma, o Programa Cidade Saneada segue com um grande pacote de obras em execução, alcançando o montante de R$ 1,7 bilhão de investimentos e uma taxa de cobertura de 40% na RMR, com expectativa de chegar a 53% em 2025 e, ao final do projeto, em 2037, a 90%, beneficiando mais de seis milhões de pessoas com recursos da ordem de quase R$ 7 bilhões. Até o momento, já foram implantados nove novos sistemas de esgotamento sanitário nas cidades de São Lourenço da Mata, Recife, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Goiana e Jaboatão dos Guararapes. Outras 11 obras estão em andamento", detalha a Compesa, por meio de nota.

Sobre os problemas das comunidades citadas pela população na reportagem, a Companhia diz que Novo Horizonte está na PPP Cidade Saneada, mas que o caso do Pilar terá quer ser estudado para encontrar outra solução. 

"A localidade Novo Horizonte (antigo Sovaco da Cobra), em Barra de Jangada, Jaboatão do Guararapes, está inserida nas obras da segunda etapa do Sistema de Esgotamento Sanitário - SES Prazeres, que estão em curso nos bairros de Candeias, Piedade, Barra de Jangada, Prazeres e Cajueiro Seco, com previsão de conclusão em julho de 2023. Serão mais de 100 mil moradores beneficiados nessa etapa, com investimentos de R$ 217 milhões", observa.

"Já sobre a Comunidade do Pilar, no Recife, a Companhia adianta que a localidade está nos estudos do programa Cidade Saneada. Por fim, a Companhia lembra que em áreas onde ainda não há cobertura de esgotamento sanitário, a recomendação é a utilização de solução individual, a exemplo das fossas sépticas", sugere.

 

Jornal do commercio - Noticias

Mutirão de eficiência energética será realizado no RioMar Recife e na Jaqueira

Evento é alusivo ao Dia Mundial da Eficiência Energética, comemorado em 5 de março

Começa neste sábado (26) e vai até o dia 31 de março a primeira edição do Mutirão de Eficiência Energética, promovido pela Neoenergia Pernambuco no RioMar Recife, na Zona Sul da capital pernambucana, e no Parque da Jaqueira, na Zona Norte. O evento é alusivo ao Dia Mundial da Eficiência Energética, comemorado em 5 de março.

Nos dias 26 e 27, as atividades serão no estacionamento em frente ao Instituto JCPM, no RioMar Recife. Já na Jaqueira, as datas são de 28 a 31/03. A iniciativa será das 12h às 20h e irá reunir alguns dos principais projetos da concessionária voltados para o uso consciente da energia, como Educação com Energia, Energia com Cidadania e Vale Luz.

Uma das iniciativas que mais devem chamar a atenção dentro do mutirão serão as aulas de energia ministradas na Unidade Móvel Educativa da concessionária. As pessoas terão acessos a vários experimentos interativos que contribuem para um entendimento mais fácil dos conceitos de eficiência energética e preservação ambiental. A atividade ocorre de forma dinâmica e prática em um ambiente cheio de curiosidades e tecnologia.

Dentro do projeto Energia com Cidadania, será possível trocar lâmpadas antigas por lâmpadas LED. Clientes de baixa renda podem trocar até cinco convencionais (incandescentes ou fluorescentes compactos) por outras novas de LED, que são 40% mais econômicas. Para fazer a troca, é preciso apresentar documento de identificação com foto e uma conta de energia. Serão disponibilizadas lâmpadas por unidade consumidora, de acordo com a quantidade entregue para a substituição, limitado a cinco lâmpadas por conta contrato. Quem já tiver recebido mais de oito lâmpadas nos últimos seis anos pela distribuidora não poderá receber.

Para a Neoenergia, a educação é importante para a formação de hábitos relacionados ao uso eficiente e seguro de energia elétrica, "assim como para o desenvolvimento de uma consciência cidadã que pensa na preservação ambiental e na economia familiar". As iniciativas fazem parte do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Vale Luz

Também estará presente no mutirão o Vale Luz, que concede desconto na conta de energia ou no abastecimento de combustível através da troca por resíduos recicláveis selecionados. Para participar do projeto, basta realizar o cadastro no local, com carteira de identidade e a última conta de energia.

Os materiais aceitos são metal (latinhas de alumínio e ferro), papel, papelão, plásticos (garrafas PET, embalagens de produtos de limpeza e higiene), vidro, equipamentos eletrônicos e óleos vegetais (como os de coco, de cozinha, soja, canola, girassol, milho).

Serviço

Mutirão da Eficiência Energética Neoenergia

26 e 27/03 – Shopping RioMar

28 a 31/03 – no Parque da Jaqueira

Horário: 12h às 20h

 

Site G1

Projeto da Neoenergia implanta iluminação de LED em 40 escolas públicas de Caruaru

Ação contribui com a melhoria do desempenho educacional dos alunos.

Um total de 40 escolas públicas de Caruaru, Agreste de Pernambuco, foram beneficiadas com iluminação de LED. A ação, promovida pela Neoenergia Pernambuco, tem como objetivo contribuir com a melhoria do desempenho educacional dos alunos.

A iniciativa ainda visa incentivar o uso correto da energia, evitando desperdício e economia na conta das unidades. Essas trocas em escolas e creches representam uma redução de consumo de 241,34 MWh/ano.

No total, foram investidos cerca de R$ 270 mil na substituição de mais de 7,6 mil lâmpadas de unidades educacionais do município.

 

CLIPAGEM 25 DE MARÇO DE 2022. 

Jornal do Commercio - Coluna CLÁUDIO HUMBERTO

Gastos da Eletrobrás na construção de gasodutos para termelétricas privadas chamam atenção do TCU

Uma força-tarefa já averigua beneficiados pelos gasodutos para gerar energia cara e suja, até por razões ambientais.

Gastos bilionários da Eletrobrás na construção de gasodutos para termelétricas privadas chamaram atenção de auditores e ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), que esmiúçam esse e outros "jabutis" encontrados na decisão do Congresso que autoriza a privatização da estatal. Uma força-tarefa já averigua beneficiados pelos gasodutos para gerar energia cara e suja, até por razões ambientais. Ministro do TCU revela que termelétrica de Carlos Suarez, baiana como o relator do caso no TCU, Aroldo Cedraz, seria uma das "premiadas". Ministros do TCU estão em alerta contra o leilão da Eletrobrás após passarem a desconfiar de um acordo do governo com o relator Cedraz. O relator indicou para uma ambicionada diretoria da agência reguladora de petróleo ANP o concunhado do seu polêmico filho Tiago Cedraz. A suspeita é que, com a nomeação, "agora a (privatização da) Eletrobrás destrava", como ironizou um ministro do TCU em conversa com a coluna.

 

Diário de Pernambuco - Economia 

Chesf tem lucro de R$ 5,5 bilhões em 2021

O valor é o maior da história da companhia e supera em 159% o montante de 2020, quando a empresa registrou ganhos de R$ 2,1 bilhões

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) fechou 2021 com um lucro líquido de R$ 5,5 bilhões, o maior registrado nos mais de 70 anos da companhia. O montante é 159% superior ao contabilizado em 2020, quando alcançou R$ 2,1 bilhões sob o impacto das medidas restritivas da pandemia de Covid-19.

Entre as razões para o bom resultado de 2021, divulgado ontem pela diretoria, a empresa aponta o reconhecimento de verbas indenizatórias dos ativos de transmissão, chamadas de Rede Básica do Sistema Elétrico (RBSE). Ele representou R$ 2,9 bilhões, 52,7% do lucro líquido.

A receita da verba para investimento em melhorias no sistema de geração (GAG Melhoria) das usinas cotistas representaram R$ 771,7 milhões, 14% do lucro líquido, enquanto a repactuação do risco hidrológico, que apresentou resultado de R$ 291 milhões, 5,2% do lucro líquido

Quanto aos investimentos, a companhia aplicou R$ 1 bilhão na expansão do sistema elétrico, valor 73,7% superior ao do registrado em 2020. Do total, R$ 738 milhões foram direcionados a obras do sistema de transmissão, R$ 186 milhões em geração de energia e R$ 141 milhões na infraestrutura.

O lucro líquido de 2021 também se destaque em relação a 2019, ano pré-pandemia. Neste, o valor obtido pela Chesf foi de R$ 3,5 bilhões, que, por sua vez, representou 1.083% a mais da quantia registrada em 2018. Na época, a presidência da empresa lassificou de excelente o resultado de todas as áreas companhia.

Ao analisar a queda de 2020, a companhia, frente às restrições da pandemia, afirmou que o ano “se apresentou desafiador para todos os ramos de negócios que se viram obrigados a reinventar a forma de atuação e adaptar formatos das relações de trabalho para manutenção de suas atividades”. 

O bom resultado de 2021 foi divulgado no mesmo dia em que a Chesf iniciou, após dois meses, o fechamento do vertimento de Xingó. A partir de agora, toda água de saída do reservatório passará pelas turbinas gerando energia, ao invés de passar pelos vertedores. Esse procedimento visa reencher Sobradinho e Itaparica até o fim do período úmido, no mês de abril. 

 

Site Portos e Navios

Suape estuda parceria com Copergás e Qair para projeto de produção de hidrogênio verde

As empresas pretendem elaborar memorando de entendimento tripartite, na intenção de analisar a viabilidade da iniciativa, utilizando a rede de distribuição da companhia de gás

O diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade do , Carlos André Cavalcanti

O Porto de Suape, a Companhia de Gás de Pernambuco (Copergás)e a Qair Brasil estudam parceria das empresas em projeto-piloto para produção de hidrogênio verde em Pernambuco. O produto seria destinado, por meio da rede de distribuição da Copergás, aos clientes industriais da companhia na região de Ipojuca, um dos oito municípios localizados no entorno do complexo portuário.

Em reunião entre o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Porto de Suape, Carlos André Cavalcanti, o diretor técnico-comercial da Companhia de Gás de Pernambuco (Copergás), Fabrício Bomtempo, e o diretor de Operações da Qair Brasil, Gustavo Silva, ficou definida a elaboração de um memorando de entendimento entre as três empresas com o intuito de analisar a viabilidade do projeto. “Entendemos que o hidrogênio verde é uma alternativa energética que se viabilizará nos próximos anos e nós, dentro do compromisso com o meio ambiente e a sustentabilidade, temos todo o interesse em fomentar a produção de gás de origem renovável e demonstrar as potencialidades de Pernambuco, visando a atração de novos investimentos”, pontuou Fabrício Bomtempo.

"A construção e a formalização dessa parceria tripartite é fundamental para o desenvolvimento da cadeia de produção do hidrogênio verde no Complexo Industrial Portuário de Suape”, afirmou Carlos Cavalcanti. “Com isso, pretendemos aprofundar os estudos de viabilidade econômica de mercado futuro, visando estruturar a escala de produção, o armazenamento e a distribuição progressiva por meio de rede de dutos da Copergás no complexo, e tendo como ponto de partida uma unidade de produção em pequena escala", completou.

A Qair Brasil é subsidiária do grupo multinacional francês Qair International, que atua em 17 países com projetos na área de desenvolvimento sustentável e transição energética.

Em Pernambuco, a Qair já está com um grande projeto em desenvolvimento no Porto de Suape, onde o investimento do grupo pode chegar a R$ 20 bilhões. A capacidade prevista é de 2.240 MW, com produção de 488 mil toneladas/ano. O projeto será instalado em duas áreas, com aproximadamente 110 hectares. “A configuração final de cada projeto será definida a partir de resultados e conclusões dos estudos de viabilidade em curso”, afirma material de informação da Qair Brasil, que vê o país com potencial para tornar-se no futuro “um dos principais players mundiais” na produção de hidrogênio verde.

 

Site Farol de Notícias

Neoenergia retoma ação em busca de ‘gatonets’ no Centro de ST

A Neoenergia Pernambuco retomará, na próxima segunda-feira (28), as atividades do projeto de ordenamento de rede, em Serra Talhada. Após a primeira fase da ação, realizada no último mês de fevereiro, quando o foco era as remoções das redes de telecomunicações sem autorização, consideradas “ocupações clandestinas” dos postes, as equipes da distribuidora voltarão às ruas para inspecionar e promover as adequações técnicas das redes das empresas que possuem contrato com a concessionária.

O objetivo é ordenar toda a rede da Av. Enok Ignácio de Oliveira, no Centro, realizando intervenções nos fios, cabos e equipamentos que não estão dentro das normas e padrões técnicos de segurança regulatórios e contratuais.

Antes de realizar as ações que se iniciam na próxima segunda-feira, todas as empresas que possuem contrato de compartilhamento no município de Serra Talhada foram notificadas sobre a necessidade de adequações de suas redes e tiveram o prazo de 30 dias para promover as correções de forma preventiva. A retirada das instalações irregulares elimina os riscos acidentes com a população, bem como melhora a qualidade e a continuidade do fornecimento de energia elétrica na localidade.

Outra ação de reordenamento será realizada no entorno da Praça Dr. Sérgio Magalhães. Nesta, será realizada a etapa inicial do projeto, com a retirada de todas as redes não autorizadas de empresas sem contrato de compartilhamento coma a Neoenergia Pernambuco.

As atividades, que têm conclusão prevista para a sexta-feira (8), contam com o suporte de equipes técnicas da distribuidora. Ao todo, cerca de 150 postes serão fiscalizados pelos funcionários da empresa.

Devido ao período da Covid-19, a ação será realizada obedecendo todos os padrões de segurança necessários, com equipes dimensionadas para realização da atividade em distanciamento seguro e com equipamentos de proteção.

Primeira Etapa

Na primeira etapa da ação de reordenamento em Serra Talhada, foram inspecionados aproximadamente 200 postes em 12 ruas da cidade. As equipes da Neoenergia eliminaram 128 condições de riscos (cabos partidos e baixos), e removeram 08 redes sem autorização de utilização dos postes. No total, foi recolhido 1,5 tonelada de materiais irregulares nas estruturas. O montante pertencia a prestadores de serviços de telecomunicações.

 

Portal Solar

Neoenergia lança projeto de mobilidade elétrica em Fernando de Noronha

Iniciativa prevê inserção de veículos elétricos e infraestrutura de recarga com sistemas fotovoltaicos e baterias

A Neoenergia lançou o projeto de mobilidade elétrica Trilha Verde no arquipélago de Fernando de Noronha. A iniciativa prevê a inserção de 18 veículos elétricos e a construção de duas usinas solares, uma delas com sistema de armazenamento para utilização à noite, para reabastecer a frota. Os 12 novos ecopostos previstos no projeto serão instalados em pontos estratégicos e disponibilizados para todos os carros elétricos do arquipélago.

Serão oito pontos de recarga com potência de 22 kW e outros dois com potência de 7,4 kW. As duas últimas unidades terão suporte a V2G (vehicle-to-grid), que possui um fluxo bidirecional, ou seja, o veículo pode utilizar a estação para recarga ou para “devolver” a energia não utilizada, como em eventuais períodos de alta demanda da rede.

O abastecimento desses postos será realizado pela geração fotovoltaica das duas novas usinas solares. A potência instalada total das plantas será de 100 kWp (quilowatt-pico) e a primeira delas está prevista para ser iniciada neste mês de março.

De acordo com a empresa, essa capacidade é aproximadamente três vezes maior do que a necessidade inicial do projeto. O excedente será injetado na rede de distribuição, ampliando o uso de uma fonte renovável pelos consumidores de Noronha.

Para permitir o uso de energia limpa mesmo nos momentos em que não houver geração solar suficiente, será implantado também um sistema de armazenamento de energia com potência de 100 kW/200 kWh. A WEG será parceira para o fornecimento dos painéis fotovoltaicos, a construção das plantas solares, a instalação das baterias e quatro eletropostos.

Programa de P&D

Essas ações de sustentabilidade integram o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Neoenergia, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), com a parceria do Governo de Pernambuco, da Renault, WEG, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), IATI, do CPqD, eiON e Incharge.

Conforme a Neoenergia, os veículos elétricos e os recursos energéticos utilizados no projeto serão analisados até o final de 2023. As informações coletadas serão submetidas a avaliações de viabilidade dos modelos de negócios e, posteriormente, confeccionado um mapa orientativo para futuras ações relacionadas à mobilidade elétrica em Fernando de Noronha.

Conforme a Lei Estadual 16.810/20, aprovada pelo governo de Pernambuco, a partir de agosto de 2023, será proibida a entrada de veículos a combustão a na ilha. Depois, em 2030, será vedada a circulação de carros movidos a gasolina, diesel e etanol.

 

CLIPAGEM 23 DE MARÇO DE 2022. 

Jornal do Commercio - Saneamento

Recife está entre as 20 piores cidades do Brasil em oferta de saneamento básico, mostra ranking do Instituto Trata Brasil

Levantamento aponta o avanço do setor no País, que continua a caminhar lentamente, mesmo com o novo marco regulatório. Em Pernambuco, além do Recife, Jaboatão dos Guararapes também está entre os piores

O Instituto Trata Brasil divulgou nesta terça-feira (22), o ranking do serviço de saneamento básico das 100 maiores cidades brasileiras. São Paulo, Paraná e Minas Gerais ocupam as primeiras posições, enquanto  cidades do Norte e do Nordeste estão entre as piores. Na lista das 30 piores, duas cidades do estado aparecem: Recife e Jaboatão dos Guararapes. 

Em entrevista à Rádio Jornal nesta terça-feira (22), a engenheira ambiental da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Soraya El-Deir analisou as posições dos dois municípios e a realidade do saneamento básico em Pernambuco. Confira:

 

Confira o ranking:

As 20 melhores cidades

  1. Santos (SP)
  2. Uberlândia (MG)
  3. São José dos Pinhais (PR)
  4. São Paulo (SP)
  5. França (SP)
  6. Limeira (SP)
  7. Piracicaba (SP)
  8. Cascavel (SP)
  9. São José do Rio Preto (SP)
  10. Maringá (PR)
  11. Ponta Grossa PR)
  12. Curitiba (PR)
  13. Vitória da Conquista (BA)
  14. Suzano (SP)
  15. Brasília  (DF)
  16. Campina Grande (PB) 
  17. Taubaté (SP)
  18. Londrina (PR)
  19. Goiânia (GO)
  20. Montes Carlos (MG)

 

As 20 piores cidades

  1. Macapá (AP)
  2. Porto Velho (RO)
  3. Santarém (PA)
  4. Rio Branco (AC)
  5. Belém (PA)
  6. Ananindeua (PA)
  7. São Gonçalo (RJ)
  8. Várzea Grande (MT)
  9. Gravataí (RS)
  10. Maceió (AL)
  11. Duque de Caxias (RJ)
  12. Manaus (AM)
  13. Jaboatão dos Guararapes (PE)
  14. São João do Meriti (RJ)
  15. Cariacica (ES)
  16. São Luis (MA)
  17. Teresina (PI)
  18. Recife (PE)
  19. Belford Roxo (RJ)
  20. Canoas (RS)

 

 Jornal do Commercio - Saneamento

SANEAMENTO BÁSICO

Covid-19 atrapalhou a partida do Novo Marco do Saneamento no Brasil e oferta de esgoto e água avançou pouco

Aprovado em 2020, Marco do Saneamento não conseguirá atingir sua meta se investimentos continuarem no ritmo de 2020. Só 50% da população brasileira tem acesso a esgoto no País

Novo Marco Legal do Saneamento é a aposta do Brasil para sair do atraso e avançar na oferta de saneamento básico à população. Com a entrada da iniciativa privada no setor, a projeção é investir R$ 700 bilhões para universalizar a oferta de água e esgoto no País até 2033. Aprovado na metade do primeiro ano da crise da covid-19, em 2020, o plano não caminhou como imaginado. O Instituto Trata Brasil, em parceria com o GO Associados, divulgou nesta terça-feira (22), em celebração ao Dia Mundial da Água, a 14ª edição do Ranking do Saneamento. O levantamento avalia a situação nos 100 maiores municípios brasileiros. O resultado preocupa: os investimentos ficaram muito abaixo da expectativa para atingir a meta. O ranking é baseado nos números do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2020, mas a previsão é que 2021 não tenha sido muito diferente.

O País tem situação caótica quando o assunto é saneamento básico. Hoje, 100 milhões de brasileiros não têm acesso à coleta de esgoto. Isso quer dizer quase metade da população. Já sem acesso à água tratada são 35 milhões de pessoas. O ranking do Trata Brasil mostra que existe uma desigualdade no acesso ao saneaamento quando se compara os 20 melhores municípios e os 20 piores. A situação do esgoto chama mais atenção: enquanto 95,52% da população nos 20 melhores municípios tem os serviços, somente 31,78% da população nos 20 piores são abastecidos. No caso da água, os melhores têm 99,07% de acesso contra 82,52% dos piores. 

Falta de saneamento e de dignidade

A decisão de onde fazer investimento também é desigual. Segundo o ranking do Trata Brasil, nos últimos 5 anos, enquanto a média de aportes nos 20 municípios com melhor situação foi de R$ 17,1 bilhões, entre os 20 piores ficou em R$ 3,8 bilhões. Isso significa uma diferença de 346%. O investimento anual médio por habitante também é bastante inferior. Entre os maiores foi de R$ 135,24 e entre os piores de R$ 86,33. 

As piores situações estão no Norte e no Nordeste. Entre os 20 piores municípios, 12 são das duas regiões. Pernambuco não tem munípios na lista dos 20 melhores, mas tem Recife e Jaboatão no ranking dos 20 piores. Por outro lado, há 2 anos seguidos, Olinda e Paulista saíram da lista dos piores e não retornaram.

A presidente Executiva do Instituto Trata Brasil, Luana Siewert Pretto, observa a falta de mobilidade dos municípios dentro do ranking. “Essa edição de 2022 evidenciou uma estagnação dos municípios que sempre estão nas piores posições. O que nos assusta é que estas cidades, mais uma vez, são da região Norte do país, aonde o acesso ao saneamento ainda é mais deficitário do que em outras regiões. Há capitais que estão trabalhando nos últimos anos para saírem dessa posição, mas não é a regra, é a exceção”, afirma. 

CIDADE SANEADA

Na Região Metropolitana do Recife (RMR), a aposta para transformar o déficit histórico do saneamento nos 14 municípios, além de Goiana (fora da RMR) é a PPP Cidade Saneada, uma parceria entre a Companhia de Saneamento de Pernambuco (Compesa) e a BRK Ambiental. As duas empresas vão investir R$ 6,7 bilhões até 2037, sendo R$ 5,8 bilhões da BRK e R$ 900 milhões da Compesa. 

A expectativa da PPP é alcançar uma cobertura do serviço de esgoto de 53% nos 15 municípios de atuação em 2025. Até 2030 este percentual deverá aumentar para 72%. Atualmente, nas cidades da RMR e em Goiana, o percentual de coleta de esgoto é de 38%. Quando a PPP começou, em 2013, este percentual era ainda pior, de 30%, considerado muito baixo. Até agora, a PPP do Saneamento investiu R$ 1,7 bilhão, sendo que R$ 300 milhões bancados pelo setor público e R$ 1,4 bilhão pelo parceiro privado.  

INVESTIMENTO

Especialistas defendem que para o serviço de saneamento básico avançar no Brasil é preciso investir uma média anual de R$ 30 bilhões, superando o valor histórico de R$ 13 bilhões a R$ 14 bilhões por ano. Segundo o Trata Brasil, o aporte em 2020 foi de R$ 13,7 bilhões, insuficiente para alcançar a média prevista pelo Marco Legal.

“Em 2020, foi sancionado o Novo Marco Legal do Saneamento Básico, um importante passo no sentido de promover investimentos no setor, e, consequentemente, direcionar o País à universalização. Contudo, 2020 também foi o primeiro ano da pandemia de covid-19 no Brasil, fato que escancarou a lentidão com que avançam os principais indicadores de saneamento básico. Portanto, é muito preocupante observar nove capitais entre os piores colocados de novo. É uma população somada de 10 milhões de habitantes exposta a condições subumanas. É preciso fazer mais do que isso”, pontua. 

ELEIÇÕES 2022

Em ano de Eleições Gerais, o tema do saneamento básico precisa entrar na pauta dos candidatos. A professora de engenharia ambiental da Universidade Federal de Pernamuco (UFRPE), Soraya El-Deir alerta para o modelo do Marco Legal e sugere que o Poder Público deve ditar as políticas públicas. "É preciso avaliar até que ponto a iniciativa privada vai querer em regiões como os morros do Grande Recife, que é onde estão as obras que precisam ser feitas. Os dados divultados pelo Instituto Trata Brasil são extremamente tristes. Essa falta de saneamento resulta em 15 mil mortes por ano por conta de doenças causadas pela falta de acesso aos servços de água e esgoto", destaca. A professora participou do programa Balanço de Notícias, da Rádio Jornal, nesta terça, com Ciro Bezerra para debater o tema.  

 

Site Canal de Energia

Neoenergia avança com projeto de eletromobilidade em Noronha

Trilha Verde prevê inserção de 18 veículos elétricos, 12 ecopostos e duas UFVs para avaliar aderência às atividades da ilha e possibilidade de novos modelos de negócios.

A Neoenergia lançou oficialmente na última segunda-feira, 21 de março, o projeto que irá ampliar a mobilidade elétrica no arquipélago de Fernando de Noronha, com a inserção de 18 veículos elétricos no Patrimônio Natural da Humanidade, reconhecido pela Unesco. A iniciativa prevê ainda a construção de mais duas usinas solares, uma com sistema de armazenamento feito pela Weg para utilização à noite visando o suprimento da frota, que contará com quatro buggies.

As ações do Trilha Verde integram o Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da empresa regulado pela Aneel e neste caso com a parceria do Governo de Pernambuco e outras empresas. Os veículos serão enviados e incorporados às principais atividades econômicas da ilha, como trade turístico, administração distrital e à própria operação da concessionária. A intenção é analisar a aderência às mais variadas atividades até final de 2023.

As informações coletadas serão submetidas a avaliações de viabilidade dos modelos de negócios para a concepção posterior de um mapa orientativo para futuras ações relacionadas à eletromobilidade na região. Nesse sentido, o projeto também beneficiará empreendedores locais e o poder público. Em Noronha não poderão entrar veículos a combustão a partir de agosto de 2023 e, a partir de 2030, será vedada a circulação de carros movidos a gasolina, diesel e etanol.

Os 12 novos ecopostos serão instalados em pontos estratégicos e disponibilizados para todos os carros da ilha. Serão oito pontos de recarga com potência de 22 kW, que possibilitam uma recarga mais rápida, e outros dois com potência de 7,4 kW. As duas últimas unidades terão suporte a V2G (vehicle-to-grid), com fluxo bidirecional, onde o veículo pode utilizar a estação para recarga ou para “devolver” a energia não utilizada, como em eventuais períodos de alta demanda da rede.

O abastecimento será realizado totalmente com energia limpa, fornecida pela geração fotovoltaica das duas novas UFVs. A potência instalada total das plantas será de 100 kWp, com a primeira prevista para ser iniciada ainda em março. A capacidade é aproximadamente três vezes maior do que a necessidade inicial do projeto, com o excedente podendo ser injetado na rede de distribuição, ampliando o uso de uma fonte renovável pelos consumidores de Noronha.

A Neoenergia conta com outros parceiros no projeto, como o CPqD, responsável pela execução de atividades técnicas, desenvolvimento de software, estudos estratégicos, entre outras ações. O IATI é o responsável por estudos, atividades e análises ambientais e socioeconômicas, e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), pela análise e modelagem de negócios.

Os quatro buggies para atividades de turismo serão fornecidos pela eiON, os seis eletropostos pela Incharge e a Renault cederá seis veículos leves, além de quatro adquiridos pela Neoenergia, capacitando também profissionais locais para realizar manutenções nos carros. As ações estão em alinhamento com o Programa Carbono Zero, do Governo de Pernambuco.

 

Blog Carlos Britto

Esgoto em rua do Loteamento Recife vira rotina incômoda para moradores

No Loteamento Recife, Zona Norte de Petrolina, um esgoto extravasado na Rua 36 transformou-se num tormento para a vizinhança da área. De acordo com a comunidade, o cenário ficou ainda mais crítico após as chuvas deste ano na cidade.

“Como se não bastasse o mau cheiro, ainda temos de suportar as muriçocas e outros mosquitos”, desabafa um morador. A reportagem procurou a assessoria de comunicação da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que ficou de repassar a demanda ao setor responsável.

 

Blog Carlos Britto

Moradora do Park Massangano pede providências para vazamento de água

Um vazamento na tubulação de água potável preocupa os comunitários da Rua Mangueira, no Parque Massangano, em Petrolina. De acordo com relatos, há dois canos quebrados, de onde está jorrando uma grande quantidade de água, escorrendo por toda a rua.

Uma moradora informou que já entrou em contato com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a qual afirmou que só poderá atender à solicitação no próximo dia 29 de março. “Já imaginou ficar mais uma semana jorrando água, o desperdício que irá gerar?”.

O Blog solicitou resposta à Compesa sobre o prazo de atendimento à demanda e qual providência será tomada.

 

Blog Didi Galvão

Cano estourado na Rua 3 do Bairro Ipsep em Cabrobó tem deixado moradores indignados

Um morador viu uma situação um tanto questionadora e enviou para nossa redação, após um serviço de melhorias de infraestrutura na Rua 3 do Bairro Ipsep em Cabrobó, acidentalmente uma máquina danificou na manhã desta terça-feira (22/03) uma encanação de água potável, e até o momento a Compesa não se fez presente para realizar a manutenção.

“A gente que paga caro pela água, ver uma situação dessa é muito triste, pois desde cedo a água tá sendo jogada fora, imagina quantos litros não foram desperdiçados. Pedimos que a Compesa resolva muito breve essa situação, não podemos admitir isso.” – disse nosso leitor, Hélio Gomes.

 

Site Farol de Notícias

Buraco no Centro de ST vira disputa entre prefeitura e Compesa

Mais problemas urbanos agravados pelas chuvas em Serra Talhada. Os moradores da Rua Joaquim Conrado de Sá, no Centro da cidade, estão indignados com um problema de ordem pública que se arrasta há cerca de um mês na localidade.

De acordo com um residente da via, que pede para ter sua identidade preservada, a Compesa abriu o buraco para fazer reparos na rede de saneamento básico e deixou o espaço aberto para a Prefeitura de Serra Talhada tapar.

“Esse buraco que a Compesa fez tá com quase um mês, remendou um vazamento e fez a parte dela. Era um buraco de esgoto. E falou que a prefeitura vinha consertar e nada. Nessas chuvas está abrindo mais ainda, porque é mesmo onde as águas passam. E o problema de tudo, um mês. Não é um dia, uma semana, já vai fazer um mês. É um absurdo, passa todo mundo aqui de prefeitura e ninguém vê e nem nada. Vê e não age, interessante”.

 

Site infomoney

Conta de luz pode ficar até 15% mais barata se todo consumidor escolher próprio fornecedor de energia

No chamado mercado livre, que está em discussão no Congresso, é possível negociar preços, quantidade e até fonte de energia com as geradoras

A possibilidade de os consumidores escolherem o próprio fornecedor de energia elétrica, discutida no Congresso, pode gerar redução de 15%, em média, na conta de luz. Essa é a previsão da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Hoje, apenas os grandes consumidores de eletricidade, como as indústrias, podem comprar energia no chamado mercado livre, onde é possível negociar preços, quantidade e até fonte de energia com as geradoras ou comercializadoras. Já os consumidores residenciais recebem energia por meio de uma distribuidora, que tem tarifas reguladas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com a Abraceel, a negociação no ambiente livre levaria a uma redução média de 27% na fatia da conta referente ao custo da energia elétrica. Como sobre as faturas ainda incidem impostos, encargos e taxas pelo uso do serviço de distribuição, a redução total é estimada em 15%.

O presidente executivo da associação, Rodrigo Ferreira, diz que a economia acontece devido à concorrência. “É a diferença entre a tarifa de energia das distribuidoras, regulada pela Aneel e que reflete basicamente os custos dos leilões, e o preço da energia no mercado livre. A competição e a maior eficiência na contratação e na gestão da energia tornam o preço mais baixo no mercado livre.”

TRAMITAÇÃO

A mudança nas regras está prevista em dois projetos de lei na Câmara: o projeto 1917/2015, aprovado em comissão especial no ano passado; e o projeto 414/2021, que, após um ano, voltou com a circulação da primeira versão do relatório, elaborado pelo ex-ministro de Minas e Energia e deputado Fernando Coelho Filho (União-PE).

O parecer prevê a abertura total do mercado em até três anos e meio. A previsão, segundo o relator, é de que o texto seja analisado até o início de abril na Câmara.

A Abraceel defende que a abertura seja feita de forma gradual e que todos os clientes conectados à rede de alta tensão possam negociar livremente a partir de 2024. Para os demais, incluindo residenciais, a entidade defende a liberação a partir de janeiro de 2026.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Diário de Pernambuco – Vida Urbana

Moradores da Imbiribeira protestam por falta de energia; comerciantes são os mais prejudicados

Um trecho do sentido da Avenida Marechal Mascarenhas de Morais que liga o bairro da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, ao de Afogados, na Zona Oeste da Capital, amanheceu interditada com pneus em chamas no começa da manhã desta quarta-feira (23). O protesto, que se iniciou às 8h, acontece no local e já começa a comprometer o trânsito da área. A motivação do ato, de acordo com alguns moradores da Ilha de Deus, situada atrás da estação de metrô que leva o nome do bairro, se dá por uma falta de energia que já ultrapassa as 24h. 

De acordo com o morador Luiz Henrique Tavares, a situação começou por volta das cinco da manhã desta terça-feira, e após diversos contatos com a Celpe, foi informado que a situação talvez pudesse ser regularizada às 19h desta quarta.

"Estamos desde cinco da manhã de ontem sem energia. Já são mais de 24h, desde que teve a queda do raio naquela chuva. A gente tá tentando ligar pra Celpe faz tempo, e hoje uma pessoa ligou logo cedo dizendo que talvez chegue às 19h", disse.

A promessa, por parte dos moradores que estão protestando, é de que a outra via (sentido aeroporto) da Avenida será interditada também, caso a energia não volte nas próximas horas.

Mais prejuízo

Além de morador da Ilha de Deus, Luiz Henrique é também comerciante na comunidade, vendendo peixes e crustáceos. Ele, como vários outros, se mostrou preocupado com o prejuízo que já está sendo contado.

"Eu trabalho com peixes e crustáceos, e cerca de 150 pessoas estão sendo afetadas. Tem gente com filho pequeno e que não pode nem ligar o ventilador", disse.

 

CLIPAGEM 18 DE MARÇO DE 2022. 

 

Blog Didi Galvão

Compesa realiza recadastramento de clientes no município de Ipubi, no Sertão

A ação de recadastramento da Compesa, realizada em diversos municípios do Estado, iniciou mais uma de suas etapas. Dessa vez, os moradores de Ipubi, no sertão de Pernambuco, estão sendo visitados pela equipe da Companhia. O objetivo é estreitar o relacionamento com os clientes e atualizar as informações do banco de dados de forma simples e rápida, sem a necessidade do comparecimento a uma loja de atendimento.

Serão visitados 3 mil moradores até o final deste mês. Dentre os benefícios do recadastramento estão maior agilidade no atendimento e durante uma possível negociação de débito, além de outros serviços ligados às áreas comercial e de faturamento. De acordo com o gerente da Unidade de Negócios da Compesa, Kássio Kramer, os clientes receberão a visita de um cadastrador, portando crachá de identificação além dos equipamentos individuais de proteção.

“Em nenhum momento o cadastrador solicitará informação financeira dos clientes. Deverá ser apresentado apenas os documentos de CPF, Carteira de Identidade além de um comprovante de responsabilidade do imóvel”, explicou.

As visitas serão realizadas das 8h às 18h, de segunda a sexta, e das 8h às 17h aos sábados. Em caso de dúvida o cliente poderá entrar em contato com a Compesa pelo 0800 0810195.

 

Blog Carlos Britto

Asfalto novo é danificado durante manutenção de rede da Compesa

Nessa quarta-feira (16), os moradores da Avenida Zé Roldão, no João de Deus, se depararam com a pavimentação nova danificada pela Compesa após uma manutenção da rede de esgoto.

De acordo com a prefeitura, a implantação do pavimento na via do João de Deus custou cerca de R$ 727 mil reais nos mais de 600 metros da rua. Com inauguração prevista para este mês, a Avenida Zé Roldão estava em fase de revisão final da obra.

“Lamentamos que o sonho de viver sem terra nas portas tenha sido adiado por mais um tempo para alguns moradores. A Prefeitura de Petrolina intensificará a fiscalização no local visando garantir que a comunidade receba a restruturação da via como planejado, com a devida qualidade do serviço recém executado”, destaca o secretário executivo de Infraestrutura, Rodrigo Jacobina.

 

Blog Carlos Britto

Compesa responde sobre falta de água no Henrique Leite

Após reclamações de diversos moradores sobre a constante falta de água no bairro Henrique Leite, a Compesa encaminhou uma nota explicando que realizou, durante esta semana,  uma visita técnica à localidade junto de representantes da comunidade, para verificar os pontos críticos e identificar as questões relativas ao desperdício e ligações irregulares que desequilibram o sistema e prejudicam o abastecimento.

Ainda de acordo com a Companhia, a informação de que a água do bairro falta há mais de 40 dias não procede e que, devido à parada emergencial na noite da última segunda, o sistema que abastece o bairro demorou um pouco para ser pressurizado, porém, desde ontem (16) a situação já estava normalizada.

Por fim, um estudo para buscar as soluções já está sendo elaborado e deve ser concluído até o final do mês, finalizou a Compesa.

 

Blog Edivaldo Alves

Compesa nega que há 52 dias está faltando água no bairro Henrique Leite em Petrolina (PE)

A Compesa informa que não procede a mencionada falta de água no bairro Henrique Leite há 52 dias, mas esclarece que há uma instabilidade nas pressões durante o dia. Uma visita técnica ao bairro Henrique Leite foi realizada nesta segunda-feira (14) com os representantes da comunidade para verificar os pontos críticos e identificar as questões relativas ao desperdício e ligações irregulares que desequilibram o sistema e prejudicam o abastecimento.

Além disso, a Companhia ressalta que devido à parada emergencial na noite da última segunda, o sistema que abastece o bairro ainda levará mais algumas horas para ser pressurizado. A previsão é de que o fornecimento de água esteja plenamente normalizado até a manhã desta quarta-feira (16).

Por fim, um estudo para buscar as soluções já está sendo elaborado e deve ser concluído até o final do mês corrente.

 

Folha de Pernambuco - Economia

Decreto zera IOF sobre empréstimo a distribuidoras de energia

Medida isenta crédito para cobrir prejuízos com crise hídrica

Aprovado na terça-feira (15), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o empréstimo de R$ 10,5 bilhões às distribuidoras de energia será isento de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quinta-feira  (17) decreto que zera a alíquota para essa operação de crédito.

De acordo com o Palácio do Planalto, o governo deixará de arrecadar R$ 188 milhões com a medida. A isenção de IOF resultará em menos juros a serem pagos pelos consumidores de energia a partir de 2023.

Em reunião extraordinária desta terça-feira, a Aneel também aprovou o valor total do empréstimo, em R$ 10,5 bilhões, e regulamentou a liberação da primeira parcela, de R$ 5,3 bilhões. O dinheiro será depositado na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e rateado entre as distribuidoras pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), conforme o prejuízo de cada empresa com a escassez hídrica.

O valor da primeira parcela cobrirá R$ 2,33 bilhões do adiamento de cobranças da conta de luz pelas distribuidoras e R$ 1,68 bilhão do bônus para os consumidores que economizaram energia no segundo semestre do ano passado. Também serão cobertos R$ 790 milhões de importação de energia no auge da crise hídrica, em julho e agosto de 2021; e R$ 540 milhões do saldo negativo das bandeiras tarifárias que arrecadaram menos que o necessário.

Estimada em R$ 5,2 bilhões, a segunda parte do empréstimo ainda passará por consulta pública e não tem previsão de quando será regulamentada pela Aneel. Essa parcela cobrirá o custo do leilão emergencial para contratação de energia de usinas termelétricas para fornecimento a partir de 1º de maio deste ano.

 

 Diário de Pernambuco - Economia

Governo pode, finalmente, suspender a "superbandeira" da conta de luz

Depois de meses de tarifa extra na conta de luz, a “superbandeira” pode finalmente sair do orçamento dos brasileiros. O acréscimo de R$ 14,20 por 100 kWh consumido está em vigor desde setembro de 2021 e, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), deveria permanecer até o dia 30 de abril. Mas na quinta-feira (17/3) o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que a tarifa deixará de existir “nas próximas semanas”. Especialistas acreditam, no entanto, que o impacto para o consumidor não deve ser tão perceptível.

Bolsonaro falou sobre a tarifa de energia em uma live, realizada ao final da solenidade de hasteamento da bandeira no Palácio da Alvorada. “Pelo que tudo indica, a superbandeira de energia nas próximas semanas vai deixar de existir. Isso foi feito em uma decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica para compensar a energia de uma origem bem mais cara que a hidrológica”, comentou o presidente.

A tarifa extra aplicada atualmente tem valor 49,63% mais alto do que a bandeira vermelha patamar 2. O mecanismo foi criado em agosto de 2021, a fim de custear o acionamento excepcional de usinas térmicas e importação de energia durante “o pior cenário de escassez hídrica vivenciado em 91 anos no país”, segundo informou à época a Aneel.

A cobrança extra ocorreria de setembro de 2021 a abril de 2022. Mas existem dúvidas sobre o impacto positivo do fim da medida. Renato Queiroz, pesquisador do Grupo de Economia da Energia da UFRJ e conselheiro do Instituto Ilumina, explica que a retirada da bandeira de escassez hídrica não deve fazer maravilhas com o bolso do consumidor.

“No ano que passou, houve uma seca maior, e aí eles notaram que a bandeira vermelha — o último patamar — não ia ser suficiente. Criaram então uma bandeira de escassez, que encareceu a conta, além de todos os outros custos, quase 7%”, relembra o especialista. “Já se sabia que as distribuidoras teriam mais deficit, tanto é que já há outros aumentos. Vamos deixar uma bandeira tarifária de escassez hídrica para ter um aumento maior”, compara.

O especialista em energia afirma que o valor repassado ao consumidor em encargos de serviço vem de gastos das distribuidoras durante a pandemia e o período de seca, além do empréstimo de R$ 10 bilhões feito para cobrir a diferença que a bandeira de escassez hídrica não foi capaz de sanar. “Isso vai cair na nossa conta, alguém tem que pagar. Agora tem o novo empréstimo que fizeram para cobrir essa diferença da própria tarifa, de R$ 10 bi, que nós vamos começar a pagar em 2023, com juros. Olha que irracionalidade”, comenta Renato Queiroz.

Para ele, há um erro estrutural no setor e “ninguém encara isso”. “Você tem que fazer um modelo de setor que trabalhe com esses períodos de escassez hídrica, com essas afluências variáveis. Não foram feitos investimentos corretos suficientes na expansão com renováveis, de modo a não usar tanto os reservatórios”, finalizou.

 

Diário de Pernambuco - economia

Conta de luz ficará mais cara após empréstimo para distribuidoras

Com a aprovação dos empréstimos bancários de R$ 10,5 bilhões, nessa terça-feira (15), para as distribuidoras de energia, os consumidores poderão ver a conta de luz aumentar. Isso porque o financiamento, com cobrança de juros, será pago pelos consumidores, através da conta de energia, a partir de 2023.

O diretor de Risco, Produtos e Operações da 2W Energia, Claudy Marcondes, explica que as distribuidoras de energia elétrica tiveram um déficit provocado pela crise hídrica. 

“No final de 2020 e início do ano passado, as distribuidoras tinham previsto custos relacionados a despacho térmico, geração hídrica. Mas, como 2021 foi totalmente fora das previsões, o custo das distribuidoras foi muito maior", inicia.

"Foi preciso acionar a bandeira, que serve para não deixar acontecer um descasamento de caixa da distribuidora. Ou seja, o que ela previu e o que aconteceu na prática. Só que o preço da bandeira não foi suficiente e criou-se um déficit de alguns bilhões para as distribuidoras, relacionado à crise hídrica”, complementa.

Para cobrir esse déficit, as distribuidoras precisam reajustar a tarifa no ano seguinte. Em 2022, em tese, esse valor seria repassado, aumentando a tarifa para o consumidor. “Para não ter esse impacto tarifário, foi acordado que haveria o empréstimo para as distribuidoras neste ano e esse valor seria pago nos próximos anos.”

O economista Alessandro Azzoni lembra ainda que as distribuidoras tiveram gastos com a compra de energia externa e com o pagamento de bônus para quem teve redução na conta de luz. “Para não haver um aumento neste momento, em que já estamos pagando o empréstimo da COVID, a conta de luz vai ficar mais cara a partir de 2023, que é quando os custos do empréstimo começaram a ser repassados (para o consumidor).”

Azzoni ressalta também que, no ano passado, o aumento da energia elétrica e dos combustíveis foi o que impulsionou a inflação. 

Sem definição de valores

Segundo o economista, ainda não é possível saber de quanto será o aumento na conta de energia elétrica. 

“O prazo e a taxa de juros ainda estão para ser definidos pelos bancos. Então não dá para saber qual vai ser o real impacto. Sabemos apenas os valores que foram liberados. A primeira parcela é de R$ 5,3 bilhões. Ela vai ser liberada agora justamente para conter um pouco as perdas que as distribuidoras tiveram no ano passado e para não ter o repasse nesse momento.”

O prazo do financiamento e os juros dos empréstimos serão definidos com os bancos públicos e privados que participam dessa operação. 

Já Marcondes afirma que estudos feitos pela TR Soluções estimam que o aumento deva ser de R$ 5 a R$ 10 por MW/hora, o que representaria um aumento de cerca de 5% a 8%. 

“2022 ainda está sob efeito da crise hídrica, mas, em tese, eles estavam prevendo redução de tarifa para os próximos anos. Só que será uma redução menor do que eles estavam prevendo. Não quer dizer que não vai aumentar a tarifa e sim que ela vai reduzir menos.”

Segundo ele, só é possível saber a tarifa do próximo ano quando ocorre a revisão tarifária da distribuidora específica. “Depende do rombo de caixa de cada distribuidora, já que o empréstimo é proporcional a este valor. Por isso, não dá para ter uma clareza de quanto será o aumento.” Estes valores são referentes a primeira parcela de R$ 5,3 bilhões, que foi liberada na terça-feira (15). 

Alternativas para economizar na conta de luz

Com a expectativa de pagar mais caro pela energia nos próximos anos, o consumidor busca alternativas para economizar. A 2W Energia é uma plataforma de venda de energia que ajuda o consumidor final a sair do mercado das distribuidoras para o mercado livre. A empresa tem geração própria com parques eólicos e solares que somam mais de 2GW de capacidade. 

No segmento de energia solar, a empresa oferece o Wave, um produto de geração compartilhada com foco no consumidor final. Neste modelo, o consumidor opta por uma assinatura on-line de fornecimento de energia, por meio de um aplicativo, sem necessidade de nenhuma instalação. 

Isso porque a energia produzida pelos parques solares administrados pela empresa é distribuída na rede da concessionária, de modo que o valor é abatido diretamente na conta de luz. Com o Wave, o consumidor pode reduzir até 20% da sua conta de luz e ter acesso à energia 100% renovável. Atualmente, apenas consumidores em Minas Gerais podem contratar o produto.

A energia comercializada pela empresa está disponível para os consumidores por meio de três produtos: Energia Livre (para empresas com consumo a partir de R$ 15 mil por mês), Agregga (voltado a condomínios, residenciais, shoppings e galerias) e Wave, além do fornecimento via atacado.

 

CLIPAGEM 17 DE MARÇO DE 2022. 

 

Portal de Prefeitura

Copergás anuncia que não fará reajuste nos preços do GNV e gás natural em Pernambuco; veja até quando o valor será mantido

De acordo com o presidente da entidade, André Campos, a medida só foi possível porque a companhia fechou contrato com novos fornecedores de gás natural, em vez de depender apenas da Petrobrás.

Distribuído no Estado pela Companhia Pernambucana de Gás – Copergás, o Gás Natural Veicular (GNV) teve seu preço mantido no último mês de fevereiro.

O atual valor permanecerá o mesmo até início de maio. Diferentemente dos demais produtos, que têm seus preços reajustados livremente, o GNV tem datas fixas para rever sua tarifa: fevereiro, maio, agosto e novembro.

Hoje, o GNV tem preço médio de R$ 3,96, ante R$ 6,96 da gasolina e R$ 5,14 do etanol. A diferença é maior ainda em Petrolina, onde a Copergás atua com um projeto de Rede Local. Lá, o litro da gasolina custa R$ 8,15, e o etanol, R$ 6,20.

Tomando os valores do Recife como base, com um abastecimento de R$ 100 o veículo rodará 303,03 km com GNV; 143,68 km com gasolina e 136,19 km com etanol. Com os preços cobrados em Petrolina, a vantagem é ainda maior:  com os mesmos R$ 100, o veículo rodará 303,03 km com GNV, contra 122,7 km com gasolina e 112,9 km com etanol.

De acordo com o presidente da Copergás, André Campos, isso só foi possível porque a companhia fechou contrato com novos fornecedores de gás natural em vez de depender apenas da Petrobrás. Atualmente, a Copergás recebe o combustível também da Shell e da New Fortress (esta atende exclusivamente as redes locais de Petrolina e de Garanhuns).

“Dessa forma, pudemos impedir o reajuste de 15,9% anunciado pela Petrobrás no final de janeiro, para o trimestre compreendido entre fevereiro e abril, mantendo o mesmo valor do trimestre anterior. Isso significa que, durante seis meses consecutivos, mantivemos  o mesmo valor do gás natural e do GNV distribuído no nosso Estado”, defendeu André. “Com isso, toda a cadeia econômica abastecida pela Copergás – das indústrias aos consumidores residenciais, do comércio aos motoristas – dispõe de uma estabilidade maior, de um reforço na competitividade”, completou.

Atualmente, a Copergás distribui o gás natural para mais de 62 mil clientes em Pernambuco, nos segmentos industrial, residencial, comercial e veicular.

Da redação do Portal com informações Companhia Pernambucana de Gás

 

Site Farol de Notícias

Moradores de Serra Talhada coletam água da chuva para tomar banho

Moradores do bairro Vila Bela, em Serra Talhada, estão há mais de uma semana sofrendo sem água nas torneiras. Nessa quarta-feira (16), dois serra-talhadenses relataram, em contato com a reportagem do Farol de Notícias, o drama da falta de água no bairro.

José Guilherme dos Santos, que mora na Rua Professora Maria Lucília da Silva, afirmou que há cinco dias não chega uma gota de água pelas torneiras, via Compesa. Sem água nem para realizar atividades básica, estão coletando água da chuva para tomar banho e lavar pratos.

“Meu irmão está sem ir para a escola, estamos tomando banho na chuva. Meu irmão lavou os pratos e depois tomou banho com a água que estava tirando o sabão dos pratos. Só temos uma caixa pequena no muro, mas mesmo assim não encheu muito. Temos também dois baldes e uma bacia. Eu falei com a Compesa e falaram que era para chegar água ontem. Não temos como comprar água, o negócio está sério”, detalhou o jovem.

A jovem Mirelly Julia, moradora do Quadra 29, Lote 2, também vive o drama da falta de água generalizada no bairro. Ela relatou que para conseguir cozinhar está comprando água. Ela paga cerca de R$ 40,00 pelo abastecimento que não acontece.

“Minha caixa já secou e não tenho condições de comprar água, a situação tá feia. Tenho filho pequeno e queria que a Compesa soltasse a água. Porque quando é no dia de manda a conta eles sabe, né. Já mais de semana sem água, a pessoa com criança de 5 meses, complicado né? Sem poder, tem que tá comprando água, porque também tenho filha pequena meu esposo trabalha todo dia tem que lavar a farda dele e está bem complicado sem água”, desabafou a dona de casa.

 

CLIPAGEM 16 DE MARÇO DE 2022. 

 

Jornal do Commercio – Coluna Blog do Jamildo

Pernambuco usa Copergás para se contrapor a aumentos de combustível da Petrobras

Aumento de combustíveis da Petrobras torna o Gas natural Veicular ainda mais vantajoso em Pernambuco. Produto distribuído pela Copergás tem mesmo preço desde novembro de 2021

De forma marota, um informe da estatal pernambucana Copergás compara os recentes aumentos nos preços dos combustíveis da Petrobras com o gás natural veicular (GNV) e ressalta que ficou ainda mais vantajoso para os consumidores pernambucanos usar a opção local.

Isto porque, distribuído no Estado pela Companhia Pernambucana de Gás – Copergás, o combustível teve seu preço mantido no último mês de fevereiro e o atual valor permanecerá o mesmo até início de maio.

"Diferentemente dos demais produtos, que têm seus preços reajustados livremente, o GNV tem datas fixas para rever sua tarifa: fevereiro, maio, agosto e novembro", afirma a estatal.

Hoje, o GNV tem preço médio de R$ 3,96, ante R$ 6,96 da gasolina e R$ 5,14 do etanol.

A diferença é maior ainda em Petrolina, onde a Copergás atua com um projeto de Rede Local. Lá, o litro da gasolina custa R$ 8,15, e o etanol, R$ 6,20.

"Tomando os valores do Recife como base, com um abastecimento de R$ 100 o veículo rodará 303,03 km com GNV; 143,68 km com gasolina e 136,19 km com etanol. Com os preços cobrados em Petrolina, a vantagem é ainda maior: com os mesmos R$ 100, o veículo rodará 303,03 km com GNV, contra 122,7 km com gasolina e 112,9 km com etanol", compara a estatal, em informe ao blog.

O presidente da Copergás, André Campos, afirma que isso só foi possível porque a companhia fechou contrato com novos fornecedores de gás natural em vez de depender apenas da Petrobrás.

Atualmente, a Copergás recebe o combustível também da Shell e da New Fortress (esta atende exclusivamente as redes locais de Petrolina e de Garanhuns).

“Dessa forma, pudemos impedir o reajuste de 15,9% anunciado pela Petrobrás no final de janeiro, para o trimestre compreendido entre fevereiro e abril, mantendo o mesmo valor do trimestre anterior. Isso significa que, durante seis meses consecutivos, mantivemos o mesmo valor do gás natural e do GNV distribuído no nosso Estado”, defendeu André.

“Com isso, toda a cadeia econômica abastecida pela Copergás – das indústrias aos consumidores residenciais, do comércio aos motoristas – dispõe de uma estabilidade maior, de um reforço na competitividade”, afirma.

Atualmente, a Copergás distribui o gás natural para mais de 62 mil clientes em Pernambuco, nos segmentos industrial, residencial, comercial e veicular.

 

Blog Carlos Britto

Moradora não esconde revolta com esgoto estourado em frente de casa, no KM-2

Viver com um esgoto escorrendo na porta de casa há mais de 20 dias tem sido a rotina de uma comuntária da Rua Humberto Teixeira, no bairro KM-2. Em contato com o Blog, ela informou que já ligou para a Compesa e computou quatro protocolos de atendimento, porém não teve a solicitação atendida até o momento.

“O esgoto não tem como escorrer. Fica o tempo todo parado na porta da minha casa, além do mau cheiro, a gente fica com medo até mesmo de doenças. Ligo para a Compesa e ele não deu sequer previsão de quando será feito o reparo. Agora estou apelando ao blog”, desabafa.

O Blog entrou em contato com a Compesa, que garantiu que iria dar retorno em breve.

 

Site Farol de Noticias

Serra-talhadense salvo pelo filho durante inundação

Por pouco Adélio Leite da Silva, 54 anos, morador da Rua José Tomé de Souza Ramos, no bairro Mutirão, em Serra Talhada, não perde a vida durante um alagamento provocado por um buraco feito pela Compesa, na frente da sua residência, e que não foi tampado. Em conversa com o Farol, Adélio afirmou que a água da chuva entrou no buraco e escoou toda para dentro da casa. Na ocasião ele estava dormindo no chão sob efeito de Diazepan.

Graças a Deus o filho chegou a tempo de salvar o pai, que tem uma deficiência na perna e toma medicação controlada. O encontrou deitado sob a lama e o colchão que dormia boiando assim como toda a casa alagada. Além de quase perder a vida, houve perdas materiais, por isso Adélio pretende processar a Compesa diante da ação que causou transtornos irreparáveis.

“Meu filho estuda no Solidônio a noite e quando chegou estava tudo alagado. Quem toma diazepan está morto, quando ele chegou me levantou, se tivesse com a cabeça para baixo eu tinha morrido. Se meu menino não tem chegado eu tinha morrido porque eu durmo no chão no colchão porque não posso dormir na cama. A água me jogou no chão e o colchão estava boiando na água. Foi uma enchente tão grande, ao invés da água descer na rua, desceu toda para dentro de casa, não sei como não desabou”, relembrou, acrescentando em lágrimas:

”Até agora não apareceram para ajeitar o buraco. Vou abrir um processo contra a Compesa por danos morais, quase ia morrendo, vou abrir um processo por perdas materiais, dois celulares e os danos na casa, porque a Compesa é uma firma irresponsável. Já era para eles terem vindo tampar o buraco, colocar o cimento para dar tempo secar. Desde cedo que meu menino foi para a Compesa, ma não vieram e se chover hoje vai ser a mesma coisa. O que eu passei não tem dinheiro nenhum que pague, eu quase morro, desde ontem que estou todo me tremendo. Quero que a Compesa cumpra com a obrigação, venham ajeitar o buraco e reparem os danos que a chuva deixou em casa”.

A reportagem ligou várias vezes para a gerência da Compesa, mas não obteve retorno.

 

Site G1

Bares em Jaboatão são flagrados furtando energia elétrica suficiente para abastecer 670 casas por 30 dias, diz Neoenergia

Segundo a concessionária, no primeiro bar, em Jardim Prazeres, foram encontradas três ligações clandestinas. No segundo bar, em Piedade, foi identificado um desvio de energia.

Dois bares foram flagrados furtando energia elétrica em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, em uma operação realizada pela Neoenergia Pernambuco junto com Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Controle Ambiental, Guarda Municipal e o Corpo de Bombeiros. A Operação Sossego ocorreu na noite do sábado e foi divulgada nesta terça-feira (15).

De acordo com a Neoenergia, no primeiro bar, o Arena Sotave, no bairro de Jardim Prazeres, foram encontradas três ligações clandestinas. No segundo bar, o Espetinho Cerveja e Cia, no bairro de Piedade, foi identificado um desvio de energia, ainda segundo a concessionária.

Juntos, os dois estabelecimentos desviaram aproximadamente 100.000 kWh, quantidade de energia suficiente para abastecer 670 residências por 30 dias, informou a Neoenergia. Os responsáveis pelos bares foram conduzidos a uma delegacia por furto de energia.

O g1 procurou a Polícia Civil para saber quais os procedimentos legais realizados com os responsáveis pelos estabelecimentos, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem. Além disso, tenta estabelecer contato com os bares citados pela Neonergia.

Durante a operação, também foi identificado que o Bar Nevada Prime, no bairro de Prazeres, estava com religação à revelia ou autorreligação, procedimento realizado diretamente na unidade consumidora, sem a solicitação na empresa, gerando leituras e consequentemente as faturas mensais irregulares. Após a fiscalização, o estabelecimento negociou o débito e a situação foi regularizada.

Por meio de nota, a Neoenergia informou que os estabelecimentos serão autuados por fraude pela distribuidora, com expectativa de recuperação da energia, e lembrou que, todas as vezes em que ocorre o furto de energia, a conta dessas pessoas é paga pelos demais clientes, segundo a norma da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Ainda no texto, a empresa afirmou, também, que as pessoas podem denunciar o desvio de energia, sem a necessidade de identificação, por meio do telefone 116.

 

Diário de Pernambuco - Economia

Aneel aprova empréstimo de R$ 10,5 bi para distribuidoras de energia

Com prejuízos acarretados pela crise energética do ano passado, as distribuidoras de energia receberão R$ 10,5 bilhões em empréstimos bancários divididos em duas parcelas. O valor foi aprovado hoje (15) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em reunião extraordinária.

Os recursos serão emprestados por um pool (conjunto) de bancos públicos e privados e têm como objetivo diluir os impactos financeiros da escassez hídrica em 2021 e reduzir a alta da energia neste ano. Em contrapartida, os consumidores pagarão o empréstimo em parcelas, por meio de um encargo na conta de luz que será cobrado a partir de 2023.

Na reunião desta terça-feira, a Aneel também aprovou a liberação da primeira parcela, de R$ 5,3 bilhões. O dinheiro será depositado na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e rateado entre as distribuidoras pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), conforme o prejuízo de cada empresa com a escassez hídrica.

O valor da primeira parcela cobrirá R$ 2,33 bilhões do adiamento de cobranças da conta de luz pelas distribuidoras e R$ 1,68 bilhão do bônus para os consumidores que economizaram energia no segundo semestre do ano passado. Também serão cobertos R$ 790 milhões de importação de energia no auge da crise hídrica, em julho e agosto de 2021; e R$ 540 milhões do saldo negativo das bandeiras tarifárias que arrecadaram menos que o necessário.

Estimada em R$ 5,2 bilhões, a segunda parte do empréstimo ainda passará por consulta pública e não tem previsão de quando será regulamentada pela Aneel. Essa parcela cobrirá o custo do leilão emergencial para contratação de energia de usinas termelétricas para fornecimento a partir de 1º de maio deste ano.

Segundo a Aneel, o prazo total do financiamento e os juros do empréstimo ainda serão definidos com os bancos que participarão da operação. O órgão prevê que o dinheiro chegue às distribuidoras na primeira quinzena de abril.

No início de fevereiro, a área técnica da Aneel tinha sugerido que o valor do empréstimo ficasse em R$ 10,8 bilhões: R$ 5,6 bilhões na primeira parcela e R$ 5,2 bilhões na segunda. A diretoria do órgão aprovou valor um pouco menor, porque as chuvas no centro-sul elevaram o nível dos reservatórios neste ano e reduziram-se os prejuízos.

Medida provisória

O empréstimo às distribuidoras foi autorizado pela Medida Provisória 1.078, publicada em dezembro. O financiamento pretende amortizar o impacto financeiro da seca no caixa das empresas do setor elétrico.

Em janeiro, decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro criou a Conta Escassez Hídrica, que será usada pela CCEE para ressarcir as distribuidoras.

Custos embutidos

Nos últimos anos, este é o terceiro empréstimo ao setor elétrico pago pelos consumidores de energia. Em 2014, os bancos emprestaram R$ 21,2 bilhões à CCEE para segurar o reajuste naquele ano e compensar o prejuízo às distribuidoras. Por meio da Conta-ACR, embutida na conta de luz, os consumidores pagaram R$ 34 bilhões, dos quais R$ 12,8 bilhões representaram juros.

Em 2020, cerca de 60 distribuidoras aderiram a um financiamento de R$ 14,8 bilhões para compensar os prejuízos provocados pela pandemia de Covid-19. O empréstimo está sendo cobrado dos consumidores por meio da Conta Covid até dezembro de 2025, com juros de 3,79% ao ano mais Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

 

Site Bem Notícias

Aneel abre consulta pública para atualizar regras sobre compartilhamento de infraestrutura

Está aberta a consulta pública da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que tem como objetivo a atualização sobre os regramentos para o compartilhamento de infraestrutura entre os setores de distribuição de energia elétrica e de telecomunicações. As contribuições podem ser enviadas até o dia 18 de abril pelo site da Aneel.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) reforça a importância da participação dos gestores, visto que, o objetivo da é disciplinar um novo regulamento para o uso compartilhado de postes entre os setores de energia elétrica e telecomunicações.

O compartilhamento de infraestrutura entre setores traz uma série de benefícios para a sociedade, uma vez que reduz custos para a expansão e universalização dos serviços e acelera sua implantação. Isso porque, a prestação dos serviços de telecomunicações, via de regra, depende da implantação de infraestrutura de suporte com o compartilhamento de postes com o setor de energia elétrica com a finalidade de reduzir os custos de implantação da rede de suporte aos serviços de telecomunicações.

A CNM destaca que um dos pontos de destaque da consulta pública, refere-se às dimensões relacionadas à regularização do passivo de postes com ocupação irregular, às regras gerais de compartilhamento, inclusive quanto à disseminação de informações, e aos preços pela utilização dos pontos de fixação em postes. Além disso, esclarece que o poder público tem competência para disciplinar as regras paisagísticas de matéria urbanística na temática, ao passo que a União disciplina os aspectos de compartilhamento das infraestruturas.  

Fonte: AMM

 

CLIPAGEM 14 DE MARÇO DE 2022. 

Folha de Pernambuco – Radio Folha

Moradores de Jaboatão dos Guararapes se queixam de esgoto estourado

De acordo com moradora o esgoto escorre a céu aberto provocando um mau cheiro insuportável

Moradores do bairro da Vila Rica, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, não suportam mais tanto fedor na rua Barra de Guabiraba. O mau cheiro, segundo o relato da morador Jailma Maria, é provocado por um esgoto estourado que escorre pela rua.

Ela conta que, além do odor forte, a água suja está causando doenças e atraindo ratos e insetos, como mosquitos e baratas no local.

A moradora nos mandou este vídeo, apresentando o drama enfrentado por quem vive na rua Barra de Guabiraba.

Em nota, a Compesa informou que não opera o sistema de esgotamento sanitário na área, mas adianta que o local está no planejamento das ações do Programa Cidade Saneada. Esse programa prevê investimentos para a ampliação dos sistemas de esgoto existentes e implantação de novos nas localidades que não são contempladas ainda com a rede pública de coleta e tratamento de esgoto.

Se você tem algum problema na sua comunidade ou quer apenas relatar boas práticas do seu bairro, mande um vídeo feito com o celular na posição horizontal para o nosso WhatsApp: 9.9146-9735 ou para o nosso email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Blog Carlos Britto

Manutenção da Compesa interromperá abastecimento em várias comunidades de Petrolina

 A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) programou para a próxima segunda-feira (14), a partir das 20h30, uma manutenção elétrica na Estação Elevatória de Água Tratada (ETA) de Petrolina. Durante a intervenção, o abastecimento será suspenso temporariamente em alguns bairros e localidades da cidade.

Os trabalhos têm previsão de conclusão no início da madrugada da terça-feira (15), quando o sistema será reativado e o abastecimento restabelecido gradativamente. Em caso de dúvidas, a população pode entrar em contato com a Compesa através do telefone 0800 081 0195.

A lista de comunidades que terão o abastecimento interrompido é a seguinte: Loteamento Recife, Vila Marcela, Vila Eulália, José e Maria, Mandacaru, Terras do Sul, Santa Luzia, São Jorge,  Vila Débora, Loteamento Padre Cícero, Dom Avelar, São Joaquim, Residencial Monsenhor Bernardino, Loteamento Santa Bárbara, Vivendas I e II, Buona Vita, Areia Branca, Dom Malan, Caminho do Sol, Maria Auxiliadora, Pedra Linda, Vale Dourado, Vila Esperança, Condomínio Mais Viver, Mais Viver Vinhedos, Centro, Jardim Amazonas, Alto do Cocar, Pedro Raimundo, Quati, Jardim São Paulo, Vila Eduardo, Vila dos Ingás, Loteamento Nossa Senhora Rainha dos Anjos, Vitivinícola, Alto Cheiroso, São José, Henrique Leite, Novo Horizonte, Jatobá, Carneiros, Cidade Universitária, Condomínio Água Viva, Condomínio Portal das Águas, Vila das Imbiras, Vila Mocó, Gercino Coelho, Atrás da Banca, Palhinhas, Parque Massangano, KM-2, Loteamento Arco-íris, Jardim Maravilha, Ouro Preto, Alto Grande, Antônio Cassimiro, Vale do Grande Rio, Cohab IV, Cohab V e Distrito Industrial.

 

Blog Carlos Britto

Compesa quebra pavimentação em rua do José e Maria e deixa moradores na bronca

Um serviço realizado pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) no Bairro José e Maria, Zona Norte de Petrolina, está rendendo barulho. O problema está localizado na Avenida Nordeste, por trás do Posto Carranca, saída para o Recife (PE).

De acordo com o comunitário Gleydson Gomes da Silva, uma equipe da Compesa abriu a pavimentação de um canto a outro da avenida para implantar a tubulação que levará água potável a duas residências na rua, mas ainda não repôs o pavimento quebrado. O pior é outro serviço desse tipo havia sido feito no trecho inicial da rua e até hoje não foi concluído.

“No começo da Avenida Nordeste, próximo à BR que dá acesso ao Centro de Petrolina, tem um serviço da Compesa há mais de dois anos sem concluir. E agora, mais essa. A rua que liga quem vem da BR para dentro do José e Maria, Santa Luzia e São Jorge, está uma bagaceira”, desabafa Gleydson. A reportagem já procurou a assessoria da Compesa sobre o assunto.

 

Blog Carlos Britto

Compesa afirma que não opera saneamento do Loteamento Padre José de Castro.

Após reclamações dos moradores do Loteamento Padre José de Castro e Vila Nova II sobre a falta de saneamento e as deficiências na estrutura das comunidades, a Compesa entrou em contato com o Blog e afirmou que não opera a rede de saneamento do local.

“A Compesa esclarece que ainda não opera rede de esgotamento sanitário no bairro Loteamento Padre José Castro e Vila Nova II, não sendo, portanto, responsável por realizar manutenções no local“, destacou a Companhia, por meio de nota enviada pela assessoria de comunicação.

 

Blog Didi Galvão

Cansados do descaso da Compesa, moradores do bairro Vila Eduardo recorrem à Prefeitura de Petrolina

Atendendo aos pedidos da população do bairro Vila Eduardo, nesta sexta-feira (11), a Prefeitura de Petrolina colocou as equipes em campo para realizar, mais uma vez, um serviço que era de obrigação da Compesa. Segundo relatos dos moradores, nos últimos dias, após conclusão de um serviço de manutenção da rede água entre a Avenida da Integração com as ruas adjacentes, a empresa deixou na região muito entulho, restou material e excesso de lama, tudo ficou espalhado pelas calçadas, meio fio e até mesmo na rua.

Diante de tanta sujeira, a população acionou a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) pedindo a remoção do material. A ação contou com uma retroescavadeira e uma caçamba. O serviço foi concluído ao longo da manhã, devolvendo aos moradores a livre circulação pelas calçadas e ruas.

A partir de agora, a expectativa da gestão municipal está voltada para a recuperação do trecho que corresponde a ciclovia da Avenida da Integração, também danificado durante esse serviço realizado no último mês pela Compesa. Até o momento, não houve a devida recuperação do pavimento asfáltico. O fato se assemelha a diversas outras intervenções feitas pela empresa em diversos bairros da cidade. Caso o serviço não seja realizado espontaneamente pela Compesa, a empresa será notificada pelos órgãos competentes.

 

 

CLIPAGEM 09 DE MARÇO DE 2022. 

Folha de Pernambuco - Economia

Contas de luz podem ser pagas com material reciclável em Pernambuco; coleta acontece nesta semana

Programa da Neoenergia estimula reciclagem, convertendo doações de material reciclável em descontos na fatura

Em Pernambuco, materiais recicláveis podem ser utilizados no pagamento da conta de energia, por meio do Projeto Vale Luz, da Neoenergia Pernambuco. O projeto promove a reciclagem de materiais, aliando a descontos na fatura de energia elétrica. Nesta semana, caminhões e tendas da Neoenergia estarão em mais de dez comunidades da Região Metropolitana do Recife [confira a lista abaixo], para realizar o recolhimento dos resíduos e garantir o desconto para os clientes. 

O projeto Vale Luz é parte do Programa de Eficiência Energética da Neoenergia Pernambuco, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Por meio desta iniciativa, várias famílias têm conseguido até mesmo zerar a fatura de energia. Neste mês de março, por exemplo, um dos itens que mais tem sido entregue nos pontos de arrecadação é a latinha de alumínio. Isso porque o produto está em alta no mercado de reciclagem, pagando até R$ 1 por 10 unidades.

Para participar do Programa Vale Luz, o cliente deve estar em dia com a Neoenergia. Em seguida, precisa apenas se apresentar no ponto de troca itinerante, com a conta contrato e um documento com foto. 

Os materiais aceitos são: metal (latinhas de alumínio e ferro), papel, papelão, plásticos (garrafas PET, embalagens de produtos de limpeza e higiene), óleos vegetais (óleo de coco, cozinha, soja, canola, girassol, milho), vidros e eletrônicos (exceto geladeiras, refrigeradores e condicionadores de ar). Para a troca, os materiais deve estar limpos e secos. Em caso de papeis, devem estar já empilhados, para facilitar o processo de pesagem. 

O projeto também atende Condomínios, por meio do Vale Luz Condomínio, que faz a coleta de resíduos diretamente nas unidades localizadas na RMR, concedendo descontos na fatura de energia do condomínio cadastrado. 

Para se inscrever, basta baixar a ficha de cadastro no site da Neoenergia e enviar via e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., com o assunto Vale Luz Neoenergia, ou ligar para o telefone (81) 3035-8965.

Confira os pontos de coleta desta semana

Quarta-feira (9)

Ouro Preto (9h às 14h) - Rua Dracena, 24, próximo a Igreja Presbiteriana Ressureição

Bola na Rede (9h30 às 14h30) - Av. Padre Mosca de Carvalho, S/N, ao lado do mercadinho Preço Mínimo. 

Bomba do Hemetério (9h30 às 11h30) - Rua Bomba do Hemetério, S/N, próximo a Escola Mardonio

Loja Neoenergia Madalena (7h30 às 15h30) - Rua Carlos Gomes, 50

Posto Arrecife (7h às 19h) - Av. Pres. Dutra, 451, Ibura, próximo ao Sal e Brasa

Hiper Cordeiro Limoeiro (8h às 17h) - PE-50, Juá

Quinta-feira (10)

Curado IV (9h às 14h) - Avenida Um, próximo ao terminal de ônibus 

Loja Neoenergia Camaragibe (9h30 às 14h30) - Av. Dr. Belmino Correia, 747

Loja Neoenergia Madalena (7h30 às 15h30) - Rua Carlos Gomes, 50

Posto Arrecife (7h às 19h) - Av. Pres. Dutra, 451, Ibura, próximo ao Sal e Brasa

Hiper Cordeiro Limoeiro (8h às 17h) - PE-50, Juá, Limoeiro

Aritana (10h às 12h) - Rua Sargento Silvino de Macedo, Imbiribeira

Sexta-feira (11)

Beira do Rio (9h às 14h) - Rua Manoel de Morais, 116, em frente a Associação de Moradores

Prazeres (9h30 às 14h30) - Rua Fernando Vieira Pinto, 318, próximo ao residencial Aritana

Loja Neoenergia Madalena (7h30 às 15h30) - Rua Carlos Gomes, 50

Posto Arrecife (7h às 19h) - Av. Pres. Dutra, 451, Ibura, próximo ao Sal e Brasa

Hiper Cordeiro Limoeiro (8h às 17h) - PE-50, Juá, Limoeiro

Sábado (12)

Assaí Imbiribeira (9h às 14h) - Av. Mal. Mascarenhas de Morais, 2056, Imbiribeira

Verd Frut - Boa Viagem (9h30 às 14h30) - Rua Ernesto de Paula Santos, 835+

Posto Arrecife (7h às 19h) - Av. Pres. Dutra, 451, Ibura, próximo ao Sal e Brasa

Hiper Cordeiro Limoeiro (8h às 12h) - PE-50, Juá, Limoeiro

 

Folha de Pernambuco - Economia

Neoenergia troca 108 mil lâmpadas por LED em mais de 400 prédios públicos em Pernambuco

Medida representou economia de 3,23 GWh por ano, suficiente para abastecer mais de 85 mil consumidores por 30 dias

Balanço divulgado pela Neoenergia Pernambuco indica que, em 2021, foram substituídas 108 mil lâmpadas ineficientes por LED em 403 prédios públicos e organizações não governamentais. 

Segundo a concessionária, a iniciativa representou uma economia de 3,23 GWh por ano, suficiente para abastecer mais de 85 mil consumidores por 30 dias. A tecnologia LED consome até 40% menos do que as tradicionais

O trabalho da Neoenergia foi realizado em escolas, unidades de saúde, unidades militares, sedes administrativas e vários outros espalhados por 16 municípios do Estado.

Entre os prédios beneficiados com a ação, estão Hospital Maria Lucinda, Instituto do Fígado de Pernambuco, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) Recife e Movimento Pró Criança, além de dezenas de escolas federais, estaduais e municipais, unidades básicas de saúde e ONGs.

A iniciativa faz parte do Programa de Eficiência Energética da Neoenergia Pernambuco, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e teve investimento de R$ 3,7 milhões.

“O uso de lâmpadas LED traz uma série de benefícios, além de gerar economia de energia”, lembra a gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Mascarenhas.

“Elas possuem maior vida útil, com duração de aproximadamente 25 mil horas, enquanto as lâmpadas fluorescentes duram 15 mil horas, além de não possuírem elementos tóxicos na sua composição”, explica.

 

Site Neoenergia

NEOENERGIA DESTACA PROMOÇÃO DA IGUALDADE DE GÊNERO

No Dia da Mulher, companhia reforça importância de oferecer oportunidades às colaboradoras para ter um ambiente sustentável e inovador 

A Neoenergia vê nos talentos a força da sustentabilidade dos seus negócios e, por isso, vem realizando um movimento interno para tornar a cultura da empresa ainda mais inclusiva. Focando em promover a diversidade e a igualdade de gênero, a companhia tem estruturado ações internas como, por exemplo, a realização de processos seletivos mais inclusivos, a equidade de salários e a formação de lideranças para gestão da diversidade. As iniciativas estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, com os quais o grupo tem compromisso. 

“Para prover a sustentabilidade na gestão é importante investir em um ambiente diversificado, inclusivo e isso, consequentemente, pode torná-lo mais inovador. Não existe crescimento sem que as empresas olhem para as pessoas de maneira estratégica, considerando-as importantes stakeholders para seus negócios. É preciso que tudo esteja equilibrado, visando o mesmo objetivo”, afirma o CEO da Neoenergia, Mario Ruiz-Tagle. 

Os pilares de diversidade e inclusão são reforçados continuamente e integram o Junt+s, Programa de Diversidade da Neoenergia. A iniciativa busca a promoção de um ambiente de trabalho de empoderamento, respeito às diferenças e combate ao preconceito.  Outra estratégia é a Política de Igualdade de Oportunidades e Conciliação, que não admite qualquer tipo de discriminação por raça, cor, idade, sexo, estado civil, ideologia, opiniões políticas, nacionalidade, religião, orientação sexual ou qualquer outra condição pessoal, física ou social entre seus profissionais. 

A empresa realiza ainda a capacitação gratuita de moradores das suas áreas de concessão, por meio da Escola de Eletricistas. A iniciativa faz parte do Programa de Internalização da companhia, que, na contramão da crise provocada pela pandemia de covid-19, ampliou em 60% as oportunidades de trabalho voltadas a alunos do projeto. As mulheres são público-alvo tanto nas formações quanto nas contratações, com o objetivo de promover a inserção feminina em uma profissão ocupada predominantemente por homens. 

A companhia foi pioneira ao abrir, em 2019, turmas exclusivas para mulheres na Neoenergia Coelba (BA) e na Neoenergia Pernambuco​ (PE), ação reconhecida como exemplo global de um dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, na sigla em inglês) pelo WeEmpower, programa da ONU Mulheres junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à União Europeia para estimular boas práticas das empresas. 

Além das iniciativas já implementadas na empresa, será realizada durante o mês de março, em alusão ao Dia da Mulher, uma campanha para fortalecer o posicionamento da Neoenergia na luta pela equidade de gênero. Entre as atividades, estão previstas palestras sobre empoderamento feminino e desenvolvimento de mulheres para liderança, além de uma roda de conversa sobre síndrome da impostora. Para sensibilizar diretamente os homens, eles serão o público-alvo de uma palestra sobre mansplaining (quando um homem tenta explicar algo óbvio a uma mulher) e manterrupting (quando homens interrompem as mulheres desnecessariamente). 

Apoio às áreas de atuação 

Com o intuito de fomentar a igualdade de gênero nas suas áreas de atuação, a Neoenergia vem realizando também ações externas. A companhia é a primeira empresa no país a apoiar exclusivamente a Seleção Brasileira de Futebol Feminino e a competição nacional de clubes, que desde 2021 passou a se chamar Brasileirão Feminino Neoenergia​. O apoio tem como premissa ampliar a participação da mulher no contexto social e profissional, enxergando o esporte como agente de mudança social, que promove princípios como vida saudável, respeito, exemplo e disciplina. 

A companhia atua ainda para incentivar empreendedoras locais em seus negócios. Um exemplo é o apoio à Associação Comunitária das Louceiras Negras da Serra do Talhado, entidade formada por mulheres da Comunidade Quilombola da Serra do Talhado Urbana, em Santa Luzia (PB), cidade onde estão localizados importantes projetos de geração renovável e transmissão da companhia, o Complexo Eólico Chafariz, as usinas solares Luzia e a linha de transmissão Santa Luzia. As artesãs produzem peças de barro, como panelas e vasos e foram beneficiadas com materiais de divulgação para dar maior visibilidade ao trabalho e curso de empreendedorismo. 

Por meio do Instituto Neoenergia, foram lançados em 2021 dois projetos para valorizar iniciativas de liderança feminina: o Impactô Mulheres e o Prêmio Inspirar. O Impactô é um projeto de aceleração social realizado em parceria com o Instituto Ekloos, que teve pela primeira vez uma edição voltada exclusivamente a ONGs e negócios sociais que tivessem mulheres como principais gestoras, fundadoras ou cofundadoras. O Prêmio Inspirar foi criado para reconhecer mulheres que promovem transformação social por meio da arte e da cultura em comunidades periféricas. ​

 

 

CLIPAGEM 28 DE FEVEREIRO DE 2022. 

Site G1

Justiça manda Compesa indenizar cliente por causa de vazamento de esgoto em rua

Segundo decisão da 3ª Câmara Cível do TJPE, consumidora deve receber R$ 2 mil por danos morais. Empresa ainda pode recorrer.

A Justiça condenou a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) a indenizar uma cliente por causa de vazamento de esgoto na rua onde ela mora, em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco. Segundo a decisão da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a empresa deverá pagar R$ 2 mil por danos morais.

Por meio de nota, o TJPE informou que o acordão foi publicado na quarta (23), no Diário da Justiça Eletrônica (DJe).

Na decisão, o colegiado acatou uma apelação da consumidora e reconheceu a responsabilidade civil objetiva da empresa pela falha na prestação do serviço de saneamento e a obrigação de indenizar. A empresa ainda pode recorrer.

O relator da apelação é o desembargador Bartolomeu Bueno. Na decisão, o magistrado apontou que o “conserto de vazamento de esgoto é um dever legal e contratual da empresa”.

Segundo o tribunal, foi notificado nos autos o vazamento em boca de lobo, o que provocou o despejo de esgoto na frente da casa da cliente, que ficou prejudicada com o surgimento de pragas e mau cheiro.

“A questão não se confunde com a interrupção ou ausência do serviço de fornecimento de água ou de saneamento básico, tratando-se de falha em serviço já existente. O conserto do vazamento não decorre de discricionariedade (estando, pois, fora do mérito administrativo), mas de dever legal e contratual”, afirmou o texto do magistrado.

Ainda segundo o acórdão, “o descumprimento impõe ao consumidor inegável risco à saúde e o atinge também em sua dignidade, não se podendo admitir que a concessionária teria autonomia ilimitada para avaliar se é conveniente ou oportuno reparar boca de lobo que espirra imundícies em rua residencial, obrigando passantes e sobretudo os moradores a conviver por meses com miasmas, pragas e risco de doenças, ainda mais em razão de problema ao qual sequer deram causa".

Como fundamento legal e jurídico, o relator citou o Código Civil, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) e ainda um caso anterior julgado pelo TJPE, em 2021.

"A autora trouxe aos autos inúmeras imagens dando conta do vazamento ao longo da rua, tendo a própria Compesa acostado ordem de serviço onde atesta e supostamente corrige as falhas apontadas. No entanto, foi demonstrado que o problema não fora resolvido, mesmo depois da tentativa de conserto pela empresa, determinada por ordem judicial”, acrescentou.

Por fim , o desembargador afirmou que houve “vidente a falha no serviço, aplicando-se a orientação do Código Civil, sendo caso de responsabilidade objetiva onde resta configurado o nexo de causalidade entre a conduta e o dano, sendo inegável a obrigação da concessionária de consertar a falha e indenizar a autora”.

O g1 entrou em contato com a Compesa para solicitar um posicionamento sobre a decisão do TJPE, mas não recebeu a resposta até a última atualização desta reportagem.

Blog Didi Galvão

Compesa Belém: Clientes vão ficar até a próxima terça-feira (01/03) sem água nas torneiras

Moradores dos bairros do Novo Horizonte, Bom Jesus e do Centro da cidade de Belém do São Francisco, estão revoltados com o que classificam de decisão perversa da Compesa. Alguns desses moradores tiveram o fornecimento de água interrompido por atraso de pagamento da conta, os mesmos efetuaram tais pagamentos na ultima quinta-feira (24) e esperavam o restabelecimento da oferta da água imediatamente.

O que causa certa estranheza e por que não dizer perplexidade nesses clientes da empresa pernambucana, é o fato de que o retorno do fornecimento de água para esses clientes só vai ser possível a partir da terça-feira (01/03). Um de nossos leitores da cidade de Belém do São Francisco afirmou que entrou em contato com o escritório local, sendo informado que a empresa depende de pessoal de Cabrobó e por essa razão vai ter que esperar.

Tentamos entrar em contato com a direção regional da Compesa, até o fechamento dessa matéria não tivemos êxito no contato. Aguardamos o posicionamento oficial da Empresa Pernambucana de Saneamento, que sempre manteve uma linha de informações aos seus clientes por meio deste Blog. Tão logo o problema seja resolvido levaremos as informações aos nossos leitores, esperamos que seja o mais rápido possível.

 

Site Neoenergia

DISTRIBUIDORAS DA NEOENERGIA REFORÇAM QUALIDADE NO FORNECIMENTO

Quatro empresas do grupo aprimoram indicador DEC e se mantém dentro dos patamares regulatórios no quarto trimestre de 2021

A Neoenergia investe em digitalização, modernização e expansão de redes com foco no aprimoramento constante da qualidade dos serviços para os seus 15,7 milhões de clientes. Essa estratégia se reflete nos indicadores das distribuidoras da companhia. No quarto trimestre de 2021, Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Pernambuco (PE), Neoenergia Cosern (RN) e Neoenergia Elektro​ (SP/MS) mantiveram resultados melhores do que os patamares estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor) e FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor).

Ao longo do ano, foi realizado uma estratégia para seguir melhorando cada dia mais a qualidade do fornecimento aos clientes da empresa, apostando em uma estratégia que une tecnologia, expansão e melhorias. O resultado demonstra o compromisso com os clientes e o desenvolvimento do país.

A Neoenergia Coelba apresentou DEC de 11,47 no quarto trimestre do ano, melhor do que o previsto pela Aneel, que era de 13,68, e do que o registrado no mesmo período de 2020, 12,43. Na Neoenergia Pernambuco, o índice também ficou enquadrado no limite do órgão regulador: ficou em 12,03, abaixo dos 13,00 do 4T20 e do máximo estabelecido, que era de 13,27.

O indicador da Neoenergia Cosern foi de 6,78 no trimestre, enquanto o maior patamar regulatório era de 11,35. O DEC da distribuidora do Rio Grande do Norte também está melhor do que o do último trimestre de 2020, quando o valor registrado foi 9,20. A Neoenergia Elektro apresentou indicador de 7,38, menor do que os 7,57 do 4T20 e do que o limite da Aneel, que era 8,15.

Com o início da gestão do grupo na Neoenergia Brasília (DF), em março do ano passado, a distribuidora tem apresentado indicadores consistentes em direção ao limite regulatório. Em dez meses, a Neoenergia instalou na área de concessão 271 religadores automáticos, o que representa um aumento de mais de 90% do parque de equipamentos deste tipo existentes na empresa. Além disso, foram implantados 43 esquemas de self healing (auto recomposição, na tradução do inglês), uma tecnologia para restabelecer o fornecimento de forma automatizada se houver falhas.

Com o self healing, o trecho da rede onde houver problemas – como galhos de árvores que atingem os cabos, por exemplo – é isolado e os serviços podem ser retomados para o maior número possível de clientes em até 60 segundos. Ao todo, a Neoenergia possui cerca de 4.700 equipamentos religadores nas cinco distribuidoras, dos quais 40% contam com o self healing, instalados em 244 municípios em cinco estados e no Distrito Federal.

Além disso, a Neoenergia apresenta investimentos robustos em melhorias e expansão da infraestrutura, o que permite o reforço na segurança e na confiabilidade do fornecimento nas áreas de concessão. As cinco distribuidoras investiram R$ 3,9 bilhões em 2021, sendo R$ 2,6 bilhões para expansão de redes, valor que inclui a construção de novas subestações e redes de distribuição. Considerando o quarto trimestre, os investimentos das empresas chegaram a 1,1 bilhão, um crescimento de 35% em relação ao mesmo período de 2020.

As distribuidoras realizam, ainda, um plano anual preventivo de manutenção, que leva em conta critérios técnicos da rede, incluindo postes, transformadores, condutores e demais componentes. Nessas atividades, o grupo também usa tecnologia. Na inspeção das redes, por exemplo, são utilizadas câmeras de termovisão instaladas veículos e drones para verificar a temperatura dos cabos, conexões e transformadores da rede elétrica, identificando pontos de alteração que podem requerer intervenção ou monitoramento.

 

Blog Didi Galvão

Petrolina tem cerca de 40 mil clientes cadastrados na tarifa social de energia elétrica

Neoenergia oferece até 65% de desconto para clientes de baixa renda que atenderem aos critérios da TSEE.

No último ano, a Neoenergia Pernambuco inseriu aproximadamente 100 mil famílias pernambucanas na Tarifa Social de Energia Elétrica. Só em Petrolina, já são cerca de 40 mil inscritos. A Tarifa Social concede desconto de até 65% na conta de luz aos clientes classificados com baixa renda. Com uma estratégia inovadora, a companhia passou a realizar o cadastro de forma proativa no início da pandemia, no primeiro trimestre de 2020, por meio da consulta ao Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Atualmente, a distribuidora contabiliza mais de 1 milhão de famílias cadastradas no programa.

“A inserção automática, realizada pela Neoenergia cruza as informações dos contratos com os dados do CadÚnico, disponibilizados periodicamente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em aproximadamente um ano, conseguimos aumentar a nossa base de clientes cadastrados na Tarifa Social em cerca de 7%. Se formos levar em consideração todo o período da pandemia, o aumento foi de 22%”, comenta o superintendente de processos comerciais da Neoenergia, Leonardo Moura.

Além do cadastro proativo, as solicitações de inscrição na Tarifa Social podem ser feitas pelos próprios clientes, em plataformas como o site da Neoenergia Pernambuco e o WhatsApp. A possibilidade de pedir a inclusão no benefício através do aplicativo de mensagens foi oferecida para facilitar o contato com esses clientes e acelerar a concessão do desconto na conta de energia.

Caso o CPF que aparece na conta de energia não for o mesmo que o do representante da família no cadastro do Governo Federal, é necessário solicitar a inclusão na Tarifa Social para ter acesso ao programa, o que pode ser feito pelos canais digitais da Celpe.

O QUE É TARIFA SOCIAL DE ENERGIA ELÉTRICA?

Benefício criado pelo Governo Federal para as residências de famílias com baixa renda. Consiste na redução da tarifa de consumo de energia elétrica em até 65% e para indígenas e quilombolas em até 100%. O benefício é regulamentado pela Lei 12.212, de 20 de janeiro de 2010.

QUEM TEM O DIREITO À TARIFA SOCIAL DE ENERGIA?

Toda Unidade Consumidora Residencial com família inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. É necessário possuir o Número de Identificação Social – NIS, e ter renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo nacional, independentemente de possuir ou não o benefício do Bolsa Família.

QUAL A DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA O CADASTRO DA TARIFA SOCIAL?

As informações sobre documentação para Cadastro de Tarifa Social estão disponíveis no site www.neoenergiapernambuco.com.br.

CADASTRO PELO WHATSAPP

Clientes que não foram inscritos ainda na Tarifa Social têm a facilidade de solicitar a inscrição pelo WhatsApp da concessionária: (81) 3217-6990. Para isso, basta informar o número da conta contrato e o NIS. Se o beneficiário não for o titular da conta contrato, deverão ser enviadas também pelo aplicativo fotos do CPF e do RG do portador do NIS. Os dados serão confirmados no banco de dados do Governo Federal e, depois, o prazo para o credenciamento no programa é de cinco dias úteis, com o início do benefício na fatura seguinte.

SOBRE A NEOENERGIA PERNAMBUCO – A Neoenergia Pernambuco distribui energia elétrica para os 184 municípios de Pernambuco e para a cidade de Pedras de Fogo, na Paraíba. Também é responsável pela geração e distribuição de energia elétrica no Arquipélago de Fernando de Noronha. Sua área de concessão é de 98,5 mil quilômetros quadrados. A empresa tem 3,8 milhões de clientes (9,4 milhões de habitantes).

 

Blog Didi Galvão

Compesa Cabrobó – Quem reclama agora são os moradores da Rua Eurípedes Gomes

Moradores da Rua Eurípedes Gomes, nas imediações da Praça do Cemitério antigo, pedem que a direção da Compesa em Cabrobó esteja atenta para um grave problema. Um deles relatou que já faz 15 dias que a oferta da água é muito fraca, com isso não sobe para a caixa e aí eles não têm como armazenar como prevenção.

O morador enviou ao Blog nota manifestando indignação e cobrando providências, onde fala do problema relatando sobre o que vive no dia a dia por conta da falta de água.

“Bom dia, Didi meu amigo coloque uma nota aí pra ver se a Compesa toma providência, já está com mais de 15 dias que chega fraca a água e não sobe pra caixa, ficando apenas nas torneiras baixa. Na Rua Eurípides Gomes de Carvalho, próximo a praça do Cemitério é um descaso, os moradores já reclamaram e até agora nada de água com pressão. Morar do lado do Rio, pagar conta todo mês e não ter água com pressão suficiente nem pra subir pras caixas d’água é um grande transtorno e ficar tomando banho de balde adultos e crianças”, disse o morador.

 

CLIPAGEM 25 DE FEVEREIRO DE 2022. 

 

Folha de Pernambuco - Rádio Folha

Compesa prossegue com recadastramento de moradores em diversos bairros de Olinda

A previsão é de que os trabalhos sejam finalizados até o dia 22 de março

Equipes de recadastradores da Compesa estão realizando visitas a quase 5 mil residências nos bairros de Águas Compridas, Aguazinha, Alto Nova Olinda, Caixa D´água, Jardim Brasil I e II, Peixinhos, São Benedito e Sapucaia. O objetivo é atualizar os dados no sistema da Companhia, permitindo aperfeiçoar o relacionamento com os clientes, possuir informações mais fidedignas nas áreas de cadastro e, por fim, agilizar os procedimentos em eventuais negociações de débitos sem que o cliente precise se deslocar até a uma loja de atendimento. A previsão é de que os trabalhos sejam finalizados até o dia 22 de março.

As visitas serão realizadas das 8h às 17h, aos sábados, e das 8h às 18h, de terça a sexta. Os agentes estão portando crachá de identificação, além de todo o material de EPI necessário para assegurar a proteção tanto do cliente quanto dos colaboradores. As dúvidas poderão ser esclarecidas pelo telefone 0800 0810195.

Durante as visitas não será solicitada nenhuma informação financeira sendo preciso apenas apresentar os documentos de CPF, RG e o comprovante de titularidade ou de responsabilidade do imóvel.

 

Blog Didi Galvão

Alô Compesa! Desperdiçando água enquanto cabroboenses passam sede!

Uma internauta do Blog do Didi Galvão que passava pelas imediações da caixa d’água da Compesa no Centro de Cabrobó, gravou imagens do desperdício de água, pois a quantidade de água que é desperdiçada após a caixa encher é absurda.

“É revoltante e um verdadeiro descaso o que está acontecendo. Muitos moradores de Cabrobó estão sem água, e enquanto isso contemplamos esse absurdo de desperdício por parte da Compesa.” – disse nossa leitora.

A internauta completa dizendo que além de revoltante esse desperdício, a água em casa é um direito. “Estou aqui apenas reivindicando aquilo que por lei tenho direito.”

 

Blog Carlos Britto

Moradores do Jardim Petrópolis reclamam de serviço inacabado da Compesa

Uma situação caótica tem deixado os comunitários da Rua 15 do Bairro Jardim Petrópolis, na Zona Oeste de Petrolina, indignados. Um morador encaminhou um vídeo ao Blog, reclamando das condições da via, que segundo ele está “intransitável” após o início do serviço de encanamento feito pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

De acordo com ele, a Compesa iniciou o encanamento de água no local, porém deixou a rua num estado “lastimável”, com muita água empoçada e diversos buracos. “A Compesa iniciou a obra, começou a colocar os canos para que a água potável chegue até a comunidade, porém deixou essa situação. Completamente intransitável, não passa nem caminhão de lixo, nem ambulância ou carro de polícia”, reclamou.

O Blog encaminhou a demanda para a Compesa, que ficou de analisar o caso para enviar uma resposta em breve.

 

Blog Didi Galvão

Compesa emite comunicado sobre extravasamento na caixa d’água no Centro de Cabrobó

A assessoria de comunicação da Compesa por meio de nota enviada ao Blog do Didi Galvão, esclarece que houve uma falha operacional na manhã desta quinta-feira (24), em Cabrobó, que ocasionou o extravasamento do reservatório, mas foi um evento pontual e rapidamente corrigido. A Companhia informa, ainda, que a intercorrência não afetou o abastecimento no município.

 

Site Neoenergia

NEOENERGIA RECUPERA ENERGIA SUFICIENTE PARA ABASTECER 4,2 MILHÕES DE PESSOAS EM 2021

Energia recuperada em ações realizadas pela companhia somou 782,5 milhões de kWh, que seria capaz de suprir população maior do que a de estados como a Paraíba

As distribuidoras da Neoenergia recuperaram 782,5 milhões de kWh de energia em ações realizadas ao longo de 2021, como inspeções, substituição de medidores e outros equipamentos e regularização de clientes, além do uso de tecnologia para prevenir fraudes. A energia recuperada seria suficiente para abastecer aproximadamente 4,2 milhões de habitantes, mais do que a população de estados como a Paraíba.

As estratégias de prevenção e combate a desvios de energia são executadas nas cinco concessionárias da companhia – Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Pernambuco (PE), Neoenergia Cosern (RN), Neoenergia Elektro (SP e MS) e Neoenergia Brasília (DF) . “O nosso objetivo é dar mais segurança e qualidade no fornecimento para todos os nossos consumidores. Utilizamos recursos de automação e data analytics, que nos permitem monitorar e atuar nas nossas áreas de concessão com agilidade, inibindo fraudes que poderiam causar riscos para a população", afirma Marcelo Fernandez Diretor Serviços ao Cliente da Neoenergia.

Em 2021, as distribuidoras do Nordeste e a Neoenergia Elektro realizaram 551 mil inspeções, recuperando mais de 404 milhões de kWh. A energia recuperada apenas nessas ações seria suficiente para abastecer uma população maior do que a de uma cidade como Recife (PE). A regularização de 76 mil clientes clandestinos resultou em mais de 159 milhões de kWh recuperados. Além disso, foram substituídos 553 mil medidores obsoletos ou com possível defeito por modelos mais novos.

As empresas realizaram, ainda, o levantamento e a fiscalização da iluminação pública em mais de 1 milhão de pontos do parque, totalizando uma energia recuperada de 121 milhões de kWh. Um dos recursos utilizados pelas distribuidoras da Neoenergia para isso é a análise de dados, de forma automatizada, a partir de imagens de satélite, que são comparadas com as informações de cadastro. Os sistemas conseguem verificar se o número de postes e a localização deles equivale aos dados que estão catalogados.

A companhia assumiu a gestão da Neoenergia Brasília em março do ano passado e, desde então, a distribuidora já obteve quatro vezes mais energia recuperada do que no mesmo período de 2020. Foram realizadas mais de 46 mil inspeções, com recuperação de 90,1 milhões de kWh, e a concessionária regularizou 23 mil ligações clandestinas. A atuação contínua na iluminação pública levou à recuperação de 8,4 milhões de kWh.

Denúncia anônima

Os desvios de energia prejudicam todos os clientes, já que promovem modificações inapropriadas na rede, trazendo riscos à vida, e parte do valor da energia furtada acaba sendo pago entre todos os consumidores. Por isso, a Neoenergia reforça a importância de denunciar fraudes. As denúncias são feitas de forma anônima pelas Centrais de Relacionamento ou direto nos sites das distribuidoras, na parte de Canais de Atendimento > Denúncia de Irregularidade.

Ligações irregulares fazem modificações inapropriadas na rede, expondo a população a riscos de choques elétricos por não serem feitas com condições técnicas adequadas. Essas ligações podem interferir ainda na qualidade do serviço para os consumidores.

Central de Relacionamento para denúncia anônima:

- Neoenergia Coelba/Neoenergia Pernambuco/ Neoenergia Cosern/Neoenergia Brasília: 116

- Neoenergia Elektro: 0800 701 01 02

Canais de atendimento digitais (Site e WhatsApp):

- Neoenergia Coelba: www.neoenergiacoelba.com.br | (71) 3370-6350

- Neoenergia Pernambuco: www.neoenergiapernambuco.com.br  | (81) 3217-6990

- Neoenergia Elektro: www.neoenergiaelektro.com.br | (19) 2122-1696

- Neoenergia Cosern: www.neoenergiacosern.com.br | (84) 3215-6001

- Neoenergia Brasília: www.neoenergiabrasilia.com.br 

 

 

CLIPAGEM 21 DE FEVEREIRO 

Jornal do Commercio - Economia

Auditoria do Tribunal de Contas do Estado gera economia de quase R$ 102 milhões em PPP da Compesa

Edital para projeto de parceria público-privada prevê construção e operação de usina de energia solar para uso pela CompesaA entrada da Shell e New Fortress possibilitou a manutenção do preço do GNV. O reajuste seria de 15% se a Petrobras permanecesse como fornecedora única.Uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas de Pernambuco no projeto de parceria público-privada (PPP) da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), gerou uma economia de mais de R$ 101 milhões aos cofres públicos.
 
A PPP diz respeito a concessão para a iniciativa privada construir, operar, manter e arrendar uma usina de geração de energia fotovoltaica para atender unidades da Compesa e, assim, diminuir os gastos da companhia com energia elétrica, tirando a empresa do patamar de maior consumidora de energia elétrica de Pernambuco e a colocando como uma das maiores geradoras do Estado. Sob relatoria do conselheiro Valdecir Pascoal, a auditoria analisou a licitação que estava em andamento, com previsão de abertura das propostas para março de 2022.O projeto analisado pelo TCE propõe que a iniciativa privada construa, no prazo de quatro anos, uma usina a ser arrendada à Compesa por 25 anos. Ao final da parceria, com duração total de 29 anos, a propriedade do terreno e dos equipamentos deverá ser revertida à estatal.De acordo com o relatório de auditoria, após o exame da documentação, foram feitos vários questionamentos sobre possíveis incoerências no edital.
 
De acordo com o TCE, os problemas apontados foram reconhecidos, corrigidos, ou satisfatoriamente justificados pela Compesa.VALORESSegundo o TCE, na apresentação inicial do projeto, o valor máximo estimado para o contrato seria de cerca de R$ 2,2 bilhões (R$ 2.246.817.906,00). Com a atuação do TCE houve uma correção no montante total das contraprestações públicas diminuindo o preço para R$ 2,1 bilhões (R$ 2.145.101.292,00), o que resultou na redução de mais de cem milhões de reais (R$ 101.716.614,00) ao longo do período da parceria.Entre as modificações sugeridas e implementadas no projeto,  estão a alocação do risco de quebra ou falha dos equipamentos à concessionária pelo prazo de um ano após o término da PPP, a alteração no custo médio ponderado de capital real e a exclusão da previsão da oscilação da taxa inflacionária estimada. Também foram acrescentadas pelo TCE no anteprojeto, diretrizes básicas para a execução das obras civis.
 
LIBERAÇÃO
 
Após os questionamentos levantados pela auditoria terem sido devidamente respondidos pela Compesa, o Tribunal de Contas do Estado concluiu como legal e regular a evolução da etapa de planejamento do projeto para a fase de licitação. A Compesa, através de nota, informou que "não houve qualquer impacto na licitação que foi publicada no dia 01 de fevereiro. A mesma está transcorrendo normalmente, tendo o prazo de apresentação de propostas mantido para 17/03/22".A nota da companhia diz ainda que "todo o processo, iniciado ainda em 2019, envolveu o trabalho de profissionais especializados da Companhia, muito estudo e pesquisas para se chegar ao modelo apresentado, inclusive com a realização de audiência pública. Vale destacar que a Compesa procurou previamente para a análise e ajustes o TCE, como ocorre em vários processos. Tudo isso resultou em aprendizado para as equipes da Compesa e do TCE diante dos desafios desta PPP". A resposta da Compesa pontuou ainda que vários pontos foram discutidos e modificados conforme alinhamento ou sugestões do TCE, "não só de valor, mas de mitigação de riscos, o que foi muito salutar para enriquecer o processo". A companhia reconheceu ainda que, "após as discussões com o TCE o cálculo dos valores a serem auferidos pela empresa vencedora do certame foram revistos ficando mais condizentes com os valores praticados no setor elétrico e estabelecidos pela EPE (Empresa de Pesquisa Energética)". As usinas solares fotovoltaicas previstas na PPP irão, segundo a Compesa estima, permitir durante o período de vigência do contrato, a economia real para a companhia em torno de R$ 1 bilhão. 

 

Blog Didi Galvão

Atuação do TCE gera redução de 101 milhões em PPP da Compesa

Auditoria feita pelo Tribunal de Contas num projeto de parceria público-privada (PPP) da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), relativa ao exercício de 2021, gerou um benefício de mais de R$ 101 milhões aos cofres públicos. O projeto trata da concessão para a iniciativa privada “construir, operar, manter e arrendar uma usina de geração de energia fotovoltaica para atender unidades da estatal e, assim, diminuir os gastos com energia elétrica”.

Sob relatoria do conselheiro Valdecir Pascoal, a auditoria, realizada pela Gerência de Auditorias em Licitações de Obras e Serviços de Engenharia do TCE, analisou a licitação atualmente em andamento, com previsão de abertura das propostas prevista para o próximo dia 17 de março.

Em síntese, o projeto dispõe que a iniciativa privada construa, no prazo de quatro anos, uma usina a ser arrendada à Compesa por 25 anos. Ao final da parceria, com duração total de 29 anos, a propriedade do terreno e de equipamentos listados deverá ser revertida à estatal.

De acordo com o relatório de auditoria, após o exame da documentação, diversos questionamentos acerca de possíveis incoerências no edital foram enviados aos representantes da Compesa. Alguns desses problemas foram reconhecidos e corrigidos, outros foram satisfatoriamente justificados.

Na apresentação inicial do projeto, o valor máximo estimado para o contrato seria de cerca de R$ 2.246.817.906,00. No entanto, a atuação do TCE provocou uma correção no montante total das contraprestações públicas diminuindo o preço para R$ 2.145.101.292,00, o que resultou na redução de R$ 101.716.614,00 em valores nominais (valor vigente no momento de realização do cálculo) ao longo do período da parceria.

Entre as modificações implementadas no projeto, ainda estão a alocação do risco de quebra ou falha dos equipamentos à concessionária pelo prazo de um ano após o término da PPP, a alteração no custo médio ponderado de capital real e a exclusão da previsão da oscilação da taxa inflacionária estimada. Também foram acrescentadas, no anteprojeto, diretrizes básicas para a execução das obras civis.

Após os questionamentos levantados pela auditoria terem sido devidamente sanados ou justificados pela Compesa, concluiu-se legal e regular a evolução da etapa de planejamento para a fase de licitação.

Usinas solares fotovoltaicas – são equipamentos que utilizam um processo direto para converter a radiação solar em eletricidade. A geração é feita por meio dos módulos fotovoltaicos (placas solares), que podem ser instalados em terra ou sobre a superfície de corpos d’água, a chamada usina solar flutuante.

 

Site Prefeitura do Recife

CTTU monta esquema especial de trânsito para obra da Compesa em Boa Viagem

Serviço acontecerá na Rua Dom João VI entre a sexta-feira (18) e a madrugada da segunda-feira (21)

A CTTU montou um esquema especial de trânsito para obra da Compesa, que acontecerá a partir das 21h da sexta-feira (18) até as 5h da segunda-feira (21). Agentes e orientadores estarão no local durante a execução da obra. Com a mudança, os condutores que estiverem na Rua Dom João VI serão desviados para Rua Pedro Paes Mendonça. A conversão à esquerda para retornar ao subúrbio será proibida, assim como a continuidade pela Rua Dom João VI. Os condutores deverão utilizar a Via Mangue como rota alternativa.

 

Blog Roberto Araripina

TCE evita prejuízo de R$ 101 milhões na PPP da Compesa

Auditoria feita pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) num projeto de parceria público-privada (PPP) da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), relativa ao exercício de 2021, gerou um benefício de mais de R$ 101 milhões aos cofres públicos. O projeto trata da concessão para a iniciativa privada “construir, operar, manter e arrendar uma usina de geração de energia fotovoltaica para atender unidades da estatal e, assim, diminuir os gastos com energia elétrica”. Sob relatoria do conselheiro Valdecir Pascoal, a auditoria, realizada pela Gerência de Auditorias em Licitações de Obras e Serviços de Engenharia do TCE, analisou a licitação atualmente em andamento, com previsão de abertura das propostas prevista para o próximo dia 17 de março.

Em síntese, o projeto dispõe que a iniciativa privada construa, no prazo de quatro anos, uma usina a ser arrendada à Compesa por 25 anos. Ao final da parceria, com duração total de 29 anos, a propriedade do terreno e de equipamentos listados deverá ser revertida à estatal. De acordo com o relatório de auditoria, após o exame da documentação, diversos questionamentos acerca de possíveis incoerências no edital foram enviados aos representantes da Compesa. Alguns desses problemas foram reconhecidos e corrigidos, outros foram satisfatoriamente justificados. Na apresentação inicial do projeto, o valor máximo estimado para o contrato seria de cerca de R$ 2.246.817.906,00. No entanto, a atuação do TCE provocou uma correção no montante total das contraprestações públicas diminuindo o preço para R$ 2.145.101.292,00, o que resultou na redução de R$ 101.716.614,00 em valores nominais (valor vigente no momento de realização do cálculo) ao longo do período da parceria.

Entre as modificações implementadas no projeto, ainda estão a alocação do risco de quebra ou falha dos equipamentos à concessionária pelo prazo de um ano após o término da PPP, a alteração no custo médio ponderado de capital real e a exclusão da previsão da oscilação da taxa inflacionária estimada. Também foram acrescentadas, no anteprojeto, diretrizes básicas para a execução das obras civis. Após os questionamentos levantados pela auditoria terem sido devidamente sanados ou justificados pela Compesa, concluiu-se legal e regular a evolução da etapa de planejamento para a fase de licitação. Usinas solares fotovoltaicas – são equipamentos que utilizam um processo direto para converter a radiação solar em eletricidade. A geração é feita por meio dos módulos fotovoltaicos (placas solares), que podem ser instalados em terra ou sobre a superfície de corpos d’água, a chamada usina solar flutuante. (A informação é do site oficial do TCE-PE)

 

Site Canal Energia

Com lucro bilionário, Neoenergia comemora entrega de resultados

Grupo antecipou projetos de transmissão, concluiu parque eólico e contabilizou melhora em indicadores na distribuição

Apesar dos impactos do cenário macroeconômico, dos desafios regulatórios e de logística, e também da crise hídrica, 2021 foi considerado pela Neoenergia como um ano em que o grupo conseguiu entregar todos os resultados previstos.  O CEO da companhia, Mario Ruiz Tagle, vê boas perspectivas para 2022 com o avanço da vacinação contra a Covid.

O balanço do ano passado mostra um lucro líquido ajustado de R$ 4,4 bilhões, com alta de 57% em relação a 2020. Entre os destaques estão a antecipação da entrega de empreendimentos de transmissão leiloados em abril e em dez de 2017, com Receita Anual Permitida de R$329 milhões, e avanços em todos os projetos arrematados em leilões realizados de 2018 a a 2021.

A empresa concluiu o complexo eólico Chafariz (PB), composto por 15 parques com capacidade total 471,2 MW,  conseguiu a recontratação da usina Termopernambuco e adquiriu um novo lote de transmissão no leilão de dezembro passado.

Para o primeiro semestre deste ano, está prevista a entrada em operação comercial do complexo eólico Oitis(PI e BA), com 12 parques que somam 566,5 MW. No segundo semestre, deverá ser entregue o parque Luiza, formado por dois projetos solar fotovoltaicos de 149MWp.

A companhia registrou também melhora nos indicadores das distribuidoras. Tagle destacou o avanço no combate às perdas nas cinco concessionárias do grupo, que fechou o ano com 15,7 milhões de clientes no Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Pernambuco, São Paulo e Bahia.

O executivo disse que o ano passado não foi uma jornada fácil para ninguém, mas a empresa conseguiu superar todos os desafios, apresentando “gestão eficiente e implacável” na redução de custos e melhoria da qualidade. Ele comemorou a contratação de um projeto termelétrico no leilão de capacidade e destacou que nas áreas de geração e de transmissão a empresa não parou um dia, para acelerar e garantir entregas que estavam previstas mais à frente.

 

Folha de Pernambuco – Radio Folha

Moradores da Comunidade Beira Mangue vão receber lâmpadas de LED gratuitas, neste sábado (19)

Ação ainda oferece inscrição na Tarifa Social de Energia Elétrica, que concede até 65% de desconto na conta de energia elétrica

Os moradores da Comunidade Beira Mangue vão receber lâmpadas de LED de forma gratuita, neste sábado (19) das 9h às 12h. 

Para participar da iniciativa, o cliente da concessionária deve comparecer à Associação de Moradores Beira Mangue em Rio Doce, Olinda, e entregar lâmpadas fluorescentes, incandescentes ou halógenas, de potência igual ou superior a 14 Watts, para receber um equipamento com a tecnologia LED, que consome até 40% menos do que as demais.

Cada cliente poderá trocar até cinco unidades por contrato com a concessionária.

Além da troca de lâmpadas, a Neoenergia Pernambuco também estará com uma equipe comercial para oferecer todos os serviços de uma loja convencional para os moradores da Beira Mangue, na sexta-feira (18) e no sábado (19). Entre eles, a inscrição na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), que concede até 65% de desconto na conta de energia elétrica dos moradores que possuem Número de Inscrição Social (NIS) do Governo Federal. Os clientes que ainda não possuem o NIS e querem tirar o número para depois se inscreverem na TSEE, podem aproveitar e dar entrada no documento junto à equipe do Centro de Referência de Assistência Social, que também estará na Associação de Moradores junto com os atendentes da Neoenergia.

Além da inscrição na Tarifa Social, os moradores da comunidade ainda poderão negociar débitos, pedir mudança de titularidade, nova ligação, segunda via de fatura ou até mesmo uma religação. Todos os moradores e empreendedores locais também receberão orientações de segurança para evitar acidentes relacionados com a energia elétrica dentro e fora de casa.

 

Site Aneel

ANEEL apresenta avanços regulatórios para investidores no NE

O diálogo do regulador com todos os segmentos da sociedade tem sido fundamental para a transformação do setor elétrico nacional, destacou o diretor-geral da ANEEL, André Pepitone, em apresentação a executivos do sistema LIDE nesta sexta-feira (18/2), em Recife (PE). No comando da Agência desde 2018, Pepitone realizou uma prestação de contas das ações estruturantes realizadas no período. "Se eu pudesse definir três vetores da atuação da instituição, seriam eles o aumento do diálogo, a agenda de desoneração tarifária, e o compromisso com a abertura do mercado livre", disse.

Em sua apresentação, o diretor-geral da ANEEL mostrou como o debate constante com associações do setor, esferas de governo, parlamentares e consumidores tem resultado na expansão sustentável do setor, com protagonismo das fontes renováveis, no empoderamento do consumidor e na atração de investimentos privados. Exemplo disso, explicou Pepitone, são as marcas históricas de 180 GW de potência instalada no País, o montante de R$ 1 trilhão de investimentos no setor desde a criação da ANEEL e, nos últimos quatro anos, a realização de mais de 300 audiências e consultas públicas e a emissão de 4,6 mil resoluções pela Agência.

Ao falar da experiência da Agência com os Inventários Hidrelétricos Participativos, Pepitone mostrou como evoluiu a relação do regulador com o órgão ambiental. "Esse movimento otimizou todo o processo de licenciamento, foi um ganho para todos os envolvidos, para o setor, para o meio-ambiente e para a sociedade."

O diretor-geral da ANEEL também detalhou as oito principais medidas administrativas,  voltadas à atenuação dos reajustes na conta de luz - conduzidas num esforço coordenado com Ministério de Minas e Energia e Congresso Nacional e caracterizadas por acordos com grandes bancos, redução de subsídios, alocação mais eficiente de custos. "Essas ações foram pautadas por transparência, previsibilidade, respeito ao marco regulatório e aos contratos e, sobretudo, pela preocupação com o consumidor”, ressaltou Pepitone. Com esse conjunto, o reajuste tarifário anual médio ficou em 1,64% em 2019, 3,24% em 2020 e 8,28% em 2021.

A sinergia com o Governo Federal e com o Congresso Nacional também foi fundamental para instituir novos marcos legais e regulatórios para questões como abertura do mercado, GSF e geração distribuída. "Estamos pacificando os interesses de todos os envolvidos nesses temas, substituindo um cenário antes marcado por judicialização por um ambiente seguro e favorável ao investimento", concluiu.

Na apresentação da ANEEL aos investidores, foram debatidos também temas como efeitos da pandemia no setor elétrico, escassez hídrica, inovações como a regulamentação de sandboxes tarifários e de usinas híbridas, além do aprimoramento no cadastro automático da Tarifa Social, o advento da nova Resolução 1000, que consolida direitos e deveres dos consumidores.

Pepitone finalizou a apresentação destacando que o marco regulatório da ANEEL é internacionalmente reconhecido por instituições como Standard & Poor’s, Moody’s e OCDE.

Participaram do encontro o presidente do Sistema LIDE/PE, Drayton Nejaim, o presidente do LIDE Energia, Rodrigo Mello, o presidente da Chesf, Fábio Lopes e o ex-diretor da ANEEL e atual diretor Chesf Reive Barros.

 

Site Valor Econômico

Estrutura de capital está adequada para concluir investimentos previstos para 2022, diz Neoenergia

Grupo tem previsão de antecipar para o final segundo semestre deste ano a conclusão de obras de alguns dos projetos de transmissão arrematados a partir de 2018

A Neoenergia considera que tem uma estrutura de capital adequada para concluir os investimentos previstos para 2022, afirmou o diretor financeiro, Leonardo Gadelha em conferência com analistas na manhã desta sexta-feira (18).

O grupo tem previsão de antecipar para o final segundo semestre deste ano a conclusão de obras de alguns dos projetos de transmissão arrematados a partir de 2018, segundo o presidente da empresa, Mario Ruiz-Tagle.

Os lotes de transmissão que a companhia arrematou até 2017 foram entregues no ano passado. Segundo Ruiz-Tagle, a companhia também já iniciou o processo de licenciamento ambiental para a implantação do lote arrematado no leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em dezembro de 2021, que prevê a construção de uma subestação em Ibiraci (MG).

Na área de geração, a companhia prevê concluir este ano as obras do complexo eólico Oitis, localizado entre Piauí e Bahia, e do parque solar Luzia, na Paraíba. No caso do projeto solar, Ruiz-Tagle destacou que a Neoenergia obteve um ex-tarifário que vai permitir a importação dos módulos sem tarifas de importação.

Seca

Depois da pior seca em 91 anos em 2021, que afetou a geração nas usinas hidrelétricas e levou à necessidade de acionamento de termelétricas, que o país passa nas últimas semanas o Brasil por um dos períodos mais chuvosos para esta época dos últimos anos.

Nesse contexto, Ruiz-Tagle destacou as operações da usina térmica Termopernambuco (PE) no ano passado. “A usina demonstrou na crise hídrica a importância que tem para a manutenção da segurança elétrica do país. Faremos os investimentos necessários para melhorar as operações.”

O executivo lembrou também que o projeto obteve um contrato no leilão de capacidade de energia realizado pela Aneel ao fim de 2021.

Em paralelo, no segmento de distribuição, Gadelha destacou que a companhia tem conseguido manter a melhoria dos índices de qualidade de fornecimento mesmo com as fortes chuvas em diversas áreas de concessão do grupo.

Segundo ele, houve melhoras ao longo do ano passado também nos índices de perdas não-técnicas de energia em todas as áreas de concessão, devido ao retorno de cobranças e cortes no fornecimento em casos de inadimplência, que ficaram restritos em 2020 e nos primeiros meses de 2021 devido à pandemia.

 

Blog Carlos Britto

Copergás barra reajuste da Petrobras para GNV em Pernambuco

A entrada da Shell e New Fortress possibilitou a manutenção do preço do Gás Natural Veicular (GNV). A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) atingiu seu objetivo principal com uma abordagem pioneira na busca de novos fornecedores de gás no Brasil além da Petrobras.

Além da Petrobras, a Copergás passa a contar com o fornecimento da Shell e da New Fortress, empresa que atende especificamente os municípios de Petrolina (Sertão) e Garanhuns (Agreste), por meio do projeto de rede local.

Caso a Copergás continuasse tendo apenas a Petrobras como fornecedora, seria obrigada a reajustar o preço do em 15,9%.

O cálculo médio ponderado das tarifas dos três fornecedores permite à Copergás manter os mesmos preços do trimestre anterior (novembro, dezembro e janeiro) até abril.

Revisões

As revisões de preços do GNV são realizadas quatro vezes por ano – em fevereiro, maio, agosto e novembro. A Shell começou a fornecer combustível para a Copergás em janeiro.

O contrato, assinado em 2020, prevê a entrega de 750 milhões de metros cúbicos (m³) de gás por dia, ou quase 50% do mercado não-termelétrico atendido pela empresa pernambucana.

A partir de 2023, esse volume passará para um milhão de m³/dia. Já a Petrobras fornecerá 790 milhões de m³/dia durante o ano. Os volumes distribuídos em Petrolina e Garanhuns ainda são pequenos e têm pouco peso no número global.

“O nosso pioneirismo, ao selecionar novos fornecedores, começa a apresentar bons resultados. O ganho de competitividade será compartilhado com toda a cadeia produtiva de Pernambuco, atendida por nossa rede de distribuição. Esse sempre foi o objetivo do governador Paulo Câmara, que trabalhou para que a Copergás soubesse aproveitar as oportunidades criadas pelo novo mercado do gás natural no País”, argumentou André Campos, presidente da Copergás.

Segundo ele, a mesma estratégia vale para o projeto de rede local lançado em outubro passado em Petrolina, que também está prestes a chegar a Garanhuns. (Fonte: Rede Jornal Contábil)

 

CLIPAGEM 18 DE FEVEREIRO

Jornal Contábil

Copergás barra aumentos da Petrobras em Pernambuco

A Copergás atingiu seu objetivo principal com uma abordagem pioneira na busca de novos fornecedores de gás no Brasil.

A entrada da Shell e New Fortress possibilitou a manutenção do preço do GNV. O reajuste seria de 15% se a Petrobras permanecesse como fornecedora única.

A Companhia Pernambucana de Gás – Copergás atingiu seu objetivo principal com uma abordagem pioneira na busca de novos fornecedores de gás no Brasil além da Petrobras.

A partir de 1º de fevereiro, o preço do produto não sofrerá reajuste no estado de Pernambuco.

Além da Petrobras, a Copergás passa a contar com o fornecimento da Shell e da New Fortress, empresa que atende especificamente os municípios de Petrolina e Garanhuns, por meio do projeto de rede local.

Caso a Copergás continue tendo apenas a Petrobras como fornecedora, seria obrigada a reajustar o preço do em 15,9%. 

O governador Paulo Câmara, “Ao deixar de depender da Petrobras como fornecedor único, assegurarmos a possibilidade de manter os mesmos preços do GNV praticados no trimestre passado”.

O cálculo médio ponderado das tarifas dos três fornecedores permite à Copergás manter os mesmos preços do trimestre anterior (novembro, dezembro e janeiro) até abril.

As revisões de preços do GNV são realizadas quatro vezes por ano – em fevereiro, maio, agosto e novembro.

A Shell começou a fornecer combustível para a Copergás em janeiro. 

O contrato, assinado em 2020, prevê a entrega de 750 milhões de metros cúbicos de gás por dia, ou quase 50% do mercado não-termelétrico atendido pela empresa pernambucana. 

A partir de 2023, esse volume passará para um milhão de m³/dia. Já a Petrobras fornecerá 790 milhões de m³/dia durante o ano.

Os volumes distribuídos em Petrolina e Garanhuns ainda são pequenos e têm pouco peso no número global.

“O nosso pioneirismo, ao selecionar novos fornecedores, começa a apresentar bons resultados. O ganho de competitividade será compartilhado com toda a cadeia produtiva de Pernambuco, atendida por nossa rede de distribuição. Esse sempre foi o objetivo do governador Paulo Câmara, que trabalhou para que a Copergás soubesse aproveitar as oportunidades criadas pelo novo mercado do gás natural no País”, argumentou André Campos, presidente da Copergás.

Segundo ele, a mesma estratégia vale para o projeto de rede local lançado em outubro passado em Petrolina (Sertão do São Francisco), que também está prestes a chegar a Garanhuns (Agreste Meridional).

“Estamos levando desenvolvimento e aumentando a competividade desses polos regionais, criando novas oportunidades de emprego e melhorando a renda local. Seguimos o planejamento do Plano Retomada, apresentado pelo governador e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio”.

 

TV Jornal  - NE10

Obra da Compesa suspende abastecimento de água no Recife; veja bairros afetados

Ao todo, 25 bairros da capital pernambucana serão afetados com o reparo

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou, nesta quinta-feira (17), uma parada emergencial no abastecimento de água para reparo de um vazamento, que irá afetar 25 bairros do Recife.

Com início nesta quinta e previsão de término às 6h desta sexta-feira (18), o reparo será feito na Adutora DN800 em ferro fundido da Elevatória Tiuma, na BR-408, em São Lourenço da Mata, no Grande Recife, que faz o abastecimento na GNM Centro. 

Ao todo, 280.000 habitantes serão afetados pelo serviço. De acordo com a Compesa, após o término dos serviços o abastecimento será normalizado de forma gradativa.

Distritos afetados:

Sem abastecimento: D29 (Torre, Zumbi, Cordeiro e Prado), D30 e D30A (San Martin, Mangueira e Jiquiá), D27 (Bongi, Mustardinha, Mangueira, Ilha do Retiro e Afogados), D26 (Torre, Madalena, Prado e Zumbi)

Baixa pressão: D23 (Boa Vista, Paissandu, Coelhos, Derby, Ilha do Leite), D20A (Santo Amaro, Boa Vista e Bairro do Recife), D20B (Espinheiro, Rosarinho e Aflitos), D22A (Boa Vista e Soledade) D22B (Derby e Graças) e D19 (Santo Amaro / Tacaruna)

Bairros Afetados:

  • Mangueira;

  • San Martin;

  • Jiquiá;

  • Torre;

  • Madalena;

  • Prado;

  • Cordeiro;

  • Zumbi;

  • Bongi;

  • Mustardinha;

  • Afogados;

  • São José;

  • Santo Antônio;

  • Boa Vista;

  • Soledade;

  • Derby;

  • Coelhos;

  • Ilha do Leite;

  • Paissandu;

  • Santo Amaro;

  • Recife;

  • Graças;

  • Espinheiro;

  • Encruzilhada;

  • Aflitos.

 

Site TRF5

TRF5 AUMENTA INDENIZAÇÃO DEVIDA PELA COMPESA A MORADOR DE IMÓVEL QUE FICOU 18 MESES SEM ÁGUA ENCANADA

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) terá que pagar uma indenização de R$ 15 mil a um morador do Residencial Nossa Senhora da Conceição, localizado no município de Araripina (PE), que passou um ano e meio sem água encanada em seu imóvel. A decisão é da Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, que aumentou o valor originalmente fixado em R$ 6 mil pela 27ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco.

A Compesa alegou que não abasteceu o residencial desde que os imóveis começaram a ser ocupados, por ausência de condições técnicas, e que a responsabilidade pelo desabastecimento seria da Caixa Econômica Federal – que comercializou o empreendimento por meio do programa Minha Casa Minha Vida – e da construtora. Disse que, apesar disso, disponibilizou gratuitamente caminhões-pipa para os moradores, entre o início de 2013 e meados de 2014.

Ao julgar recurso da companhia de saneamento contra a condenação em primeira instância, a Terceira Turma do TRF5 ressaltou que, em março de 2010, a empresa emitiu declaração de viabilidade técnica de fornecimento de água para suprir as 500 casas do Residencial, requerendo apenas a apresentação de projeto de abastecimento compatível com suas normas técnicas. A construtora cumpriu a exigência, e o projeto – devidamente aprovado pela Compesa – foi integralmente executado.

Em seu voto, o desembargador federal convocado Arnaldo Pereira de Andrade Segundo reiterou os fundamentos da sentença, salientando que os caminhões-pipa oferecidos pela empresa não eram suficientes nem chegavam com regularidade, tendo havido um período sem qualquer abastecimento. Ele destacou, ainda, que a ausência de água não é meramente prejudicial às atividades diárias, mas acarreta uma clara lesão à dignidade humana com sérios prejuízos à higiene e à alimentação.

Embora esta decisão se aplique a uma ação ajuizada por apenas um dos habitantes do Residencial, o valor da indenização por dano moral, fixado em R$ 15 mil por imóvel, servirá como parâmetro para outras ações propostas contra a Compesa por moradores do mesmo empreendimento. Atualmente, mais de 250 processos idênticos já tramitam na Justiça Federal em Pernambuco.

Processo nº 0800770-87.2017.4.05.8309

 

Site Tribunal de contas do Estado de Pernambuco

Atuação do TCE gera redução de 101 milhões em PPP da Compesa

Auditoria feita pelo Tribunal de Contas num projeto de parceria público-privada (PPP) da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), relativa ao exercício de 2021, gerou um benefício de mais de R$ 101 milhões aos cofres públicos. O projeto trata da concessão para a iniciativa privada “construir, operar, manter e arrendar uma usina de geração de energia fotovoltaica para atender unidades da estatal e, assim, diminuir os gastos com energia elétrica”.

Sob relatoria do conselheiro Valdecir Pascoal, a auditoria, realizada pela Gerência de Auditorias em Licitações de Obras e Serviços de Engenharia do TCE, analisou a licitação atualmente em andamento, com previsão de abertura das propostas prevista para o próximo dia 17 de março.

Em síntese, o projeto dispõe que a iniciativa privada construa, no prazo de quatro anos, uma usina a ser arrendada à Compesa por 25 anos. Ao final da parceria, com duração total de 29 anos, a propriedade do terreno e de equipamentos listados deverá ser revertida à estatal.

De acordo com o relatório de auditoria, após o exame da documentação, diversos questionamentos acerca de possíveis incoerências no edital foram enviados aos representantes da Compesa. Alguns desses problemas foram reconhecidos e corrigidos, outros foram satisfatoriamente justificados.

Na apresentação inicial do projeto, o valor máximo estimado para o contrato seria de cerca de R$ 2.246.817.906,00. No entanto, a atuação do TCE provocou uma correção no montante total das contraprestações públicas diminuindo o preço para R$ 2.145.101.292,00, o que resultou na redução de R$ 101.716.614,00 em valores nominais (valor vigente no momento de realização do cálculo) ao longo do período da parceria.

Entre as modificações implementadas no projeto, ainda estão a alocação do risco de quebra ou falha dos equipamentos à concessionária pelo prazo de um ano após o término da PPP, a alteração no custo médio ponderado de capital real e a exclusão da previsão da oscilação da taxa inflacionária estimada. Também foram acrescentadas, no anteprojeto, diretrizes básicas para a execução das obras civis.

Após os questionamentos levantados pela auditoria terem sido devidamente sanados ou justificados pela Compesa, concluiu-se legal e regular a evolução da etapa de planejamento para a fase de licitação.

Usinas solares fotovoltaicas - são equipamentos que utilizam um processo direto para converter a radiação solar em eletricidade. A geração é feita por meio dos módulos fotovoltaicos (placas solares), que podem ser instalados em terra ou sobre a superfície de corpos d'água, a chamada usina solar flutuante.

 

Blog Didi Galvão

Justiça determina que a Neoenergia Pernambuco proceda com a imediata religação da energia do Projeto Zé Preá

O Juiz de Direito Dr. Frederico Ataíde Barbosa Damato concedeu a tutela pleiteada pela Associação Comunitária dos Moradores do Município de Orocó, para determinar que a concessionária Neoenergia Pernambuco proceda com a imediata religação da energia elétrica na Estação de Bombeamento Principal conhecida por EBP, unidade consumidora – UC sob o n.º 7017512174, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, abstendo-se de novo Corte pelo mesmo motivo dos autos, até ulterior decisão deste juízo, bem como que se abstenha de Cortar a energia nas demais EB’s existentes no perímetro do projeto de irrigação Zé Preá (Brígida), até o deslinde da presente ação, quais sejam: EBP – UC n.º 7017512174, EB 01/05 – UC n.º 7017540712, ; EB 02 – UC n.º 7017539498, EB 03 – UC n.º 7017600286 e EB 04 – UC n.º 7017539528, sob pena de multa diária no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), sem prejuízo das demais sanções passíveis de aplicação, em caso de descumprimento da ordem ora exarada.

CONFIRA A ÍNTEGRA DA DECISÃO:

A ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DO MUNICÍPIO DE OROCÓ – PE (ACOMMO) ingressou com a presente ação civil pública com Preceito Cominatório de Obrigação de Fazer e não fazer, com pedido de antecipação dos efeitos da tutela, em face da NEOENERGIA PERNAMBUCO – CIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO.

Inicialmente, frisa que o Perímetro Público de Irrigação Projeto Zé Preá (antigo Projeto Brígida), tem origem no reassentamento de famílias que foram realocadas das áreas inundadas pela barragem de Itaparica, onde o governo federal, através da Chef/Codevasf, ficou com a responsabilidade pela administração, operação e manutenção dos perímetros irrigados, como de fato é até hoje, em anexo segue breve histórico da origem do sistema Itaparica retirado do site oficial da Codevasf.

Narra, ainda, que no último dia, 14 de fevereiro de 2022, por volta das 11h, a requerida suspendeu o fornecimento de energia elétrica junto à Estação de Bombeamento Principal, conhecida por EBP, unidade consumidora sob o nº 70177512174, maquinário de fundamental importância a todo sistema de abastecimento do projeto.

Alega que a referida suspensão de fornecimento de energia se deu em razão da CODEVASF, que é a responsável direta pelo pagamento das contas de energia elétrica do projeto Zé Preá (Brígida) e todos aqueles do sistema Itaparica, encontrar-se inadimplente, e como motivo do corte alega o débito das faturas dos meses de dezembro/2021, janeiro/2022 e de fevereiro de 2022, conforme planilha inserida nos autos.

Requer a antecipação dos efeitos da tutela, mediante o deferimento liminar, independentemente da oitiva da parte contrária, a fim de que seja determinado o imediato restabelecimento do fornecimento da energia elétrica que alimenta a Estação de Bombeamento Principal conhecida por EBP, bem como para que se abstenha de suspender o fornecimento de energia elétrica de todas as EBs existentes no perímetro do projeto de irrigação Zé Preá (Brígida), até o deslinde da presente ação, quais sejam: EBP – UC n.º 7017512174, EB 01/05 – UC n.º 7017540712, ; EB 02 – UC n.º 7017539498, EB 03 – UC n.º 7017600286 e EB 04 – UC n.º 7017539528.

É o relatório. Decido.

Trata-se de ação civil pública proposta pela A ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DOS MORADORES DO MUNICÍPIO DE OROCÓ – PE (ACOMMO), com Preceito Cominatório de Obrigação de Fazer e não fazer, com pedido de antecipação dos efeitos da tutela, em face da NEOENERGIA PERNAMBUCO – CIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO.

Inicialmente, cabe destacar que a autora, diante da análise da documentação acostada ao id 99245499 e 99245527, mostra-se como parte legítima para propor a presente demanda, coadunando-se ao previsto no art. 5º, inciso V, alíneas a) e b), da Lei 7.347/1985.

Ademais, diga-se, desde o início, que não se pretende esgotar a matéria discutida nos autos, mas apenas apreciar o pedido antecipatório no que se refere aos pressupostos da probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo, para embasar a concessão da tutela de urgência.

Nesse sentido, para comprovar as suas alegações (suspensão do fornecimento de energia elétrica), inseriu nos autos notícias veiculadas por meio de Blogs da região (id’s 99246086 e 99246087), dando conta que de fato houve a suspensão do fornecimento no referido assentamento.

Além disso, a parte autora alega que a empresa ré não poderia ter realizado a suspensão da energia, haja vista que a relação contratual existente seria entre a Neoenergia e a Codevasf, Empresa Pública, não sendo razoável que centenas de famílias venha a ser prejudicadas pela suspensão do serviço.

Destaque-se que a própria Empresa ré emitiu nota, segundo consta ao id 99246087, informando das tratativas/negociações com a Codevasf, e que o serviço seria restabelecido após a negociação do débito, o que reforça que a relação contratual existente limita-se entre a Codevasf e a Neoenergia.

Importante salientar, ainda, que atualmente o projeto de irrigação Zé Preá (Brígida) é composto por 428 lotes agrícolas, com área irrigada de 1.435,5 ha, e uma população estimada em aproximadamente 6.000 mil habitantes, alocados nos lotes e nas 10 agrovilas existentes no perímetro do projeto.

No caso em tela, tem-se que o serviço de fornecimento de energia elétrica, por ser um serviço público essencial, está subordinado ao princípio da continuidade, e, embora seja possível a interrupção do serviço em caso de inadimplemento do usuário, ficam ressalvados os interesses coletivos.

Assim, o efeito prático do desligamento da energia elétrica da Estação de Bombeamento especificada nos autos implica diretamente em deixar toda a população daquela comunidade sem energia, inclusive água potável para o consumo.

Atentemos ainda para a situação atual de pandemia, que ainda agride severamente a saúde da população. Nesse contexto, deixar uma comunidade inteira sem sequer o básico para a sua manutenção diária chega a ser desumano, já que se trata de serviço essencial, a moradia e a qualidade de vida, cuja demora na religação poderá causar sérios prejuízos financeiros aos moradores da localidade, que em sua maioria sobrevive da agricultura familiar e que necessita de energia para irrigar suas lavouras.

O ato da parte empresa ré, na verdade, transbordou da esfera meramente particular, afetando os interesses metaindividuais dos habitantes daquela comunidade, com graves repercussões de natureza social e econômica, e, diante do cenário pandêmico, de saúde pública.

Assim, o suplicante faz jus ao deferimento de seu pleito antecipatório, haja vista a prova do juízo da probabilidade do direito e do perigo de dano ou risco do resultado útil do processo (art. 300, CPC).

Presente, ainda, o requisito negativo de irreversibilidade do provimento antecipado (art. 300, §3.º, CPC).

Nesse sentir, a concessão antecipada do pleito não gera perigo de irreversibilidade, haja vista que, caso seja demonstrada a insubsistência dos documentos e argumentos apresentados pelo demandante, não há óbices à revogação da tutela jurisdicional provisória concedida, restabelecendo-se o status quo ante.

Dispositivo

Ante o exposto, CONCEDO a tutela pleiteada, para determinar que a concessionária ré proceda com a imediata religação da energia elétrica na Estação de Bombeamento Principal conhecida por EBP, unidade consumidora – UC sob o n.º 7017512174, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, abstendo-se de novo Corte pelo mesmo motivo dos autos, até ulterior decisão deste juízo, bem como que se abstenha de Cortar a energia nas demais EB’s existentes no perímetro do projeto de irrigação Zé Preá (Brígida), até o deslinde da presente ação, quais sejam: EBP – UC n.º 7017512174, EB 01/05 – UC n.º 7017540712, ; EB 02 – UC n.º 7017539498, EB 03 – UC n.º 7017600286 e EB 04 – UC n.º 7017539528, sob pena de multa diária no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), sem prejuízo das demais sanções passíveis de aplicação, em caso de descumprimento da ordem ora exarada.

Intime a ré, pessoalmente, para cumprimento, com a urgência que o caso requer, utilizando-se dos canais eletrônicos disponíveis.

Em atenção ao que preceitua CPC e o art. 5º, parágrafo 1º, da Lei 7.347/1985, intime o Ministério Público para que se manifeste em 10 (dez) dias, bem como para que fique ciente da designação da audiência.

Designo o dia 03 de maio de 2022, às 13h, para a realização de audiência de conciliação/mediação, advertindo a todos de que:

a) o comparecimento na audiência é obrigatório, podendo as partes fazeremse representar por preposto, por meio de procuração específica, com poderes para negociar e transigir, devendo em qualquer caso, comparecer à audiência acompanhadas por seus advogados ou defensores públicos.

b) a ausência injustificada, de qualquer das partes à audiência de conciliação é considerado ato atentatório à dignidade da justiça e será sancionado com multa de até 2% (dois) por cento da vantagem econômica pretendida ou do valor da causa, revertida em favor da União ou do Estado” (art. 334, 8º, do Código de Processo Civil).

Intime o postulante, por meio de seu advogado (via publicação no DJETJPE), acerca da data designada para a referida audiência (art. 334, § 3º, CPC).

Cite a parte ré – via postal, com aviso de recebimento, ou pelos canais eletrônicos oficiais da empresa –, acerca da presente ação, intimando-a a comparecer à audiência designada, observando o prazo mínimo de 20 (vinte) dias entre a data da intimação e a data da audiência, advertindo-a de que:

a) poderá manifestar seu desinteresse na autocomposição, por petição, apresentada com 10 (dez) dias de antecedência, contados da data da audiência, começando a fluir do protocolo da referida petição, independentemente de intimação, o prazo de resposta (art. 335, inc. I e II, do CPC); em caso de litisconsórcio, o desinteresse na realização da audiência deverá ser manifestado por todos os litisconsortes (Art. 334, §5º e §6º do Código de Processo Civil);

b) na hipótese de inocorrência de realização de acordo ou em caso do não comparecimento de qualquer das partes a audiência, começará a fluir da data da audiência, independentemente de intimação, o prazo de 15 (quinze) dias para a apresentação de defesa (contestação), sob pena de revelia, nos termos do art. 344 e ss do CPC.

Ofertada contestação, intime a parte autora, por meio de seu patrono, para, querendo, no prazo de 15 (quinze) dias, apresentar réplica, sob pena de preclusão ex vi dos arts. 350 e 351 do CPC.

Orocó, 17 de fevereiro de 2022

FREDERICO ATAÍDE BARBOSA DAMATO – Juiz de Direito

 

CLIPAGEM 17 DE FEVEREIRO 

Farol de Notícias

Moradores do Centro de ST dizem que a Compesa é irresponsável

Não é de hoje que os serra-talhadenses estão em conflito com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) devido a problemas com a distribuição e abastecimento de água nos bairros da cidade.

Dessa vez os moradores do bairro Nossa Senhora da Penha, na Rua Isidoro Conrado, afirmam que não há água nas torneiras e quando chega na rua não sobe até os apartamentos do local.

“Queria denunciar a Compesa, por não tá mandando água o suficiente para as ruas, na minha casa é apartamento e não está subindo. Não tenho água nem para tomar um banho, lavar os pratos, a situação tá feia”, relatou o morador, acrescentando:

“Mas a conta da água chega todo mês, com água ou sem água. A minha conta veio R$ 59,00. Por favor divulgar isso aí para ver se a Compesa toma uma providência. Estamos pedindo socorro a esta empresa irresponsável”.

 

Jornal do Commercio – Coluna Mobilidade

Após aumento das passagens, governo de Pernambuco promete colocar toda a frota de ônibus nas ruas do Grande Recife

Atualmente, a frota estaria em 90%, como garantem os empresários de ônibus e o Estado. Chegaria a 100% em março

O aumento das passagens e a volta às aulas presenciais da rede de ensino privada e pública - principalmente o retorno de vários estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) previsto para a segunda-feira (21/2), fizeram o governo de Pernambuco prometer ampliar a frota de ônibus disponível na Região Metropolitana do Recife.

A oferta de coletivos, que hoje está em 90% do que era oferecido antes do início da pandemia de covid-19, irá para 95% nos próximos dias e chegará a 100% em todas as linhas em março. O reforço da frota chega como uma tentativa de reduzir a revolta da população com o reajuste de quase 10% das passagens de ônibus, aprovado com folga na sexta-feira (11/2).

A promessa foi feita pelo secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco (Seduh), Tomé Franca, durante debate sobre o sistema de transporte público da RMR na Rádio Jornal, nesta quarta-feira (16/2).

“Mesmo estando com a demanda de passageiros ainda em 75% do que tínhamos antes da pandemia, o governo do Estado tem feito esse esforço e vai ampliar a frota. Isso será possível, é claro, devido ao reajuste de 9,69% das passagens”, afirmou.

Atualmente, o Sistema de Transporte Público de Passageiros da RMR (STPP) está operando com 90% da frota, composta por 2.190 coletivos. A não totalidade da oferta de ônibus segue provocando lotação nos horários de pico em muitas linhas e, principalmente, nos principais terminais integrados do sistema - o que é uma contradição com as proibições do Estado para evitar o contágio da variante ômicron.

O transporte por ônibus no Grande Recife pode não ser a melhor maravilha do mundo, mas diante do que o Estado cobre, acredito que temos avanços sim. Mesmo com a pandemia de covid-19, que precisa ser considerada. Agora, o que precisamos mesmo é de faixas exclusivas nas vias para os ônibus trafegarem e terem prioridade de circulação. Assim, conseguiremos racionalizar o serviço e torná-lo mais eficiente. E com a gestão privada dos terminais integrados e estações de BRT, acredito que conseguiremos avançar ainda mais”, Fernando Bandeira, presidente da Urbana-PE

ARGUMENTOS A FAVOR DO AUMENTO

O governo de Pernambuco e o setor operacional de ônibus voltaram a defender o realinhamento tarifário que elevou o anel A - utilizado por 80% dos passageiros da RMR - de R$ 3.75 para R$ 4.10, e o anel B de R$ 5.10 para R$ 5.60. Tomé Franca reconheceu que o aumento pesa para a população, mas argumentou que o Estado tentou fazer o máximo e absorver o máximo possível o impacto do aumento. “A tarifa técnica necessária (ou seja, a que cobriria o aumento do custo do transporte) era de 19%, mas o governo decidiu que daria o percentual inferior ao IPCA e cobriria a diferença com subsídios. Foi um grande esforço, que mostra o compromisso do Estado com o transporte público coletivo”, afirmou.

Também presente ao debate na Rádio Jornal, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE), Fernando Bandeira, enfatizou que, mesmo com o esforço do governo, o realinhamento seria necessário. “A inflação foi muito alta. Somente o óleo diesel aumentou 80%. Como gerir efetivamente um sistema em que o insumo que pesa 80% sofreu uma majoração de 80%? Impossível sem um realinhamento tarifário. Além disso, o valor dos ônibus aumentou 40% e a mão de obra teve um reajuste de 9%”, afirmou Bandeira.

COBRADORES AUMENTARIAM A PASSAGEM EM MAIS 10%

Nem mesmo o fato de que apenas 18 linhas de ônibus têm cobradores atualmente (5% das linhas em operação) foi suficiente para evitar o aumento das passagens. Desde julho de 2020 houve uma autorização do Estado, que seria provisória, para que os profissionais fossem retirados dos ônibus e os motoristas passassem a atuar em dupla função - dirigindo e recebendo a passagem paga em dinheiro.

Pela explicação do gestor e dos operadores do sistema, os cobradores pesam 10% no custo da operação e, se eles ainda estivessem atuando, a tarifa técnica necessária para equilibrar receita e custo teria que ser aumentada em 10%.

“A planilha de custo apresentada pelo governo do Estado na reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) não seria de um reajuste de quase 20%. Seria de 25,32%. Ou seja, o Estado teria que dar um aumento maior ou absorver um percentual maior dos custos”, explicou Tomé Franca.

O governo do Estado absorveu um pouco mais de 10% desse custo com o aumento de 9,69% das tarifas.

A planilha de custo apresentada pelo governo do Estado na reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) não seria de um reajuste de quase 20%. Seria de 25,32%. Ou seja, o Estado teria que dar um aumento maior ou absorver um percentual maior dos custos”, Tomé Franca, da Seduh

AVALIAÇÃO DO SISTEMA

“O transporte por ônibus no Grande Recife pode não ser a melhor maravilha do mundo, mas diante do que o Estado cobre, acredito que temos avanços sim. Mesmo com a pandemia de covid-19, que precisa ser considerada. Agora, o que precisamos mesmo é de faixas exclusivas nas vias para os ônibus trafegarem e terem prioridade de circulação. Assim, conseguiremos racionalizar o serviço e torná-lo mais eficiente. E com a gestão privada dos terminais integrados e estações de BRT, acredito que conseguiremos avançar ainda mais”, disse Bandeira.

Citação: O transporte por ônibus no Grande Recife pode não ser a melhor maravilha do mundo, mas diante do que o Estado cobre, acredito que temos avanços sim. Mesmo com a pandemia de covid-19, que precisa ser considerada. Agora, o que precisamos

Fernando Bandeira, presidente da Urbana-PE

Citação: A planilha de custo apresentada pelo governo do Estado na reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM) não seria de um reajuste de quase 20%. Seria de 25,32%. Ou seja, o Estado teria que dar um aumento maior ou absorver um

Tomé Franca, da Seduh

 

Diário de Pernambuco - Economia

Senado aprova programa que financia passagens de idosos no transporte

O Senado aprovou hoje (16) um projeto de lei (PL) que institui o Programa Nacional de Assistência à Mobilidade dos Idosos em Áreas Urbanas (Pnami). O programa consiste em repassar verba do Orçamento da União para custear a gratuidade no transporte urbano para pessoas com mais de 65 anos. Ao mesmo tempo, os outros usuários do transporte público seriam beneficiados com tarifas menores. O projeto segue para apreciação da Câmara.

“O sistema de transporte coletivo urbano nas cidades e no DF, que já vinha de uma situação financeira precária, decorrente de um processo histórico de crescente descompasso entre suas receitas e despesas, sofreu um impacto agudo com a queda de arrecadação por conta da pandemia da Covid-19”, justificou o relator do projeto no Senado, Eduardo Braga (MDB-AM).

“Nesse sentido, caso o sistema de transportes coletivos entre em colapso, um dos grupos que mais iria sofrer com o fim dos serviços seria justamente o dos idosos, que gozam de direito à gratuidade no sistema”, acrescentou o emedebista. A proposta é que o programa tenha a duração de três anos, a partir do ano de aprovação do PL.

 O impacto orçamentário previsto pelo relator é de R$ 5 bilhões por ano. Braga propõe vincular parte das receitas dos royalties do petróleo para financiar o repasse. “Deve-se destacar que a receita de royalties do petróleo pertencente à União é mais do que suficiente para financiar as novas despesas. Em 2021, por exemplo, somente a parcela dos royalties apropriada pela União superou R$ 11 bilhões, mais que o dobro do que se projetava”, argumentou em seu relatório.

O texto também prevê que a União abra crédito extraordinário para custear o programa. Para receber a verba, o projeto indica que os estados, o Distrito Federal e os municípios instituam seus respectivos fundos de transporte público coletivo com o objetivo de receber os aportes financeiros.

 

Diário de Pernambuco - Economia

Blocos da área do pré-sal vão a leilão na oferta permanente

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou hoje (16) o pré-edital e as minutas de contrato que estabelecem regras da licitação de 11 blocos localizados na área do pré-sal, dentro da Oferta Permanente de Partilha de Produção (OPP). Tanto o pré-edital como as minutas de contrato serão enviados ao Ministério de Minas e Energia para aprovação.

A ANP lembrou que os blocos Ágata, Água Marinha, Esmeralda, Jade, Turmalina e Tupinambá estavam previstos para serem ofertados na 7ª e 8ª rodadas de partilha de produção, na Bacia de Santos. Os cinco blocos restantes não foram arrematados em rodadas de licitação de partilha da produção realizadas pela ANP. São eles: Itaimbezinho (4ª Rodada de Partilha, Bacia de Campos), Norte de Brava (6ª Rodada de Partilha, Bacia de Campos), Bumerangue, Cruzeiro do Sul e Sudoeste de Sagitário (6ª Rodada de Partilha, Bacia de Santos).

Oferta permanente

Segundo a ANP, oferta permanente é um formato de licitação de outorga de contratos de exploração e produção de blocos exploratórios e de áreas com acumulações marginais, localizados em quaisquer bacias terrestres ou marítimas, para exploração ou reabilitação e produção de petróleo e gás natural. Nesse formato, a oferta de blocos exploratórios e áreas com acumulações marginais é contínua.

Até dezembro do ano passado, a oferta permanente era realizada exclusivamente em regime de contratação por concessão, sem possibilidade de inclusão de áreas do pré-sal e, também, de áreas consideradas estratégicas, nos moldes da Lei nº 12.351/2010, cujo regime legal de contratação é o de partilha de produção.

A Resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) nº 27/2021, do dia 24 de dezembro de 2021, suspendeu essa limitação ao estabelecer que os campos ou blocos situados no polígono do pré-sal ou em áreas estratégicas poderão ser licitados no sistema de Oferta Permanente mediante determinação específica do CNPE, com definição dos parâmetros a serem adotados para cada campo ou bloco.

No dia 5 de janeiro de 2022, a Resolução CNPE nº 26/2021 autorizou a licitação de 11 blocos no sistema de Oferta Permanente, sob o regime de partilha de produção, e aprovou os parâmetros técnicos e econômicos do leilão.

A ANP informou ainda que os blocos exploratórios a serem oferecidos na Oferta Permanente de Partilha de Produção (OPP) não têm relação com os blocos oferecidos no 3º Ciclo da Oferta Permanente de Concessão (OPC), que se encontra em andamento e tem sessão pública de apresentação de ofertas marcada para o dia 13 de abril. 

 

Diário de Pernambuco – Notícias

ANP divulga setores para 3º Ciclo da Oferta Permanente de Concessão

Quatorze setores distribuídos em sete bacias no país serão ofertados no 3º Ciclo da Oferta Permanente de Concessão (OPC), cuja sessão pública está prevista para o dia 13 de abril próximo. A decisão foi tomada em reunião da Comissão Especial de Licitação (CEL) da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), realizada na terça-feira (15). A divulgação dos setores e bacias que compõem os blocos exploratórios ocorreu nesta quarta-feira (16).

Dois setores estão localizados na Bacia do Espírito Santo; um na Bacia de Pelotas; quatro na Bacia Potiguar; três na Bacia do Recôncavo; um na Bacia de Santos; dois na Bacia Sergipe-Alagoas; e um na Bacia Tucano.

De acordo com as regras da Oferta Permanente, os setores definidos para um ciclo são aqueles que receberam declarações de interesse de empresas previamente inscritas, acompanhadas de garantia de oferta e aprovadas pela Comissão Especial de Licitação. As licitantes inscritas apresentaram declarações de interesse acompanhadas de garantia de oferta para quaisquer setores constantes do edital do 3º Ciclo da Oferta Permanente de Concessão até o último dia 3. A partir de agora, elas terão prazo até 14 de março para apresentar novas declarações de interesse, acompanhadas de garantia de oferta, para os setores já definidos para o 3º Ciclo da OPC.

Oferta Permanente

Conforme informou a ANP, a Oferta Permanente é um formato de licitação para outorga de contratos de blocos exploratórios e áreas com acumulações marginais para exploração ou reabilitação e produção de petróleo e gás natural. Esse formato prevê a oferta contínua de campos devolvidos ou em processo de devolução, de blocos ofertados em licitações anteriores e não arrematados ou devolvidos à Agência, além de novos blocos exploratórios em bacias terrestres em estudo na ANP.

Atualmente, existem duas modalidades de Oferta Permanente: a Oferta Permanente de Concessão (OPC), que já está em seu 3º Ciclo; e a Oferta Permanente de Partilha de Produção (OPP), atualmente em fase de elaboração dos instrumentos licitatórios.

A ANP esclareceu que a modalidade de licitação trazida pelos ciclos de Oferta Permanente evita que as empresas tenham que esperar uma rodada de licitações "tradicional" para ter oportunidade de arrematar um bloco ou área com acumulação marginal, que passam a estar permanentemente em oferta. Além disso, as companhias contam com o tempo que julgarem necessário para estudar os dados técnicos dessas áreas antes de fazer uma oferta, sem o prazo limitado do edital de uma rodada, ou leilão, normal.

A partir da aprovação de sua inscrição no processo, a empresa pode declarar interesse em qualquer setor ofertado no edital, encaminhando essa declaração à ANP, acompanhada de garantia de oferta. A companhia deve, também, identificar todos os setores em que tenha objetivo de apresentar ofertas na sessão pública que será realizada posteriormente.

 

CLIPAGEM 01 DE SETEMBRO DE 2021. 

JORNAL DO COMMERCIO

BANDEIRA "ESCASSEZ HÍDRICA"

Conta de luz fica mais cara a partir desta quarta (1º)

O governo decidiu aprovar um reajuste de 49,63% no valor cobrado na bandeira tarifária para fazer frente às despesas do acionamento de usinas térmicas e das medidas adotadas para evitar apagões e até mesmo um racionamento de energia. A partir de setembro, o valor da taxa adicional cobrada nas contas de luz passará de R$ 9,49 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) para R$ 14,20. O valor irá vigorar entre 1º de setembro de 2021 e 30 de abril de 2022. A bandeira "escassez hídrica" provocará aumento de 6,78% na tarifa média.

 

FOLHA DE PERNAMBUCO

NOVO AUMENTO

Conta de energia fica mais cara a partir desta quarta-feira (1º), anuncia Aneel.

A partir desta quarta-feira (1º), a conta de energia deve ficar ainda mais cara, anunciou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em coletiva de imprensa nesta terça-feira (31).

Agora, a bandeira vermelha patamar 2 passa de R$ 9,49 para R$ 14,20 a cada 100 kWh. Os novos valores são válidos até abril de 2022. 

Segundo a Aneel, os novos valores são válidos para custear despesas financeiras e equilibrar as receitas e despesas da conta. 

A nova tarifa se aplica a todos os consumidores, com exceção ao estado de Roraima e aos consumidores inscritos no programa Tarifa Social (12 bilhões de consumidores).

Crise hídrica

Uma das justificativas para o aumento é a crise crise hídrica que Brasil vive, sendo uma das maiores em 91 anos. 

 

CLIPAGEM 28 E 29 DE AGOSTO DE 2021. 

JORNAL DO COMMERCIO

Aumentou o risco de apagão e de racionamento de energia, entenda como isso vai chegar ao seu bolso.

Mais uma vez, o Brasil depende das chuvas para não passar por um racionamento de energia. Mais térmicas estão produzindo e a conta de luz vai ficar ainda mais alta.

Aumentou o risco de apagão e de racionamento de energia - quando o governo federal obriga todos os cidadãos e as empresas a cumprirem metas de redução do consumo - ainda este ano, segundo pelo menos três executivos entrevistados pelo Jornal do Commercio. Até o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, na quarta-feira (26) que "estamos no limite do limite" e alguma hidrelétricas podem deixar de funcionar, caso continue a atual crise hídrica.
O País vai precisar de um adicional de geração de 5 mil megawatts (MW) a partir de novembro para suprir a carga do atual consumo de energia a partir de novembro, caso não ocorram chuvas que melhorem a situação nos reservatórios das hidrelétricaas do Sudeste/Centro-Oeste do País. A necessidade ter um adicional de 5 mil megawatts é como se tivesse que implantar metade do parque gerador das hidrelétricas da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) até novembro.

Responsáveis por 70% de toda a água que pode ser armazeada para gerar energia no País, os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste estavam com 22,32% da sua capacidade de armazenamento na quinta-feira (26). A expectativa é de que eles cheguem a 10% em novembro, quando começa o período úmido (chuvoso) nas duas regiões. Se as chuvas não vierem, algumas hidrelétricas das duas regiões poderão ficar sem condições de gerar energia.

JORNAL DO COMMERCIO

BANDEIRA TARIFÁRIA

Bandeira acionada para setembro permanece vermelha patamar 2

Em setembro a bandeira segue vermelha em seu maior patamar.

A bandeira tarifária em setembro de 2021 será vermelha, patamar 2. Agosto foi mais um mês de severidade para o regime hidrológico do Sistema Interligado Nacional (SIN). O registro sobre as afluências às principais bacias hidrográficas continuou entre os mais críticos do histórico. A perspectiva para setembro não deve se alterar significativamente, com os principais reservatórios do SIN atingindo níveis consideravelmente baixos para essa época do ano.

Essa conjuntura sinaliza horizonte com reduzida capacidade de produção hidrelétrica e necessidade de acionamento máximo dos recursos termelétricos, pressionando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) e o preço da energia no mercado de curto de prazo (PLD). O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada. Importante frisar que os valores das bandeiras tarifárias estão em análise e serão divulgados posteriormente.

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.


Com as bandeiras, a conta de luz ficou mais transparente e o consumidor tem a melhor informação, para usar a energia elétrica de forma mais eficiente, sem desperdícios. Com a manutenção da bandeira vermelha em seu maior patamar é importante reforçar aos consumidores ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia.


Diante disso, foi lançada em 15/8 a primeira fase da campanha de uso consciente de energia elétrica de iniciativa da ANEEL, com apoio do Ministério de Minas e Energia e operacionalização da ABRADEE. O objetivo da ação é incentivar a população a evitar o desperdício de energia elétrica, em meio ao cenário de escassez hídrica – o pior em 91 anos – que reduz a produção nas usinas hidrelétricas e aumenta o preço da energia. Todos os materiais de divulgação da campanha estão disponíveis na página www.consumoconscienteja.com.br.

Dicas de Economia de Energia:
Chuveiro elétrico

 Tomar banhos mais curtos, de até cinco minutos

 Selecionar a temperatura morna no verão

 Verificar as potências no seu chuveiro e calcular o seu consumo
Ar condicionado

  • Não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar condicionado
  • Manter os filtros limpos
  • Diminuir ao máximo o tempo de utilização do aparelho de ar condicionado
  • Colocar cortinas nas janelas que recebem sol direto

Geladeira

  • Só deixar a porta da geladeira aberta o tempo que for necessário
  • Regular a temperatura interna de acordo com o manual de instruções
  • Nunca colocar alimentos quentes dentro da geladeira
  • Deixar espaço para ventilação na parte de trás da geladeira e não utilizá-la para secar panos
  • Não forrar as prateleiras
  • Descongelar a geladeira e verificar as borrachas de vedação regularmente

Iluminação

  • Utilizar iluminação natural ou lâmpadas econômicas e apagar a luz ao sair de um cômodo; pintar o ambiente com cores claras

Ferro de passar

  • Juntar roupas para passar de uma só vez
  • Separar as roupas por tipo e começar por aquelas que exigem menor temperatura
  • Nunca deixe o ferro ligado enquanto faz outra coisa

Aparelhos em stand-by

  • Retirar os aparelhos da tomada quando possível ou durante longas ausências

 

FOLHA DE PERNAMBUCO

ENERGIA

Crise hídrica deve manter inflação em alta e frear atividade econômica

A pior seca no país em 91 anos, que esvaziou os reservatórios das hidrelétricas, tem ficado cara para indústrias, comércio e consumidores — e a situação deve piorar. O aumento das tarifas e a necessidade de reduzir o consumo de energia, para que o sistema elétrico não entre em colapso, devem manter a inflação em patamar elevado e frear a atividade econômica. O economista Gabriel Leal de Barros, da RPS Capital, calcula que, se não chover o suficiente no período úmido, que vai de outubro a abril, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve se manter na casa dos 8% neste ano e no próximo, e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) pode ter uma perda de até dois pontos percentuais em 2022. Como a previsão do mercado para o PIB do próximo ano é de 2%, o país pode cair na estagnação.

O cenário é delicado. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê que, até novembro, os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que respondem por 70% da geração de energia do país, deverão chegar a 10% da sua capacidade. Hoje, as hidrelétricas já operam em nível baixíssimo, com 22,5% da capacidade de armazenamento. O índice é inferior aos 23,4% registrados no mesmo período de 2001, quando o Brasil enfrentou a “crise do apagão”.

Nesta semana, ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que haverá um novo reajuste das tarifas em setembro. “Não adianta ficar sentado chorando. Temos de enfrentar a crise. Vamos ter de subir a bandeira, a bandeira vai subir”, disse ele, em referência ao valor da bandeira vermelha patamar 2, taxa extra aplicada atualmente na conta de energia. O novo reajuste será decidido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na próxima terça-feira, e a tendência é que fique entre 50% e 58%. A bandeira vermelha 2 foi reajustada em 52% há dois meses, passando de R$ 6,24 a R$ 9,49 para cada 100 kWh consumidos. Com o novo aumento, o valor será de, no mínimo, R$ 14.

Para Gabriel Leal de Barros, o aumento da sobretaxa é a única alternativa a curto prazo. “Nossa dependência de hidrelétricas ainda é de quase 70%. Quando tem uma crise hídrica muito forte, a tarifa precisa subir para evitar que as distribuidoras de energia sofram um grande desequilíbrio financeiro”, explica.

Déficit

Esse desequilíbrio ocorre porque, com as hidrelétricas operando em baixa, o governo demanda mais energia das usinas termelétricas, que é mais cara. “O megawatt produzido em uma usina movida a carvão custa o dobro do gerado por uma hidrelétrica. Se for uma termelétrica movida a gás, o custo é quatro vezes maior”, pontua o economista sênior da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Fabio Bentes.

A alta das tarifas, explica Bentes, gera um efeito cascata em toda a economia — e pode desacelerar o setor de comércio. “A energia elétrica é um item insubstituível e utilizado em todos os setores do comércio e da indústria. (O aumento) vai pressionar o orçamento das famílias e prejudicar o comércio, porque o setor não vai conseguir segurar o reajuste sem repassar uma fatia um pouco maior do que a usual para os preços”, afirma.

“Além de ter um peso grande no orçamento familiar, a energia é usada para praticamente tudo. Metade do custo da produção de leite é energia elétrica. No cimento, 25% é energia”, exemplifica o economista.

 

CLIPAGEM 26 DE AGOSTO DE 2021. 

FOLHA DE PERNAMBUCO

ECONOMIA DE ENERGIA

Governo vai dar desconto na conta de luz residencial para quem reduzir consumo de energia

Assim, cada empresa que se dispuser a fazer esse acerto, enviará uma oferta ao ONS

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou nesta quarta-feira (25) que o governo e a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) preparam um plano de descontos na conta de luz para os consumidores regulados (ligados a distribuidoras) residenciais e empresariais que se dispuserem voluntariamente a economizar energia. A medida deverá entrar em vigor no início de setembro.

O ministério, no entanto, não detalhou o plano. Disse que, em conjunto com a agência, está definindo as metas de economia e os prêmios.

Questionado em entrevista coletiva, o ministro explicou que ainda não sabe de onde sairão os recursos para arcar com os descontos. Albuquerque afirmou, porém, que não há previsão de crédito extraordinário no Orçamento para financiar o programa.

O secretário de Energia Elétrica, Christiano Vieira, explicou que o conceito desse plano é o mesmo do programa de deslocamento de consumo para grandes consumidores, que terão compensação financeira se gastarem sua energia fora dos horários de pico.

Cada empresa que se dispuser a fazer esse acerto, enviará uma oferta ao ONS (Operador Nacional do Sistema) dizendo quanto pretende receber.

O ONS escolherá as melhores propostas, justamente aquelas que sejam mais vantajosas em relação ao acionamento de uma usina termelétrica, que gera um MWh por mais de R$ 2.000.

"Essa diferença é que reduzirá o custo geral de geração de energia do país", disse Vieira.


Essa lógica, ainda segundo o secretário, servirá de referência para o plano de incentivo aos consumidores residenciais. No entanto, não foi detalhado qual será o preço de referência para o cálculo desse bônus.


"Quem vai pagar isso é a carga do sistema [no ambiente regulado, todos os consumidores compartilham os custos de economia ou de sobrepreço]", disse Vieira. "Há previsão legal para que todos sejam remunerados via ESS [Encargos de Segurança do Sistema]. Aquele custo vai ser rateado com todos."

O plano de estímulo à redução de consumo de energia para residências e empresas de menor porte é mais um passo do governo para tentar evitar apagões diante do agravamento da crise hídrica.


O diretor-geral do ONS, Luiz Carlos Ciocchi, que havia previsão de chuvas na região Sul mas elas foram frustradas, o que levou o grupo de monitoramento emergencial da crise a tomar medidas mais drásticas de preservação da água no sistema e partir para um pacote de incentivo à redução de consumo.

 

CLIPAGEM 25 DE AGOSTO DE 2021. 

FOLHA DE PERNAMBUCO

ENERGIA

Governo vê piora relevante no setor elétrico e reforça medidas para garantir suprimento de energia

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) propôs um sistema de bonificação a clientes que economizarem energia

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) avaliou nesta terça-feira (24) que houve "relevante piora" nas condições do setor elétrico e decidiu propor novas medidas para garantir o suprimento de energia no país.

Entre elas, estão a flexibilização das restrições operativas na bacia do rio São Francisco e a redução de cotas mínimas em outras bacias, para uso dos estoques energéticos que vinham sendo poupados.

"A exemplo do verificado nos últimos meses, predomina a degradação dos cenários observados e prospecções futuras, com relevante piora, fazendo-se imprescindível a adoção de todas as medidas em andamento e propostas, destacadamente a alocação dos recursos energéticos adicionais e flexibilizações de restrições hidráulicas", disse o comitê.

A flexibilização de restrições do São Francisco, diz, tem o objetivo de garantir recursos energéticos adicionais para assegurar as condições de suprimento minimizando a degradação dos reservatórios das hidrelétricas das regiões Sul e Sudeste.

"Ademais, foram também discutidos aspectos relacionados a flexibilizações operativas hoje estabelecidas relacionadas a níveis mínimos de armazenamento de usinas hidrelétricas e o CMSE indicou a necessidade de uso dos estoques hídricos armazenados", diz o comitê, em nota.

O texto, porém, não identifica quais seriam as hidrelétricas que terão os estoques consumidos. A pouca transparência em relação às medidas de enfrentamento à crise é alvo de críticas do mercado, que prega maior clareza sobre a real situação do setor elétrico.

As propostas serão avaliadas pela Creg (Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética), grupo liderado pelo MME (Ministério de Minas e Energia) para enfrentar a crise, que se reunirá nesta quarta (25).

Na reunião desta terça, o MME apresentou a proposta de Programa de Incentivo à Redução Voluntária do consumo de energia elétrica para clientes ligados a distribuidoras, que também será avaliada pela Creg.

O engajamento de todos os consumidores é outro alvo de cobrança de especialistas, que veem as medidas anunciadas até agora como insuficientes para garantir o suprimento até o fim do ano e com alto potencial de pressão sobre a conta de luz.

Nesta terça, o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) propôs um sistema de bonificação a clientes que economizarem energia por meio de descontos na bandeira tarifária, a taxa extra cobrada sobre a conta de luz para custear as térmicas.

 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO - ECONOMIA

Copergás fecha acordo e sela fim de monopólio

Por dois anos, a Shell vai suprir parte da demanda do gás natural que somente a Petrobras fornecia à distribuidora pernambucana de gás canalizado

A partir de janeiro, a Shell vai fornecer 750 mil metros cúbicos de gás diários à Companhia Pernambucana de Gás (Copergás). O contrato celebrado ontem entre as duas empresas foi possível depois da entrada em vigor da Lei do Gás, que em abril deste ano quebrou o monopólio da Petrobras no setor. Ele vale por dois anos e faz da Copergás a primeira distribuidora de gás canalizado do país a não ter apenas Petrobras como supridora. O volume contratado à Shell para 2023 passará para 1 milhão de metros cúbicos de gás por dia.


O contrato resultou de uma chamada pública aberta em setembro de 2020. Oito empresas participaram do certame com 18 propostas para os dois lotes do edital da Copergás. A Shell, com a proposta de menor preço, foi vencedora do primeiro lote. Um segundo lote prevê a entrega do produto no Porto de Suape, também por dois anos.


O suprimento dos dois lotes será tanto feito via a malha integrada de transportes quanto para atender as redes locais, situadas em municípios afastados da rede tradicional de distribuição de gás natural. As cidades mais distantes, Petrolina e Garanhuns, terão o fornecimento feito a partir de janeiro de 2022, por caminhões, pela New Fortress.


Ao todo, conforme detalha a chamada pública, o lote vencido pela Shell exige entregas em sete pontos da Região Metropolitana, sendo dois em Igarassu. Há um ponto em outros seis municípios metropolitanos. No caso Abreu e Lima; Ipojuca, no Porto de Suape; Cabo de Santo Agostinho; Jaboatão dos Guararapes e Recife. O único município da lista fora da região é o de Goiana, na Mata Norte.


Para o presidente da Copergás, André Campos, o contrato entre a Shell e distribuidora pernambucana deve se tornar referência para outras companhias estaduais do setor. Isso, acrescentou ele, no sentido da busca da diversificação de supridores, para se garantir maior competitividade e estabilidade de preços. O acordo ocorre em um momento de abertura do mercado de gás natural no país.

A celebração do acordo ocorreu de maneira remota, com a participação do governador Paulo Câmara e do secretário estadual Desenvolvimento Econômico Geraldo Julio. No encontro, o presidente da Shell do Brasil, André Araújo, disse que “o gás natural é estratégico” para diversos setores do “parque industrial diversificado e em crescimento” de Pernambuco.

 

CLIPAGEM 13 DE MAIO DE 2021. 

CANAL ENERGIA- MERCADO-13.05.2021

Neoenergia recupera 166,6 GWh no primeiro trimestre

Ações de inspeção, fiscalização e regularização de aproximadamente 24 mil clientes resultaram num volume de energia suficiente para abastecer mais de 970 mil clientes em um mês

Em ações de prevenção e combate a desvios na rede de energia, as distribuidoras da Neoenergia recuperaram cerca de 166,6 GWh de janeiro a março de 2021, volume suficiente para abastecer cerca de 976 mil clientes residenciais por mais de um mês.

Além da Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP e MS), a Neoenergia Distribuição Brasília, que opera sob nova direção há 28 dias, retomou mais de 68% da média anual nos últimos cinco anos com a regularização de mais de mil consumidores e uso de soluções inovadoras, como analytics e sensores inteligentes, chegando a 6 GWh.

No primeiro trimestre, foram realizadas 136 mil inspeções, recuperando mais de 88 GWh nas outras quatro áreas de concessão, onde foram substituídos 115 mil medidores obsoletos ou com possíveis defeitos, uma das estratégias para prevenir irregularidades. Foram ao todo 23 mil clientes, sendo 71 de grande porte, o que resultou em mais de 25 GWh recuperados.

Iluminação pública

Outra frente de combate a desvios está no levantamento e a fiscalização de parques de iluminação pública em mais de 138 mil pontos, totalizando 35 GWh readquiridos, por meio de uma base de imagens via satélite e comparação com as informações de cadastro.

As distribuidoras conseguiram recuperar ainda 1,6 GWh em 36 ações com apoio policial. Vale lembrar que a companhia possui sensores inteligentes instalados em locais estratégicos, considerando estudos de alta complexidade e que permitem acompanhar o balanço energético da rede, indicando os locais mais propensos a fraudes, perdas e demais ocorrências.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO-ECONOMIA-12.05.2021

Celpe recupera energia suficiente para abastecer Olinda por 40 dias

Segundo dados divulgados pela Celpe nesta quarta-feira (12), ações de prevenção e combate a desvios de energia levaram à recuperação de cerca de 48,6 milhões de quilowatts-hora (kWh), entre janeiro e março de 2021. O acumulado é suficiente para abastecer a cidade de Olinda por 40 dias. Para alcançar esses resultados, foram realizadas ações como inspeções e regularização de clientes, com o uso de soluções inovadoras, como analytics e sensores inteligentes.

“A tecnologia nos permite agir de forma estratégica e assertiva, combatendo desvios com mais eficiência, seja com foco em consumidores residenciais e empresariais ou na iluminação pública. Além de permitirem a recuperação de energia, essas ações permitem que as pessoas tenham acesso aos serviços de forma regular e segura”, afirma o diretor de Serviços ao Cliente da Neoenergia, Luiz Flávio Sá.

No primeiro trimestre, foram realizadas mais de 25 mil inspeções, recuperando mais de 26 milhões de kWh, na área de concessão da Celpe. Além das inspeções, a empresa substituiu  43.119 medidores obsoletos e/ou com possíveis defeitos, uma das estratégias para prevenir desvios de energia.

Uma das iniciativas de modernização que contribuem no combate aos desvios é a blindagem de redes, em que as concessionárias do grupo promovem a implantação de novos padrões de rede e a substituição de equipamentos, como cabos e medidores. Uma das principais mudanças é a troca dos medidores, que deixam de ser instalados na fachada ou dentro dos imóveis e passam a integrar um Sistema de Medição Centralizado (SMC), ficando conectados aos postes das distribuidoras, permitindo a telemedição. Com isso, os equipamentos podem ser acompanhados remotamente para executar serviços e identificar interferências na medição.

Outra ação realizada pela Celpe é a regularização de clientes clandestinos, ou seja, a instalação de medidores de energia para consumidores que ainda não têm o equipamento e, portanto, estão irregulares. A solicitação pode ser feita às concessionárias e a ligação é realizada de forma gratuita. Nos três primeiros meses do ano, a Celpe regularizou mais de 10 mil clientes, o que resultou em mais de 600 mil kWh de energia agregada.

Entre as principais ações de combate a desvios de energia, está o levantamento e a fiscalização de parques de iluminação pública. Entre janeiro e março de 2021, foram realizadas iniciativas em mais de 22 mil pontos das áreas de concessão, totalizando uma energia recuperada de 21 milhões de kWh. Neste trabalho, a Celpe utiliza uma tecnologia robusta capaz de executar data analytics, ou seja, a análise dos dados com inteligência. Os sistemas conseguem verificar se o número de postes e a localização deles equivale aos dados que estão catalogados na empresa.

 

CLIPAGEM 12 DE MAIO DE 2021. 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO- NOTÍCIA-11.05.2021

Celpe contrata 42 novas mulheres eletricistas nesta terça-feira (11)

Nesta terça-feira (11), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) contrata 42 novas mulheres eletricistas. As novas profissionais da concessionária foram qualificadas pela própria Celpe, por meio da Escola de Eletricistas. Cinco delas concluíram o curso em turmas mistas, com homens e mulheres. As demais se formaram em turmas exclusivas para mulheres, criadas especialmente com a finalidade de ampliar a igualdade de gênero na profissão que é predominantemente ocupada por homens.

As novas eletricistas estão aptas para realizar todos os serviços relacionados à rede de distribuição de energia elétrica. Durante a capacitação, todas cursaram disciplinas teóricas e práticas, com uma carga horária de 596 horas. As aulas ministradas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-PE) foram desde o funcionamento da eletricidade, até o uso adequado dos equipamentos de proteção individual, das ferramentas e a forma de contato com a rede, tudo com o foco na segurança e no bom atendimento ao cliente.

“Essas contratações são muito importantes para a Celpe, pois demonstram de forma clara nossa intenção em tornar nossa força de trabalho cada vez mais igual, sem nenhum tipo de diferença ou predileção relacionada ao gênero. Essas mulheres chegam prontas para vestir a farda da Celpe e oferecer o mesmo serviço, com a mesma qualidade e segurança que qualquer homem. Todas as alunas que passaram pela Escola de Eletricistas estão aptas para trabalhar em qualquer distribuidora de energia do Brasil”, afirmou o presidente da Celpe, Saulo Cabral.

As 42 novas contratadas serão distribuídas nas equipes da Região Metropolitana e do Agreste, sendo 12 no Cabo de Santo Agostinho, 20 em Caruaru, nove em Garanhuns e uma no Recife.

Além de desenvolver e fortalecer a formação profissional técnica qualificada com foco em segurança, a ação faz parte do compromisso da distribuidora com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, que colocam a Igualdade de Gênero como uma das grandes metas globais a serem atingidas até 2030.

A capacitação também conta com o apoio do Governo de Pernambuco. A Escola de Eletricistas para Mulheres é a primeira parceria firmada com uma instituição privada pelo Programa PE com Elas, desenvolvido pela Secretaria Estadual da Mulher.

 

VOZ DE PERNAMBUCO- NOTÍCIA-11.05.2021

Paudalho: Abastecimento de água foi suspenso em Guadalajara. 

A Compesa informou que o fornecimento de água para o distrito de Guadalajara, no município de Paudalho, precisou ser temporariamente suspenso em função do alto teor de substância química (manganês) presente na água da Barragem de Goitá, decorrente das chuvas dos últimos dias registradas na região.

Segundo a Companhia, a situação compromete o tratamento e distribuição da água na ETA Guadalajara para a população. Por essa razão, a Compesa relata que intensificou o monitoramento da água do reservatório e reforçou o processo de tratamento na ETA, reduzindo significativamente o teor da substância. “O monitoramento continua até que seja possível retomar o abastecimento com toda segurança e dentro dos critérios estabelecidos para a população”, declara o órgão.

DIDI GALVÃO- NOTÍCIA-11.05.2021

Secretária de Infraestrutura vistoria obra de saneamento em Petrolina

A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado, Fernandha Batista iniciou, nesta terça-feira (11), agenda de vistoria técnica no Sertão pernambucano. A primeira parada aconteceu na cidade de Petrolina para conferir o andamento das obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário da Bacia do Jatobá. A intervenção está sendo executada pela Compesa e vai ampliar de 83% para 85% a cobertura do saneamento no município.  A iniciativa conta com investimento de R$ 4,3 milhões.

A expansão do sistema de esgotamento sanitário dessa bacia é uma obra que vai trazer impactos positivos para a saúde pública e a qualidade de vida da população. A expectativa é que a intervenção seja concluída no segundo semestre de 2021”, explica Fernandha Batista. A ação beneficiará cinco mil moradores dos bairros de Jatobá, Fernando Idalino Bezerra, Rio Jordão, Geovana e dos condomínios Sol Nascente e Summerville.

Até a quinta-feira (13), obras de infraestrutura hídrica, viária e para o fortalecimento da aviação regional serão acompanhadas de perto pela gestora. Na agenda, está marcada passagem por cidades como Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Araripina, Afrânio, Dormentes, Ibupi e Salgueiro.

 

DIDI GALVÃO- NOTICIA-11.05.2021

Lucas Ramos celebra ações do Governo de Pernambuco no Sertão do São Francisco e Araripe

O Governo de Pernambuco anuncia, nesta semana, uma série de investimentos no Sertão do São Francisco e do Araripe. Um conjunto de obras de infraestrutura viária, saneamento e abastecimento de água que irão melhorar a qualidade de vida da população. O deputado licenciado e secretário de Ciência, Tecnologia & Inovação, Lucas Ramos (PSB), destaca que o volume de aportes mostra que as demandas das regiões são tratadas como prioridade pelo governador Paulo Câmara.

Nesta terça-feira (11), em Petrolina, será vistoriada a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) da Bacia do Jatobá, obra de R$ 2,4 milhões. Em Lagoa Grande, a PE-574, a Estrada da Uva e do Vinho, será entregue com seus 62,5 quilômetros (Km) requalificados, um investimento de R$ 31 milhões dentro do programa Caminhos de Pernambuco.

Em Santa Maria da Boa Vista, será iniciada a restauração da PE-550. Serão aplicados R$ 26,6 milhões para pavimentação asfáltica e requalificação das vias de rolagem dos seus 46,5 Km. Ainda no Sertão do São Francisco, serão acompanhados os serviços na PE-635, que liga Afrânio a Dormentes. Em fase final de execução, demandaram R$ 24,3 milhões em investimentos.

No Araripe, os anúncios acontecem na quarta-feira (12), com destaque para a vistoria das obras de recuperação da pista do Aeroporto de Araripina, uma obra de R$ 2,9 milhões que tem potencial para revolucionar a logística e desenvolver a aviação regional. Também serão iniciados, na quinta-feira (12), os serviços de restauração da PE-576, um investimento de R$ 38,4 milhões para melhorar a trafegabilidade da rodovia, em seus 18,8 quilômetros (Km), que conectam Ipubi a Trindade.

Executados pela Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra) e pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), os investimentos contemplam ainda a expansão do Sistema de Abastecimento de Água (SAA) da Vila Três Vaqueiros e  a vistoria da pavimentação da VPE-674, no acesso a Lagoa do Barro, ambos na cidade de Araripina. Os anúncios serão liderados pelo governador Paulo Câmara e pela secretária Fernandha Batista.

ND+-ECONOMIA-12.05.2021

Conta de luz vai baixar em SC ainda neste ano, promete Celesc

Anuncio foi feito pelo presidente da empresa, Cleicio Poleto Martins, em visita ao grupo ND

Em visita ao Grupo ND nesta terça-feira (11), o presidente da Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina), Cleicio Poleto Martins, anunciou que a empresa devolverá ao consumidor, a partir de agosto, R$ 750 milhões referentes  a créditos de PIS e Confins. Com isso, a perspectiva é de redução na tarifa de aproximadamente 8%.

“Estamos devolvendo para o consumidor que são créditos de PIS e Confins, onde o STF (Supremo Tribunal Federal) já julgou que os créditos não eram das  concessionarias. Só isso vai representar uma redução significativa (na tarifa)”, avisou Cleicio.

Levantamento da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aponta que a Celesc tem a segunda tarifa mais barata do país, perdendo por R$ 0,01 para uma concessionária do Amapá.

O presidente da Celesc esteve na sede do Grupo ND acompanhado do diretor de Geração, Transmissão e Novos Negócios e de Gestão Corporativa da empresa, Pablo Cupani Carena. Os dois participaram de uma entrevista com jornalistas do grupo e responderam perguntas sobre lucro, investimentos e o mercado elétrico.

Durante a entrevista, Cleicio anunciou o pagamento de R$ 38 milhões em distribuição de lucros, relativa ao resultado de 2020, aos cerca de 3,4 mil empregados. “É a maior distribuição de lucros na história da empresa”, comemorou. Por exemplo, uma atendente comercial que recebe R$ 1,2 mil receberá em torno de R$ 6 mil a mais este mês.

O presidente da Celesc comemorou o lucro de R$ 520 milhões obtidos no ano passado apontado como o maior da história da empresa, o que permitiu a companhia a ter facilidade na aquisição de empréstimos.

“Quando assumir tinha uma dificuldade de empréstimo, existiam bancos que cobravam até 75% de consignados de alguns empréstimos da empresa”, recordou.

“O fato é que hoje acabamos de fazer uma captação de debentures de R$ 550 milhões com uma carência de 18 meses para pagar em cinco anos e não houve consignação alguma, mostramos a credibilidade que nós passamos para o mercado financeiro nos últimos dois anos”, disse.

Parcelamento de dívidas

Cleicio comentou sobre as ações que a empresa adotou diante a crise da pandemia para reduzir o impacto nos consumidores da Celesc. Segundo ele, a empresa fez um esforço gigantesco para reduzir a tarifa no ano passado já que por cumprimento de medidas regulamentárias da Aneel convive com a constante variação do dólar.

 

JORNAL DE BRASILIA-ECONOMIA-12.05.2021

Pior seca da história encarecerá conta de luz o ano todo

Executivos do setor avaliam que, não fosse a queda de demanda provocada pela pandemia, o país correria o risco de racionamento já em 2020

Após a pior seca da história, os reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste terminam o período de chuvas no menor nível desde 2015 e a expectativa é que, como naquele ano, o consumidor seja chamado a cobrir o custo adicional de geração por térmicas até o fim do ano.

A situação é tão crítica que executivos do setor avaliam que, não fosse a queda de demanda provocada pela pandemia, o país correria o risco de racionamento já em 2020. E alertam para o risco de que a oferta de energia se torne gargalo à retomada econômica caso a seca persista no próximo verão.

Na semana passada, o CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico) autorizou o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) a utilizar todos os recursos disponíveis para poupar água nos reservatórios das hidrelétricas, “sem limitação nos montantes e preços associados”.

Nesta segunda-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores que o problema é sério e vai dar “dor de cabeça”. “Só avisando, a maior crise que se tem notícia hoje. Demos mais um azar, né? E a chuva geralmente (cai) até março, agora já está na fase que não tem chuva.”

Desde 2015, a Aneel antecipa parte dos custos das térmicas por meio da cobrança mensal de bandeiras tarifárias sobre a conta de luz. Em maio, já com as perspectivas negativas para o ano, foi acionada a bandeira vermelha nível 1, que acrescenta R$ 4,17 para cada 100 kWh consumidos.

Considerados a principal caixa d’água do setor elétrico brasileiro, os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste fecharam esta segunda com 33,7% de sua capacidade de armazenamento de energia.

No dia 10 de maio de 2015, eram 34,6%. Naquele período, a taxa extra na conta de luz vigorou por 14 meses consecutivos, entre janeiro de 2015 e fevereiro de 2016.

“Este ano vai ser um ano de bandeira vermelha”, diz Alexei Vivan, presidente da ABCE (Associação Brasileira de Companhias de Energia) e especialista em energia do escritório CTA Advogados. “É uma confluência negativa para o consumidor, já prejudicado pela pandemia.”

“A gente sabe que vai ter um aumento de preços e tarifas”, diz Mario Menel, da Abiape (Associação Brasileira dos Autoprodutores de Energia). “A perspectiva é ficarmos por muitos meses [em bandeira vermelha] e se estender para bandeira vermelha 2 [que adiciona R$ 6,24 a cada 100 kWh].”

O impacto pode ser ainda maior caso a Aneel prossiga com proposta para aumentar o custo das duas bandeiras vermelhas, que passariam a R$ 4,60 e R$ 7,57, respectivamente. A proposta estava sendo discutida em consulta pública até a semana passada.

As bandeiras não são o único mecanismo de repasse do elevado custo das térmicas. Elas antecipam esse custo para sinalizar ao consumidor que o produto é escasso. Mas parte do gasto extra é paga na revisão tarifária das distribuidoras de energia, que ocorrem durante o ano.

A conta está em um encargo chamado ESS (Encargos de Serviços do Sistema), cujo valor pode dobrar este ano, chegando a R$ 20 bilhões, segundo estimativas do setor. Isto é, além das parcelas mensais, o consumidor deve ter um reajuste maior quando a distribuidora que lhe atende passar pela revisão tarifária.

Além da falta de chuvas, especialistas dizem que o cenário atual reflete também falta de investimentos em fontes menos dependentes de condições meteorológicas, já que as usinas eólicas e solares sustentaram boa parte da expansão da oferta nos últimos anos.

As térmicas a gás, por exemplo, garantem um suprimento mais firme de energia, ajudando a poupar água nos reservatórios e a evitar o uso de usinas a óleo, que pelo elevado custo são conhecidas no mercado como Chanel n.5, em referência um dos menores e mais caros perfumes.

Geralmente, o período seco vai até setembro ou outubro, quando as chuvas da primavera começam a repor água nos rios. Com as medidas para poupar água, o ONS espera que os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste chegarão a outubro com 20% de sua capacidade, mesmo patamar do início de 2020.

O mercado se preocupa, porém, com a capacidade de atendimento à esperada retomada econômica após a vacinação da população contra a Covid-19. “Sem dúvidas estamos em um ano desafiador”, diz Luiz Barroso, presidente da consultoria PSR e ex-presidente da estatal Empresa de Planejamento Energético.

Ele ressalta, porém, que ainda não vê motivo para pânico. “As variáveis a serem monitoradas são disponibilidade de gás para térmicas e as naturais disputas pelo uso da água, além da produção das renováveis”, afirma.

Executivos do setor alertam para alguns riscos nestas variáveis. Primeiro, um quarto da capacidade térmica brasileira está indisponível neste momento, seja por obras de manutenção em unidades geradoras, seja por gargalos no sistema de transmissão.

Além disso, a Petrobras prevê parar para manutenção, em agosto, um dos principais sistemas produtores de gás do país, o campo de Mexilhão, no litoral paulista. Ao mesmo tempo, aproveitará para fazer manutenção em térmicas que consomem esse gás.

A estatal disse que “a intervenção possibilitará a manutenção preventiva e a realização de melhorias nas instalações, garantindo a continuidade e a segurança nas operações de escoamento e fornecimento de gás natural no país” e que o cronograma foi negociado com o ONS.

O operador diz que acompanha de perto a situação de 161 reservatórios no país e faz a gestão contínua dos recursos energéticos para garantir o abastecimento da sociedade.

“A situação requer atenção, já que estamos atravessando um período hidrológico desfavorável, mas o importante, neste momento, é garantir que estamos realizando todas as ações necessárias para operar o sistema com segurança e de forma a atender a demanda elétrica do país”, afirmou.

 

CLIPAGEM 11 DE MAIO DE 2021. 

CANAL ENERGIA-OPERAÇÃO-11.05.2021

Aneel autoriza operação de 20,35 MW de eólicas

Teste das unidades geradores começou no último sábado, 8 de maio

A Agência Nacional de Energia Elétrica liberou a unidade geradora UG5, de 3,55 MW de capacidade instalada, da EOL Costa das Dunas. Localizada no município de Touros, no estado do Rio Grande do Norte, de titularidade da SPE Costa das Dunas Energia S.A. Foram liberadas também as unidades geradoras UG5 a UG8, de 4,2 MW cada, totalizando 16,8 MW de capacidade instalada, da EOL Campo Largo XX. Localizada no Município de Sento Sé, no Estado da Bahia, de titularidade da CLWP Eólica Parque XX S.A.. O início da operação em teste das unidades geradores se deu a partir do último sábado, 8 de maio, segundo despachos publicados no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 10.

 

 DIDI GALVÃO-NOTICIA-10.05.2021

Secretária de Infraestrutura vistoria obras em cidades do Sertão

Desta terça (11) até quinta-feira (13), Fernandha Batista visitará ações viárias, hídricas e de aviação na região.

Obras de infraestrutura viária, hídrica e para o fortalecimento da aviação regional no Sertão pernambucano, serão vistoriadas desta terça (11) até a quinta-feira (13), pela secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado, Fernandha Batista. A gestora cumprirá extensa agenda de visita técnica em cidades como Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Araripina, Afrânio, Dormentes, Ipubi e Salgueiro.

Dentro do Programa Caminhos de Pernambuco, Fernandha irá conferir o andamento de ações como a implantação e pavimentação da PE-674, no acesso a Lagoa do Barro, em Araripina, que está recebendo investimentos no valor de R$ 2,5 milhões; e na reconstrução dos 33 quilômetros da PE-635, entre as cidades de Afrânio e Dormentes, na região do São Francisco, beneficiada com aporte de R$ 25 milhões. Os trabalhos nas localidades são executados pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Prevista na agenda, tem visita às obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário da Bacia do Jatobá, em Petrolina, à implantação do novo sistema produtor de Salgueiro, além da inauguração da rede de expansão de água da Vila Três Vaqueiros, em Araripina. As iniciativas são realizadas por meio da Compesa. Na passagem pelo Araripe, na quarta-feira (12), haverá, ainda, visita ao Aeroporto de Araripina, cujo processo para contratação das obras está prestes a ser concluído.

Vamos percorrer esta semana diversas cidades sertanejas para acompanhar o desenvolvimento de ações em andamento pela pasta, que vão levar crescimento social e econômico ao Sertão como um todo. Esse trabalho de vistoria é muito importante para que todas as obras saiam de acordo com o projeto proposto”, explica a secretária Fernandha Batista.

A titular da pasta destaca que, atualmente, o Programa Caminhos de Pernambuco está investindo em melhoria asfáltica em todas as regiões. O Governo do Estado está injetando cerca de R$ 246 milhões em ações, sendo R$ 79 milhões em intervenções já concluídas, R$ 167 milhões para obras em andamento e aproximadamente R$ 65 milhões em serviços de manutenção rotineiras, executadas por meio do DER.

 

RÁDIO JORNAL-NOTÍCIA-10.05.2021

Compesa: Saiba quais bairros passam a ter água todos os dias no Recife

Novo esquema de abastecimento de água da Compesa entra em vigor nesta terça-feira (11)

Devido às chuvas registradas na Região Metropolitana do Recife nas últimas semana, a Compesa informou que mais 60 mil pessoas passarão a ter abastecimento diário na capital pernambucana. O novo esquema de distribuição com água 24 horas passa a valer a partir desta terça-feira (11). 

Localidades beneficiadas 

A mudança ocorrerá em parte dos bairros do Ipsep, Afogados e Imbiribeira, no Recife. Será o fim do rodízio nessas áreas a partir da ampliação da oferta de água pelo Sistema Pirapama, cuja barragem está localizada no Cabo de Santo Agostinho.

Mudança na vazão

Recentemente o sistema, que operava com uma vazão de 4.500 litros por segundo, passou para 5.000 litros por segundo, beneficiando 430 mil pessoas na RMR com mais água nas torneiras. Segundo a Compesa, novos ajustes operacionais executados nas redes vão garantir abastecimento diário para mais 60 mil pessoas.

“A regularidade das chuvas nos últimos dias foi determinante para promovermos novos ajustes no sistema, conforme orientado pelo governador Paulo Câmara. Fizemos alguns testes e anunciamos mais uma boa notícia para a população. Já vínhamos promovendo melhorias no abastecimento destes bairros e agora, de forma responsável e segura, foi possível pôr fim ao rodízio ofertando água 24 horas”, explica a presidente da Compesa, Manuela Marinho 

 

FOLHA DE PERNAMBUCO-ECONOMIA-11.05.2021

Copergás deve investir R$ 370 milhões até 2025

Expectativa da companhia é de que em cinco anos, mais oito municípios integrem a rede de gás natural

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) está planejando investir R$ 370,4 milhões no Estado, até o ano de 2025, dentro do seu plano de Estratégia de Longo Prazo (ELP) da companhia. O aporte é destinado para aplicação de uma série de projetos que atendem às necessidades da expansão da malha de distribuição para o interior e Região Metropolitana e adequam a empresa às demandas do mercado de gás natural.

Segundo a Copergás, a previsão é de que os valores investidos sejam de R$ 66,8 mi em 2021; R$ 71,50 mi em 2022; R$ 73,83 mi em 2023; R$ 77,63 mi em 2024 e R$ 80,64 mi em 2025.

Entre as obras elencadas para receber os recursos, estão a finalização do gasoduto Camaragibe-Carpina, a expansão em Caruaru e o projeto pioneiro no Norte-Nordeste em Petrolina (no Sertão) e Garanhuns (Agreste). Os dois últimos municípios vão passar a ser atendidos por meio de uma rede local, onde o transporte de gás natural liquefeito (GNL) será pelo modal rodoviário.

Na avaliação do presidente da Copergás, André Campos, o investimento deste nível é possível graças ao que foi investido anteriormente e assim, garantir um serviço que contribua para o desenvolvimento do Estado. “Os resultados que temos obtido nos dá confiança de que o ritmo de crescimento será mantido”, disse.

De acordo com o diretor técnico e comercial da Copergás, Fabrício Bomtempo, a expectativa é de que ao final dos cinco anos de planejamento, a companhia atenda não só a Região Metropolitana do Recife (RMR), como o interior do Estado. “A gente espera ampliar o percentual de atendimento da população que tenha acesso ao gás natural. Ao longo dos cinco anos, vamos incorporar mais 8 municípios, e estaremos assim presentes nos municípios que representam 79% do PIB do Estado e 65% da população do estado”, destacou.

Atualmente são 22 municípios atendidos por distribuição de rede da Copergás, e ao final deste Plano, cidades como Garanhuns, Petrolina, Nazaré, Escada, Tracunhaém, São Lourenço da Mata, Carpina e Paudalho, devem fazer parte da rede.

Do total investido, a companhia irá também buscar o aumento da carteira de clientes nos segmentos residencial, comercial, industrial e veicular. “É um plano de investimento agressivo, expandir a estrutura, atrair usuários para o gás natural, seja qual for o segmento. O gás natural traz vantagens, em termos de comodidade, impacto ao meio ambiente, é mais econômico, e as pessoas precisam conhecer”, declarou Bomtempo.

O diretor da Copergás comenta ainda que até o final do ano, a companhia espera que o gás natural esteja presente em mais estabelecimentos. “Em Pernambuco a taxa de crescimento tem sido acima da média. Devemos em 2021 crescer da mesma forma e em 2021 pretendemos atingir a marca de mil quilômetros de rede, além de chegar a ligar 20 novas indústrias este ano, dobrando o que foi feito ano passado. Hoje temos em torno de 100 indústrias atendidas, e chegaremos a 121 no final do ano”, completou.

 

CLIPAGEM 03 DE MAIO DE 2021. 

JORNAL DO COMMERCIO – ECONOMIA - 30.04.2021

Preço médio do gás natural sobe em Pernambuco, e motoristas de app vão ter que gastar mais para continuar rodando.

A recomposição tarifária foi aprovada nessa quinta-feira (29) pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe).

Começa a valer a partir deste sábado (1º) o aumento médio de 32,55% no preço do gás natural vendido pela Companhia Pernambucana de Gás (Copergás). A recomposição tarifária foi aprovada nessa quinta-feira (29) pela Agencia Reguladora de Pernambuco (Arpe), como forma de repassar o reajuste de 38,77% no preço do gás natural adquirido à Petrobras. Com a alta, motoristas de aplicativos, como Uber e 99, deverão desembolsar um pouco mais de dinheiro para continuar trabalhando.

Não, porém, previsão de aumento no valor das tarifas do apps para os passageiros.

Segundo portaria publicada na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (30), os novos preços valerão até o dia 31 de julho de 2021, quando deverão sofrer alterações, visto que o reajuste dos preços é trimestral. Na avaliação do presidente da Copergás, André Campos, em entrevista recente ao JC, nos próximos meses, não deve haver redução dos preços. "Em novembro do ano passado tivemos uma redução de 2% (...) mas eu não vejo um cenário da redução de preços", comentou.

GNV continua vantajoso

No entanto, apesar do aumento, Campos afirmou que o Gás Natural Veicular (GNV) vai continuar sendo vantajoso em relação aos outros combustíveis. "O consumo do metro cúbico [de GNV] em relação ao litro [de gasolina] ainda é muito vantajoso e vai continuar sendo, mas é um impacto grande. Um aumento absurdo. Em fevereiro, já havíamos tido um outro aumento", afirmou. 

O metro cúbico do GNV comprimido passa de R$ 1,84 para R$ 2,48, somando com as tributações. Nos postos, para o consumidor final deve ser de 21%, segundo a Copergás. Em Pernambuco, há 69.304 usuários de GNV. 

Indústria preocupada

O setor industrial em Pernambuco está preocupado com o reajuste do preço do no gás natural para as distribuidoras. O receio é que o aumento pressione ainda mais os custos das empresas e se reverta em perda de competitividade e comprometimento do fluxo de caixa. Para o setor, o reajuste médio ficou em 17%.

É a Copergás que compra o gás da Petrobras e distribui com diversos setores no Estado, um total de 106 clientes industriais. O número é pequeno diante de um parque industrial de 15 mil empresas, mas são grandes consumidores. Além da indústria, a Copergás atende a 774 clientes comerciais, 52.812 residenciais e 82 postos de combustíveis.

O gerente de Relações Industriais da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Maurício Laranjeira, também em entrevista recente ao JC, disse que o setor já tinha informação de que o aumento viria, só não esperava que fosse tão alto. "Essa alta do gás poderá implicar na perda de competitividade e complicar o fluxo de caixa. Geralmente as grandes indústrias que utilizam o gás natural são exportadoras e os concorrentes internacionais não estão enfrentando a mesma desvalorização de suas moedas como o real. Dessa forma, acabamos ficando menos competitivos", observou.

O executivo também destaca que tem sido difícil para a indústria repassar os custos para o preço final porque o mercado já está retraído. Todo esse cenário se reflete no índice de confiança do empresário e na retomada da economia. "O aumento no ritmo da vacinação poderia refletir no índice de confiança, que reflete a possibilidade de realizar investimentos e apostar em contratações", afirmou. No setor continuam faltando matérias-primas como plástico, embalagens, produtos químicos e tantas outras.

O setor compartilha da proposta do secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, de que a política de reajuste de combustíveis da Petrobras não fosse 100% atrelada ao dólar. O secretário afirmou que a culpa do aumento dos combustíveis era da Petrobras e sugeriu uma equalização da produção nacional (60%) e da importação (40%) de combustíveis com o dólar.

"Como a Petrobras tem uma produção local expressiva, não seria necessária essa indexação tão grande com o dólar", também defendeu Maurício Laranjeira. Diante de tantos desafios, a expectativa é que a indústria tenha uma trajetória de recuperação a partir do segundo semestre. Em Pernambuco, apesar da pandemia em 2020, a indústria fechou o ano com crescimento de 1%.

 

JORNAL DO COMMERCIO – ECONOMIA-30.04.2021

Com bandeira vermelha 1, conta de luz ficará mais cara em maio

Desde janeiro, vigorou a bandeira amarela, cuja cobrança é de R$ 1,343 a cada 100 kWh.

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (30), que acionará bandeira vermelha em seu primeiro patamar no mês de maio. Com isso, a conta de luz dos consumidores ficará mais cara a partir do próximo mês, com cobrança de taxa adicional de R$ 4,169 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Desde janeiro, vigorou a bandeira amarela, cuja cobrança é de R$ 1,343 a cada 100 kWh. Em nota, a agência explicou que o mês de abril marcou o fim do período de transição entre as estações de chuva e seca nas principais bacias hidrográficas do sistema elétrico. O nível dos reservatórios é o pior já registrado, desde 1931.

"Em maio, inicia-se o período seco, com os principais reservatórios apresentando estoques reduzidos para essa época do ano", diz a nota. O cenário, segundo a agência, sinaliza piores condições para geração de energia hidrelétrica e a maior necessidade de acionar usinas térmicas, que geram energia mais cara.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 para sinalizar ao consumidor o custo da geração de energia elétrica no País. Na prática, as cores e modalidades - verde, amarela ou vermelha- indicam se haverá ou não cobrança extra nas contas de luz.

A bandeira verde, quando não há cobrança adicional, significa que o custo para produzir energia está baixo. O acionamento das bandeiras amarela e vermelha representa um aumento no custo da geração e a necessidade de acionamento de térmicas, o que está ligado principalmente ao volume dos reservatórios e das chuvas.

Novos valores

Em março, a agência reguladora propôs novos valores para as bandeiras tarifárias. Pela proposta, as taxas cobradas na bandeira vermelha irão aumentar. No patamar 1, a taxa adicional pode subir de R$ 4,169 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos para R$ 4,599 - aumento de 10%. No patamar 2, o mais caro do sistema, o reajuste pode chegar a 21%, passando de R$ 6,243 a cada 100 kWh para R$ 7,571.

No caso da bandeira amarela, a previsão é de redução de 26% no valor. A cobrança passaria de R$ 1,343 a cada 100 kWh para R$ 0,996. A proposta ficará em consulta pública até 7 de maio e poderá ser modificada. Após essa fase, a diretoria votará uma proposta final e estabelecerá os novos valores a serem pagos pelos consumidores de todo o País.

 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO-LOCAL-30.04.2021

Empresas são identificadas pela Celpe por roubo de energia suficiente para abastecer 22 mil casas por um mês

Uma fábrica de pães, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e uma distribuidora de frios e congelados, em Muribeca, no município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana, foram identificadas desviando energia nesta semana. De acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), as equipes técnicas constataram ligações diretas na rede de distribuição de energia nas duas unidades. As ações realizadas pela área de inteligência da empresa recuperaram 2,8 milhões de kWh, o suficiente para abastecer aproximadamente 22 mil residências pelo período de 30 dias.

“Para descobrir as fraudes, realizamos algumas avaliações através de informações levantadas pelo núcleo de inteligência. Enviamos uma equipe de inspeção aos locais e constatamos as irregularidades”, relata o gerente de Recuperação de Receita da Celpe, Gustavo Santos.

Na fábrica de pães, responsável por suprir grande parte das sanduicherias da cidade, a Celpe identificou que a energia consumida no local vinha direto da rede da concessionária, sem passar pelo medidor. Durante a ação, a concessionária regularizou o cliente.

Segundo a companhia, a forma de furtar energia da distribuidora de frios foi um pouco diferente. “Isso porque ela utilizava um medidor furtado e não cadastrado na companhia, o que inviabilizava a leitura e a cobrança do consumo mensal”. A Celpe também regularizou o cliente. 

A Celpe reforçou que o furto de energia é crime sujeito às penalidades do artigo 155 do Código Penal Brasileiro. Além de acarretar prejuízos à população, a prática representa riscos de acidentes graves. Em caso de denúncias, os clientes podem entrar em contato pelos canais de atendimento da concessionária, sem a necessidade de identificação.

EXAME-NOTÍCIAS-02.05.2021

Neonergia usa inteligência artificial para prever falhas no sistema

Com dispostivos monitorados em tempo real, novo centro integrado passa a gerenciar ativos digitais da companhia.

O Centro de Gerenciamento de Redes Inteligentes (CEGRI) da Neoenergia, onde gerenciadas todas as operações de telecomunicações e de redes inteligentes das distribuidoras da companhia, passará a concentrar a gestão e monitoramento dos ativo digitais. Isso significa que todos os equipamentos digitais utilizados nas operações das redes de energia, tais como religadores, medidores, sensores e transformadores inteligentes, vão ser geridos no centro. A iniciativa contribui para o controle da performance dos ativos e é integrada ao Centro de Inovação da Iberdrola – controladora da Neoenergia – localizado no Qatar, onde existem supercomputadores que analisam os dados dos equipamentos e contribuem na manutenção preditiva, antecipando possíveis falhas e ocorrências. 

A atualização do CEGRI integra um projeto global da Iberdrola para que os demais centros da companhia ao redor do mundo – Espanha, Reino Unido e Estados Unidos – também passem a monitorar os ativos digitais. No Brasil, são mais de 75 mil dispositivos monitorados. 

“Os dispositivos estão presentes em toda infraestrutura da rede de energia, como postes, subestações e nos medidores dos clientes. Com essa integração dos equipamentos digitais juntamente com as operações de telecomunicações e ativos de redes inteligentes, é possível monitorar tudo em tempo real, identificando problemas antes que eles aconteçam”, afirma Marcel Tolentino, gerente de tecnologia operativa da Neoenergia e responsável pelo CEGRI.

A manutenção preditiva é possível devido ao uso de data analytics em combinação com inteligência artificial. A partir daí, cria-se um algoritmo capaz de prever quando uma falha vai acontecer a partir dos históricos de dados coletados pelos equipamentos, que chega a 10 gigabytes por dia. O desafio está em transformar essa quantidade de dados em informações que possibilitem auxiliar em uma melhor tomada de decisão, e é isso o que os supercomputadores fazem. Localizados no Centro de Inovação da Iberdrola no Qatar, a previsão é que, até o final do primeiro semestre de 2021, esse algoritmo de predição passe por um refinamento para fazer predições com assertividade superior a 90%. 

O resultado é a possibilidade de tomar decisões de modo ágil, o que reforça a confiabilidade das operações e aumenta a capacidade de atuação da distribuidora de forma a diminuir ou evitar impactos de falhas na rede. Outro benefício está no fato de que o atendimento às ocorrências é centralizado em um único local, o que otimiza a eficiência das equipes de campo e dos especialistas do Centro de Operação, que trabalham em conjunto com o CEGRI. 

O Centro de Gerenciamento de Redes Inteligentes fica na Coelba, concessionária da Neoenergia na Bahia, e pode ser operado remotamente a partir das outras três distribuidoras – Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP/MS). A previsão é que, no segundo semestre de 2021, a operação do CEGRI seja integrada também à CEB-D, distribuidora da Neoenergia em Brasília. 

G1-CARUARU-31.04.2021

Compesa suspende temporariamente abastecimento de água em distrito de Batateiras, em Belém de Maria.

Paralisação será feita por causa de uma manutenção da bomba que abastece o local.

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) suspendeu o abastecimento de água no distrito de Batateiras, em Belém de Maria, na Mata Sul pernambucana, até às 16h do sábado (1º)

Através de nota, a companhia informou que a paralisação será feita para a realização da manutenção emergencial da bomba que abastece o local.

A companhia informou que o abastecimento das casas será feito através de carros-pipa até o momento em que a manutenção for concluída.

AGÊNCIA BRASIL-ECONOMIA -01.05.2021

Aneel realiza leilão de energia para atender localidades isoladas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizou hoje (30) um leilão para fornecimento de energia para as localidades isoladas do Sistema Interligado Nacional. O certame contratou soluções de suprimento em óleo diesel ou fontes renováveis, para atender a 23 localidades nos estados do Acre (AC), Amazonas (AM), Pará (PA), Rondônia (RO) e Roraima (RR). O início do suprimento em 1º de abril de 2023 e a duração dos contratos varia de 28 a 180 meses, a depender da localidade.

Organizado em conjunto com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o 2º Leilão de Energia para Sistemas Isolados negociou a potência total de 97,28 MW. As fonte de energia ofertadas foram óleo diesel, gás natural e biodiesel.

Pelas regras, venceu a disputa a empresa que ofereceu o maior deságio em relação ao valor inicial previsto em edital: de R$ 1.293,00/MWh para o Lote 1 (AC); R$ 1.308,00/MWh para o Lote 2 (AM); R$ 1.438,00/MWh para o Lote 3 (PA); R$ 1.393,00/MWh para o Lote 4 (RO) e R$ 1.253,00/MWh para o Lote 5 (RR).

O primeiro lote, no Acre, foi negociado com deságio de 15,08% e preço final de R$ 1.098/MWh. A solução energética foi o óleo diesel. No total, estão previstos investimentos de R$ 161.596.000, ao longo do contrato de 30 meses, para atender as localidades de Cruzeiro do Sul, Feijó e Tarauacá.

Já o segundo lote, que atende as localidades de Anamã, Anori, Caapiranga, Codajás e Novo Remanso, no Amazonas, foi arrematado com o deságio de 31,96%, preço final de R$ 890/MW. O total de investimentos previstos é R$ 89.960.339,23, ao longo do contrato de 180 meses, com fonte de suprimento a gás natural.

O terceiro lote negociou energia para as localidades de Anajás, Água Branca, Crepurizão, Faro, Gurupá, Jacareacanga, Muaná, Porto de Moz, São Sebastião da Boa Vista e Terra Santa, no Pará. O deságio foi de 23,5% com preço corrente de R$ 1.100/MWh. Os contratos variam de 28 a 46 meses de acordo com a região e a solução foi o biodiesel. No total, estão previstos R$ 78.018.858,70 de investimentos.

Com deságio de 10,1% e preço corrente de R$ 1.252,31/MWh, o quarto lote negociou energia para as localidades Urucumacuã e Izidolândia, em Rondônia. O contrato é de 180 meses, com o biodiesel como fonte. Os investimentos previsto são de R$ 5.692.841,40.

O último lote foi arrematado com deságio de 21% com preço corrente de R$ 989,97/MWh. O lote é formado pelas localidades Uiramutã, Pacaraima e Amajarí, em Roraima. O contrato é de 60 meses, com solução a óleo diesel. São previstos investimentos de R$ 20.286.000 ao longo do contrato.

G1-ECONOMIA-01.05.2021

Aneel aciona 'bandeira vermelha', e conta de luz ficará mais cara em maio em todo o país.

Decisão pela bandeira vermelha 1 representa taxa adicional de R$ 4,169 para cada 100 kWh consumidos. Baixo nível dos reservatórios hídricos e início da estação seca foram determinantes.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (30) que a conta de luz terá bandeira vermelha 1 no mês de maio. Isso significa que será cobrada uma taxa adicional mais alta, de R$ 4,169 para cada 100 kWh.

Em abril, as faturas de todo o país foram fechadas com bandeira amarela, que representa R$ 1,34 a mais a cada 100 kWh. Segundo a Aneel, o "agravamento" da bandeira tem relação com a época do ano, já que o mês de maio marca o início da estação seca em boa parte do país.

Os reservatórios das principais usinas hidrelétricas do país já estão baixos, mesmo ao fim da temporada de chuvas. O cenário, diz a agência, sinaliza um "patamar desfavorável de produção" de eletricidade – quanto menos água guardada, maior a necessidade de acionamento das termelétricas, que são mais caras.

"Essa conjuntura sinaliza patamar desfavorável de produção pelas hidrelétricas e elevada necessidade de acionamento do parque termelétrico, pressionando os custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) e o preço da energia no mercado de curto de prazo (PLD). A conciliação desses indicadores levou ao acionamento do patamar 1 da Bandeira Vermelha", informou a Aneel.

Em fevereiro, o Jornal Nacional mostrou que os níveis dos reservatórios do Sudeste e do Centro-Oeste em janeiro foi o mais baixo dos últimos seis anos.  Conta de luz: Por que a tarifa pode ficar mais cara para o consumidor em maio

A aplicação da bandeira vermelha nas contas de luz tem impacto sobre a inflação geral do país. Até março, o índice oficial acumulava alta de 6,10% em 12 meses – acima da meta de inflação para este ano, que é de 3,75%.

Sistema de bandeiras

O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo de geração de energia. A bandeira fica na cor verde quando o nível dos reservatórios está alto e não há necessidade de acionamento extra de usinas térmicas, cuja produção de energia é mais cara.

Com os reservatórios baixos, a perspectiva é de alta no custo da energia já que exige o acionamento de mais térmicas. Assim, a bandeira pode passar para as cores amarela e vermelha (patamar 1 ou 2).

O objetivo do sistema de bandeiras é informar aos consumidores quando o custo aumenta e permitir que eles reduzam o uso para evitar pagar uma conta de luz mais cara.

JOVEM PAN-NOTÍCIAS-01.05.2021

Aneel aciona bandeira vermelha e conta de luz ficará mais cara em maio

Mudança significa uma taxa adicional de R$ 4,169 para cada 100 kWh consumidos.

A decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) foi de uma cobrança extra na conta de luz dos brasileiros. A partir de maio, será cobrado a bandeira vermelha 1, que significa uma taxa adicional mais alta de R$ 4,169 para cada 100 kWh consumidos. As bandeiras tarifárias servem para sinalizar a melhora ou piora das condições de abastecimento de energia elétrica no país. Elas são acionadas quando o nível dos reservatórios das hidrelétricas está baixo. Em abril, as faturas de todo o país foram fechadas com bandeira amarela, que representa R$ 1,34 a mais a cada 100 kWh. Segundo a Aneel, a mudança está relacionada com a época do ano, já que o mês de maio marca o início da estação seca em boa parte do país e os reservatórios das principais usinas hidrelétricas do país já estão baixos. A mudança da bandeira gera impacto sobre a inflação geral do país. Até março, o índice oficial acumulava alta de 6,10% em 12 meses – acima da meta de inflação para este ano, que é de 3,75%.

JORNAL NACIONAL-NOTÍCIA-30.04.2021

Aneel decide que bandeira tarifária vai passar de amarela para vermelha em maio

As contas vão trazer uma taxa extra de R$ 4,16 para cada 100 kWh consumidos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu que a bandeira tarifária vai passar de amarela para vermelha patamar um, em maio. As contas vão trazer uma taxa extra de R$ 4,16 para cada 100 kWh consumidos.

Depois do fim da temporada de chuvas, a Aneel avaliou que está muito baixo o nível dos reservatórios das principais hidrelétricas.

AGÊNCIA BRASIL-ECONOMIA -01.05.2021

Aneel: energia fica mais cara

Energia mais cara em maio. É que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) passou a bandeira tarifária de amarela para vermelha. Com isso, a conta vai ter um acréscimo de R$ 4,16 a cada 100 kilowatts/hora de consumo.

Esse sistema de bandeiramento foi criado em 2015 e sinaliza o custo real da energia gerada. Ela é dividida em verde, amarela ou vermelha. Quando a bandeira é verde, o custo da conta não tem alteração; com a amarela, o acréscimo é de R$ 1,35 a cada 100 kilowatts/hora consumidos; e quando a bandeira está vermelha, o aumento na tarifa é maior.

Vale sempre lembrar a importância de se economizar energia. São aquelas precauções básicas: não deixar luzes acesas desnecessariamente, tomar banhos mais curtos. Aliás, deixar o chuveiro numa potência mais baixa pode ajudar também.

Quem tem ar-condicionado é bom evitar deixar janelas abertas e manter os filtros limpos, para o aparelho trabalhar sem sobrecarga. E atenção com a geladeira: deixar a porta aberta é desperdício de energia na certa!

E uma coisa que muita gente não sabe é que os aparelhos em modo stand-by também gastam energia. Menos do que quando estão ligados, mas gastam. E isso tudo pode impactar na conta de luz, no fim do mês.

SOBRAONLINE-ECONOMIA-01.05.2021

Conta de luz mais cara: Aneel aciona patamar 1 da bandeira vermelha em maio

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira (30) que vai acionar a bandeira vermelha em patamar 1 no mês de maio. Com isso, haverá um acréscimo de R$ 4,169 a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos nas contas de energia.  

A falta de chuva no País e o baixo nível dos reservatórios hidrelétricos impulsionou a decisão da Aneel, conforme explica Luís Carlos Queiroz, presidente do Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia/CE).

“A quadra chuvosa do ano passado foi muita baixa, o que reduziu a capacidade de reservatórios. Por isso, preventivamente, as usinas termelétricas são acionadas, o que ocasiona no aumento da tarifa e o reajuste das contas, pois essa é uma energia mais suja e também mais cara”, detalha. Null

Para Queiroz, a expectativa do crescimento do mercado, com o início da vacinação e a retomada da economia, também gerou essa precaução pelo órgão. Com maior produção, maior o consumo de energia elétrica.   

CAPACIDADE DE RESERVATÓRIOS  

A atual capacidade dos reservatórios preocupa especialistas. Um dos principais do País, o subsistema do Sudeste e Centro Oeste, está com 34,8% da capacidade, de acordo com a última atualização nessa quinta-feira (29) do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).  

Já no subsistema do Nordeste, o reservatório comporta atualmente 66,84% da capacidade total.  

O presidente do Sindienergia projeta que, com a tarifa acionada, serão feitos novos reajustespesados na conta de energia. No último dia 22, a Aneel aprovou aumento de 7,55% nas cobranças de consumidores residenciais da Enel Ceará, valor já bem acima da inflação. O reajuste médio será de 8,95%. “Ainda estamos em maio e a bandeira vermelha já foi acionada, com certeza, terá um reajuste com valor bem expressivo em 2022″. LUÍS CARLOS QUEIROZ presidente do Sindienergia –CE. 

MUDANÇAS SUSPENSAS  

Por conta da pandemia, entre os meses de maio e novembro de 2020, a agência decidiu suspender temporariamente o acionamento das bandeiras de alerta para minimizar os gastos de consumidores diante da crise econômica.  

Em dezembro, foi acionada a bandeira vermelha 2, com custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.  

Com isso, a compensação veio no início deste ano. Já em janeiro, a Aneel acionou a bandeira amarela e manteve a decisão até o mês de abril. O que levou uma cobrança de taxa adicional de R$ 1,343 para cada 100 quilowatts-hora consumidos (kWh) nas contas de energia.

ENTENDA O SISTEMA DE BANDEIRAS 

Em 2015, a Aneel instituiu o sistema de bandeiras tarifárias como uma forma de compartilhar com os consumidores as condições e custos de geração de energia no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas está favorável, é acionada a bandeira verde e não há custos adicionais, o que deixa a conta mais barata.  

No entanto, quando as condições não estão favoráveis, a agência pode acionar as bandeiras, amarela, vermelha em patamares 1 ou 2. Cada uma adiciona uma tarifa na conta de energia na tentativa de sinalizar para o consumidor os cuidados com relação ao consumo.

 

CLIPAGEM 29 DE SETEMBRO DE 2020. 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO -AÇÃO- 28.09.2020

Mutirão online do Procon Recife negocia débitos com a Compesa

O Procon Recife realiza o terceiro mutirão online de negociação de dívidas vencidas. Desta vez, o consumidor terá a oportunidade de quitar os débitos com a Compesa. A ação vai acontecer desta segunda-feira (28) até a próxima sexta-feira. As negociações são feitas através do site procon.recife.pe.gov.br, no ícone "Mutirão Online Compesa". No primeiro mutirão online, foram mais de 1.100 atendimentos de negociação com a Celpe e, no segundo, quase 1.500 com bancos.

Os consumidores que tiverem dificuldade em aderir ao sistema online poderão ser auxiliados pelo Procon Recife, através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., das redes sociais @proconrecife ou ainda de forma presencial, com prévio agendamento, através do site www.procon.recife.pe.gov.br.

Ao receber o formulário do consumidor, o Procon Recife encaminha para a Compesa e o cidadão recebe uma resposta em até 48h com uma proposta de quitação. "Esses mutirões são oportunidades muito interessantes para os consumidores, porque a intermediação de órgãos de defesa do consumidor possibilita descontos e parcelamentos realmente diferenciados, facilitando a recuperação de crédito por parte do consumidor", explica Ana Paula Jardim, presidente do Procon Recife.

NE 10- BLOG DO JAMILDO-- 28.09.2020

TCE-PE suspende licitação de Petrolina que pode afastar Compesa de serviços de água e esgoto

Uma medida cautelar, expedida pelo conselheiro Carlos Neves, do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), suspendeu um processo de concorrência nacional, da Prefeitura de Petrolina, para “Exploração dos Serviços Públicos de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário naquele Município”.

A concorrência visa à escolha de uma nova empresa para os serviços de água e esgoto na cidade, substituindo a Compesa, estatal do Governo de Pernambuco.

As informações constam do Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado.

Supostas irregularidades

O conselheiro atendeu um pedido de uma das empresas interessadas na concorrência, a IGUÁ SANEAMENTO S/A.

A abertura dos envelopes das propostas estava marcada para a manhã desta segunda-feira (28), segundo o TCE.

Carlos Neves apontou três supostas irregularidades na licitação, conduzida pelo prefeito Miguel Coelho (MDB).

“a) disponibilização dos Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMI) a todos os interessados, em cumprimento ao disposto no art. 21 da Lei 8.987/95;

  1. b) inclusão no edital e na minuta de contrato, da metodologia de cálculo de eventual indenização relativa aos bens reversíveis não amortizados por ocasião da extinção do contrato, conforme manda o art. 10-A, III, Lei Federal nº 11.445/2007, com a redação dada pela Lei 14.025/2020, novo Marco do Saneamento Básico;
  2. c) reabertura do prazo para formulação das propostas em razão das alterações do edital por meio de resposta a questionamentos dos licitantes, nos termos do que determina o Art. 21, §4º, da Lei 8.666/93″

O conselheiro do TCE-PE determinou a notificação “na pessoa do seu Prefeito, Sr. Miguel Coelho” para que “prestem os esclarecimentos que entender cabíveis em 05 (cinco) dias”.

Mote eleitoral

As críticas ao serviço de água e esgoto prestados pela Compesa, estatal do Governo do Estado, tem sido uma constante na gestão de Miguel Coelho, em Petrolina, e de aliados, como o deputado estadual Antonio Coelho (DEM).

A escolha de uma nova empresa, nesta concorrência, tem sido um dos principais motes da campanha eleitoral para reeleição do atual prefeito. Já a oposição defere críticas às propostas de Miguel pela autonomia do município em água e esgoto.

Outro lado

A reportagem procurou a Prefeitura de Petrolina. O espaço está aberto, caso julguem necessário.

 

CANAL ENERGIA- NEGÓCIOS- 29.09.2020

Aneel autoriza produção independente solar em PE

PCH de 9,5 MW também recebe outorga para 35 anos de exploração no Rio Grande do Sul

A diretoria geral da Aneel autorizou o Consórcio São Pedro e Paulo, vencedor do leilão A-4 de 2018, a implantar e explorar as centrais fotovoltaicas São Pedro e Paulo V, VI e VIII sob o regime de Produção Independente, somando 57,5 MW de potência instalada e um prazo de outorga de 35 anos no município de Flores (PE). A associação é liderada pela Kroma Gestão e Serviços em Energia Elétrica e tem participação da importadora e exportadora Êxito.

Nos mesmos moldes, a Aneel deu provimento para a companhia Cerquinha II Energética, concedendo a outorga de construção e exploração da PCH Cerquinha II, totalizando 9,5 MW de capacidade no município de Bom Jesus (RS).

 

CLIPAGEM 14 DE SETEMBRO DE 2020.

TV JORNAL – NOTÍCIAS- 14.09.2020

 Celpe: Mutirão online para renegociação de dívidas começa hoje (14)

Será o primeiro Mutirão Online de Negociação de Dívidas Vencidas. Veja como participar e resolver suas dívidas com a Celpe

Se você tem débitos com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e é morador do Recife, essa notícia lhe interessa. Um mutirão do Procon Recife vai ajudar na renegociação das dívidas com a companhia a partir desta segunda-feira (14), até a próxima sexta feira (18). O atendimento é feito via internet. 

Será o primeiro Mutirão Online de Negociação de Dívidas Vencidas. Os consumidores poderão negociar débitos com a Celpe por meio de um formulário no site do órgão municipal de defesa do consumidor.

"Faremos uma série de mutirões online, divididos por semana, começando com a Celpe. Depois, faremos de débitos com a Compesa, com bancos, empresas de telefonia, cartões de crédito, etc.", explica Ana Paula Jardim, presidente do Procon Recife.

Procedimento

Ao receber o formulário de negociação preenchido, o Procon Recife abre o processo de reclamação e aciona a Celpe, através de ofício.

Em até 48h, o Procon Recife dá um retorno ao consumidor sobre a proposta de pagamento e parcelamento, conseguida junto à concessionária de energia.

Contato

O Procon Recife não está realizando atendimentos presenciais. Para abrir reclamações ou tirar dúvidas, o consumidor deve entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelas redes sociais do órgão.

G1- ECONOMIA- 14.09.2020

Distribuidoras e consumidores disputam na Aneel a maior restituição da história do setor elétrico.

Agência estima que a União terá de devolver R$ 50 bilhões por ter cobrado impostos a mais dos contribuintes. Valor poderá gerar desconto médio de 30% na conta de luz.

Empresas distribuidoras e consumidores disputam na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) os direitos pela maior restituição da história do setor, que pode gerar um desconto médio de 30% nas contas de luz nos próximos anos.

A Aneel estima que a União terá de devolver R$ 50 bilhões às concessionárias por ter cobrado impostos a mais dos contribuintes, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2017.

O tribunal entendeu que o ICMS, principal imposto estadual, não poderia compor a base de cálculo do PIS e da Cofins, dois tributos federais, como acontecia até então.

O valor a ser devolvido pode ser abatido integralmente das contas de luz. No entanto, as empresas entendem que têm direito a ficar com parte do montante, mesmo que os tributos indevidos tenham sido arcados integralmente pelos contribuintes.

“Se as empresas não tivessem identificado o mal feito dessa cobrança indevida e tomado a iniciativa de recorrer à Justiça para que isso fosse interrompido, o consumidor não veria nenhum desses recursos, zero”, afirma o presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales.

Segundo a Aneel, cada concessionária pleiteia um porcentual diferente dessa devolução:

  • Algumas querem ser ressarcidas pelos custos processuais, uma vez que a disputa na Justiça durou mais de dez anos
  • Outras entendem que deveriam receber um bônus de sucesso, já que foram elas que entraram com as ações para reaver os valores pagos indevidamente pelos consumidores;
  • E outras afirmam que o consumidor só tem direito, pelas regras do Código Civil, à devolução referente aos últimos dez anos. E que os valores anteriores a essa data deveriam ir para o caixa das empresas.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) se enquadra nessa última opção. “Dos R$ 6 bilhões que o consumidor de Minas Gerais arrecadou e que agora o governo terá de devolver, a Cemig acredita que R$ 2 bilhões devam ser dela”, afirmou o relator do caso na Aneel, o diretor Efrain Cruz.

Cruz manifestou que tem um entendimento diferente da empresa.

“Não há que se falar em prescrição, porque ela [distribuidora] está tutelando um direito que é do consumidor. Então eu diria que, nesse momento, nós devemos ter um raciocínio de utilizar todo esse recurso para atenuar as tarifas no Brasil”, disse.

Procurada, a Cemig disse que não vai se manifestar.

O relator também não vê necessidade de ressarcir os custos processuais: “A tarifa de energia já remunera as distribuidoras para que elas mantenham os seus jurídicos e todos os custos judiciais. Portanto, seria pagar de forma dobrada.”

A decisão final será tomada pelo colegiado da Aneel, que inclui um diretor-geral e quatro diretores, e deve ser anunciada até o fim do ano.

Desconto na conta de luz

Caso todo o valor seja restituído aos consumidores, a Aneel estima que será possível conceder um desconto médio de 30% na conta de luz. “Se considerarmos que a cada R$ 1 bilhão a gente consegue reduzir a tarifa em 0,6% no Brasil, teríamos facilidade em dizer que R$ 50 bilhões têm capacidade de dar um desconto na ordem de 30%”, calcula Cruz.

O abatimento, porém, deve ser dividido ao longo de alguns anos, segundo o relator, e não vai ser igual para todos os consumidores do país. Isso porque algumas distribuidoras têm processos maiores e mais antigos, como é o caso da Cemig, que deve receber R$ 6 bilhões, e da Enel, de São Paulo, que tem direito a R$ 7 bilhões, segundo números da Aneel.

Já a Cemar, do Maranhão, por exemplo, deve receber R$ 700 milhões. Segundo a Aneel, 49 das 53 concessionárias do país têm valores a serem reembolsados.

Do total estimado de R$ 50 bilhões, a agência afirma que praticamente metade (R$ 24 bilhões) já foi habilitado junto à Receita Federal. Ou seja, as distribuidoras já começarão a ter o recurso em caixa para iniciar as devoluções.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) defende que o bônus bilionário seja revertido na íntegra aos contribuintes e pede celeridade.

“Há um grande potencial de redução de tarifa e quanto antes isso for feito melhor, porque ajuda nesse momento de crise, no qual os consumidores não tiveram tantas benesses quanto as empresas”, diz o coordenador do programa de energia e sustentabilidade do Idec, Clauber Leite.

CANAL ENERGIA- POLÍTICA-15.09.2020

Aneel fixa CDE de julho em R$ 71,8 milhões para transmissoras

Regulador também definiu em R$ 18,9 milhões relativo aos valores do PROINFA de novembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica determinou nesta segunda-feira, 14 de setembro, os valores das cotas referentes ao encargo da Conta de Desenvolvimento Energético referente ao mês de julho para as

transmissoras que atendem consumidor livre e/ou autoprodutores conectado ao SIN. São R$ 71.884.059,09 divididos entre 15 concessionárias que devem recolher o encargo até 10 de outubro.

A Aneel também definiu os valores das quotas de custeio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica para o mês de novembro, relativos às transmissoras que atendam consumidor livre e/ou autoprodutor com unidade de consumo conectada ao Sistema. O valor, segundo a agência, é de R$ 18.964.526,50 e deve ser recolhido à Eletrobras até o dia 10 de outubro. O montante está dividido entre 15 agentes, que devem aportar os recursos para crédito da conta Proinfa.

 PORTAL SOLAR-NOTÍCIAS-15.09.2020

Padarias economizam 15% com energia solar em Minas Gerais

Mais de 100 padarias mineiras estão economizando na conta de luz por meio da energia solar. Uma parceria entre o Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão) e a desenvolvedora de projetos solares Solatio está fornecendo energia limpa e 15% mais barata desde o primeiro semestre deste ano, quando entrou em operação a primeira usina produtora de energia fotovoltaica destinada às empresas associadas à Amipão.

A usina está instalada na cidade de Manga, no Norte do estado, e permitiu aos empresários do segmento unir a redução de custos de operação com a sustentabilidade nos negócios. “Qualquer dono de padaria deseja reduzir os gastos com energia elétrica. A parceria com a Solatio foi importante para esse momento delicado que estamos vivendo. Cada redução conta para manter as portas abertas”, argumenta o presidente da Amipão, Vinícius Dantas.

A conta de luz é um dos principais custos para manter a indústria e as lojas em funcionamento e, nesse momento de pandemia, a proposta alivia o bolso dos panificadores. Outra vantagem da parceria é que para aderir ao modelo de negócio não é necessário nenhum investimento prévio.

“Estamos muito animados com o abastecimento de energia fotovoltaica. Ainda estamos no início do processo, mas certamente a economia vai ajudar muito”, afirma o empresário Romualdo Garcia de Oliveira, proprietário da panificadora Sabor de Pão, localizada no bairro Calafate, em Belo Horizonte, e que está há 28 anos no ramo.

Outro que preferiu o fornecimento diretamente da usina foi o sócio proprietário da padaria Luciana, Marcelo Francisco Pimenta, instalada no bairro Nova Cintra. Ele chegou a pesquisar preços para colocar as placas fotovoltaicas em seu estabelecimento, mas decidiu pela usina. “Achei a proposta da Solatio vantajosa por não termos de fazer nenhum investimento para obter o desconto, além da parte ambiental. Já o investimento para instalação das placas é muito alto, além dos gastos com manutenção.”

No Brasil, a geração de energia fotovoltaica é regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em Minas, o estado oferece condições ideais para produção de energia solar, a Solatio possui 20 usinas prontas para operar, já com o parecer de acesso concedido pela reguladora de energia estatal. 

“A redução de custos gerada com compra da energia fotovoltaica possibilita investir em melhorias nas padarias, quitação de dívidas ou, ainda, redução de preços dos produtos. É uma ferramenta de otimização dos negócios e, para quem está em uma situação delicada, um fôlego no orçamento. O papel da Amipão é encontrar oportunidades para o segmento conseguir avançar”, destaca Dantas.

No entanto, a capacidade produtiva desta usina fotovoltaica já está totalmente utilizada, mas as padarias que quiserem aderir ao modelo de consumo de energia sustentável podem procurar a Amipão. Segundo o presidente da entidade, há outras duas usinas da Solatio destinadas às padarias vinculadas à Amipão, prontas para fornecerem energia limpa e renovável, que contribuem com o meio ambiente, com a produtividade do segmento e com o desenvolvimento de negócios mais responsáveis.

 

30 DE JULHO DE 2020. 

JORNAL DO COMMERCIO- ECONOMIA

Gás encanado para indústrias, casas e carros ficará até 16% mais barato em Pernambuco

Os novos valores entram em vigor no sábado (1º). De acordo com o governo estadual, a maior diminuição, de 16,2%, é para o segmento industrial

O preço final do gás natural canalizado para indústrias, uso residencial e veicular terá uma redução de 9% a 16% em Pernambuco, a partir do sábado (1º). A medida foi anunciada pelo governador Paulo Câmara (PSB) em pronunciamento nesta quarta-feira (29).

De acordo com o governo, a maior diminuição, de 16,2%, é para o segmento industrial. Na cogeração, a redução média foi de 12,2%, enquanto as tarifas para o comércio diminuíram 11,7%, em média. No segmento residencial, a diminuição foi de aproximadamente 9%. Na tarifa do Gás Natural Veicular (GNV), houve um arrefecimento de 10,3%. “Quem consome o gás veicular, por exemplo, vai perceber uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível”, explicou o governador.

Movimentação de R$ 13,5 milhões em novos negócios 

No pronunciamento, o governador também informou que a Agência de Empreendedorismo do Estado (AGE) atingiu o patamar de R$ 13,5 milhões em novos negócios. 

“Esse apoio tem sido importante para os microempresários do nosso polo de confecções, salões de beleza, clínicas de estética e outros milhares de empreendedores que voltaram a negociar após a flexibilização das atividades econômicas”, afirmou o chefe do Executivo estadual.

“É dinheiro sem burocracia para o capital de giro dos empreendedores já estabelecidos e para os trabalhadores que estão iniciando um novo negócio”, acrescentou. Segundo o governo, mais de seis mil pessoas tiveram acesso a empréstimos com os menores juros do mercado.

 

FOLHA DE PERNAMBUCO- ECONOMIA

Gás natural canalizado em Pernambuco terá redução de até 16% no preço final

Paulo Câmara informou que a redução terá início a partir de sábado, 1º de agosto

Em pronunciamento oficial nesta quarta-feira (29), o governador Paulo Câmara anunciou uma redução entre 9% e 16% no preço final do gás natural canalizado em Pernambuco. Os valores serão repassados a partir do próximo sábado (1º), e a redução será feita de acordo com o tipo de serviço. 

A maior redução está no setor industrial, de 16,2%. Na cogeração, a redução média foi de 12,2%. Já as tarifas para o comércio diminuíram 11,7%, em média. No segmento residencial, a diminuição foi em torno de 9%, enquanto a tarifa do Gás Natural Veicular (GNV) sofreu um arrefecimento de 10,3%.

“Quem consome o gás veicular, por exemplo, vai perceber uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível”, explicou Paulo Câmara. 

 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO - ECONOMIA  
 
Gás canalizado terá redução entre 16% e 9%
 
Em comunicado divulgado ontem, o governo do estado afirmou que, a partir do próximo sábado, o gás canalizado vendido em Pernambuco terá redução entre 16% a 9% no preço final, de acordo com o tipo de serviço. Com relação ao gás natural, a maior redução será no segmento industrial, de 16,2%; na cogeração, a redução média foi de 12,2%.No comércio, as tarifas cairão, em média, 11,7%. No segmento residencial, a diminuição foi em torno de 9%, enquanto a tarifa do Gás Natural Veicular (GNV) sofreu um arrefecimento de 10,3%, com uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível. O governo também informou que a Agência de Empreendedorismo do Estado (AGE) atingiu o patamar de R$ 13,5 milhões em novos negócios.
 

18 E 19 DE FEVEREIRO DE 2020. 

AGÊNCIA BRASILIA- NOTICIAS - 18/02/2020

GDF e Aneel assinam acordo para a Avenida das Cidades

Termo de cooperação dará andamento ao projeto de via que vai unir as cidades da região Sul ao Plano Piloto.

A avenida que vai unir as cidades da região Sul (Samambaia, Taguatinga, Águas Claras, Park Way e Guará) ao Plano Piloto terá extensão de 26 km

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) e da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), assina nesta quarta-feira (19) termo de cooperação com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que autoriza Furnas a fazer intervenções em instalações de transmissão. A cooperação vai atender ao projeto Avenida das Cidades e visa o enterramento de 16 km de cabo de alta tensão.

“A Avenida das Cidades é um projeto antigo que já foi promessa de campanha de vários candidatos ao governo do Distrito Federal nos últimos 20 anos. A pista de ligação entre Samambaia e o Plano Piloto é considerada como a maior obra viária da história de nossa cidade e virou uma das prioridades do Governo Ibaneis Rocha”, explica o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros. “A Aneel contribui com o desenvolvimento do DF, e essa autorização viabiliza a continuidade desse importante projeto”, afirma o presidente da Terracap, Izídio Santos Junior.

A avenida que vai unir as cidades da região Sul (Samambaia, Taguatinga, Águas Claras, Park Way e Guará) ao Plano Piloto terá extensão de 26 km. A obra deve começar em 2022 com o enterramento e também remanejamento das linhas aéreas de alta tensão que estão no trajeto da via. O valor estimado do investimento é de R$ 2,9 bilhões, desse valor R$ 1 bilhão é para o enterramento.

Além da melhoria da infraestrutura de transporte, da integração das cidades e da conexão com o sistema viário existente, o complexo urbanístico vai contribuir para a geração de novos centros de negócios, lazer e habitação. “Vamos obter um sentido de contra fluxo em direção a novos eixos, descentralizando a oferta de trabalho e emprego, que hoje é concentrada no Plano Piloto”, esclarece Gueiros.

A obra terá duração de 8 anos e deverá gerar mais de 20 mil empregos diretos no período de construção. E, depois de pronta, mais de 80 mil empregos diretos devem ser criados. De acordo com o secretário Everardo Gueiros, além de valorizar toda a região sul do DF, o projeto vai valorizar também os imóveis adjacentes à avenida, dando mais qualidade de vida a população.

“Essa via vai privilegiar muito mais a convivência das pessoas, com ciclovias, calçadões, jardins, praças, parques. É uma via muito mais para unir as cidades que hoje estão segregadas e divididas”, pontua o secretário.

Etapas do projeto

O projeto da Avenida das Cidades está em fase de análise final dos estudos e após aprovação do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas, presidido pelo governador, será encaminhado para análise do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). Depois serão feitas consulta e audiência pública.

A licitação, por meio de Parceria Público-Privada (PPP), será conduzida pela Sepe e Terracap. O edital deve ser publicado em meados do 2° semestre de 2020. A empresa ou consórcio vencedor terá 1 ano para apresentar o Projeto Executivo, obter as licenças ambientais e ter o projeto aprovado no Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

Após todas essas etapas, as obras terão início no final de 2022.

Contrapartida

As terras adjacentes à Avenida da Cidades serão concedidas pelo GDF para o setor privado que, por sua vez, será responsável por toda construção da infraestrutura e manutenção da via por um período de 25 anos. Após esse período, a área retornará para a administração pública.

“Hoje essas áreas não têm valor econômico, porque não podem ser utilizadas. Com o projeto, haverá uma supervalorização dos terrenos. A iniciativa privada custeia essas obras, custeia a manutenção e se ressarce desses investimentos a partir da venda dos imóveis ao longo da via. Então, é impensável até você fazer uma obra de R$ 3 bilhões que vai beneficiar a população, sem que não haja um investimento direto do governo”, explica Everardo Gueiros.

CANAL ENERGIA- POLITICA- 18/02/2020

Aneel autoriza repasse de R$ 25 milhões à Santo Antônio Energia

Valor se refere à prestação de serviços de interesse do sistema por um transformador instalado na Subestação Coletora Porto Velho

A Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou o repasse de R$ 25 milhões à Santo Antônio Energia, como ressarcimento pelo período em que o transformador provisório instalado pela geradora na Subestação Coletora Porto Velho passou a desempenhar funções de interesse do Sistema Interligado Nacional. O valor corresponde ao investimento e aos custos de operação e manutenção do equipamento, entre dezembro de 2012 e novembro de 2019, a preços de novembro do ano passado.

A Saesa também vai receber parcelas mensais de R$ 37,4 mil em custos de operação e manutenção, de dezembro de 2019 até 90 dias após a publicação do ato, ou até a transferência do equipamento para a Eletronorte, o que ocorrer primeiro. Essa transferência será sem custos para a estatal, que passara a receber pelos custos de O&M do transformador.

O transformador TF13 foi instalado provisoriamente pela Santo Antônio Energia na subestação Porto Velho, com o objetivo de antecipar a entrada das primeiras unidades geradoras da hidrelétrica Santo Antônio. O equipamento seria retirado pela empresa, mas, por solicitação do ONS, ele permaneceu em operação por interesse sistêmico, após a entrada em operação da estação conversora back-to-back.

Por conta disso, a Saesa terá direito ao pagamento pela prestação do serviço ao Sistema Interligado, que será feito em parcela única, no primeiro processo de contabilização e liquidação financeira realizado após a publicação da resolução autorizativa da Aneel. O valor não inclui o período de oito meses de operação em que o TF 13 foi usado para garantir a a antecipação das  unidades geradoras da usina, nem a a depreciação correspondente a esse período. Os recursos virão da cobrança do Encargo de Serviços do Sistema, que remunera serviços ancilares de geração.

A subestação coletora Porto Velho é parte do sistema de transmissão da energia produzida pelas usinas do rio Madeira (Santo Antônio e Jirau), composto por uma série de equipamentos. A instalação tem uma estação conversora back-to-back (CA/CC/CA) que atende parte da carga do Sistema Acre-Rondônia , por meio de três circuitos em 230 kV.

CANAL ENERGIA- NOTICIAS - 18/02/2020

Leilão de transmissão é homologado pela Aneel

Certame contratou 12 lotes de linhas e subestações com deságio médio superior a 60%

O resultado do leilão de transmissão realizado em 19 de dezembro do ano passado foi homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica na reunião semanal desta terça-feira, 18 de fevereiro. No certame foram contratados todos os 12 lotes de empreendimentos de transmissão ofertados, com deságio médio de 60,3%, o mais alto na história dos leilões da Aneel.

A Receita Anual Permitida total dos projetos será de R$ 285,7 milhões, e o investimento previsto de R$ 4,2 bilhões. Os empreendimentos somam 2.470 km de linhas de transmissão situadas nos estados do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

CANAL ENERGIA- POLÍTICA- 18/02/2020

Aneel mantém multa à Chesf de R$ 2,1 milhões

Penalidade foi aplicada em 2017 por problemas de manutenção e operação da UHE Paulo Afonso IV

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica manteve multa de R$ 2,1 milhões, aplicada à Chesf em 2017 por operação e manutenção inadequadas da usina hidrelétrica Paulo Afonso IV. A fiscalização da Aneel apontou prazos de indisponibilidade de unidades geradoras da usina “longos e incompatíveis com as boas práticas de gestão de manutenção”, além da ultrapassagem do limite de indisponibilidade total da usina, que ficou em 23% naquele ano, quando o estabelecido no contrato de concessão é de 13,66%.

A penalidade foi aplicada após inspeção in loco nas instalações da usina, para apurar as causas do baixo desempenho apontado no processo de monitoramento realizado pela agência. Entre março de 2012 e fevereiro de 2017, a UHE Paulo Afonso IV gerou 1.072 MW médios, 16% a menos que a garantia física de 1.280  MWmed.

A disponibilidade apurada em maio de 2017 era de 0,765, inferior ao índice de referência, de 0,863. A autuação, segundo a Aneel, foi feita principalmente pela gestão inadequada da manutenção e dos ativos, e não apenas pelo descumprimento dos indicadores. O valor da multa ainda será atualizado no momento em que a empresa fizer o pagamento.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO- LOCAL - 18/02/2020

Em Olinda, monumento histórico é entregue após limpeza e consolidação de estrutura.

A estrutura conhecida como Ruínas do Senado, na Ribeira, na Rua Bernardo Vieira de Melo, no Sítio Histórico de Olinda, foi entregue, na manhã desta terça-feira (18),  à população após uma obra de limpeza e consolidação da estrutura. O serviço custou R$ 30 mil e foi realizado ao longo de três meses pelo Estúdio Sarasá, contratado pela Prefeitura de Olinda.

No local onde estão as ruínas foi dado o primeiro Grito de Independência das Américas, 70 anos antes da Revolução Francesa e 60 antes da dos Estados Unidos. Algumas pedras das ruínas foram repostas depois de localizadas com comerciantes do Mercado da Ribeira e moradores da rua.

Outra novidade anunciada, nesta manhã, para o patrimônio da cidade é a assinatura da Ordem de Serviço para o início das obras de reforma da Igreja de São Pedro, no próximo dia 12 de março, dia de aniversário da cidade. O espaço está fechado há cinco anos.

A arquiteta Magda Rosa explicou que duas histórias rondam as ruínas. Elas seriam realmente remanescentes do Senado ou são um monumento construído para representar o local onde existiu o Senado. Em uma espécie de placa na frente do monumento está escrito “Em 10 de novembro de 1970, Bernardo Vieira de Melo deu o 1º grito em favor da fundação da República.” “Informações do arquivo público apontam que a segunda hipótese, de ser monumento, é mais real”, destacou. Segundo ela, isso não tira o simbolismo do espaço.

Das ruínas, foram retiradas muitas raízes, pois há três anos havia uma árvore próxima. Nos espaços vazios, foi colocado biocida, para evitar vegetação nas ruínas, além de argamassa tradicional. “Também resgatamos algumas pedras que faltavam. Algumas delas estavam com Coquito, um comerciante do Mercado da Ribeira que costumava guardá-las pensando em uma possível reforma do monumento. Muitas pessoas costumavam pegar as pedras para fazer esculturas”, explicou Magda.

Na parte de trás das ruínas, que ficam em um prédio da Compesa, foi feita uma intervenção com um pilar de concreto para evitar a queda do monumento. “Passamos duas semanas lavando a estrutura com água de cal para dar mais sustentação às pedras, que são porosas.” Ao todo, oito pessoas trabalharam na limpeza e consolidação das ruínas.

Segundo o secretário de Patrimônio, Cultura, Turismo e Desenvolvimento Econômico, João Luiz, a obra foi financiada com recursos do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio. Onde hoje estão as ruínas, funcionava o Senado de Olinda, algo que hoje corresponderia à Câmara de Vereadores. Depois que foi fechado e o Poder Legislativo olindense foi transferido para outro bairro, onde está o prédio da Prefeitura Municipal, o imóvel ruiu e acabou desmoronando.

Reforma igreja - A Igreja de São pedro é a paróquia mais antiga da Arquidiocese de Olinda e Recife. A interdição aconteceu por questões de segurança estrutural. A obra está orçada em R$ 1,7 milhão, oriundo do PAC Cidades Históricas e liberado em julho do ano passado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O valor será aplicado na recuperação do telhado, piso e sistemas elétricos e hidráulicos, além dos chamados bens integrados, como altar. A previsão é concluir os serviços em 10 meses.

Após a interdição, a maioria dos fiéis migrou para a Igreja do Carmo, que reabriu em 2012 após 17 anos em reformas. O templo foi erguido em 1590, nove décadas após a chegada dos portugueses ao Brasil, embora sua atual arquitetura seja do fim do século 18.

JORNAL DO COMMERCIO- ECONOMIA - 18/02/2020

Lucro da Celpe cresce 62% em 2019

No comparativo entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período de 2018, a Companhia teve incremento de 303%

As Despesas Operacionais da Celpe tiveram redução de 10,3% no quarto trimestre de 2019

O primeiro ano após a sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) trouxe um resultado recorde ao grupo Neoenergia e suas distribuidoras, como a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) aqui em Pernambuco. Ao longo do ano passado, a Neonergia alcançou um lucro líquido de R$ 2,229 bilhões, resultado 45,1% superior ao apurado em 2018 e que fez, pela primeira vez, a companhia elétrica superar a cifra de R$ 2 bilhões. Seguindo esse ritmo de crescimento, a Celpe teve um incremento de 62% no seu lucro, alcançando R$ 181,3 milhões ao longo de 2019. 

Se isolado o resultado apenas do quarto trimestre do ano passado, a Celpe saltou de um lucro líquido de R$ 17,7 milhões no quarto trimestre de 2018 para R$ 71,4 milhões ( Variação de 303,4%) no mesmo período de 2019. Considerando os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização - o EBITDA - a companhia alcançou no quarto trimestre u resultado de  R$ 233,1 milhões (+22,4% no comparativo com o quarto trimestre de 2018). No ano, o EBITDA foi de R$ 826,7 milhões, variação de 21,8% se comparado o resultado do ano de 2018.

Nos últimos três meses de 2019,  a Margem Bruta,  que mede a rentabilidade do negócio, ou seja, qual a porcentagem de lucro por venda ou oferta de serviço, cresceu 10,2% quando comparado com o quarto trimestre de 2018, alcançando os R$ 417,9 milhões. No ano, a Margem Bruta atingiu R$ 1.599,5 milhões, crescimento de 11,2%. 

De acordo com o balanço da companhia, o resultado foi impulsionado "pela expansão na base de clientes e maiores temperaturas, gerando maior consumo – refletido na maior energia distribuída no período e também pela atualização do Ativo Financeiro da Concessão", que foi impactado pela inflação (IPCA) mais alta no quarto trimestre de 2019 frente o mesmo período de 2018.

No ano passado, a Celpe chegou ao total de 3,757 mil clientes, crescimento de 1,8%, sendo acrescido 68 mil novos consumidores frente 2018. A maior alta veio do segmento rural, com 21,2%, seguido pelo segmento comercial (12,7%) e residencial (2,2%). Os clientes industriais ficaram praticamente estáveis, com 0,8% de crescimento. 

De acordo com a Neoenergia, o consumo residencial apresentou aumento em todas as distribuidoras (Coelba, Cosern, Elektro e Celpe), sendo na ordem dos  4,2%. A classe industrial cativa, cuja retração foi de 17,3% no quarto trimestre de 2019 e 12,7% em 2019 frente 2018, teve, conforme a Neonergia, seu comportamento influenciado pela migração de clientes para o Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Dívidas

As Despesas Operacionais da Celpe tiveram redução de 10,3% no quarto trimestre de 2019 e de -0,8% no ano. 2018. No os últimos três meses do ano, as Provisões para Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD) totalizaram R$ 37,1 milhões, aumento de R$ 13,0 milhões (53,9%) em comparação ao mesmo período de 2018.

A inadimplência, razão entre o faturamento e a PECLD, ficou em 1,99% no quarto trimestre  e 1,85% no ano passado, acima do limite regulatório de 1,40%.  Em 2019, a dívida bruta da Celpe, incluindo empréstimos, financiamentos, debêntures e instrumentos financeiros foi de R$ 4,4 milhões (dívida líquida de 4,1 milhões), caindo 2,1% frente 2018. Pelo menos 83% da dívida é de longo prazo, 

 A Companhia apresentou como resultado financeiro líquido uma despesa de R$ 79,8 milhões no quarto trimestre, contra
R$ 96,2 milhões no mesmo período de 2018, representando melhora de 17% (R$ 16,4 milhões). No ano, o resultado financeiro
registrou despesa financeira de R$ 337,5 milhões, montante R$ 50,9 milhões maior do que a despesa financeira líquida de 2018.

Desse total, o resultado de dívida e de gestão de caixa apresenta piora de R$30,1 milhões, dos quais R$ 37,9 milhões é de uma piora nas receitas de aplicações financeiras e encargos da dívida e R$ 7,8 milhões são fruto de variações monetárias e instrumentos financeiros derivativos.

 G1- PERNAMBUCO - 18/02/2020

Comerciantes que vão trabalhar no carnaval devem solicitar ligação temporária de energia elétrica

A solicitação deve ser feita à Celpe, até a sexta-feira (21), e seguir critérios prévios de instalação e segurança.

Comerciantes e ambulantes que vão montar barracas durante os dias de carnaval têm até a sexta-feira (21) para solicitar à Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) ligação provisória de energia elétrica. Para formalizar o pedido, os interessados devem apresentar, além dos documentos de identidade e CPF, um descritivo dos equipamentos que serão instalados.

De acordo com a gerente de atendimento da Celpe, Michele Mota, no ato da solicitação, serão repassadas as orientações técnicas referentes à instalação. Os pedidos podem ser feitos nas lojas de atendimento, além de duas unidades móveis localizadas na área externa da Loja Varadouro, em Olinda, e Loja Madalena, na Zona Oeste do Recife.

“É importante que os comerciantes se organizem para solicitar as ligações provisórias com o máximo de antecedência possível. A companhia atenderá a todos os pedidos, desde que as instalações atendam aos critérios de segurança e sejam realizadas dentro do prazo”, afirmou.

Durante a vistoria prévia, será observado o cumprimento dos padrões técnicos e de segurança, como disjuntores, aterramento, condutores e tomadas. A instrução é de que os comerciantes atendam ao padrão de entrada para ligação de energia, que é de responsabilidade do consumidor e deve ser feito por profissional qualificado.

“Equipes estarão inspecionando os polos de folia. Ligações clandestinas, que colocam em risco a vida de pessoas, não serão toleradas”, disse a gestora. Caso uma irregularidade seja verificada, o fornecimento de energia é interrompido e o responsável pode responder criminalmente.

O órgão lembra que não será possível o atendimento a cargas móveis como carroças, automóveis e caminhões, obedecendo às normas técnicas de segurança do setor elétrico.

 Confira dicas de segurança

  • A montagem de barracas deve ser feita distante da rede elétrica
  • Não faça ligação clandestina para iluminar barracas ou aumentar a iluminação das ruas. O desvio de energia elétrica resulta em riscos de segurança e é crime
  • Sempre que possível, monte a barraca no mesmo lado da rede elétrica, atendendo ao layout apresentado pela prefeitura no momento do licenciamento
  • Verifique se a instalação elétrica interna da barraca está adequada para suportar todos os equipamentos elétricos e a iluminação
  • Evite utilizar fios com emendas
  • Evite o uso de tomadas tipo “T” ou benjamins – isso pode sobrecarregar e causar curto-circuito na instalação
  • Jamais entre em contato com as tomadas ou interruptores de iluminação, caso esteja com as mãos molhadas ou com os pés descalços
  • Siga as orientações da concessionária para a instalação do padrão de entrada de energia elétrica que atenda as especificações técnicas exigidas, com aterramento instalado adequadamente para evitar acidentes com a rede elétrica e garantir a segurança da festa

FOLHA DE PERNAMBUCO- NOTICIAS - 18/02/2020

Força-tarefa fiscaliza corredores de segurança para o Carnaval do Recife

Um grande público é esperado para a celebração carnavalesca que inicia nesta sexta-feira (18)        

Com o Carnaval já batendo na porta, uma força-tarefa, no fim da tarde desta terça-feira (18), esteve garantindo a segurança para os foliões nas via da Avenida Marquês de Olinda e Avenida Rio Branco, no Marco Zero, bairro do Recife Antigo.

Integraram essa força-tarefa o Corpo de Bombeiros,  a Dircon, a Celpe, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE),  o Samu, o Controle Urbano da Prefeitura do Recife, a Secretaria de Turismo e a Secretaria de Empreendedorismo do Recife. Os integrantes analisaram a estrutura da montagem dos corredores no local. A abertura do Carnaval no Recife acontece nesta sexta-feira (21). Um grande público é esperado para a celebração carnavalesca que irá durar cinco dias.

O tenente coronel do Corpo de Bombeiros Erick Aprígio, responsável pela operação, comentou sobre os esquemas de segurança planejados para o local. “As avenidas Marquês de Olinda e Rio Branco contarão com corredores de segurança e ambulâncias para o atendimento ao folião. Na Torre Malakof também haverá um posto médico do Samu e do Corpo de Bombeiros para garantir essa segurança.”rígio.

Também de olho no fornecimento de energia elétrica das barracas de comidas e lanchonetes, o tenente comentou o trabalho da Celpe. “A companhia elétrica permite as ligações oficias e provisórias solicitadas, além de bloquear as clandestinas, que podem provocar incêndios e grandes acidentes. Então, esse é o nosso trabalho conjunto, para sempre poder dar segurança a quem vai trabalhar e a quem vai brincar", finaliza o tenente coronel do Corpo de Bombeiros.

31 DE OUTUBRO DE 2019. 

Celpe remove mais de 800 quilos de fios irregulares em Olinda

Após um mês de operações no Sítio Histórico de Olinda, as equipes técnicas da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) removeram mais de 800 quilos de fios de telefonia instalados irregularmente nos postes da concessionária. A força tarefa, que deve durar até o final de novembro, já fiscalizou 230 postes e visa o cumprimento das normas técnicas e de segurança preestabelecidas em contrato firmado com as empresas de telecomunicações.

Durante a ação, os técnicos devem inspecionar postes de 34 ruas e ladeiras da cidade alta,  onde as fiações instaladas pelos provedores se encontram fora dos padrões estabelecidos pela distribuidora. A operação conduzida pela Celpe é informada, com antecedência, para as empresas de telecomunicações. Previamente, a concessionária alerta, ainda, sobre a necessidade de ordenamento dos fios – quando esses estão fora dos padrões. As empresas que não cumpriram o prazo de adequação estão tendo as redes irregulares removidas.

Por ser uma área com museus, escolas, faculdades, prédios públicos e hospitais, a concessionária reforça que, em caso de instabilidade no funcionamento de serviços como internet e telefonia, o cliente deve entrar em contato com a empresa responsável pela rede, para que sejam feitas as devidas correções. O abastecimento de energia na região não deve ser afetado durante a operação.

Em julho e setembro, a Celpe fiscalizou a fiação da Avenida 17 de Agosto. A ação resultou no arranque de mais de 800 quilos de fios. Em agosto, a patrulha energética passou pela Rua Lins Petit, na Boa Vista.

 

17 DE OUTUBRO DE 2019. 

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Obra da Compesa suspende abastecimento de água em 15 bairros do Recife

Interrupção do serviço vai durar 15 horas, a partir das 17h desta quinta (17), afetando cerca de 300 mil pessoas. 

O abastecimento de água em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife será interrompido durante 15 horas por conta de uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Uma paralisação emergencial em uma das adutoras do Sistema Tapacurá será iniciada às 17h desta quinta-feira (17), deixando sem água 300 mil pessoas.

A interrupção do fornecimento de será necessária para conserto de vazamento em trecho de uma tubulação em aço, de grande porte (1.200 milímetros), localizada na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio. A previsão é concluir os trabalhos na sexta-feira (18), às 8h, quando a operação da adutora será retomada e iniciado o processo de regularização do abastecimento das áreas afetadas.

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. Informações podem ser obtidas pelo canal de atendimento da Compesa, o 0800 081 0195.

Os bairros que ficarão sem abastecimento são Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Já os bairros da Torre e Madalena podem ser afetados com queda de pressão.

 

Blog OP9

Noticias

Obra da Compesa deixa 22 bairros sem água no Recife até a sexta-feira

Localidades afetadas ficarão cerca de 15 horas sem água. Serviço se inicia às 17h desta quinta-feira (17) e deve ser concluído na sexta-feira (18), às 8h

Uma paralisação emergencial em uma das adutoras do Sistema Tapacurá vai interromper o fornecimento de água por 15 horas em 22 bairros do Recife. O serviço se inicia às 17h desta quinta-feira (17) e deve ser concluído na sexta-feira (18), às 8h. O reparo é necessário para conserto de um vazamento em trecho de uma tubulação em aço de grande porte na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio.

Os bairros onde o abastecimento será interrompido são Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Por conta da obra, os bairros da Torre e da Madalena também podem ser afetados com queda de pressão.

Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), os serviços são considerados de natureza complexa pela necessidade de interferência de outras empresas prestadoras de serviços e por conta da necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. Para mais informações, a Compesa recomenda entrar em contato pelo número 0800-081-0195.

 

TV Jornal

Notícias

Obra no Sistema Tapacurá deixa bairros do Recife sem água

Confira os bairros que ficarão sem o abastecimento de água nesta quinta-feira (17)

Tapacurá responde hoje pelo abastecimento de água de 25% da população do Grande Recife.

Uma paralisação emergencial em uma das tubulações do Sistema Tapacurá será iniciada nesta quinta-feira (17), às 17h. A interrupção do fornecimento de água será pelo período de 15 horas, para conserto de um vazamento no trecho de uma tubulação em aço, de grande porte (1.200 milímetros), localizada na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio, no Recife.

Bairros afetados

Os bairros sem abastecimento são: Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Já os bairros da Torre e Madalena podem ser afetados com queda de pressão.

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. 

Conclusão

A previsão é concluir os trabalhos na sexta-feira (18), às 08h00, quando a operação da tubulação será retomada e iniciado o processo de regularização do abastecimento das áreas afetadas.

Informações

Maiores informações podem ser obtidas pelo canal de atendimento da Compesa, o 0800 081 0195.

 

Diário de Pernambuco

Local

Obra interrompe abastecimento de 22 bairros do Recife por 15 horas

Abastecimento será interrompido em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife. 

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) irá interromper, durante 15 horas, o abastecimento de água em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife. A paralisação começa às 17h desta quinta-feira (17), motivada pela necessidade de fazer um conserto emergencial em uma tubulação de aço de grande porte, na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio. 

Ficarão sem água os bairros de Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e a Mustardinha. Torre e Madalena também podem ser afetados, mas com queda de pressão da água. 

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. A tubulação alvo do serviço mesmo tem 1.200 milímetros.

O trabalho está previsto para ser concluído na sexta (18), às 8h, com o devido reabastecimento das áreas afetadas. Em caso de dúvidas, a Compesa disponibiliza o número 0800-081-0195 para maiores informações.

 

14 DE OUTUBRO DE 2019. 

Blog Portal do Detalhe

Destaque

Compesa suspende operação na Barragem de Jucazinho

A operação do Sistema Jucazinho foi suspensa nesta tarde (12), pela Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa, para possibilitar a instalação de equipamentos que permitam captar o volume de água ainda existente na Barragem de Jucazinho, localizada em Surubim, que atingiu o seu volume morto. A medida é consequência da falta de chuvas na Bacia do Rio Capibaribe, no último inverno. A Barragem de Jucazinho é responsável pelo abastecimento de água de 15 cidades do Agreste. Com paralisação de hoje, 11 cidades da região tiveram o abastecimento suspenso. São elas: Riacho das Almas, Cumaru, Passira, Salgadinho, Casinhas, Surubim, Vertente do Lério, Santa Maria do Cambucá, Frei Miguelinho, Vertentes e Toritama. As três cidades restantes estão sendo atendidas por outro sistema.

Quando um manancial chega no estágio de volume morto não há mais como bombear água e direcioná-la para a estação de tratamento. Por isso, para aproveitar a água que se encontra abaixo do nível ideal de bombeamento, é necessário instalar uma captação flutuante, em Jucazinho.

Os serviços para instalação do equipamento já foram iniciados e como o trabalho é minucioso ainda não é possível determinar o prazo para conclusão das atividades e retorno do abastecimento para as cidades afetadas. Os técnicos da Compesa estimam que a ação seja concluída nos próximos dias.

A companhia pede a compreensão dos moradores das cidades atendidas pelo Sistema Jucazinho, lembrando que os invernos dos últimos anos não foram satisfatórios, e que a pouca existente na barragem é consequência do oitavo ano consecutivo de seca que passa o Agreste pernambucano. O calendário de distribuição de água será ajustado e divulgado, assim que o sistema voltar a operar.

A barragem de Jucazinho, que tem capacidade de armazenamento de 204 milhões de metros cúbicos de água, não acumulou água neste inverno e a Compesa está utilizando ainda a água que resta, acumulada no inverno do ano passado. O volume atual é de apenas 3,8 milhões de metros cúbicos, o suficiente, segundo a Compesa, por apenas cinco meses.

Jornal do Commercio

Cidades

Obra da Compesa interdita rua no bairro de Campo Grande

A previsão é de que a obra seja concluída em 45 dias            

A partir desta segunda-feira (14), a Rua Marques de Abrantes, no bairro de Campo Grande, na Zona Norte do Recife, será interditada para a realização de uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). De acordo com o órgão, o serviço compreende a implantação de 82 metros de rede coletora de esgoto. O trecho bloqueado fica entre as ruas Oliveira Fonseca e Mario Sete. A previsão é de que a obra seja concluída em 45 dias.

Obra

Os serviços serão feitos para aumentar a capacidade de coleta da rede de esgotamento sanitário do local. As tubulações, de 150 milímetros de diâmetro, serão trocadas a 1,5 metro de profundidade. O desvio do tráfego será feita pelas ruas transversais.

Jornal do Commercio

Cidades 

Obra da Compesa altera o trânsito de Candeias, em Jaboatão

O serviço tem início a partir das 22h desta sexta-feira

Uma obra de implantação de sistema de esgotamento sanitário interditará o sentido Recife da Avenida Castelo Branco, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR). A interdição tem início a partir das 22h da noite desta sexta-feira (11). A obra é promovida pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e tem previsão de conclusão na próxima segunda-feira (14).

A Compesa informou que cerca de 600 metros serão interditados entre as Ruas Aníbal Varejão e Jangadeiro. De acordo com o órgão, será necessário promover um desvio para acesso a Avenida Bernardo Vieira de Melo. No sentido subúrbio, o trânsito não será afetado. Os ônibus que transitam pelo local também terão seus itinerários alterados e seguirão o mesmo desvio indicado para os demais veículos.

 

02 DE OUTUBRO DE 2019. 

NE10

TV Jornal

Compesa diminui rodízio de água em municípios pernambucanos

Segundo a companhia, o sistema deve beneficiar cerca de 700 mil pessoas

O esquema começará a valer a partir desta quarta-feira (02) - Foto: Reprodução/ O Povo na TV/ TV Jornal Interior

A Companhia de Saneamento Básico (Compesa), anunciou que vai reduzir o rodízio de água nos municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda, a partir desta quarta-feira (02). O rodízio será de um dia com água e quatro sem. O maior volume de água é acumulado na barragem de Botafogo e deve beneficiar cerca de 700 mil pessoas.

Chuvas ajudaram

As fortes chuvas que caíram no mês de julho, na Região Metropolitana do Recife, contribuíram significativamente para o aumento da vazão do sistema que atende as cidades.

Segundo a Compesa, a vazão do sistema Botafogo passou de 1.100 litros por segundo para 1.500 litros por segundo. Isso melhorou a oferta de água para a área norte do Grande Recife.

Calendário completo

O calendário será divulgado na internet. Quem tiver dúvida, poderá entrar em contato através do número 0800 081 0185 ou pelo site da Compesa (adiciona o link no nome Compesa).

 

Jornal do Commercio

Cidades

Alívio no abastecimento de água para 700 mil pessoas do Grande Recife

Moradores de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima que ficavam seis dias por semana sem fornecimento vão passar a ter quatro dias sem água. 

O principal motivo foi a intensidade das chuvas durante o inverno, que aumentaram os níveis do Sistema Botafogo

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou nesta terça-feira (1º) que vai reduzir o rodízio de distribuição de água para a população de Olinda, Paulista, Abreu e Lima e Igarassu que mais sofre com a escassez. 

As casas que passavam seis dias por semana sem água vão, a partir desta quarta-feira (2), passar quatro dias. O novo esquema vai beneficiar cerca de 700 mil pessoas. Os moradores podem conferir o calendário pelo site oficial da Compesa.

O principal motivo foi o aumento dos reservatórios do Sistema Botafogo, que abastecem as quatro cidades. Por conta da intensidade das chuvas, especialmente em julho, os níveis de água saltaram de 10% em março deste ano, quando a barragem operava em ponto crítico, para 66% em agosto, o maior percentual desde 2012. Setembro fechou em 62%, de acordo com a Companhia. 

Com isso, será possível captar por volta de 400 litros por segundo a mais, aumentando a vazão para os municípios.

A demanda acrescida, no entanto, não oferece risco de esgotar a reserva, garantiu o diretor técnico e de engenharia da Companhia, Rômulo Aurélio Souza. “Os modelos matemáticos que a gente utiliza nas nossas áreas de controle operacional é o mesmo que a APAC trabalha. Nós realizamos simulações de doze meses, captando essa vazão que a gente vai retirar, e nos dá a segurança de que essa barragem não vai entrar em colapso antes do próximo inverno”, afirmou.

 

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Compesa aumenta tempo de abastecimento de água em alguns municípios

A diminuição do tempo de espera pelo abastecimento ocorre em Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou que haverá uma redução no rodízio de água nos municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda. A diminuição foi estabelecida dentre alguns fatores, graças às recentes chuvas que atingiram a Região Metropolitana do Recife (RMR) e ocasionaram o aumento do volume de água na Barragem Botafogo.

Após as fortes chuvas, houve um aumento substancial no volume reservado na barragem, que até o mês de agosto chegou aos 77% da capacidade total. Diante desse cenário, o Governo do Estado de Pernambuco solicitou à Compesa um estudo sobre a possibilidade da melhoria no abastecimento da Região Norte, que de acordo com o órgão é a região mais crítica no quesito abastecimento de água da RMR.

A Companhia analisou as condições estabelecidas e observou durante uma semana como funcionaria uma possível redução. Com o aumento do abastecimento, os rodízios que antes funcionavam no esquema um dia com água e seis sem água, passarão a ser de um dia com água e quatro sem água.

Durante a ação, cerca de 700 mil pessoas serão beneficiadas. Mas, no modelo atual, 200 mil pessoas já utilizam um esquema de abastecimento diferenciado. Aproximadamente 40 mil tem água todos os dias nas torneiras, e os outros 160 mil restantes utilizam o estilo 3x3, que consiste em três dias com água e três dias sem.

Segundo Rômulo Aurélio, diretor técnico e de engenharia da Compesa, a implantação desse projeto será positiva para a população. “É uma melhoria porque conseguiremos reduzir substancialmente o rodízio para melhorar a condição atual e fazer com que a população aos poucos consiga ter realmente água todos os dias”, afirmou.

Ainda de acordo com o diretor, um estudo minucioso foi feito para que a ação não entre em colapso e seja interrompida. “Realizamos algumas simulações com modelos matemáticos assim como a Apac trabalha, e isso nos deu a segurança de mantermos esse esquema até o inicio da próxima quadra chuvosa de 2020 sem maiores problemas.”

A Companhia informou que outras obras estão sendo planejadas e licitadas para resultar em uma melhoria completa da distribuição. Os técnicos estão tomando como base o fornecimento de água da adutora do Alto do Céu, que leva mais de 200 litros de água por segundo para Olinda.

A população pode conferir o calendário que está disponível no site da Compesa para saber mais detalhes sobre os dias de abastecimento de água no seu município.

 

Blog OP 9 (TV CLUBE)

Notícias

Paulista, Olinda, Igarassu e Abreu e Lima com mais água nas torneiras

A partir desta quarta-feira (2), 700 mil moradores das quatro cidades terão um dia de abastecimento d’água para quatro dias sem água

Quatro cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) terão racionamento reduzido.

Cerca de 700 mil moradores de Paulista, Olinda, Igarassu e Abreu e Lima vão ser beneficiados com a redução no rodízio do fornecimento d’água na Região Metropolitana do Recife (RMR). A partir desta quarta-feira (2), os quatro municípios terão um dia de abastecimento para quatro dias de torneiras secas. Antes disso, o regime era de um dia com água e seis dias sem.

O novo calendário de abastecimento foi divulgado pela Compesa nesta terça-feira (1º). O reforço só foi possível porque houve um aumento no volume de água na Barragem de Botafogo.

Em março de 2019, a barragem alcançou o nível mais crítico, com apenas 10% da capacidade. Graças às chuvas de julho, o nível subiu para 62% da capacidade.

 G1

Caruaru e Região

Celpe realiza projeto 'Energia com Cidadania' em Quipapá

Iniciativa promove troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia.

Iniciativa vai promover troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) está realizando o projeto Energia com Cidadania em Quipapá, na Mata Sul de Pernambuco. O projeto vai acontecer até a sexta-feira (4).

A iniciativa promove troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia, além de atendimentos comerciais para a negociação de dívidas, inscrição na Tarifa Social de Energia Elétrica e segunda via de boletos.

Os moradores que desejarem fazer a troca de lâmpadas devem levar no máximo cinco lâmpadas fluorescentes, incandescentes ou halógenas, estar cadastrado na Tarifa social de Energia, levar a fatura paga do mês de setembro e não ter recebido o benefício antes.

O evento está acontecendo na Praça Fernando Pessoa de Melo, a partir das 8h às 12h e das 13h às 15h.

Serviço

Projeto Energia com Cidadania em Quipapá

Data: até 4 de outubro

Hora: das 8h às 12h e das 13h às 15h.

Local: Praça Fernando Pessoa de Melo.

 

01 DE OUTUBRO DE 2019. 

Blog Nada Mais

Economia

ANEEL divulga bandeira amarela e prevê luz mais barata em outubro

Depois de dois meses seguidos no vermelho, a ANEEL divulga que bandeira tarifária para outubro será amarela. Conta deve ficar mais branda

A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL – divulgou nesta segunda-feira (30) que a bandeira tarifária em outubro de 2019 será amarela. Significa custo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. A boa notícia é que nos próximos meses a situação pode melhorar para o consumidor, com tarifas um pouco mais baixas.

Isto porque outubro, de acordo com a ANEEL, é considerado mês de transição entre estação seca e início de período úmido, daí a bandeira amarela. A previsão é que ocorra elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, pois se espera mais chuva do que se tem visto. A elevação do volume de água nos principais reservatórios significa redução de custos de geração de energia, economia que proporcionalmente será sentido no bolso do consumidor. Conforme se armazena, o custo reduz.

É a combinação da redução dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) com a preço da energia (PLD) que determina a cor da bandeira a ser acionada. O sistema de bandeiras visa a mostrar o custo real da energia gerada. Com ele, o consumidor pode ter ideia do bom uso da energia elétrica.

As bandeiras tarifárias funcionam com as cores verde, amarela ou vermelha. Servem para indicar se a energia terá custo maior ou menor, conforme as condições de geração.

NE10

Cidades

Obra da Compesa interdita trecho de avenida em Jaboatão dos Guararapes

A partir desta terça-feira (1), às 9h, a Avenida Bernardo Vieira de Melo (sentido Recife) receberá intervenções para o assentamento de 800 metros de tubulações de esgoto.

A partir desta terça-feira (1), às 9h, em Jaboatão dos Guararapes, a Avenida Bernardo Vieira de Melo (sentido Recife) receberá intervenções para o assentamento de 800 metros de tubulações de esgoto. De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), as duas faixas da direita serão bloqueadas a partir do Banco do Nordeste até a Go Temakeria. Os motoristas devem ficar atentos à sinalização. 

As obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Jaboatão dos Guararapes, nessa etapa, já alcançaram mais de 80% de realização. As intervenções nesse trecho da Avenida Bernardo Vieira de Melo prosseguem até o mês de dezembro deste ano.

Sistema de Esgotamento Sanitário

A  iniciativa faz parte da primeira etapa da ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Jaboatão dos Guararapes, empreendimento iniciado em maio de 2017 e  que, segundo a Compesa, já  concluiu o assentamento  de 80% do total de 61 mil metros de rede coletora prevista. A obra recebe o investimento de R$ 85 milhões, por meio do Programa Cidade Saneada, beneficiando 73 mil pessoas nos bairros de Candeias, Piedade e Barra de Jangada.

O novo sistema ainda contará com uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que está sendo construído na Rua Corumbá, no bairro de Candeias, além de cinco estações elevatórias (bombeamento). Essa etapa da obra tem previsão de término em fevereiro do próximo ano.

Rádio Fandango

Ultimas noticias

Bandeira tarifária nas contas de energia de outubro será amarela, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou  que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos.

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

 

30 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diário de Pernambuco

Vida Urbana 

Serviço Compesa regulariza abastecimento após obra emergencial na Adutora de Tapacurá

O abastecimento foi regularizado em áreas do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe.

A previsão inicial era de o serviço ser finalizado às 17h desta segunda-feira (30), mas, após 24 horas de trabalho ininterrupto, a equipe concluiu o trabalho por volta de 12h do sábado. Segundo informações da Compesa, com o término da obra foi liberado o enchimento da adutora e a partir da meia noite deste domingo (29), o abastecimento foi retomado de forma gradativa. A Compesa ressaltou, no entanto, que nas áreas de rodízio, a distribuição de água ocorrerá de acordo com o calendário.

O abastecimento de água em áreas do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe foi restabelecido neste sábado (28) pela Compesa, após a companhia realizar obra para reparar um vazamento em um trecho da Adutora de Tapacurá. O serviço foi realizado em uma tubulação em aço e de grande porte, de 1.600 milímetros, localizada na BR-408, próximo ao condomínio Alphaville, em Jaboatão dos Guararapes. 

 

Agência Brasil

Economia 

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde de hoje (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos. 

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota. Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

 

27 DE SETEMBRO DE 2019.

Jornal de Caruaru

Local

Compesa não cumpre calendário de abastecimento de água na parte alta do bairro José Carlos de Oliveira

Moradores contam que não receberam uma gota sequer de água.

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) não honrou o seu compromisso estabelecido no calendário de abastecimento de água de Caruaru para o mês de setembro no bairro José Carlos de Oliveira.

Moradores da Rua Rosália Ferreira/Zadir Barbosa de Oliveira disseram ao Jornal de Caruaru que o abastecimento que estava previsto para acontecer nos dias 24, 25, 26, 27 e 28 não aconteceu e várias famílias ficaram sem o liquido precioso, tendo que esperar quase vinte dias para que a Compesa envie um caminhão pipa.

A Rua Rosália Ferreira/Zadir Barbosa de Oliveira, é integrante da parte oeste de Caruaru 2 (Setor 4) juntamente com os bairros Maria Auxiliadora (parte alta), Boa Vista I e II (COHAB 1 e 2), Três Bandeiras, Nova Caruaru, Jardim Panorama, Vila Andorinha, Caruá, Baraúnas, Mandacaru, Novo Mundo, Demóstenes Veras, José Carlos de Oliveira (parte alta), Ramiro de Souza, Jardim Boa Vista , Severino Afonso, Residencial Vitória, Parque Real, Residencial Ipojuca, Residencial Xique Xique, Santos Dumont, João Batista, Pinheirópolis (Vila dos Oficiais), Rendeiras (parte baixa), Loteamento Paraíso, Morada Nova, Serranópolis, Loteamento São José, Luiz Gonzaga, Fernando Lira, Polo Caruaru UFPE, Alphaville, Hospital Mestre Vitalino, Parque da Cidade Jardim dos Coqueiros, Portal do Sol Vassoural (parte alta), Rosanópolis, UPA, Parte do Petrópolis (ruas: 1ª TV, 2ª TV, 3ª TV e Rua Prof. Adelia Leal, Manoel Lopes, Henrique Soares, Sta Catarina, Cristo Rei, Sanharó, 2ª TV Cícero José Dutra e Teófilo Otoni) Adalgisa Nunes 3 e 4 e Residencial Wirton Lira.

Nem vale a pena a gente comentar, novamente aqui, que a Compesa não cumpre com o que diz. Todo mundo sabe que a Compesa é campeã de reclamações por não manter a palavra em anda. E o caso parece que piora, todas vez que se troca a diretoria.

Blog de Jamildo

Noticias 

Copergás bate mais um recorde na distribuição

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) bateu recorde, na distribuição de gás natural não térmico.

A Companhia atingiu a expressiva marca de 1.557 mil m³/dia de gás natural não térmico comercializado no último mês de agosto. O não térmico engloba os segmentos de mercado residencial, comercial, veicular, industrial e cogeração atendidos pela estatal pernambucana.

De acordo com a estatal, o segmento veicular atingiu 301 mil m3/d em agosto de 2019, patamar alcançado pela primeira vez na história da Copergás.

“O resultado, fruto do empenho e trabalho de todos os colaboradores da companhia, representa um crescimento de 6,82% nos números totais de venda da empresa, se comparado ao mesmo período do ano passado. Os números são importantes, pois revelam a nossa preocupação em atuar como agente indutor do desenvolvimento de Pernambuco. O gás natural aumenta a competividade da nossa economia em todas as áreas em que é utilizado”, observa o diretor presidente da Companhia, André Campos.

“A conquista vem para mostrar que a Copergás segue bastante ativa no mercado, ampliando a infraestrutura necessária, gerando segurança, confiabilidade e competitividade a todos os seus clientes. A Copergás proporciona conforto, segurança e economia aos usuários, possibilitando que o mercado consumidor de Gás Natural do Estado de Pernambuco se desenvolva e cresça a níveis superiores a diversos estados da nação”, diz o supervisor da GCVI, Bruno Sousa.

Canal Energia

Noticias

Aneel libera operação comercial de solar em Pernambuco

Agência também autoriza testes em eólicas no RN e MA

A Agência Nacional de Energia Elétrica liberou nesta quinta-feira, 26 de setembro, o começo da operação comercial da unidade geradora UG1 da UFV Fazenda Esmeralda. A usina fica localizada na cidade de Agrestina, em Pernambuco.

A Aneel também liberou o começo da operação em teste das unidades UG10 a UG12 da EOL União dos Ventos 15, com 2,6 MW cada. A usina fica em São Miguel do Gostoso (RN). quem também já pode operar em teste é a unidade UG7, de 2,7 MW da EOL Delta 7 II Energia, que fica na cidade de Paulino Neves, no estado do Maranhão. Outra usina liberada para testes foi a UTE Canutama – COE, na cidade de mesmo nome, no Amazonas. As unidades UG1 a UG7 somam 5,4 MW de capacidade.

Diário Digital

Geral

Agepan e Aneel avaliam plano de concessionária para melhorar serviços

Plano proposto pela Energisa MS nos temas faturamento, religação e geração distribuída é analisado pelas agências reguladoras.

Agepan e Aneel avaliam plano de concessionária para melhorar serviços.

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan), em conjunto com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), analisa a proposta de Plano de Resultados da concessionária Energisa MS em relação ao diagnóstico técnico realizado no âmbito das atividades de Análise dos Serviços de Distribuição para o biênio 2019-2020. As agências estão definindo a metodologia de acompanhamento das ações contidas na proposta que visa melhoria do atendimento ao usuário nos três temas indicados: faturamento, religação e geração distribuída. Integrantes da Câmara Técnica de Energia, da Diretoria de Gás e Energia, participaram neste mês de setembro, de reunião na Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade, da Aneel.

A equipe levou para discussão com a SFE o Plano de Resultados proposto pela distribuidora. A Análise dos Serviços de Distribuição foi realizada pela Agepan por meio de Relatórios Analíticos para os temas selecionados para a concessionária com base no monitoramento da Aneel. Essa análise considerou o total de reclamações, as reclamações procedentes e indicadores técnico-comerciais, em que foram diagnosticados os serviços com maiores problemas e necessidade de ajustes. Após os relatórios de análises, a distribuidora elaborou o Plano de Resultados, onde propõe ações e investimentos para melhoria dos serviços e redução nos valores dos indicadores para níveis satisfatórios.

O Plano será acompanhado pela Agepan no período de um ano, com verificação do andamento das providências propostas e os respectivos compromissos na melhoria da qualidade do serviço. Ao fim desse período, os temas que não obtiverem os resultados esperados serão sujeitos a fiscalização específica da agência estadual. Após a reunião realizada com a Aneel, a equipe técnica e da diretoria de Gás e Energia terá na próxima semana nova discussão técnica com a concessionária para a definição dos indicadores, o aceite do plano e o início de sua execução e acompanhamento.

 

24 DE SETEMBRO DE 2019. 

Jornal do Commercio

Cidades

Tubulação se rompe e cria 'piscina' na Presidente Kennedy, em Olinda

Trânsito ficou lento no trecho próximo ao Ciretran, em Peixinhos

Moradores mergulham no buraco e protestam, na manhã desta segunda-feira

Um cano da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) se rompeu e criou um cratera na Avenida Presidente Kennedy, no bairro de Peixinhos, em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR). O incidente ocorreu na manhã desta segunda-feira (23) e deixou o trânsito lento no trecho entre as ruas Débora Régis de Carvalho e Rua João Guimarães, próximo ao Ciretran. Com o rompimento do cano, moradores da localidade estão sem abastecimento de água.

De acordo com Seu Marcos, comerciante local, o buraco atrapalha no fluxo de clientes, que já ficam com o pé atrás enquanto a localidade. " Devido a esse transtorno que acontece, nosso comércio não só fica fechado, como você conta a dedo os comércios para alugar. Quando o cliente liga para minha loja, ele pergunta logo: 'tem água ai? tem buraco? vamos afundar?'", relata.

Além do problema no trânsito, o rompimento da tubulação vem causando falta de abastecimento de água nas casas de moradores do bairro. Segundo os populares, o problema já persiste por mais de 15 dias, antes mesmo do rompimento do cano.

Faxaju

Noticias

SERGIPE PARTICIPA ENCONTRO NORDESTINO DE EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS

O segmento de distribuição de gás do Nordeste se reuniu nesta quinta-feira, 19, em Natal, no Rio Grande do Norte. O encontro contou com dirigentes de sete concessionárias de gás. Estavam presentes o estado do Ceará (Cegás), Rio Grande do Norte (Potigás), Paraíba (Pbgás), Pernambuco (Copergás), Alagoas (Algás), Sergipe (Sergás) e Bahia (Bahiagás) que discutiram temas como o Novo Mercado de Gás no Brasil, desafios regulatórios e a política setorial de gás natural para o Nordeste. Também integrou a pauta o andamento da Chamada Pública para compra do suprimento que irá possibilitar a competitividade do combustível.

O encontro aconteceu no salão de eventos do Hotel Barreira Roxa e contou com a participação da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, que na abertura destacou a relevância das companhias estaduais de gás para o desenvolvimento da região Nordeste. “Estamos diante da abertura do novo mercado de gás, por isso a importância de fazermos essa discussão, não só do ponto de vista do Rio Grande do Norte, mas do ponto de vista regional”, disse.

A governadora disse ainda que “o Rio Grande do Norte tem grande produção na área de gás e o que nós esperamos e estamos lutando é que o novo mercado traga redução de preços para o consumidor, e que promova o desenvolvimento do nosso Estado e da região Nordeste com a geração de novos empregos”, afirmou. Fátima Bezerra também colocou para os dirigentes das companhias de gás, dirigentes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS) que “é preciso conhecer e assegurar os compromissos das empresas que entrarão para o mercado de gás com o nosso povo”.

O  diretor da ANP, Cesário Cecchi, essa reunião em Natal será repetida em outras oportunidades defendendo  “ajustes entre as regulações federal e estaduais, em função dos elos da cadeia que a indústria de gás compõe. E se um elo falha, tanto a montante quanto a jusante, o processo não se conclui. Então, é necessário harmonia entre a regulação federal e a regulação dos estados”.

Já o senador Jean Paul Prates informou que não soube acerca da definição de compromisso em manter a malha de dutos de gás no Nordeste, assim como da venda por parte da Petrobras.

“Também não tive conhecimento sobre o compromisso para expansão. Não ouvi nada sobre isso. Portanto, é muito importante que o Nordeste esteja unido. Nossas personalidades são específicas, mas nossas distribuidoras têm uma história em comum, sócios, configurações e um modelo tripartite, formado pelo governo, Petrobras e empresa privada. E essa história em comum deve promover um futuro em comum diante dos desafios de negociações e novas descobertas”.

O diretor presidente da Sergipe Gás, Valmor Barbosa, fez uma explanação do quadro vivenciado pela companhia em Sergipe. Ele também questionou e solicitou ao diretor da ANP presente no evento, algumas demandas pertinentes a Sergas. A primeira delas foi no sentido de que o gás produzido em Sergipe, seja priorizado para a distribuidora local. De sorte que a Petrobrás retire o volume de gás necessário para reinjeção, queima e consumo próprio, o excedente forneça a Sergas. A segunda solicitação refere-se que a ANP autorize a Petrobrás a realizar pequenas modificações operacionais, passando do duto de transporte para a rede de distribuição da Sergas, com isso, não pagaríamos o transporte. Diante dessa aprovação, teríamos condições para diminuir a tarifa.   Cesário Cecchi achou razoável as demandas apresentadas por Valmor Barbosa e solicitou que formalizasse através de ofício para fins de avaliação dos pleitos.

Portal Solar

Blog Solar

Aneel promete mais rigor na disputa entre elétricas e investidor de Geração Distribuída

Representantes do setor argumentam que as concessionárias de distribuição estariam atrasando a adesão de clientes à tecnologia ou mesmo travando alguns processos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que vai atuar mais forte na disputa entre elétricas e investidor de geração distribuída (GD). Hoje, representantes do setor argumentam que as concessionárias de distribuição estariam atrasando a adesão de clientes à tecnologia.

A regulamentação da Aneel que permite que a produção desses sistemas seja abatida da conta de luz e a forte alta das tarifas elétricas nos últimos anos têm atraído cada vez mais consumidores para a energia solar. Porém, do ponto de vista das distribuidoras, a migração para a modalidade traz custos extras devido ao grande crescimento desse mercado. Isso porque o uso desses sistemas depende de uma liberação de acesso à rede pelas distribuidoras, o que muitas vezes tem levado prazos bem acima do previsto.

“Existem muitos casos, envolvendo descumprimento de prazos e, às vezes, exigências, por parte das distribuidoras, além do que os geradores entendem como razoáveis. Estamos analisando caso a caso, atuando, porque todos prazos são previstos em norma, e a distribuidora tem de cumprir”, disse o diretor da Aneel, Rodrigo Limp.

Em junho, o Brasil atingiu a marca de mais de 1 gigawatt em sistemas de GD operacionais, que atendem 114,3 mil unidades consumidoras. As soluções de GD reúnem mais de 10 mil empresas no Brasil e recebeu R$ 5,5 bilhões em investimentos desde 2012.

Segundo Limp, o crescimento acelerado levou a Aneel avaliar mudanças nas atuais regras para esses sistemas, com previsão de que uma nova regulamentação entre em vigor no primeiro semestre de 2020 para novas instalações, enquanto unidades já operacionais até essa data terão um prazo extra sem alterações, que deverá ser de cerca de dez anos.

Hoje, toda a energia gerada pelas instalações por meio de placas fotovoltaicas é descontada da conta de luz do consumidor-gerador. A proposta da Aneel, em discussão, é de que a partir de determinados patamares em termos de sistemas instalados a regra mude e alguns custos gerados pela GD sejam abatidos dos créditos gerados para esses consumidores.

Essa possível mudança tem gerado uma corrida pela conclusão de instalações, o que aumenta a frustração de empreendedores de GD, alegando que as distribuidoras são resistentes a autorizar que clientes adotem os sistemas.

A consultora Barbara Rubim, da Bright Strategies e vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), disse que a entidade criou um canal de ouvidoria para registrar queixas contra as distribuidoras, com o registro de mais de 400 reclamações em seis meses.

Segundo ela, os consumidores relataram dificuldades para obter respostas adequadas do regulador, e citou exemplo de uma queixa protocolada em setembro do ano passado e ainda sem resposta.

Em relação a essa questão, Limp, da Aneel, afirmou que a agência pretende tornar “mais rígidos” alguns pontos da regulamentação para evitar os descumprimentos de prazos e regras pelas distribuidoras quando publicar as mudanças na regulamentação do segmento de GD.

Canal Energia

Politica

Aneel constitui comissão para coordenar leilões e concessões públicas do setor

Comissão Especial de Licitação (CEL) ficará responsável por todas providências necessárias à realização dos processos de contratação de energia, serviços e à emissão dos atos administrativos correspondentes

A diretoria da Aneel anunciou a nova constituição da Comissão Especial de Licitação – CEL para coordenar os processos de realização dos leilões para contratação de energia elétrica e dos serviços públicos de transmissão e distribuição, além da outorga à hidrelétricas e chamadas públicas de geração e certames que envolvem eficiência energética. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 23 de setembro, por meio da portaria nº 6.012, assinada pelo Diretor-Geral da Agência, André Pepitone.

De acordo com o documento, estão incluídos os leilões de novos empreendimentos para o Sistema Interligado Nacional – SIN, abarcando os projetos estruturantes no Ambiente de Contratação Regulada – ACR, de energia reserva, fontes alternativas e contratação de geração existente. Também estão inclusos os certames para contratação de eletricidade e potência associada nos sistemas isolados e para os serviços públicos de transmissão, com a construção e a manutenção das instalações da rede básica do SIN.

Outros processos contemplados são as outorgas de concessões de usinas hidrelétricas submetidas ao regime de alocação de cotas de garantia física e da área de distribuição, além das chamadas públicas relacionadas à geração e transmissão, dos mecanismos competitivos de descontratação de energia e dos leilões de eficiência energética.

Caberá a CEL adotar todas providências necessárias à realização dos leilões e à emissão dos atos administrativos correspondentes, analisando contribuições, pedidos de esclarecimentos e recursos, cumprindo os prazos e condições estabelecidos no cronograma dos editais. Solucionar eventuais divergências decorrentes da interpretação  ou aplicação de disposições dos documentos também será de responsabilidade do órgão.

A Comissão será presidida pelo Especialista em Regulação e Gerente Executivo da Secretaria Executiva de Leilões, Romário de Oliveira Batista, seguido por seu Vice-Presidente, André Luiz Tiburtino da Silva. A equipe de regulação contará com cinco especialistas, enquanto a área de apoio administrativo terá três técnicos.

 

18 DE SETEMBRO DE 2019.

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Obra emergencial da Compesa vai interditar ruas no bairro do Parnamirim

A obra terá inicio na noite desta terça-feira (17), e a previsão das equipes da Compesa é de que o serviço seja finalizado na próxima sexta-feira (20)

Serão instaladas tubulações na rua Pedro Roma a partir das 22h desta terça-feira (17)

A partir das 22h desta terça-feira (17), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) dará início a uma obra emergencial para recuperação da rede coletora de esgoto no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife.

As equipes da Compesa começam as intervenções na rua Padre Roma, nas proximidades da Praça Melvin Jones, local onde serão substituídos cerca de quatro metros da tubulação situada a quase cinco metros de profundidade.

Durante o serviço de manutenção serão bloqueadas a rua São Sebastião, no cruzamento com a rua Padre Roma, e uma das faixas da Padre Roma. Os motoristas que trafegam nessa área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

NE10

Notícias

Compesa realiza obra em esgoto na Zona Norte do Recife e interfere em trânsito

As intervenções começam nesta terça-feira (17), a partir das 22h

Os motoristas que trafegam na área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito.

A Compesa irá iniciar uma obra emergencial para a recuperação de um trecho da rede de esgoto na Rua Padre Roma, no bairro do Parnamirim, na Zona Norte do Recife. As intervenções começam a partir das às 22h, desta terça-feira (17), nas proximidades da Praça Melvin Jones. A intenção é substituir cerca de quatro metros da tubulação que está situada a quase cinco metros de profundidade. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

Interdição

Para realizar os serviços de manutenção, será feito o bloqueio da Rua Padre Roma, que também terá uma das faixas interditadas, no cruzamento com a Rua São Sebastião.

Atenção

Os motoristas que trafegam na área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito.

Diário de Pernambuco

Local

Obra emergencial interditará Rua no Parnamirim nesta terça-feira

Uma obra emergencial para recuperação de um trecho da rede coletora de esgoto no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife, será iniciada nesta terça-feira (17) à noite. As equipes da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) começam as intervenções, às 22h, na Rua Padre Roma, nas proximidades da Praça Melvin Jones.

Serão substituídos cerca de quatro metros da tubulação (250 milímetros de diâmetro) que está situada a quase cinco metros de profundidade. Para realizar os serviços de manutenção, será feito o bloqueio da Rua São Sebastião no cruzamento com a Rua Padre Roma - havendo a necessidade de interditar também uma das faixas da Padre Roma. 

Dessa forma, os motoristas que trafegam nessa área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

 

16 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diário de Pernambuco

Local

Operação Celpe vai retirar fiação irregular de 88 postes na Avenida 17 de Agosto

Companhia já removeu cerca de 16 toneladas de fios clandestinos no Grande Recife neste ano. 

Técnicos da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) iniciaram, nesta segunda-feira (16), uma operação para remover fiação irregular de telefonia dos postes na Avenida 17 de Agosto, que cruza os bairros de Casa Forte, Parnamirim, Santana, Poço da Panela e Monteiro. A ação prosseguirá até 30 de setembro. As equipes vão percorrer 88 postes com o objetivo de assegurar o cumprimento das normas técnicas de segurança estabelecidas com as empresas de telefonia e internet para instalação de cabos nos postes da distribuidora.

"Após informar preventivamente às empresas responsáveis sobre a necessidade de ordenamento dos fios e não identificar avanços por parte dos provedores, a distribuidora deve realizar a operação que, apenas em 2019, já retirou mais de 16 toneladas de cabos instalados clandestinamente e irregularmente nos postes em todo o Estado. As empresas comunicadas que não cumpriram o prazo de adequação determinado pela concessionária terão as redes irregulares removidas", informou a Celpe, em comunicado à imprensa.

"Em caso de necessidade de instalação de cabos de telefonia e internet, a autorização é condicionada à regularização com a distribuidora, por meio de contrato de uso mútuo preestabelecido. A partir disso, a empresa provedora pode instalar os fios, sempre obedecendo as normas técnicas de segurança e conformidade determinadas pela Celpe", segue a nota.

Segundo a concessionária de energia, o fornecimento para as localidades que circundam a 17 de Agosto não deve ser afetado, mas, por se tratar de região com hospitais, lojas e museus, a Celpe ressalta que em caso de instabilidade nos serviços de telefonia e internet, o cliente deve entrar em contato com a empresa responsável pela rede, para que sejam feitas as devidas correções.

 

13 DE SETEMBRO DE 2019. 

Folha de Pernambuco

Economia

Celpe dá descontos de 50% para painel solar

Empresa vai subsidiar a compra dos sistemas a partir de segunda. Até 2020, meta é atender 500 clientes em Pernambuco.

O projeto é viabilizado por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

Para ter acesso ao desconto, é preciso se inscrever no site ww.neoenergiasolar.com/celpe. O primeiro lote será aberto já na segunda-feira, com 150 sistemas disponíveis, e os demais lotes terão suas datas divulgadas posteriormente pela Companhia. No programa serão disponibilizados quatro kits de sistemas, onde o consumo médio varia de 350 a 650 kWh por mês, que proporcionam uma economia de até 90% na conta de energia, com um investimento que varia de R$ 5.619 a R$ 9.963.  Os municípios que serão contemplados pelo programa são Jaboatão dos Guararapes, Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ipojuca, Moreno, Olinda, Paulista, Recife e São Lourenço da Mata. A Gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Mascarenhas, destaca que as solicitações para o projeto vão passar por uma análise de cadastro e técnica. “Só os consumidores residenciais podem participar do projeto e a gente tem um limite de 500 sistemas. Vamos abrir lotes de inscrição, lotes de 150 vagas, as pessoas se inscrevem e vamos avaliar se o telhado atende, se o WiFi é correto, o quadro de energia, se tiver tudo certo ele é liberado, assina um contrato, paga 50% do valor via boleto, e o restante é pago pela Celpe”, disse a Gerente.  Caso o cliente não consiga o cadastro para o primeiro lote do programa, Ana Mascarenhas recomenta que a inscrição seja feita para receberem uma notificação informando a data do próximo lote. “As pessoas precisam ficar atentas porque quando fechamos o lote, não tem como fazer, só quando liberar. É importante fazer esse cadastro, mesmo que a inscrição fique fechada, mas para avisarmos o próximo lote”, reforçou. Com o recurso, o cliente de geração distribuída tem o sistema conectado à rede elétrica da Celpe, e a energia gerada é consumida diretamente na unidade, e convertendo em créditos para as próximas contas. 

Jornal do Commercio

Noticias

Moradores do Cordeiro denunciam vazamento em cano da Compesa

Os moradores da Rua Antero Mota temem ainda que o asfalto da via ceda por causa do vazamento. Vazamento já acontece há mais de uma semana.

Uma moradora do bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, entrou em contato com a produção da TV Jornal para denunciar um vazamento de água na Rua Antero Mota.

De acordo com ela, o vazamento é de um cano da Compesa  que está derramando água limpa há mais de uma semana. Além da denúncia de desperdício, os moradores ainda temem que o asfalto da rua ceda por causa do cano estourado, uma vez que a água está vazando pelo pavimento.

 

12 DE SETEMBRO DE 2019. 

OP9

Noticias

Obra suspende abastecimento de água em quatro cidades da RMR

Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima serão afetadas. Previsão é de que o serviço seja normalizado nesta quinta-feira (12).

Localidades atendidas pelo Sistema Botafogo serão afetadas pelo desabastecimento. Uma obra emergencial da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) precisou suspender o abastecimento de água nas cidades de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. O reparo se destina ao conserto de um vazamento ocorrido em um trecho de uma adutora de grande porte do Sistema Botafogo, na Estrada de Monjope, em Igarassu.

Segundo o gerente de produção da Compesa, Euris Oliveira, os serviços são de natureza complexa e por isso os técnicos da companhia estão realizando uma força-tarefa. A previsão que o sistema volte a funcionar plenamente nesta quinta-feira (12), permitindo a retomada da distribuição de água. Inicialmente, os reparos estavam previstos para terminar as 12h da quarta-feira (11).

A obra começou na terça-feira (10) e apenas algumas áreas das quatro cidades seriam afetadas. Mas em função do rodízio e como as intervenções precisaram ser prorrogadas, todas as cidades atendidas pelo Sistema Botafogo tiveram o abastecimento de água comprometido. Após a conclusão dos serviços, a Compesa retomará a distribuição de água, obedecendo ao calendário de cada localidade.

Econômico Valor

Economia

Aneel diz que não cria regra para custo de consumidor que gera energia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não tem o papel de formular políticas públicas para definir uma maior alocação de custos relacionados à geração distribuída aos consumidores de energia, disse Rodrigo Limp, direto.
Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link www.valor.com.br/brasil/6430819/aneel-diz-que-nao-cria-regra-para-custo-de-consumidor-que-gera-energia ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Canal Energia

Politica

Aneel estuda permitir troca de créditos de GD entre distribuidoras

Medida poderia ser implementada já em 2020; venda de excedentes também está no radar da agência. Wagner Freire, da Agência CanalEnergia, de São Paulo (SP).

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estuda permitir que consumidores troquem créditos de geração distribuída entre diferentes áreas de concessão, deste que as distribuidoras estejam no mesmo estado. Em evento em São Paulo nesta quarta-feira, 11 de setembro, o diretor da Aneel Rodrigo Limp disse que esse é um dos aprimoramentos que podem ser incorporados na proposta de revisão da Resolução Normativa n° 482/12.

Caso a proposta prospere, um consumidor que tenha sistema de geração instalado na área da EDP São Paulo poderá compensar créditos de energia em uma outra unidade na área da Enel São Paulo. Pela regra atual, essa troca de créditos não é possível. Logo, um consumidor que tenha uma casa no litoral paulista com um sistema solar instalado não pode utilizar os créditos para compensar o consumo em um apartamento do mesmo proprietário na capital. Esse é um dos pleitos defendidos há anos pela Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen).

Em 2019, a Aneel tem interagido com os agentes para definir uma regra para geração distribuída que não transfira custos para os demais consumidores da rede elétrica e garanta a continuidade do negócio de GD. Em meados de outubro, a agência pretende abrir uma nova etapa de discussões. Os agentes terão um prazo de 60 dias para fazer as contribuições. A ideia é que o novo regulamento esteja aprovado até meados de março de 2020.

Para Limp, essa é uma proposta que tem boas chances de ser implementada. Outra proposta, um pouco mais difícil de prosperar nesse momento, seria permitir que os ‘prosumidores‘ comercializassem o excedente de energia.

“Na medida em que a gente vai cobrar pelo uso da rede, temos que buscar o leque de possibilidade para a geração distribuída. Entendemos que os dois são caminhos possíveis, a troca de crédito entre distribuidoras do mesmo estado e a venda de excedentes”, disse o diretor durante evento promovido pelo escritório de advocacia Souto Correa.

“A comercialização de excedentes é um desafio, mas tenho convicção de que isso no futuro vai acontecer... Não sei se nessa revisão da norma vamos conseguir avançar nesse ponto”, disse Limp.

 BARREIRA TRIBUTÁRIA

Já a troca de créditos entre distribuidoras de diferentes estados esbarrar na tributação, uma vez que as alíquotas de ICMS são diferentes. Uma possível solução seria construir um acordo junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para pacificar a questão. A tributação da compensação de energia esteve muito presente no início do negócio de geração distribuída. Tanto é que foi necessário construir um convênio n° 16/15 para evitar que os Estados cobrassem ICMS na troca de créditos. Para Giácomo Paro, sócio da área de direito tributário da Souto Correa Advogados, a cobrança de ICMS no modelo de compensação de créditos de geração distribuída é uma discussão que se quer deveria existir, uma vez que não há uma operação de compra e venda de energia. “Não nos parece certo dizer que há ICMS no modelo de compensação… Esse convênio nos parece muito mais uma corrida dos estados não sabendo o que fazer com aquilo… Não tem operação que justifique a cobrança de ICMS”, disse o advogado. Por outro lado, Paro explicou que do ponto de vista da legislação, não há barreiras para se implementar a compensação de créditos de GD entre diferentes distribuidoras, desde que elas estejam no mesmo estado. “Para diferentes Estados, acredito que precisaria de um convênio com o Confaz”, disse.

11 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diario de Pernambuco

Local

Compesa faz obra emergencial na Avenida Rui Barbosa

Desde as 20h desta terça-feira (10), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realiza uma obra emergencial na Avenida Rui Barbosa, bairro das Graças, Zona Norte do Recife. O trecho da avenida entre os cruzamentos com as ruas Senador Alberto Paiva e Amélia, perto do Museu do Estado, estão com duas faixas de 30 metros de extensão interditadas para viabilizar os trabalhos. Os motoristas que trafegam pela área devem redobrar a atenção, pelo menos, até às 8h desta quarta (11). A escolha do horário atende a uma orientação da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano da capital (CTTU), visto que a Rui Barbosa é uma via de grande fluxo. A equipe da Compesa está substituindo de seis metros de tubulação da rede coletora de esgoto. O tubo tem 400 milímetros de diâmetro e foi danificado, acidentamente, por uma obra na região nessa segunda-feira (9). “A Compesa informa que restarão intervenções a serem realizadas pela Emlurb com relação a execução de serviços de drenagem serviços de drenagem (galeria de águas pluviais) em curso nessa área”, conta a instituição, em nota.

G1

Notícias

Obra emergencial interdita duas faixas da Avenida Rui Barbosa, no Recife

Serviço da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) afeta cerca de 30 metros da via, nas Graças, na Zona Norte.

Obra da Compesa interdita parte de via na Zona Norte do Recife

Uma obra emergencial da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) interdita duas faixas da Avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, a partir das 22h desta terça-feira (10). A via é uma das mais importantes da Zona Norte do Recife. Um trecho de 30 metros será afetado. O trecho afetado pela obra fica nas proximidades do Museu do Estado de Pernambuco. Na área, a Rui Barbosa faz cruzamento com uma via. De um lado, o nome dela é Alberto Paiva e do outro, Rua Amélia. Segundo a Compesa, os reparo será realizado durante o período noturno, por se tratar de uma via de grande fluxo de veículos. O serviço deverá ser finalizado até as 8h da quarta-feira (11). A obra é realizada para substituir seis metros de tubulações da rede coletora de esgoto, de 400 milímetros de diâmetro. O sistema foi danificado, acidentalmente, na noite de segunda-feira (9), durante uma obra em execução no local, segundo a companhia. Ao fim da obra, disse a Compesa, restarão no local intervenções realizadas pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), de serviços de drenagem.

Jornal do Commercio

Cidades

Após negociação, Celpe religa energia do TI CDU

A companhia informou ainda, que a dívida de quase R$ 80 mil foi negociada e será paga até a próxima sexta (13) pelo Grande Recife Consórcio

A luz foi religada na tarde desta terça-feira (10)

Em menos de 24 horas após a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) interromper o fornecimento de energia do TI CDU, na Avenida Caxangá, na Várzea, Zona Oeste do Recife, a luz foi religada na tarde desta terça-feira (10). Segundo a Companhia, a dívida de quase R$ 80 mil, que gerou desligamento, foi negociada e será paga até a próxima sexta-feira (13) pelo Grande Recife Consórcio de Transporte

Negociação

Nessa segunda-feira (9), em nota, a Celpe informou que realizou contato com o Grande Recife para negociação do débito e restabelecimento do fornecimento de energia.

"O Grande Recife informa que está em negociação com a Celpe o débito das contas de energia do TI CDU, no valor de R$ 79.387,76. Ficou acordado que o pagamento deverá ser feito até sexta-feira (13) e que a energia será restabelecida pela concessionária ao longo desta terça-feira (10)."

TI CDU

O TI CDU foi inaugurado no dia 29 de setembro de 2018 e era um dos equipamentos previstos para a Copa do Mundo de 2014. O terminal opera com quatro linhas, em dias úteis, e atende aproximadamente 3,5 mil usuários. O investimento na construção do equipamento foi de R$ 12,6 milhões.

Privatização

Em maio deste ano, o Governo de Pernambuco publicou um edital de Chamamento Público para receber propostas de parcerias com o setor privado para gestão dos 26 terminais integrados do Grande Recife, incluindo o TI CDU. De acordo com o Governo à época, o objetivo do chamamento é atrair investimentos para os terminais que integram o Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros. Entre os serviços contemplados pelo Programa de Parcerias Estratégicas do Estado (PPPE) estão a administração, manutenção, conservação e requalificação dos terminais. A contrapartida oferecida pelo governo era a exploração comercial dos espaços.

G1

Economia

Aneel autoriza aumento na remuneração da linha de transmissão de energia entre Manaus e Boa Vista

Valor pago à concessionária passará de R$ 185,7 milhões por ano para R$ 275,5 milhões. Ao autorizar o reajuste, Aneel determinou que obras estejam concluídas em 36 meses.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (10) um aumento na remuneração anual da concessionária responsável pela linha de transmissão de energia entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR). O novo valor, definido por um aditivo do contrato, passará de R$ 185,7 milhões para R$ 275,5 milhões.

O valor autorizado é, no entanto, menor do que aquele que foi pedido pela empresa (R$ 395,66 milhões). Em 2011, o Consórcio Boa Vista, formado pela Eletronorte e pela Alupar Investimentos, venceu o leilão para construir a linha de transmissão, conhecida como Linhão de Tucuruí. Até agora, as obras não começaram, porque a concessionária enfrentou problemas com o licenciamento ambiental. A linha deveria ter entrado em operação em 2015. Obras do Linhão de Tucuruí devem começar ainda este ano. O governo do presidente Jair Bolsonaro, no entanto, declarou a obra como de interesse nacional, o que deve acelerar o processo. A remuneração das concessionárias de linhas de transmissão, chamada de Receita Anual Permitida (RAP), é paga pelos consumidores de todo o país e está incluída nas tarifas de energia. Quando assina o contrato, a concessionária, em troca, se compromete a construir e operar as linhas. Segundo a decisão da Aneel, a obra do Linhão de Tucuruí deve ficar pronta 36 meses após a assinatura do aditivo do contrato, prevista para outubro. A Aneel também decidiu manter o prazo original do contrato. Assim, a remuneração anual será paga durante 19 anos e meio. Ao autorizar o aumento da remuneração anual, a Aneel disse que o consórcio não teve responsabilidade nos atrasos durante a fase de licenciamento. “Esse atraso, atualmente superior a 7 anos, sem sombra de dúvidas impactou econômica e financeiramente o contrato, conquanto lhe tenha suprimido a possibilidade de exploração do regime estabelecido no contrato, retirando-lhe o acesso à RAP disponível após o início da operação comercial”, afirmou o relator do processo, o diretor da Aneel Efrain da Cruz.

Folha de Boa Vista

Cidades

Aneel aprova receita maior para consórcio continuar obra de energia

Valor da receita anual foi corrigida para R$ 275,6 milhões. Proposta da TNE era de R$ 396 milhões

O Linhão de Tucuruí é um sonho antigo dos roraimenses que esperam sua conclusão desde 2011

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta terça-feira aprovar reequilíbrio financeiro do contrato para a construção do linhão de transmissão de energia que irá conectar o Estado de Roraima ao sistema elétrico do Brasil. A diretoria da agência aprovou em parte o pedido, ao definir uma receita anual de 275 milhões de reais para o linhão e autorizar a recomposição do prazo de construção, para 36 meses após a assinatura de um aditivo contratual, prevista para até o final de outubro. O valor aprovado, no entanto, ficou bem aquém dos cerca de 395 milhões de reais solicitados pela Transnorte (TNE), que alegou custos extras com o longo atraso e com adaptações no projeto para reduzir seu impacto ambiental. Os diretores da Aneel disseram que não poderiam aceitar totalmente o pleito de revisão de receita dos empreendedores, uma vez que isso iria contra as regras da licitação promovida em 2011. "Chegamos a esse cálculo usando, digamos assim, toda a interpretação necessária, porque reconhecemos a necessidade e a importância desse empreendimento para o país. Mas não temos liberdade total, estamos vinculados a um instrumento licitatório, a um edital", disse o diretor-geral da agência, André Pepitone.

A concessionária responsável pela interligação solicitou correção no valor da RAP (Receita Anual Permitida) de R$ 396 milhões, a preços de janeiro de 2019. Para a TNE, o valor calculado pela Aneel é insuficiente para garantir o reequilíbrio da concessão. A nova RAP inclui uma parcela de receita R$ 7,4 milhões, relativa ao compensador estático de reativos da subestação Boa Vista, única instalação do projeto em operação comercial. A agência reguladora não reconheceu o custo adicional de R$ 546 milhões pelo alteamento das torres de transmissão, além de R$ 205 milhões de acréscimo no orçamento de cabos condutores. Em relação às torres, os custos adicionais estão dentro do que a autarquia considera risco do empreendedor. Sobre o acréscimo no preço dos cabos, a Aneel discordou do cálculo da TNE, que apontou aumento de 130% no valor quando, segundo a agência, o banco de preços de transmissão mostra que houve redução média de 50% no custo do produto. A aprovação do pedido de reequilíbrio do contrato era uma condição estabelecida pela Transnorte para a retomada do empreendimento. Em 2015, a empresa formada por Eletronorte (49%) e Alupar (51%) chegou a solicitar à Aneel a rescisão amigável do contrato, em razão do impasse no licenciamento ambiental. O empreendimento obteve a licença prévia do Ibama em dezembro de 2015, após manifestação favorável da Funai, mas não havia previsão para a emissão da LI. A Aneel recomendou ao Ministério de Minas e Energia (MME) a revogação da outorga, mas o MME devolveu o processo à autarquia por considerar a possibilidade de reequilíbrio contratual. Existe também uma ação judicial protocolada em setembro do ano passado pela TNE, na qual a empresa solicita a caducidade da concessão. Segundo a decisão da Aneel, a obra do Linhão de Tucuruí deve ficar pronta 36 meses após a assinatura do aditivo do contrato, prevista para outubro. A expectativa é que a licença ambiental do linhão seja aprovada também em outubro, o que poderia permitir o início das obras logo após a assinatura do aditivo contratual pelas empresas.

 

23 DE AGOSTO DE 2019. 

Folha de PE
Economia 
 
Compesa investe em esgotamento sanitário de Bezerros
Companhia vai investir R$ 44 milhões em obras de esgotamento sanitário no município. A primeira etapa das obras tem duração de 18 meses, e vai beneficiar 35% da população.

Com um investimento de R$ 44 milhões, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai realizar obras de esgotamento sanitário no município de Bezerros, no Agreste Central. A previsão é que as obras tenham duração de 18 meses, a partir da assinatura da ordem de serviço, que será feita nos próximos dias, e deve beneficiar 35% da cidade.
O aporte financeiro vem de recursos do Governo de Pernambuco e financiados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Do total investido, o aporte assegura a primeira etapa da obra, que contempla os bairros de São Pedro, São Sebastião, Cruzeiro, além do Centro da cidade. 
Esse foi o primeiro anúncio de obras da gestão de Manuela Marinho, que assumiu a presidência da Compesa na última segunda-feira. A gestora destacou que essa obra vai beneficiar boa parte da cidade. “Esse é mais um passo importante para o saneamento das cidades que estão inseridas na bacia do Rio Ipojuca, o que vai representar um ganho imensurável para o meio ambiente. Com essa primeira etapa do sistema concluída, a Compesa passará a se responsabilizar pela coleta e tratamento do esgoto de 35% da cidade de Bezerros, cidade que integra o polo têxtil de Pernambuco”, destacou a presidente. 

Com as obras de esgotamento sanitário no município, a expectativa é de que quando concluída, os moradores tenham uma qualidade de vida melhor, e que ela contribua de forma direta com a recuperação e despoluição da bacia hidrográfica do Rio Ipojuca. 
O investimento prevê a construção de uma Estação Elevatória de Esgoto, com um sistema de bombeamento, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a implantação de 45 quilômetros de rede coletora. 
PSA IPOJUCA
A obra faz parte do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do rio Ipojuca (PSA Ipojuca), que prevê obras de implantação de sistemas de esgotamento sanitário em 11 cidades banhadas pelo Rio Ipojuca, com um investimento de R$ 1,2 bilhão, com recursos do governo do Estado e do BID. O PSA já tem obras concluídas em Tacaimbó, e fases de testes em Gravatá. As obras ainda estão em andamento em Caruaru, Belo Jardim e Sanharó. Em breve o PSA também deverá chegar ao município de Escada. O Programa tem previsão de encerrar as obras em 2020. 

 
Diário de PE
Local 
 
Uberização" pode ser saída para ônibus
 
Aplicativos como City Bus 2.0 levam ao transporte coletivo o formato popularizado nos carros

GOIÂNIA - Apontados como um dos motivos para a diminuição no número de passageiros nos ônibus, os serviços de deslocamento de pessoas por aplicativo são um desafio, mas podem ser uma solução para o transporte coletivo no Brasil. A experiência do City Bus 2.0, o primeiro transporte público coletivo por app da América Latina, que funciona desde fevereiro deste ano em Goiânia (GO), foi apresentado pela Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), como exemplo de inovação a empresários do setor, incluindo representantes do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE).

Atualmente, a legislação sobre o transporte no Recife e Região Metropolitana não contempla serviços como o City Bus 2.0. Na regulamentação do transporte por aplicativo da capital pernambucana, de abril deste ano, é autorizado o serviço compartilhado de transporte por app, mas em veículos de até sete lugares. 
 
Em operação há seis meses, o City Bus 2.0 opera com 29 veículos na capital de Goiás. O serviço atende 28 bairros da cidade, numa área de 40 quilômetros quadrados. Cerca de 50 mil downloads do aplicativo foram feitos nesse período. A opção funciona dentro do sistema de transporte público de Goiânia. São vans com 14 lugares sem rotas ou pontos de embarque e desembarque fixos.
 
O parceiro tecnológico da HP, operadora do City Bus 2.0, é a empresa israelense Via, que oferece serviços semelhantes em outras 50 cidades nos Estados Unidos, Europa, Canadá e em países da Ásia.
Trata-se de um serviço de transporte coletivo por aplicativo de celular - que pode ser baixado em celulares com sistemas Android e iOS - em que o usuário escolhe seu destino, confirma a viagem e é direcionado para o ponto virtual, onde deve pegar o miniônibus que será identificado na plataforma. Os deslocamentos para embarcar em uma das vans é de até 400 metros.
 
“Identificamos uma queda de usuários no transporte coletivo convencional e fizemos um estudo, que revelou um desejo do consumidor pela escolha de suas próprias rotas e viagens mais curtas, que atualmente, não são contempladas pelo serviço de transporte comum. As principais demandas foram tempo, conforto e segurança”, afirmou a diretora-executiva da HP, Indiara Ferreira.
 
Para usar o serviço, depois de baixar o app e fazer um cadastro, o usuário pode solicitar uma viagem. No mapa, há a identificação dos locais de partida e de destino. O aplicativo indica uma van disponível. Em seguida, a plataforma direciona o usuário para um ponto virtual - local de embarque - mais próximo. Como o serviço é coletivo, o usuário precisa se deslocar alguns metros para pegar o transporte. O nome do motorista, um canal para contato e a placa do veículo também são disponibilizados no app. Ao entrar no veículo, o usuário é identificado e segue viagem até o destino informado.
 
A tarifa-base do serviço é de R$ 2,50, mas o valor é variável pela distância percorrida. Como é flexível e calculado pelo trajeto, o aplicativo faz o cálculo total do descolamento e informa ao usuário antes do embarque. Em viagens de até cinco quilômetros, o valor pago é cerca de 30% mais barato do que nas viagens pelos aplicativos de transporte individuais.
 
O pagamento é feito por cartão de crédito cadastrado no aplicativo ou em dinheiro. Até três minutos após confirmar a viagem, o cancelamento é gratuito. Após esse tempo, o usuário paga uma taxa de desistência. O tempo de espera pelo passageiro é de dois minutos. Caso ele não esteja no ponto de embarque, o motorista liga para o usuário e, então, caso ele não apareça, segue viagem com os demais passageiros. O City Bus 2.0 funciona segunda-feira a sábado, das 6h às 23h.
 

22 DE AGOSTO DE 2019. 

G1

Caruaru e Região

Compesa divulga novo calendário de abastecimento de água do mês de agosto em Caruaru

Motivo da mudança é a falta de chuva na região. Segundo Compesa, serão cinco dias com água e 15 sem.

O calendário de abastecimento de água de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, sofreu alteração no rodízio. O motivo da mudança é a falta de chuva na região. Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), serão cinco dias com água e 15 sem água. Antes, o abastecimento era de cinco dias com água e dez sem. Já nas localidades de Contendas, Juriti, Rafael, Cachoeira Seca, Juá, Lajes, Jacaré Grande, Malhada de Barreira Queimada, Gonçalves Ferreira e Jacaré de Gonçalves Ferreira, na zona rural do município, o abastecimento será suspenso pela rede e o atendimento será feito por meio de carros-pipa, que alimentarão os pontos de distribuição de água em áreas estratégicas dessas localidades. A Companhia reforça que a alteração no regime de abastecimento é provisória, tendo em vista que, no primeiro semestre do próximo ano, serão concluídas duas grandes obras hídricas estruturadoras: as adutoras do Alto do Capibaribe e de Serro Azul, que estão sendo executadas em ritmo acelerado e levarão segurança hídrica, a partir da água captada na Transposição do Rio São Francisco para 16 cidades do Agreste, entre elas, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe, cidades que, historicamente, sofrem com ciclos de seca extrema.

Confira o novo calendário:

20 ,21, 22, 23 e 24 

Cidade Jardim Salgado (parte baixa) Centenário Divinópolis Maurício de Nassau Universitário São Francisco José Liberato Vila Agamenon Residencial Alto do Moura Vista Alegre ;

25, 26, 27, 28 e 29 

Nossa Senhora das Dores Centro Vassoural (parte baixa) Santa Rosa (parte baixa) Indianópolis (parte baixa) Riachão Alto da Balança Petrópolis Parque 18 de Maio Jardim Liberdade (Alto da Banana) Residencial Shopping Unifavip e prédios da Brapor Inocoop Cedro Jardim dos Pinheiros Monte Sinai Encanto da Serra Salgado (parte baixa) São João da Escócia (parte baixa) ;

30 e 31 

Rendeiras (parte alta) Monte Carmelo Lagoa do Algodão Quintas da Colina São João da Escócia (parte alta) Parte oeste de Caruaru 1: Maria Auxiliadora (parte baixa) Hosana Vila do Aeroporto José Carlos de Oliveira (parte baixa) Vila Padre Inácio Vila Diocesano João Barreto João Mota Vila Kennedy Kennedy Sol Poente Caiucá Portal do Agreste Posto Agamenon Sítio Campos Vila Cipó Lagoa de Pedra Mestre Vitalino Alto do Moura Village Residencial Luiz Bezerra Torres I e II Bares (Alto do Moura) Alto das Sete Luas Tcheguevara Parte do Vassoural próximo ao presídio - ruas no trecho entre Luiz Gonzaga e Rua do Vassoural: Maria Tereza Ivanildo Cordeiro de Souza João Cordeiro de Souza Maria Cordeiro de Miscena Asa Branca Travessa Henrique Soares Ruas: Com. Luiz Gonzaga, Luiz Serafim de Souza 1ª, 2ª e 3ª TV Henrique Soares Filadelfia A. da Costa Juazeiro do Norte Todos os Santos Rua do Vassoural 5ª TV Alfredo Pinto (Goiana) José Nunes de Araújo José do Patrocínio Espírito Santo Carlos Alexandre Petrolândia 5ª TV do Vassoural Nazaré da Mata Belmonte TV e Rua Imperial (acima da Bernardo Vieira de Melo) Estrada de Campina Luiz de França Pereira Santa Rosa (parte alta) Vila Serena Campo Novo do Sul Vila Campo Novo de Baixo e de Cima Sest/Senat Cidade Alta: Adalgisa Nunes 1 e 2 ;

Próximo ciclo de abastecimento em Setembro 

Maria Auxiliadora (parte alta) Boa Vista I e II (COHAB 1 e 2) Três Bandeiras Nova Caruaru Jardim Panorama Vila Andorinha Caruá Baraúnas Mandacaru Novo Mundo Demóstenes Veras José Carlos de Oliveira (parte alta) Ramiro de Souza Jardim Boa Vista, Severino Afonso Residencial Vitória Parque Real Residencial Ipojuca Residencial Xique Xique Santos Dumont João Batista Pinheirópolis (Vila dos Oficiais) Rendeiras (parte baixa) Loteamento Paraíso Morada Nova Serranópolis Loteamento São José Luiz Gonzaga Fernando Lira Polo Caruaru UFPE Alphaville Hospital Mestre Vitalino Parque da Cidade Jardim dos Coqueiros Portal do Sol Vassoural (parte alta) Rosanópolis UPA Parte do Petrópolis (ruas: 1ª TV, 2ª TV, 3ª TV e Rua Prof. Adelia Leal, Manoel Lopes, Henrique Soares, Sta Catarina, Cristo Rei, Sanharó, 2ª TV Cícero José Dutra e Teófilo Otoni) Adalgisa Nunes 3 e 4 Residencial Wirton Lira;

Monte Bom Jesus

3, 4, 11, 12, 19, 20, 27 e 28 
Rua Bélgica, Rua Suíça, Rua Fortaleza e Rua Paraná;

5, 6, 13, 14, 21, 22, 29 e 30 
Rua da Sé;

7, 8, 15, 16, 23, 24 e 31
Av. São José e Rua Professor Ferrúcio;

1º, 2, 9, 10, 17, 18, 25 e 26 
Travessa da Sé;

Alto do Moura
1º, 2, 12 ,1 3, 14, 15, 16, 26, 27, 28, 29 e 30 
Vila Nossa Senhora das Graças 1 Cícero das Carroças Mestre Vitalino 2 / Parte alta do Alto do Moura;

5, 6, 7, 8, 9, 19, 20, 21, 22 e 23 
Parte Baixa do Alto do Moura Rua do Cemitério Vila Nossa Senhora das Graças 2;

Fins de semana 
Por trás dos bares: Rua Antônio Vitalino Rua da Elevatória (Rua Alto São José);

Taquara
4, 5, 6, 7, 8, 19, 20, 21, 22 e 23 
Taquara parte baixa (da igreja católica até o Rio);

9, 10, 11, 12, 13, 24, 25, 26 e 27 
Taquara parte intermediária (da igreja católica até a Av. Expedito Antônio da Silva);

1º, 2, 3, 14, 15, 16, 17, 29, 30 e 31
Taquara parte alta (da Av. Expedito Antônio da Silva até a linha férrea);

Zona Rural Sul
5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 19, 20, 21, 22, 23, 24 e 25 
Taquara de São Pedro Peladas;

1º, 2, 12, 13, 14, 15, 16, 26, 27, 28, 29 e 30 
Vila Murici Sítio Murici Araçá Lagoa do Paulista Mata Negra Sítio Estivas;

10, 11, 24 e 25 
Alecrim.

NE10

Noticias

Copergás sinaliza estudo para instalação de gás natural em Limoeiro

Presidente da Copergás, André Campos, se reuniu com o prefeito João Luís (PSB)

Reunião foi realizada entre presidente da Copergás e a prefeitura de Limoeiro (Divulgação)

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) sinalizou que iniciará estudos para a instalação de Gás Natural Veicular (GNV) no trecho da Rodovia PE-50, entre os municípios de Glória do Goitá e Limoeiro, no Agreste. A informação foi confirmada nessa segunda-feira (19) durante reunião entre o presidente da Copergás, André Campos, e o prefeito de Limoeiro, João Luís (PSB).

De acordo com a secretaria executiva de Imprensa e Comunicação da prefeitura de Limoeiro, o gasoduto deverá beneficiar o futuro Distrito Industrial (DI) do município, que fica as margens da rodovia. Na reunião também foi discutida a possibilidade de instalação de um posto de combustível com gás natural em Limoeiro.

Copergás

A Copergás foi criada em 17 de setembro de 1992, pela Lei Estadual 10.656/1991, e entrou em operação em 1994. É uma empresa de economia mista, que tem como sócios o Governo do Estado de Pernambuco, a Petrobras Gás S.A – Gaspetro e a Mitsui Gás e Energia do Brasil.

Atualmente, atende aos mercados industrial, automotivo, residencial, comercial, termoelétrico, cogeração de energia e a Refinaria Abreu e Lima. Ela tem um plano de investimentos (2018-2022) que totaliza R$ 227,8 milhões. Tais recursos serão destinados à ampliação da rede no Interior, especialmente em áreas ainda desprovidas de gasodutos.

 

20 E 21 DE AGOSTO DE 2019. 

Folha de PE – 20/08/2019

Economia

ELETROBRAS

Congresso derruba MP que facilita privatização da Eletrobras

Parlamentares entraram em acordo na reunião de líderes da Câmara para derrubá-la e destravar a pauta de votações.

O Congresso derrubou a medida provisória que previa repasses de R$ 3,5 bilhões à Eletrobras. O texto, editado pelo presidente Jair Bolsonaro em abril previa os valores, a serem pagos até 2021, como forma de reembolsar a estatal por despesas de suas distribuidoras de energia no passado. Ele caducaria nesta quarta-feira (21).  Os parlamentares entraram em acordo na reunião de líderes da Câmara para derrubá-la e destravar a pauta de votações. Os deputados articulam rejeitar nesta terça-feira (20) a admissibilidade da medida, para que ela não chegue a ser discutida em seu mérito. Segundo o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), o governo já planeja enviar um projeto de lei para tratar do assunto. "A medida provisória que estava travando a pauta cai, porque não há mais tempo", afirmou a líder da minoria, Jandira Feghali (PC do B-RJ). Apesar do acordo, partidos como PT, PSB e PRB iniciaram um movimento de obstrução à votação da medida provisória. Pouco depois, o centrão retirou sua obstrução, mas a oposição conseguiu segurar a deliberação por cerca de quatro horas. Eles tentavam impedir o avanço para o resto da pauta do dia, que incluía projetos sobre posse e porte de armas.O motivo alegado foi a falta de tempo hábil para a votação nas duas Casas. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) havia dito a integrantes da equipe econômica que se os deputados votassem, garantiria a aprovação com os senadores, o que foi visto como improvável, já que não havia acordo sobre o texto. O problema é que, como informou o Painel, a derrubada da medida pode prejudicar os planos do governo de privatizar a Eletrobras ainda neste ano.
Sem os recursos que seriam advindos dela, a estatal terá que assumir dívidas de subsidiárias, o que comprometerá seu balanço e poderá afetar o preço de suas ações.Os recursos viriam de um fundo setorial mentido com dinheiro da conta de luz, e poderão ser complementados por outorgas obtidas por meio de leilões de ativos. A MP de Bolsonaro já é uma reedição. Em 2018, o então presidente Michel Temer editou medida com o mesmo conteúdo, mas ela caducou em abril depois de não ser votada pelo Congresso. As distribuidoras foram privatizadas pela Eletrobras no fim do ano passado, mas parte das dívidas delas e também dos créditos que elas teriam a receber foi assumida pela estatal antes da venda. A operação tinha o objetivo de tornar os ativos mais atrativos à iniciativa privada.

Jornal do Commercio

Cidades 

Cano estoura e alaga parcialmente pátio do Detran-PE, na Iputinga

A água atingiu também o pátio de provas práticas do Detran-PE

Apesar do incidente, as provas do Detran-PE foram mantidas na manhã desta quarta-feira (21). Após um cano mestre da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) estourar, no cruzamento da Rua Pajeú com a Estrada do Barbalho, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife, ruas e avenidas do entorno ficaram alagadas. Devido ao problema, que chegou a alagar parcialmente o pátio de provas práticas do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), os moradores ficaram sem água nas torneiras. Apesar do incidente, as provas do Detran-PE foram mantidas na manhã desta quarta-feira (21).

Moradores estão sem água nas torneiras

De acordo com moradores, o vazamento teve início por volta das 23h dessa terça-feira (20). Eles comentam que chegaram a ligar para a Compesa, mas um representante do órgão não chegou a ir ao local nessa terça. "Tá muito complicado porque a gente começa a sair de manhã cedo para levar as crianças para o colégio. Não estamos levando porque encheu d'água e inundou, desde as 23h. A gente ligou para o rapaz da Compesa e ele disse que ia vir resolver, mas não vieram. Está todo mundo sem água", comenta Roberto Maia, um dos moradores da Rua Pajeú. Na manhã desta quarta-feira (21), técnicos da Compesa começaram o reparo da tubulação. O pátio de provas ficou parcialmente inundado, o que atrasou o início das provas práticas. Segundo o diretor de operações do Detran, Sérgio Reis, os exames foram mantidos para o restante do dia. 

 

04 DE JUNHO DE 2019. 

Folha de PE

Blog da Folha 

Paulo Câmara empossa Severino Otávio na Arpe

O governador Paulo Câmara (PSB) empossou, na manhã desta segunda-feira (03), o conselheiro aposentado Severino Otávio como novo Diretor Presidente da Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe). O cargo tem duração de quatro anos. Criada em 2000, a agência tem as funções de regular, fiscalizar e zelar pela qualidade dos serviços e concessões públicas delegadas pelo Estado, ou por ele diretamente prestados.

“Tenho a satisfação de empossar Severino diante de tudo que ele representa na administração pública de Pernambuco. Ele sempre foi uma pessoa que procurou melhorar o serviço público, ajudar nas boas práticas, ajudar quem mais precisa. E é isso que queremos na Arpe. Queremos que ela esteja cada vez mais próxima da população, regulando o que precisa ser regulado e cobrando a qualidade dos serviços”, destacou Paulo Câmara.

Em seu discurso o governador fez questão de ressaltar a importância do ex-presidente da agência, Ettore Labanca, que faleceu em março deste ano. “Não podia começar de outra forma que não agradecendo e ressaltando o trabalho de Ettore neste órgão. Nosso ex-presidente cumpriu um papel muito importante, que agora vai ser continuado por Severino Otávio”, afirmou.

O presidente da Arpe governou a cidade de Bezerros em duas ocasiões, entre 1973 e 1976 e entre 2013 e maio de 2019, quando renunciou ao restante do mandato para assumir o novo cargo. Antes, foi deputado estadual por dois mandatos (1979-1982 e 1983-1986). Em junho de 1986, foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), órgão que presidiu em duas ocasiões.

Ao expressar sua gratidão pela indicação ao novo cargo, Severino Otávio afirmou que sua experiência na vida pública será um ponto forte, e reforçou a necessidade de realizar um trabalho conjunto no órgão. “Minha responsabilidade é muito grande, mas não tenho medo de desafios. Junto com os servidores da Arpe, vou compreender e desenvolver essa entidade, para que possamos entregar uma agência reguladora que cumpra sua função perante o povo pernambucano”, assegurou.

Participaram do evento o deputado federal Danilo Cabral; o deputado estadual Waldemar Borges; os prefeitos Breno Borba (Bezerros) e Ana Célia (Surubim); os secretários estaduais Alberes Lopes (Trabalho, Emprego e Qualificação), Silvia Cordeiro (Mulher) e Milton Coelho (Chefia de Gabinete); além de diretores e servidores da Arpe.

 

Diário de PE

Economia 

Paulo Câmara dá posse a Severino Otávio na presidência da Arpe

O novo presidente da Arpe (Agência de Regulação de Pernambuco), Severino Otávio, ex-prefeito de Bezerros, no Agreste, tomou posse na manhã desta segunda-feira (3) na sede da instituição nos Aflitos, Zona Norte do Recife. Segundo “Branquinho”, como é conhecido o recém-empossado na presidência, a reguladora deve atuar como ponto de equilíbrio entre concedentes de serviços e usuários.

“Precisamos mostrar à sociedade pernambucana que a Arpe não é aquela que apenas sanciona aumentos. Precisamos entregar uma agência que cumpra suas funções. Vamos fazer todo o esforço para melhorar os serviços públicos com a ajuda do corpo técnico da casa”, disse Severino Otávio, que sucede, no comando da agência reguladora, Ettore Labanca, ex-prefeito de São Lourenço da Mata e falecido no dia 29 de março por infecção generalizada.

A Arpe tem como função regular com os serviços públicos delegados pelo Estado, garantindo o equilíbrio das relações com setores regulados e usuários. A nomeação de Severino Otávio para a Arpe foi feita pelo governador Paulo Câmara (PSB) no mês de maio e aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).  Presente na cerimônia, o governador de Pernambuco destacou que é preciso implantar também um caráter social na gestão da Arpe. 

“É importante olhar para os mais carentes, defendê-los e prezar pela melhoria do serviço público. Além disso, também se pode coibir abusos. O Brasil passa por um momento difícil, sem rumo e sem planejamento, mas cabe a nós melhorar a qualidade do que é oferecido à população”, disse Paulo Câmara em discurso para uma plateia de cerca de 150 pessoas. Branquinho é bacharel em Direito pela Sociedade Caruaruense de Ensino Superior e delegado especial aposentado da Polícia Civil, tendo sido eleito para dois mandatos de deputado estadual em 1979 e 1983. Em junho de 1986, foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), tendo presidido o órgão em duas ocasiões. Severino Otávio também foi prefeito de Bezerros por três mandatos, entre 1973 e 1976 e de 2013 a maio de 2019, quando renunciou ao posto. Severino Otávio também é conselheiro e já foi presidente do Sport Club do Recife entre 2002 e 2003. 

Estiveram presentes na cerimônia de posse o deputado federal Danilo Cabral, o estadual Milton Coelho e o chefe de gabinete do governador, Milton Coelho, todos do PSB. A vice-presidente da Amupe, Ana Célia Farias (PSB), prefeita de Surubim, no Agreste, o secretário estadual do Trabalho, Alberes Lopes, e a secretária da Mulher de Pernambuco, Silvia Cordeiro, também compareceram, além do prefeito de Bezerros, Breno Borba (PSB), que assumiu o cargo após a renúncia de Severino Otávio, no dia 2 de maio. 

 

22 DE MAIO DE 2019. 

Diário Oficial de PE

COMISSÃO DE JUSTIÇA SABATINA NOVO DIRETOR-PRESIDENTE DA ARPE 

 

03 DE ABRIL DE 2019. 

Jornal do Commercio 

Cidades 

Obra de drenagem muda itinerário de linhas de ônibus no Cordeiro

A interdição será no trecho entre a Rua Honório Correia e Avenida Caxangá

A partir desta quarta-feira (3), a Rua Gregório Júnior, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, será interditada no trecho entre a Rua Honório Correia e Avenida Caxangá para que sejam realizadas obras de drenagem no local. Por esse motivo, o Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT) irá modifica o itinerário de duas linhas de ônibus que passam pela área.

A previsão é que todo o trabalho seja concluído no dia 10 de abril.

Mudança

Para diminuir os transtornos causados pela interdição, a Avenida General San Martin será mão dupla também no trecho que vai da Rua Honório Correia à Avenida Caxangá enquanto durar a obra.

Linha

412 – San Martin (Largo da Paz)

Desvio

Sentido subúrbio/cidade: Avenida General San Martin (terminal), Avenida Caxangá.

Parada

Com a interdição, a parada de nº 080048, na Rua Gregório Júnior, deixará de atender esta linha. A opção para o usuário é utilizar a parada nº 080373, antes do cruzamento com a Rua Frei Teófilo de Virgoleta, na Avenida Caxangá.

Linha

2422 – Monsenhor Fabrício/TI Getúlio Vargas

Desvio

Sentido TI Getúlio Vargas/Monsenhor Fabrício: Terminal Integrado Getúlio Vargas, Rua Manoel Moreira, Avenida Caxangá, Avenida General San Martin, Rua Gomes Taborda, Rua Cláudio Brotherhood, Rua Antero Mota, Rua Maria Quitéria, Rua Nossa Senhora da Saúde, Avenida Maurício de Nassau (Radial Leste), Estrada do Barbalho.

Paradas

Com a interdição, as paradas de nº 080048, na Rua Gregório Júnior; nº 080337, na Rua Odete Monteiro; nº 080338 e nº 080061, na Avenida Maurício de Nassau, deixarão de ser atendidas por esta linha. As opções para o usuário são as paradas nº 080372, na Avenida Caxangá, em frente ao TI Getúlio Vargas; e nº 080049, na Rua Nossa Senhora da Saúde, após o cruzamento com a Rua Coronel Fernando Furtado.

 

26 DE FEVEREIRO DE 2019. 

Folha de PE

Economia 

Aneel abre consulta para reajustar bandeiras tarifárias

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras tarifárias amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2. A iniciativa consta de uma proposta de consulta pública anunciada nesta terça-feira (26) pela agência reguladora. A consulta ficará aberta entre 27 de fevereiro a 1º de abril.


O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.


Na amarela, há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; já no 2, o valor extra sobe para R$ 5.Pela proposta, os custos adicionais com as bandeiras tarifárias serão reajustados entre maio desse ano e abril de 2020. Com isso, o adicional da bandeira amarela pode passar de R$ 1 para R$ 1,50 a cada na kWh; de R$ 3 para R$ 3,50 na vermelha patamar 1 e de R$ 5 para R$ 6 no patamar 2. Os valores propostos pela área técnica da Aneel ainda podem ser alterados até o final da consulta.De acordo com a agência, a proposta mantém a combinação entre risco hidrológico e preço de liquidação de diferenças (PLD) como as principais variáveis para adoção das bandeiras tarifárias. As variáveis estão ligadas ao volume de chuvas.

 

Jornal do Commercio 

Economia 

Aneel abre consulta para reajustar bandeiras tarifárias

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras tarifárias amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2. A iniciativa consta de uma proposta de consulta pública anunciada nesta terça-feira (26) pela agência reguladora. A consulta ficará aberta entre 27 de fevereiro a 1º de abril.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

Na amarela, há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; já no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Pela proposta, os custos adicionais com as bandeiras tarifárias serão reajustados entre maio desse ano e abril de 2020. Com isso, o adicional da bandeira amarela pode passar de R$ 1 para R$ 1,50 a cada na kWh; de R$ 3 para R$ 3,50 na vermelha patamar 1 e de R$ 5 para R$ 6 no patamar 2. Os valores propostos pela área técnica da Aneel ainda podem ser alterados até o final da consulta.

Risco hidrológico

De acordo com a agência, a proposta mantém a combinação entre risco hidrológico e preço de liquidação de diferenças (PLD) como as principais variáveis para adoção das bandeiras tarifárias. As variáveis estão ligadas ao volume de chuvas.

 

Diário de PE

Economia 

Aneel: distribuidoras terão que pagar mais de R$ 7 milhões por apagão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou hoje (26) pedido de 11 distribuidoras de energia de exclusão de penalidade pelo apagão ocorrido em março do ano passado.

As distribuidoras pediram à agência a exclusão, de seus indicadores de continuidade, da interrupção no fornecimento de energia decorrente do blecaute que causou a queda de energia em 13 estados das regiões Norte e Nordeste e afetou estados do Sul e Sudeste. Com isso, as distribuidoras terão que fazer pagamentos de compensações superiores a R$ 7 milhões como compensação aos consumidores.

A penalidade foi aplicada às distribuidoras: Celpa (PA), Celpe (PE), Cemar (MA), Coelba (BA), Cosern (RN), Enel Ceará, Energisa Borborema (PB), Energisa Paraíba, Energisa Sergipe, Energisa Tocantins e Sulgipe (SE).

Ocorrido no dia 21 de março, o apagão foi ocasionado por problemas em uma linha de transmissão da empresa Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE), que transporta energia da hidrelétrica para a Região Sudeste. O blecaute deixou cerca de 70 milhões de pessoas sem luz. Na ocasião, o Operador Nacional do Sistema (ONS) recomendou a aplicação de multa de 10% na Receita Anual Permitida por descumprimento de algumas exigências previstas em contrato.

No início do mês, a Aneel já havia aplicado multa à BMTE e ao ONS de R$ 11 milhões relativas ao apagão.

De acordo com a área técnica da Aneel, no caso da BMTE, foi apurada "falha no processo de manutenção", além de "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa proposta de R$ 6,184 milhões. Quanto ao ONS, a Aneel diz que o órgão "deixou de observar procedimentos de rede" e que houve "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa indicada de R$ 4,912 milhões.

 

04 DE JANEIRO DE 2019. 

Folha de PE

Economia 

Pedágio sobe e ameaça gasolina em Pernambuco

Aumento de 10,96% na Rota do Atlântico poderá ter efeito cascata no frete e, consequentemente, no gás e combustível.

Passar pela Rota do Atlântico - via concessionada que dá acesso ao Complexo de Suape - está mais caro. É que o pedágio da rodovia subiu 10,69% à 0h dessa sexta-feira (4). O reajuste é bem maior que a inflação anual de 4,05%, mas foi autorizado pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) para compensar a perda de arrecadação provocada pela lei que isentou a cobrança da tarifa de eixos suspensos para tentar pôr fim à greve dos caminhoneiros no ano passado. Por isso, pegou de surpresa a categoria: segundo a Federação das Empresas de Cargas do Nordeste (Fetracan), essa alta vai impactar o valor do frete e dos produtos trazidos de Suape, como a gasolina e o gás de cozinha. 

“Suape tem a maior base de abastecimento de combustíveis, GLP (gás liquefeito de petróleo) e contêineres de Pernambuco. E não tem como fazer o escoamento desses produtos fora da Rota do Atlântico. Então, o aumento vai incidir no preço do frete. E isso encarece tudo, chegando ao consumidor final”, declarou o presidente da Fetracan, Nilson Gibson, explicando que, com isso, os caminhoneiros perdem a economia conquistada pela lei dos eixos suspensos. “É um absurdo fazerem essa compensação com um reajuste desses, muito superior à inflação”, reclamou, lembrando que o reajuste do ano passado foi de 4,29%. 

Na época, o pedágio passou de R$ 7 para 7,30 no caso de carros de passeio. Agora, porém, essa tarifa subiu para R$ 8,10. No caso de caminhões leves e ônibus passou para R$ 16,20. Mas esse valor salta para R$ 24,30 em caminhões de três eixos e para R$ 32,40 em caminhões com reboque de quatro eixos. E a tarifa continua subindo de acordo com a quantidade de eixos. Por isso, um caminhão de nove eixos terá que pagar R$ 72,90 para passar pela Rota do Atlântico. 

Diretor de regulação econômico-financeira da Arpe, Frederico Maranhão reconheceu que o reajuste foi elevado, mas afirmou que altas superiores à inflação também estão sendo autorizadas em rodovias de outros estados por conta da lei do eixo suspenso. “Só essa questão justificaria um aumento de 12,33%. Mas, como outros eventos puxaram a tarifa para baixo, o reajuste ficou em 10,96%”, calculou, dizendo que o aumento foi necessário porque o fluxo se manteve, mas a arrecadação caiu na Rota do Atlântico. 

“Esta é uma via unidirecional - cobra para entrar, mas não para sair. Então, quem entra com o caminhão descarregado paga uma tarifamenor porque está com o eixo suspenso, mas transita carregado, desgastando a via do mesmo jeito, porque sai do porto carregado”, argumentou Maranhão, dizendo que, por isso, agora, na data contratual de reajuste do pedágio, o governo acatou o pedido de reequilíbrio financeiro, realizado ainda no ano passado, pela Rota. "A tarifa é uma das formas de remuneração dos mais de R$ 350 mi investidos pela concessionária até o momento", lembrou a empresa.

 

04 DE JANEIRO DE 2019. 

G1 – PE

Tarifa de pedágio sobe 10,96% em rodovia de acesso ao Complexo de Suape e ao Litoral Sul.

Novos valores da Rota do Atlântico entram em vigor a partir da 0h de sexta-feira (4), segundo texto publicado no Diário Oficial de Pernambuco desta quinta-feira (3).

 As tarifas de pedágio cobradas pela Concessionária Rota do Atlântico, no Grande Recife, ficam 10,96% mais caras a partir da 0h de sexta-feira (4).

O aumento, autorizado pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), foi publicado nesta quinta-feira (3), no Diário Oficial. Em 2018, o reajuste ficou em 4,29%.

A Rota do Atlântico dá acesso ao complexo Industrial de Suape e ao Litoral Sul de Pernambuco. Ela engloba as Rodovias PE-09 e VPE-052.

O trecho sob concessão começa na BR-101 Sul, nas proximidades do Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, passa pelo contorno do Cabo e segue até a PE-038, no distrito de Nossa Senhora do Ó, em Ipojuca.

O reajuste da tarifa de pedágio da rodovia, este ano, é mais do que o dobro da inflação prevista para o Brasil, em 2018. De acordo com o mercado financeiro, a meta era fechar o ano na casa dos 3,69%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

De acordo com a nova tabela de tarifas, automóveis, caminhonetes e furgões passam a pagar R$ 8,10. O valor anterior para essas categorias era de R$ 7,30.

Para caminhão leve, ônibus, caminhão e furgão com dois eixos e rodagem dupla, a tarifa sai de R$ de 14,60 para 16,20.

O pedágio mais caro é cobrado para caminhão com reboque e caminhão com semirreboque de nove eixos e com rodagem dupla. Esses motoristas deixam de pagar R$ 65,70 e passam a desembolsar R$ 72,90.

A tarifa mais barata é para motocicleta, motoneta e bicicleta a motor com rodagem simples. Ela custava R$ 3,70 e sobe para R$ 4,10.

Justificativa

De acordo com o diretor de regulação econômico-financeira da Arpe, Fred Maranhão, o índice de reajuste foi estabelecido por causa da necessidade de reequilíbrio do contrato de concessão, em virtude da lei de isenção de pagamento para veículos com eixos suspensos.

"Essa foi uma decisão tomada depois do movimento nacional dos caminhoneiros, em maio de 2018. O contrato inicial não previa que veículos deixariam de pagar pedágio, caso trafegassem com eixos suspensos", afirmou Maranhão.

Segundo ele, foram feitos três pedidos de reequilíbrio contratual. A regulação nesse caso é realizada pela Arpe e pelo Complexo de Suape.

"Caso não existisse essa norma de isentar os eixos suspensos, o reajuste da tarifa de pedágio seria de 2,74% e ficaria abaixo do acumulado do IPCA, que foi de 4,05%. O valor-base sairia de R$ 7,30 para R$ 7,50", observou.

Rota

Por meio de nota, a Rota do Atlântico informou que a tarifa de pedágio é uma das formas de remuneração dos mais de R$ 350 milhões investidos pela Concessionária até o momento, para garantir a agilidade e a segurança na prestação de serviço.

Ainda segundo a concessionária, o valor engloba o Serviço de Auxílio ao Usuário (SAU), 24 horas, que conta com o suporte de inspetores de tráfego, guinchos leve e pesado, ambulância com resgatistas e viaturas de inspeção de tráfego, que pode ser acionado pelo telefone de emergência 0800.031.0009.

A Rota do Atlântico justificou que o reajuste do valor da tarifa ocorre a cada 12 meses, contados do início da cobrança de pedágio, em 2014, com base no IPCA.

A concessionária disse também que, para o atual reajuste, foram considerados os efeitos da Lei 13.711/2018, que determinou a isenção da cobrança de eixos suspensos em todos as rodovias do país.

Confira a nova tabela

Novos valores de pedágio

Categoria

 

 

Tipo de Veículo

Número de Eixos

Rodagem

Tarifa

1

Automóvel, caminhonete e furgão

2

Simples

8,10

2

Caminhão leve, ônibus, caminhão e furgão

2

Dupla

16,20

3

Caminhão, caminhão com semirreboque e ônibus

3

Dupla

24,30

4

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

4

Dupla

32,40

5

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

5

Dupla

40,50

6

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

6

Dupla

48,60

7

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

7

Dupla

56,70

8

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

8

Dupla

64,80

9

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

9

Dupla

72,90

10

Automóvel ou caminhonete com semi-reboque

3

Simples

12,20

11

Automóvel ou caminhonete com reboque

4

Simples

16,20

12

Motocicleta, motoneta e bicicleta a motor

2

Simples

4,10

Fonte: Diário Oficial de Pernambuco

  

26 DE OUTUBRO 2018. 

Folha de PE

Economia 

ENERGIA

Painel solar será pago na conta de luz de pessoas físicas

Parceria da Sdec com a Celpe vai permitir a oferta do programa PE Solar, que facilita a instalação dos painéis, para as pessoas físicas. Antes, só empresas eram beneficiadas

Instalar painéis de energia solar em casa está mais fácil. É que o investimento realizado para gerar a própria energia agora pode ser pago na conta de luz, através da economia criada com os painéis fotovoltaicos - o que reduz a obrigação de pagar mais um boleto no fim do mês. A possibilidade faz parte do programa PE Solar, que foi ampliado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (Sdec-PE) através de uma parceria com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). 

“O futuro da energia é a geração distribuída, através de usinas pequenas no teto das casas. Por isso, ampliamos o PE Solar e estamos facilitando o pagamento dos painéis”, contou o secretário executivo de energia de Pernambuco, Lula Cardoso Ayres. Ele explicou que o PE Solar existe desde 2015, mas funcionava apenas para pessoas jurídicas. Agora, passa a atender pessoas físicas e de forma facilitada, por conta da parceria com a Celpe. “Estamos ampliando o programa para os consumidores residenciais e ainda estamos dando a possibilidade de eles descontarem as parcelas dos painéis na conta de luz”, contou Ayres, garantindo que tudo isso será feito de forma simples. 

Os consumidores interessados em gerar a própria energia devem entrar no site do PE Solar para ver as empresas de instalação de painéis fotovoltaicos credenciadas no programa - atualmente, 19 estão cadastradas pelo governo. O consumidor pode, então, negociar os preços e a instalação da sua usina solar diretamente com a empresa. Só na hora do pagamento é que ele vai optar por descontar o financiamento na conta de luz. “O consumidor não precisa fazer essa negociação com a gente. E isso não tem um custo extra”, acrescentou a gerente de relações institucionais da Celpe, Érica Ferreira.

O programa ainda deve gerar economia para o consumidor. É que a geração dos painéis vai reduzir o consumo da energia da Celpe. E é essa redução que será usada para pagar os painéis. “Tudo o que for gerado na residência vai para o consumidor. Se houver sobras, elas serão injetadas na rede da distribuidora, mas servirão como crédito para serem usadas em até 60 meses. E ainda há a possibilidade de o consumidor indicar outro imóvel, que também esteja vinculado ao seu CPF, para ser alimentado por essa sobra. Ou seja, ele vai se atender. Então, haverá redução de consumo e economia”, explicou Érica, dizendo que, por conta disso, a Celpe só vai cobrar o consumo extra, que não for gerado pelas placas solares.

Se o consumidor chegar ao ponto de gerar toda a sua energia, a companhia só vai cobrar a taxa mínima de luz, que é de R$ 24 para residências e de R$ 80 para estabelecimentos comerciais. E a Sdec garante que, dependendo do tamanho dos painéis, é possível que isso aconteça. Caso o cliente gaste R$ 500 com luz, mas passe a gerar toda a sua energia, por exemplo, será cobrada apenas a tarifa de R$ 24. 

Nos primeiros anos, contudo, a conta também virá com o valor das parcelas dos painéis. Se o financiamento for de R$ 326, por exemplo, a conta será de R$ 350. “Mas o tempo de vida médio dos painéis é de 25 anos e os financiamentos normalmente duram menos. Por isso, o desconto da conta de energia será usado para pagar os painéis apenas nos primeiros anos. Depois, vai todo para você”, concluiu Lula.

 

05 DE OUTUBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 05 de outubro de 2108

 

05 DE OUTUBRO 2018. 

Folha de PE

Economia 

Abastecimento de energia terá reforço em Pernambuco

Celpe está investindo mais de R$ 31 milhões na construção de cinco subestações em diversas regiões de Pernambuco e em um novo alimentador, que vai beneficiar o Agreste.

Para melhorar o abastecimento energético em diversas regiões de Pernambuco, serão construídas cinco subestações de energia elétrica. Além disso, um novo alimentador de média tensão vai beneficiar a produção do polo de confecções de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste. A partir da demanda feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Sdec), com aval do Governo do Estado, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) vai realizar as obras. Com investimento de R$ 31.552.333,49, o projeto deve ser concluído até o início de 2020.

Essas construções fazem parte de uma cláusula do contrato assinado entre a Celpe e o Governo no ano de 2000, época da privatização da companhia. “Foi previsto em contrato que 1% da receita operacional líquida anual da Celpe, o que gira em torno de R$ 40 milhões, fosse aplicado em obras de benefícios sociais. São obras para melhoria nas condições de atendimento”, explicou o secretário executivo de Energia do Governo, Luiz Cardoso Ayres Filho.

As subestações de 69/13,8 quilovolts (kV) vão ser construídas nas seguintes cidades: Recife (subestação Pau Ferro), Goiana(subestação Tejucupapo), Ipojuca (Subestação Nossa Senhora do Ó), Petrolina e Tacaratu. “Essas construções vão beneficiar diversas áreas a fim de melhorar a qualidade de energia. Vão ampliar a capacidade e levar desenvolvimento para as regiões. Vão aumentar a oferta de energia de forma geral, para indústrias, casas e comércio”, registrou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Antonio Mário Pinto. O sistema alimentador de 13,8 kV, de Santa Cruz do Capibaribe, terá 4,5 km de extensão e seu principal objetivo é beneficiar o desenvolvimento econômico do polo têxtil da região.

Ainda segundo o secretário de Desenvolvimento, o investimento vem de recursos oriundos da Celpe, na espécie de um fundo que vai sendo utilizado quando a demanda é apresentada. “Ainda deve ter acumulado em torno de R$ 60 milhões atualmente, mas o fundo vai recebendo a verba a cada ano”, disse o secretário.

A partir dessa parceria entre o Governo e a Celpe, outras obras já estão em fase de execução. Uma delas é a trifasicação de mais de 140 quilômetros (km) de redes monofásicas. Além disso, há a construção da linha de transmissão Bom Nome/Carnaubeira da Penha de 49 km em 138 kV, que vai propiciar a conexão de usinas de geração solar de grande porte no Sertão.

 

04 DE OUTUBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 04 de outubro de 2018

 

02 DE OUTUBRO DE 2018. 

Jornal do Commercio 

Economia 

Compesa investe R$ 32 milhões em nova adutora

Sistema irá levar água do da Transposição do rio São Francisco direto para o município de Custódia

 A Adutora do Moxotó deve começar a levar água até pesqueira neste fim de semana

A partir do mês de novembro, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) deve tirar do papel a construção de mais uma adutora em Pernambuco. Ao custo de R$ 32 milhões, por meio de empréstimo firmado entre o Estado e o FGTS, o Novo Sistema Adutor de Custódia, no Sertão, deverá levar água do Rio São Francisco direto para as torneiras da cidade.

De acordo com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a obra será suficiente para tirar os cerca de 36 mil habitantes do município da dependência das chuvas. “Iremos aproveitar a mesma estrutura de captação da Adutora do Moxotó. A cidade de custódia já tem uma barragem, mas não aguenta um ano sem chuva. Com a conclusão da obra, teremos água durante todos os meses no município”, diz Tavares.

Embora já esteja em fase final do processo licitatório e com uma empresa (ainda não revelada) já vencedora, a obra, caso seja iniciada em novembro, deve ser concluída em meados do fim de 2019. O serviço consiste na construção de uma estação elevatória (sistema de bombeamento), no distrito de Rio da Barra, em Sertânia, da adutora de 23 quilômetros de extensão, às margens da BR-232, e de uma nova estação de tratamento de água - com capacidade para tratar até 85 litros de água por segundo - o que, segundo a Compesa, é suficiente para atender o município. Custódia conta atualmente apenas com o manancial de Marrecas, que tem a capacidade de armazenar 21 milhões de metros cúbicos de água, mas está em pré-colapso.

Além dessa adutora, a companhia também mantém em obras as adutoras de Serro Azul, do Alto Capibaribe e Moxotó, essa última faz o mesmo traçado do Ramal do Agreste, que deveria captar água do Eixo Leste da Transposição a partir de Sertânia e levar até Arcoverde, mas só deve ser concluída pelo Governo Federal em 2020.

MOXOTÓ

Como alternativa ao Ramal, a adutora do Moxotó, que pode transportar 450 litros por segundo, está em fase operacional e já abastece com água do Rio São Francisco cerca de 75 mil pessoas no município de Arcoverde, no Sertão. O próximo passo, segundo a própria Compesa, é fazer com que a água chegue até Pesqueira, antes do sistema adutor encontrar o começo da Adutora do Agreste, obra que carece do repasse de recursos federais.

“Moxotó já está numa fase operacional, mas funcionando com abastecimento só para Arcoverde. A perspectiva é de chegar água em pesqueira até o fim de semana que vem, depois levaremos água para Sanharó, Belo Jardim, Tacaimbó e São Caetano”, confirma Tavares.

 

27 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 27 de setembro de 2018

 

21 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 21 de setembro de 2018

 

20 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Suape avança para construir térmica a gás

Complexo anunciou arrendamento de área e três empresas já expressaram interesse em ergue usina, como a multinacional Golar Powerl

Em busca de novos negócios, o Complexo Industrial e Portuário de Suape está se movimentando para destravar o projeto que pretende construir uma usina térmica a gás no Litoral Sul do Estado. E o porto já tem um novo aliado neste processo: a Golar Power multinacional que atua na geração de energia a gás em Sergipe e agora quer erguer outro empreendimento deste tipo em Pernambuco. Por isso, Suape está arrendando uma área de 15 hectares para a implantação da usina, que, se for realmente tocada pela Golar, pode gerar 2,5 mil empregos e R$ 4,5 bilhões em investimentos só na fase de construção.

Presidente de Suape, Carlos Vilar explicou que três empresas já demonstraram interesse no projeto da térmica, que pode ser leiloado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) ainda neste ano. A Golar é uma delas, mas não teria condições de participar do leilão federal porque ainda não dispõe de nenhum terreno em Suape. “A Gasen e a CHPK, que são as outras interessadas, já têm áreas arrendadas em Suape para isso. Mas a Golar não. Por isso, vem negociando conosco e pediu a realização de um processo de licitação com urgência para poder se habilitar ao leilão previsto para dezembro”, contou Vilar, dizendo que este processo de arrendamento realmente acontece desta forma, por provocação do setor privado. “A empresa apresenta o pedido e a gente faz o chamamento. Mas o arrendamento fica aberto para todos os interessados. Outras empresas podem participar. Vai ganhar quem apresentar as melhores condições de preço. Afinal, o interesse maior de Suape é pelo negócio que vai surgir com a implantação da usina, gerando empregoinvestimento arrecadação para o Estado”, garantiu Vilar.

Por conta disso, o arrendamento, que foi publicado no Diário Oficial do Estado dessa quarta-feira (19) e recebe propostas até 22 de outubro, é bem específico: busca interessados na implantação de uma usina termelétrica com unidade regaseificadora de gás natural liquefeito. Segundo Suape, o processo deve ser concluído em novembro e estima em R$ 30 milhões o arrendamento do terreno por um período de 300 meses.

Térmica

Suape já conta com uma usina térmica a gás, que, inclusive, está para ser ampliada. Mas já há alguns anos é discutida construção de um novo empreendimento deste tipo no complexo industrial do porto pernambucano. E essa possibilidade ganhou força neste mês, quando o Ministério de Minas e Energia anunciou a intenção de realizar leilões regionais, começando pelo Nordeste, para incentivar a geração de energia térmica a gás natural, que é mais barata e menos poluente que a térmica a óleo combustível, no País. “Suapetem vantagem nesse processo porque permite que o navio atraque a apenas 400 metros da área da usina. Já em Sergipe, o navio que traz o gás natural fica no alto mar, a um quilômetro de distância”, argumentou Vilar, dizendo que isso reduz o gasto necessário para a construção dos dutos que vão levar o gás dos navios para a térmica.

 

20 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Agência Nacional de Águas prepara cobrança pela água

Os valores só começarão a ser cobrados depois da assinatura de contrato entre o operador estadual e a Codevasf

Os valores para o fornecimento da água bruta do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) para 2018 foram definidos pela Agência Nacional de Águas (ANA). Em publicação divulgada no Diário Oficial da União de ontem, a ANA estabeleceu os preços para a tarifa de disponibilidade (R$ 0,801 por metro cúbico), que cobre os custos fixos para fornecer a água, e a tarifa de consumo (R$ 0,244), relativa ao que for efetivamente utilizado da água. Essas tarifas serão pagas pelo operador estadual à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), responsável por operar o PISF, fornecendo a água bruta aos estados.

Os valores só começarão a ser cobrados depois da assinatura de contrato entre o operador estadual e a Codevasf. “Até o dia 31 de dezembro deste ano é o prazo para assinatura do contrato. A data que vai começar a cobrança da operação ainda não está definida. O Estado de Pernambuco tem indicado que será a Compesa [Companhia Pernambucana de Saneamento] a responsável por comprar a água bruta do São Francisco”, explicou o superintendente adjunto de regulação da ANA, Patrick Thomas.

Atualmente, o projeto da transposição está em fase de pré-operação, ou seja, em teste. Ele ainda entrará em fase de operação comercial após a assinatura do contrato. “A partir dessa assinatura, o Estado vai pagar pela tarifa de disponibilidade, que serve para cobrir os custos fixos, como aluguel da sede da Codevasf e o salário dos funcionários. Quando a água começar a ser entregue para o operador estadual, começará a cobrança da tarifa de consumo, que será de acordo com a água que for efetivamente entregue, ou seja, o custo de energia para bombear a água” explicou Thomas.

No último dia 9, a ANA aprovou a resolução estabelecendo o primeiro Plano de Gestão Anual (PGA), que determinou a quantidade máxima da água a ser disponibilizada para os estados. “A Codevasf pode entregar para Pernambuco até 0,75 metro cúbico por segundo (m³/s)”, informou Thomas.

Esses valores das tarifas servirão apenas nos meses em que começar a operação neste ano. Em 2019, serão outras tarifas. “Esses pagamentos são importantes para a sustentabilidade financeira do projeto. A Codevasf precisa cobrir custos de operação e manutenção para que os estados recebam a água com segurança”, destacou Thomas.

 

13 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Comitê mantém usinas termelétricas mais caras acionadas

A decisão desta quarta-feira vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh e vale para o período de 15 a 21 de setembro.

Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, ligado ao Ministério de Minas e Energia, decidiu nesta quarta-feira (12), em reunião extraordinária, manter o acionamento de usinas termelétricas mais caras fora da ordem de mérito, pela terceira semana seguida.

A decisão desta quarta-feira vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh e vale para o período de 15 a 21 de setembro. A medida diz respeito a um conjunto de 14 usinas e reafirma decisão tomada pelo CMSE no início do mês, no dia 1° de setembro, quando acionou as usinas, após uma reunião extraordinária e, posteriormente, no dia 5 quando manteve o acionamento.

Segundo nota do comitê, que é responsável por monitorar as condições de abastecimento e o atendimento ao mercado de energia elétrica do país, o principal motivo para manter o despacho das termelétricas é o baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de geração de energia no país.

A medida levou em consideração os atuais níveis de armazenamento dos subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN) e a perspectiva até o final do mês de novembro de 2018. Também foi realizada uma análise específica do volume dos reservatórios no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e também de reservatórios de usinas de cabeceira dos rios Grande e Paranaíba, “visando a garantia de controle da cascata hidráulica e a manutenção da navegabilidade da Hidrovia Tietê-Paraná”, infromou o CMSE.

CMSE disse ainda que há previsão meteorológica para os próximos sete dias de precipitações entre o norte da Região Sul e o sul da Região Sudeste. Segundo o comitê, as bacias mais beneficiadas serão Iguaçu, Jacuí e Uruguai, no subsistema Sul.

Comitê reiterou a garantia do suprimento no ano de 2018 e destacou que há recursos energéticos disponíveis, inclusive além dos montantes já despachados de usinas termelétricas.

 

05 DE SETEMBRO 2018.

Folha de PE

Cotidiano

Implantação de rede de distribuição de água altera itinerário de ônibus em Olinda

As mudanças acontecem a partir desta quarta (5), alterando linhas que circulam pelo bairro de Rio Doce

Grande Recife Consórcio de Transporte mudará o itinerário de 14 linhas de ônibus a partir desta quarta-feira (5) até o próximo dia 24 de setembro. A alteração vai ocorrer para obra de implantação de rede de distribuição de água no bairro de Rio Doce, interditando a Rua Clídio de Lima Nigro, conhecida como ‘Rua 01’, no trecho entre a Av. Coronel Frederico Lundregn e a Rua Fenelon Átilo Leite.

Confira as mudanças nos itinerários das linhas:

881 - TI Xambá/Rio Doce
884 - Jardim Brasil/Rio Doce

885 - Sítio Novo/Rio Doce
886 - Ouro Preto/Rio doce
1983 - Rio Doce (Princesa Isabel) - feira de Rio Doce
2920 - Rio Doce/CDU
2930 - Rio Doce/Dois Irmãos
1985 - Rio Doce (Bacurau)

Sentido Varadouro/Rio Doce
Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, Rua Belo Horizonte...

Sentido Rio Doce/Varadouro
Av. Governador Carlos De Lima Cavalcanti, Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

1907 - Paulista/Rio Doce - via Bultrins
1996 - Arthur Lundgren II/Rio Doce (Paratibe)

Av. Brasil, giro à direita na Rua São João Batista, giro à esquerda na Rua Rogaciano de Santana, giro à esquerda na Rua Manoel Graciliano De Souza, giro à direita na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

882 - TI Xambá/Rio Doce (Carlos de Lima Cavalcanti)
1986 - TI Rio Doce/TI PE-15

Rua Manoel Graciliano De Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

1981 - Rio Doce (Conde da Boa Vista)

Sentido subúrbio/cidade
Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, Rua São João Batista...

Sentido cidade/subúrbio
Rua Manoel Graciliano de Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Avenida Brasil...

1907 - Paulista/Rio Doce - via PE-022

Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, giro à direita na Rua São João Batista, giro à esquerda na Rua Rogaciano de Santana, giro à esquerda na Rua Manoel Graciliano de Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

Em caso de dúvidas, sugestões ou reclamações o usuário pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou no WhatsApp (9 9488.3999), exclusivo para reclamações.

Folha de PE

Economia 

Aneel aprova aumento de R$ 1,9 bi para conta de políticas públicas

O valor do aumento aprovado pela Aneel será repassado por meio da tarifa de energia, na conta de luz das distribuidoras de energia que ainda passarão por reajustes tarifários esse ano

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (4) um aumento extraordinário de R$ 1,937 bilhão no orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que passará de R$ 18,843 bilhões para R$ 20,053 bilhões. Com a medida, haverá aumento nas contas de luz. O impacto médio previsto nas tarifas será de 1,6% para os consumidores dos estados do Centro-Sul e de 0,3% do Norte e Nordeste.

valor será repassado por meio da tarifa de energia, na conta de luz das distribuidoras de energia que ainda passarão por reajustes tarifários esse ano. Para as demais, o valor deverá ser compensado nos processos do ano que vem como componente financeiro. A CDE é usada para custear diversas políticas públicas do setor elétrico brasileiro, como o subsídio à conta de luz de famílias de baixa renda; programas como o Luz Para Todos; pagamento de indenizações a empresas e compra de parte do combustível usado pelas termelétricas.

A revisão dos valores já havia sido proposta pela Aneel no início de agosto. Na ocasião, a pedido da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que controla os repasses das CDE, a agência propôs um reajuste de R$ 1,446 bilhão. O aumento, no entanto, acabou 2% maior em relação ao previsto.

Segundo a agência, o aumento se deve, entre outros fatores, ao acréscimo de 20% nos descontos tarifários concedidos aos usuários dos serviços de distribuição de energia elétrica, em decorrência da migração de consumidores especiais de energia (com carga mínima de 500 kW) para o chamado mercado livre. Desta forma, os descontos passaram de R$ 6,944 bilhões para R$ 8,362 bilhões.

Também pesou a inclusão de mais recursos para cobrir os gastos da Conta de Consumo de Combustíveis (CC), que passaram de R$ 5,346 bilhões para R$ 5,849 bilhões. O montante maior de recursos, cerca de R$ 406 milhões, irá para o acionamento de usinas termelétricas em Roraima, por conta da eventual interrupção do fornecimento de energia elétrica da Venezuela para o estado.

De acordo com o diretor da agência e relator do processo, Rodrigo Limp, caso a linha de transmissão que vai conectar Manaus (AM) a Boa Vista (RR) estivesse pronta, o acionamento de térmicas não seria necessário. Ainda não foi concedido o licenciamento ambiental para iniciar a obra. “Se tivéssemos essa linha pronta, o fornecimento a Roraima seria mais seguro e muito mais barato”, disse Limp.

Outro fator que pesou no aumento foi a prorrogação, até dezembro, do regime de operação temporária pela Eletrobras das distribuidoras dos estados de Alagoas, Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima e Piauí. A medida impactou a Reserva Global de Reversão (RGR), outro fundo setorial que compõe a receita da CDE. Em razão da prolongação do regime temporário dos contratos de operações das distribuidoras, a conta deixará de receber cerca de R$ 770 milhões.

 

01 DE SETEMBRO 2018.

Assessoria de Imprensa - Compesa  

Chuva impede conclusão de obra de esgoto no bairro do Arruda

Em virtude das chuvas registradas neste fim de semana, a  Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa não conseguiu  concluir  a segunda etapa  da obra de esgoto iniciada na última sexta-feira (31), na Rua Professor José dos Anjos, no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife. Por isso, as intervenções continuam até amanhã (4 ). A obra, que pretende recuperar um trecho de 20 metros da rede coletora de esgoto,  estava prevista para ser concluída ontem (2). O trecho de 500 metros da Rua Professor José dos Anjos no sentido Peixinhos ? Arruda, entre as Ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho, permanece interditado, assim como o cruzamento da Rua Professor José dos Anjos com a Rua Petronila Botelho.

Para os veículos que trafegam no sentido Arruda ? Peixinhos pela Rua Professor José dos Anjos, será proibido realizar a conversão à esquerda para acessar a Rua Petronila Botelho. Para quem vem do bairro da Encruzilhada em direção ao bairro do Arruda, pela Rua Petronila Botelho, terá que entrar à direita na Rua Professor José dos Anjos. Os veículos, nesses dois fluxos, deverão realizar um desvio pela Rua Desenhista Eulino Santos, acessar a Rua Professor José dos Anjos (sentido Peixinhos ? Arruda) e seguir o desvio pela Rua Pedro Rodrigues de Barros, para em seguida entrar à esquerda na Rua das Moças e seguir até a Avenida Beberibe. De lá, os condutores podem retornar à Avenida Professor José dos Santos. Já para os veículos que trafegam pela Rua Petronila Botelho no sentido Arruda ? Encruzilhada, o desvio será realizado pela Rua Professor José dos Anjos para acessar a Avenida Beberibe. Os motoristas devem estar atentos à sinalização nas vias.

A obra é realizada pela BRK Ambiental, parceira privada da Compesa, e é uma ação de extrema importância para a manutenção do bom funcionamento do sistema e fluxo de esgoto da região.

 

01 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 01 de setembro de 2018

 

31 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Açudes não se recuperam e comprometem retomada no NE

Na faixa costeira que vai do sul da Bahia ao Rio Grande do Norte, por exemplo, as chuvas acontecem entre abril e julho.

O Nordeste, região que enfrenta sete anos consecutivos de estiagem, tem três regimes de chuvas em condições normais. Na região mais ao norte, que inclui Ceará e partes do Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão, o período mais chuvoso é entre fevereiro e maio. Mais ao sul, o que inclui Bahia e norte de Minas, as chuvas concentram-se entre novembro e fevereiro. Já na faixa costeira que vai do sul da Bahia ao Rio Grande do Norte, as chuvas acontecem entre abril e julho.

Neste período e região, choveu. O resultado, porém, é que, mesmo com um volume maior de precipitações do que em anos anteriores, a maioria dos reservatórios do semiárido ainda tem restrições de uso -cenário que mantem estagnada a atividade econômica dos municípios atingidos. Dos açudes no semiárido monitorados pela ANA (Agência Nacional de Águas), apenas 10% atingiram uma cota de água suficiente para garantir os seus usos múltiplos -da irrigação ao abastecimento humano- no próximos 18 meses.

Os demais 90% dos açudes monitorados têm algum tipo de restrição para captação de água -62% deles estão no chamado estado hidrológico vermelho, situação considerada de escassez hídrica que impacta não só a atividade econômica, mas também a pequena agricultura e até o abastecimento das cidades. O Castanhãomaior açude para usos múltiplos da América Latina, localizado no sertão do Ceará, resume bem a situação da segurança hídrica da região.

Em fevereiro deste ano, o açude atingiu o nível mais baixo de sua história -com 6,7 bilhões de metros cúbicos de volume útil, chegou a 2,04% de sua capacidade e atingiu o volume morto. Com as chuvas que caíram entre fevereiro e abril, o açude ganhou volume. Foi a 8,8% em abril. Mas desde então, vem perdendo volume dia após dia. Nesta terça-feira (27), estava em 6,8% de sua capacidade.

"Estamos perdendo entre três e quatro centímetros de lâmina d'água por dia com abastecimento e com a evaporação", diz Fernando Pimentel, administrador do Complexo Castanhão. Ao todo foram cerca de 400 milímetros de chuva na região no primeiro semestre deste ano, o dobro registrado no mesmo período de 2017: "Foi pouco. A chuva veio em um volume pequeno e muito irregular", diz Pimentel.

A situação não é diferente em outras regiões do semiárido. Na Paraíba, o açude Epitácio Pessoa, conhecido como Boqueirão, chegou a 34,3% de sua capacidade em julho após o ciclo de chuvas e a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco, em abril ano passado.

A chegada da água fez com que o racionamento de água para consumo humano fosse suspenso em Campina Grande. Contudo, ainda há restrições do uso da água para indústrias e para irrigação. Segundo a ANA, a água está liberada apenas para agricultura de subsistência para áreas plantadas de até meio hectare.

No sistema Curema-Mãe D'Água, sertão da Paraíba, o nível de água chegou a 18,8% no açude Curema e 9,7% no açude Mãe D'Água. O volume, contudo, foi insuficiente para a retomada dos perímetros agrícolas da região. "Foi um respiro. Os barreiros e pequenos açudes voltaram a encher. Mas ainda está longe de termos água para produzir", afirma o agricultor Francisco Honorato Filho, 63, presidente do sindicato dos trabalhadores rurais de Sousa (440 km de João Pessoa).

cidade é o centro polo de fruticultura Alto Piranhas, que engloba mais de dez municípios da região e ganhou fama por produzir uma das águas de coco de melhor qualidade do país. Desde 2012, contudo, o acesso a irrigação foi sendo paulatinamente suspenso na região. Dono de um lote no perímetro irrigado, Francisco Honorato chegou a ter mais de dois mil coqueiros plantados em suas terras, mas viu todas as árvores morrerem nos últimos seis anos por falta de água. "Foi um prejuízo absurdo", diz.

Já no rio São Francisco, o nível de reservatório de Sobradinho –que há um ano era de 9,3%– chegou a 29,1%. Com isso, o uso da água para os perímetros irrigados foi flexibilizado. A irrigação que estava suspensa um dia por semana –todas as quartas-feiras– passou a ser interrompida apenas uma vez a cada 15 dias desde julho deste ano. Ainda assim, os produtores dos perímetros de fruticultura da região de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE) reclamam de prejuízos.

"Temos uma perda de cerca de 15% da safra. É uma situação que gera um desestímulo a novos plantio e faz com que a região não cresça", afirma José Gualberto de Freitas, presidente da Valexport, entidade que congrega produtores e exportadores de frutas da região. Também houve flexibilização no uso da água para fins industriais e de mineração: as empresas que captam água do São Francisco por mais de 13 horas por dia, que vinham reduzindo o volume de água usada em 14% atualmente são obrigados a reduzir apenas 7%. Se as chuvas caíram de forma esparsa no semiárido, houve chuva acima da média em algumas regiões do litoral nordestino, sobretudo nas regiões sul e do recôncavo baiano.

O resultado é que os reservatórios que abastecem as maiores regiões metropolitanas da região, que há um ano estavam a beira do colapso há cerca de um ano, voltaram a encher. Na Grande Salvador, o reservatório Joanes II, que em maio de 2017 atingiu 8% de sua capacidade, em julho deste ano chegou a 94%, afastando a possibilidade de racionamento na capital baiana. O mesmo aconteceu com reservatórios que abastecem a região metropolitana do Recife, como os açudes de Botafogo, Goitá e Duas Unas.

 

Folha de PE

Economia 

Venezuela pode suspender repasse de energia elétrica a Roraima

Roraima é a única unidade da federação brasileira que não está interligada ao sistema elétrico nacional e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A estatal energética venezuelana Corpolec, que fornece energia elétrica para Roraima, ameaça suspender o fornecimento para o estado por causa de uma dívida da Eletronorte. Roraima é a única unidade da federação brasileira que não está interligada ao sistema elétrico nacional e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelana, mas diz que o débito não resulta de falta de dinheiro em caixa para pagar a Corpoelec, e, sim, de “dificuldades operacionais” para transferir os US$ 4 milhões mensais atualmente pagos pelo fornecimento de energia – serviço que vem sendo prestado regularmente desde 2001.

Ainda de acordo com a Eletronorte, as dificuldades de transferência de dólares para o país vizinho por meio do banco em que a Corpoelec tem conta começou após o governo dos Estados Unidos impor uma série de medidas restritivas contra a Venezuela, seu presidente, Nicolás Maduro, e altos funcionários do governo.

Fornecimento por termelétricas

O Ministério de Minas e Energia confirmou que a Eletronorte tem enfrentado dificuldades para remeter os pagamentos à Corpoelec e garantiu que o governo federal está empenhado em buscar uma solução institucional para o problema. Na última terça-feira (28), o tema foi tratado em uma reunião ministerial no Palácio do Planalto.

O ministério minimizou o potencial de prejuízo para a população de Roraima caso o fornecimento seja temporariamente suspenso, pois a demanda seria suprida por usinas termelétrica acionadas em casos emergenciais.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reitera que as usinas termelétricas de Roraima estão preparadas para suprir eventual falha no fornecimento de energia elétrica pela Venezuela, mas isso irá encarecer os custos e pode ocasionar uma alta no preço da conta de luz de todos os brasileiros.

“As termelétricas têm um custo de operação mais elevado e, portanto, trazem custo adicional para a operação do sistema. Esse custo eventual é recuperado no âmbito da Conta de Desenvolvimento Energético, portanto, é custeado por todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional”, informou a Aneel à Agência Brasil.

Para o chefe da Casa Civil do governo de Roraima, Frederico Linhares, além de encarecer a conta de luz, contar com o aporte das termelétricas não é a solução adequada. “O parque térmico não é suficiente para suprir a demanda do estado, que já sofre com a falta de energia elétrica quase que diariamente e paga uma das tarifas mais caras do país. Precisamos de uma solução rápida para este problema com a Venezuela e acredito que o governo federal tem os instrumentos necessários para, em conjunto com as autoridades venezuelanas, buscar uma alternativa a qualquer problema operacional”, argumentou Linhares.

Pedido de informações

Segundo Linhares, o governo estadual ainda não recebeu informações oficiais a respeito da situação. “No ofício que enviamos na segunda-feira [27], pedimos respostas em um prazo de 48 horas. Mesmo assim, até o momento, não recebemos nenhuma informação”, disse Linhares, sobre os questionamentos feitos a órgãos federais como o Ministério de Minas e Energia, Casa Civil, Itamaraty e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), além do Banco Central e das empresas Eletrobras e a sua subsidiária, a Eletronorte.

De acordo com o chefe da Casa Civil, representantes do governo estadual têm conversado com autoridades venezuelanas e com diretores da Corpoelec. “É um contato extraoficial, facilitado pelo fato de sermos um estado fronteiriço que tem relações comerciais diretas com o país vizinho, mas eles nos dizem muito pouco. Nem sequer confirmam se de fato há uma ameaça de suspender o fornecimento para Roraima”, acrescentou Linhares, criticando a falta de informações que permitam ao governo estadual tranquilizar a população.

 

30 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

TRF2 suspende leilão de compra de energia marcado para esta sexta

Decisão foi tomada após a empresa Evolution Power Partners, uma geradora de energia térmica, ter interposto um agravo de instrumento pedindo a regularização

O presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), desembargador federal André Fontes, suspendeu nesta quinta (30) a realização do leilão para a contratação de empreendimentos de geração de energia A-6, marcado para esta sexta-feira (31).

certame deveria ocorrer por meio de sistema eletrônico na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) a partir das 10h, em São Paulo.

decisão foi tomada após a empresa Evolution Power Partners, uma geradora de energia térmica, ter interposto um agravo de instrumento pedindo a regularização, por parte da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), de informação relativa à habilitação técnica para o certame.

Ao suspender o leilão, o desembargador postulou que a medida visa a afastar “possível violação do princípio da isonomia”. Ele entendeu que, como o leilão é para compra de energia futura, prevista para entrega em seis anos, não haveria prejuízo econômico.

“Seria salutar permitir aos agentes econômicos o exercício da livre concorrência, que é própria de um regime democrático, com a observância das regras de igualdade para todos os participantes”, disse o desembargador.

O presidente do TRF2 determinou ainda a abertura de um prazo de 15 dias para que as partes se manifestem.

O leilão de geração A-6 visa a contratar energia proveniente de novos empreendimentos de usinas hidrelétricas, térmicas (carvão, gás natural e biomassa) e eólicas. O prazo para início do fornecimento de energia é de seis anos, em 2024. Do montante que seria ofertado, 928 projetos referem-se a empreendimentos eólicos, representando cerca de 45,91%.

 

Folha de PE

Economia 

Três distribuidoras da Eletrobras são vendidas em leilão sem disputa

Não houve concorrência em nenhum dos leilões das distribuidoras, com a apresentação de apenas uma proposta em cada um deles

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) vendeu nesta quinta-feira (30), em leilão, três empresas da Eletrobras. Não houve concorrência em nenhum dos certames das distribuidoras, com a apresentação de apenas uma proposta em cada um deles. A Energisa arrematou duas distribuidoras. O outro vencedor foi o Consórcio Oliveira Energia. Pelas regras do leilão, foi considerada vencedora a proponente que ofereceu o lance com maior índice de deságio na flexibilização tarifária, que deveria ser acima de zero.

A Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) foi vendida por índice de deságio de 31, o que significa que a compradora não abriu mão de toda a flexibilização tarifária concedida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nos casos de empréstimos adquiridos antes do edital de licitação, por exemplo, a Energisa receberá 59% do saldo devedor dos empréstimos a pagar. A Energisa também arrematou a Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) pelo índice 21. O Consórcio Oliveira Energia comprou a Boa Vista Energia – distribuidora de energia em Roraima – pelo índice de deságio zero.

Demais distribuidoras

O leilão da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) continua suspenso devido a uma decisão judicial do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, que impediu a venda da companhia, após ação movida pelo governo do estado. A venda da Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas Energia), que também ocorreria nesta quinta (30), foi remarcado pelo BNDES para o dia 26 de setembro.

primeira distribuidora a ser vendida foi a Companhia Energética do Piauí (Cepisa), em leilão realizado no dia 26 de julho. A Cepisa foi adquirida pela única proponente, a Equatorial Energia S.A., que ofereceu índice de deságio na flexibilização tarifária de 119. Antes do início do certame, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, disse que a venda de distribuidoras da Eletrobras é uma medida para corrigir distorções entre os consumidores de diferentes regiões do país.

“Desde que assumi o ministério, estamos nessa luta para que pudéssemos privatizar essas distribuidoras e superamos todas as dificuldades. (…). Esperamos hoje garantir a mais de 3 milhões de brasileiros que vivem sendo abastecidos por essas três empresas que possam usufruir da mesma condição, mesma qualidade e tarifa”, acrescentou.

 

Diário de PE

Economia 

Venezuela pode suspender repasse de energia elétrica a Roraima

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelanaA estatal energética venezuelana Corpolec, que fornece energia elétrica para Roraima, ameaça suspender o fornecimento para o estado por causa de uma dívida da Eletronorte. Roraima é a única unidade da federação que não está interligada ao sistema elétrico nacional, e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelana, mas diz que o débito não resulta de falta de dinheiro em caixa para pagar a Corpoelec, e sim de “dificuldades operacionais” para transferir os US$ 4 milhões mensais atualmente pagos pelo fornecimento de energia – serviço que vem sendo prestado regularmente desde 2001.

Ainda de acordo com a Eletronorte, as dificuldades de transferência de dólares para o país vizinho por meio do banco em que a Corpoelec tem conta começou após o governo dos Estados Unidos impor uma série de medidas restritivas contra a Venezuela, seu presidente, Nicolás Maduro, e altos funcionários do governo.

Fornecimento por termelétricas

O Ministério de Minas e Energia confirmou que a Eletronorte tem enfrentado dificuldades para remeter os pagamentos à Corpoelec e garantiu que o governo federal está empenhado em buscar uma solução institucional para o problema. Na última terça-feira (28), o tema foi tratado em uma reunião ministerial no Palácio do Planalto.

O ministério minimizou o potencial de prejuízo para a população de Roraima caso o fornecimento seja temporariamente suspenso, pois a demanda seria suprida por usinas termelétrica acionadas em casos emergenciais.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reitera que as usinas termelétricas de Roraima estão preparadas para suprir eventual falha no fornecimento de energia elétrica pela Venezuela, mas isso irá encarecer os custos e pode ocasionar uma alta no preço da conta de luz de todos os brasileiros.

“As termelétricas têm um custo de operação mais elevado e, portanto, trazem custo adicional para a operação do sistema. Esse custo eventual é recuperado no âmbito da Conta de Desenvolvimento Energético, portanto, é custeado por todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional”, informou a Aneel à Agência Brasil.

Para o chefe da Casa Civil do governo de Roraima, Frederico Linhares, além de encarecer a conta de luz, contar com o aporte das termelétricas não é a solução adequada. “O parque térmico não é suficiente para suprir a demanda do estado, que já sofre com a falta de energia elétrica quase que diariamente e paga uma das tarifas mais caras do país. Precisamos de uma solução rápida para este problema com a Venezuela e acredito que o governo federal tem os instrumentos necessários para, em conjunto com as autoridades venezuelanas, buscar uma alternativa a qualquer problema operacional”, argumentou Linhares.

Pedido de informações

Segundo Linhares, o governo estadual ainda não recebeu informações oficiais a respeito da situação. “No ofício que enviamos na segunda-feira [27], pedimos respostas em um prazo de 48 horas. Mesmo assim, até o momento, não recebemos nenhuma informação”, disse Linhares, sobre os questionamentos feitos a órgãos federais como o Ministério de Minas e Energia, Casa Civil, Itamaraty e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), além do Banco Central e das empresas Eletrobras e a sua subsidiária, a Eletronorte.

De acordo com o chefe da Casa Civil, representantes do governo estadual têm conversado com autoridades venezuelanas e com diretores da Corpoelec. “É um contato extraoficial, facilitado pelo fato de sermos um estado fronteiriço que tem relações comerciais diretas com o país vizinho, mas eles nos dizem muito pouco. Nem sequer confirmam se de fato há uma ameaça de suspender o fornecimento para Roraima”, acrescentou Linhares, criticando a falta de informações que permitam ao governo estadual tranquilizar a população.

 

29 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Obra de esgoto altera trânsito no Arruda

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos será interditado a partir desta quarta-feira (29), às 9h.

Primeira intervenção será concluída às 19h da sexta-feira (31)

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no Arruda, Zona Norte do Recife, será interditado para a realização de obras de esgoto, a partir desta quarta-feira (29), às 9h. Segundo a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), a mudança ocorrerá entre as ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho. Intervenção será concluída às 19h da sexta-feira (31).

No período em que a obra estiver acontecendo, os motoristas que costumam trafegar pela Professor José dos Anjos precisarão fazer o desvio pela Rua Pedro Rodrigues de Barros, em seguida entrar à esquerda na Rua das Moças, para depois acessar a Avenida Beberibe. 

As Obras 

As obras serão realizadas para adequar a tubulação da rede de esgoto na região. A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) programou executar o serviço em duas etapas. Nesse primeiro momento, está prevista a substituição de cerca de 20 metros de rede, que está assentada a seis metros de profundidade. Com o término dos trabalhos nesse primeiro trecho, na sexta-feira (31) será iniciada a segunda etapa da obra, que continuará na mesma via, desta vez, no cruzamento da Rua Petronila Botelho com a Avenida Professor José dos Anjos.

A previsão é que os serviços da segunda etapa comecem às 19h da sexta-feira (31) e durem até as 5h do domingo (2), quando as duas vias já estarão livres para o tráfego novamente.

 

29 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Cotidiano 

Obra da Compesa interdita trecho de rua no Arruda

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no sentido Peixinhos/Arruda será interditado, a partir das 9h desta quarta-feira (29), para que a Compesa realize uma obra de manutenção do sistema de esgotamento sanitário da localidade.

Os motoristas que pretendem circular pelo bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife, devem ficar atentos a alteração no trânsito da regiãoUm trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no sentido Peixinhos/Arruda será interditado, a partir das 9h desta quarta-feira (29), para que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realize uma obra de manutenção do sistema de esgotamento sanitário da localidade. A via será fechada no trecho entre as ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho e liberada às 5h do domingo (2), quando a obra será concluída.

Neste período, os motoristas que costumam trafegar pela Professor José dos Anjos precisarão desviar pela rua Pedro Rodrigues de Barros, em seguida entrar à esquerda na rua das Moças, para depois acessar a avenida Beberibe. De lá, os motoristas poderão retornar à Avenida Professor José dos Anjos. De acordo com a companhia, os desvios estarão sinalizados para orientar os condutores. 

A obra, ainda segundo a Compesa, será executada em duas etapas. Na primeira, está previsto a substituição de 20 metros de rede, assentada a seis metros de profundidade do solo. Após a conclusão, será iniciada a segunda fase, que acontecerá na mesma via, no cruzamento da Rua Petronila Botelho com a Avenida Professor José dos Anjos. Os desvios da segunda etapa ainda estão em análise pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e assim que forem definidos serão divulgados.

 

28 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 28 de agosto de 2018

28 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Energia furtada em Pernambuco abasteceria 510 mil residências por dois meses, diz Celpe

Dado é do balanço da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), que deflagrou uma série de ações para combater o furto de energia elétrica no Estado

A quantidade de energia furtada em Pernambuco no primeiro semestre de 2018 seria suficiente para abastecer 510 mil residências, equivalente a um município como Jaboatão dos Guararapes, por dois meses. O dado é do balanço da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), que deflagrou uma série de ações para combater o furto de energia elétrica no Estado.

No primeiro semestre, foram realizadas mais de 88 mil inspeções e identificadas mais de 31 mil irregularidades. A operação recuperou mais de 64 giga-watt hora (GWh) de energia furtada, o equivalente a R$ 28 milhões. Segundo a Celpe, caso não identificada a fraude, o valor seria dividido entre todos os consumidores no reajuste anual de energia homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A ação já fiscalizou e autuou estabelecimentos como academias, casas de shows, mercadinhos, padarias e empreendimentos de grande porte, como fábricas e hotéis. Após inspeção técnica e suspeita de fraude, a Celpe protocola denúncia junto à Secretaria de Defesa Social (SDS) para que o caso seja investigado. Constatada a irregularidade, a concessionária notifica o proprietário e realiza a cobrança pelo período fraudado. Além disso, é aplicada uma multa, conforme determinação da Aneel.

 

27 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Jovem morre eletrocutado em obra na própria casa na Iputinga

Segundo a família, ele estava trabalhando na construção da sua casa, para poder morar com a filha de 10 anos.

Um jovem de 25 anos morreu eletrocutado durante uma obra na sua residência na Comunidade do Detran, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife, na tarde desse sábado (25).  

Segundo as informações da família, Alisson Barbosa trabalhava como gesseiro e estava trabalhando na construção da casa, para poder morar com a sua filha de dez anos. Durante o serviço, ele acabou levando um choque no fio da furadeira e devido à gravidade dos ferimentos, morreu na hora.  

Investigação 

A família da vítima espera que a tragédia possa servir de alerta para outras pessoas. O corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML). O caso está sendo investigado pela Delegacia do Cordeiro.   

 

27 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 27 de agosto de 2018

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário de PE

Economia 

Cinco empresários são detidos por furto de energia elétrica

Segundo a Celpe, em um mês foram desviados R$ 1 milhão, além de R$ 300 mil em impostos que deixaram de ser arrecadados

A Polícia Civil deteve cinco empresários do Recife, acusados de furtar energia elétrica. Os comerciantes são acusados de desviar energia da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), causando um prejuízo de R$ 1 milhão, somente em um mês, além de R$ 300 mil em evasão fiscal de impostos. Batizada de Clandestinus, a Polícia Civil deflagrou a operação na manhã desta quarta-feira (22), que teve como alvo três frigoríficos, dois supermercados e uma academia de gisnástica. O resultado da investigado foi divulgado no final da manhã, na sede da Polícia Civil, no bairro da Boa Vista.

O chefe de Polícia Civil, o delegado Josellito Kehrle do Amaral, informou que a quantia de energia desviada em um mês daria para abastecer o bairro da Torre, no Recife, pelo mesmo período. "Desde a Operação Sucata, que teve como objetivo combater o furto de cabos de transmissão de dados, feitos por concesionárias, há um mês, vinhámos investigando o caso", completou.  

O diretor de polícia lembrou que o crime parece ser de menor potencial ofensivo, mas atinge toda a população no repasse das concessionárias, no aumento da energia. As inspeções foram realizadas pela Celpe. Essa operação vai continuar porque o objetivo maior é coibir essa prática criminosa, reduzir o custo da energia repassada ao consumidor", explicou Joselito Kehrle. 

Segundo a Celpe, os empresários autuados nesta quarta-feira já eram reincidentes na mesma prática criminosa. “Monitorávamos essas empresas há seis meses. Já havíamos notificado os estabelecimentos e eles tinham pago o equivalente ao total roubado de energia, mas fizeram novamente. Desta vez, oferecemos a denúncia a Secretaria de Defesa Social, que determinou a operação”, contou o gerente de transmissão da Celpe, Fábio Barros. 

Os três frigoríficos alvos da operação estão localizados nos bairros do Parnamirim, Água Fria e no Centro do Recife. Já os supermercados ficam em San Martin e na Mustardinha, ambos na Zona Oeste do Recife. A academia de ginástica, no bairro do Ibura, também foi autuada. Segundo a Polícia, os estabelecimentos foram fechados após a ação. 

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Adolescente morre eletrocutado em cerca de vizinho na Zona da Mata

Outro adolescente, que também estava no local, também sofreu a descarga elétrica e foi socorrido para o Hospital da Restauração (HR). Ele está na Unidade de Trauma.

O jovem foi transferido para o HR, na área central do Recife.

Dois adolescentes de 14 anos sofreram uma descarga elétrica em uma cerca de arame da casa de um vizinho na tarde desta quarta-feira (22), em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Um dos jovens não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no local.  

Acidente

De acordo com as informações da Polícia Civil, os adolescentes estavam juntos no momento do acidente na Rua João Alves Cantalice, no bairro de Sertãozinho. Os dois foram socorridos para o Hospital Ermírio Coutinho, mas um dos jovens já chegou sem vida na unidade hospitalar. O outro adolescente precisou ser transferido para o Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife, devido à gravidade do seu estado de saúde. Ele está na Unidade de Trauma.  

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Nazaré da Mata.   

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Economia

Celpe já registra R$ 28 milhões em furtos de energia este ano

De janeiro a julho a companhia identificou 31 mil consumidores que fraudaram o consumo de energia elétrica

A Polícia Civil de Pernambuco, prendeu nesta quarta-feira (22), 11 representantes de empresas sob a acusação de desvio e furto de energia em estabelecimentos comerciais. A operação chamada Clandestinus foi deflagrada a pedido da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e teve como alvo três frigoríficos, dois supermercados e uma academia de ginástica. Segundo a Celpe, os desvios de energia acarretaram um prejuízo de R$ 1 milhão em consumo não faturado, além de R$ 300 mil em impostos que deixaram de ser recolhidos num período de alguns meses. As empresas estão localizadas nos bairros de Mustardinha, Parnamirim, San Martin, Ibura, Boa Vista e Água Fria.

Foram constatados crimes de furto e estelionato e irregularidades nas medições de energia em cinco dos seis estabelecimentos alvos da operação. Os acusados prestaram depoimentos no Grupo de Operações Especiais (GOE), da Policia Civil. Um homem, de 36 anos, que não teve o nome divulgado pela polícia, proprietário da academia de ginástica, foi preso em flagrante pelo crime de estelionato. Ele será apresentado em audiência de custódia. Os donos de três estabelecimentos (dois frigoríficos e um supermercado) não foram localizados. Somente no frigorífico, localizado no bairro de Água Fria, não foram constatadas irregularidades.

O gerente operacional da Celpe, Fábio Barros, explicou que os acusados são reincidentes. “Já havíamos detectado o furto de energia nestas mesmas empresas algum tempo atrás. Os empresários foram notificados e pagaram pelo consumo que deixaram de faturar. Como agora se trata de uma reincidência, decidimos acionar a polícia”, explica Fábio Barros. O gerente diz ainda que o prejuízo com o furto de energia diz respeito a toda a sociedade. “Toda ligação clandestina, conhecida por macaco, ou adulteração de medidor de consumo de energia, além de ser crime, é feita sem critérios técnicos, provocando riscos de acidentes, como choques elétricos ou até mesmo incêndios”, alerta Barros. Além disso, parte do que a empresa distribuidora de energia perde com consumo não faturado é absorvido como prejuízo. Mas outra parte compõe os custos de operação e entram no cálculo que vai formar o índice de reajuste das contas de energia, homologado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e vai parar na conta de luz de consumidor, por isso, a Celpe estimula que furtos de energia sejam denunciados pela população.

CELPE

De janeiro a julho deste ano, a Celpe realizou mais de 88 mil inspeções, e identificou cerca de 31 mil irregularidades. A operação recuperou mais de 64 giga-watt hora (GWh) de energia furtada, o suficiente para abastecer 510 mil residências, ou um município como Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, durante dois meses. Segundo os cálculos dos técnicos da Celpe, a energia elétrica consumida e não faturada foi avaliada em R$ 28 milhões. As perdas consideradas não técnicas, como os furtos de energia, defeitos em equipamentos de medição e erros nos processos de faturamento, representaram 8,57% do balanço energético da empresa, no segundo trimestre deste ano. É o maior índice entre as empresas do grupo Neonergia. A Coelba registrou 3.33%; Elektro 2,60%.; Cosern 1,30%. Em compensação, ainda de acordo com o balanço energético da empresa, no segundo trimestre deste ano foram realizadas ações de otimização das perdas globais das distribuidoras. Segundo o relatório, a Celpe foi a única das quatro empresas do grupo que apresentou uma pequena redução do índice de perdas globais em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Celpe realiza cerca de 125 mil inspeções anuais contra potenciais consumidores fraudadores. São encontradas irregularidades em pelo menos 30% desses casos. Após inspeção técnica e suspeita de fraude, a Celpe protocola denúncia junto à Secretaria de Defesa Social para que o caso seja investigado. Constatada a irregularidade, a concessionária notifica o proprietário e realiza a cobrança pelo período fraudado, além disso, é aplicada uma multa, conforme determinação da Aneel. O furto de energia elétrica é crime, previsto no artigo 155 do Código Penal com pena que pode chegar a quatro anos de reclusão.

O delegado Joselito Kehrle, Chefe da Polícia Civil de Pernambuco, informou que a Operação Clandestinus terá continuidade visando combater as ligações clandestinas de energia elétrica, realizadas em grandes estabelecimentos comerciais no Recife e Região Metropolitana. “Os fraudadores podem ser presos por furto, quando, por exemplo, é feito um macaco, ou estelionato, que é uma forma de furto mais elaborada com pena de cinco anos e não direito à fiança na fase policial”, explica o delegado.

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 23 de agosto de 2018

Arquivo para download - DO 23 de agosto de 2018

 

22 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Economia

Energia solar vai superar a hidrelétrica no Brasil

Segundo a ONU, investimentos ultrapassam os U$160 milhões no mundo.

Acredita-se que até 2040 a energia eólica superará a energia elétrica no Brasil.

No mundo, os investimentos em energia solar crescem diariamente, com recursos que já ultrapassam US$ 160 bilhões, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), e o Brasil não fica atrás. 

 A energia solar está ganhando espaço no mercado nacional e já é usada em mais de 30 mil residências e empresas. Até 2040, a estimativa é que a produção de energia solar e eólica vá superar a produção de energia hidrelétrica no Brasil, podendo atingir 40% da matriz energética nacional.  

Uma das empresas que está injetando investimentos em energia solar fotovoltaica no Brasil é o Grupo Rio Alto, que acaba de entregar em Coremas, no sertão da Paraíba, um complexo de 10 usinas com capacidade de gerar 300 MWp. Três delas já estão em operação, gerando 93 MWp em uma área de 300 hectares, os outros sete parques com capacidade de 210 MWp já estão totalmente desenvolvidos e prontos para implantação.  

“Fundamos o Grupo Rio Alto em 2009 com o objetivo de desenvolver projetos de energia renovável, mas, acima de tudo, pensando no futuro das próximas gerações e em um desenvolvimento sustentável. Tenho orgulho de participar da transformação da cidade de Coremas e contribuir para uma economia mais verde no Brasil”, comenta Rafael Brandão, cofundador do Grupo Rio Alto.  

Para viabilização do projeto, que irá gerar empregos e oportunidades na região, o Grupo Rio Alto teve como financiadores o Banco do Nordeste e o Banco BTG Pactual, além disso, firmou importantes parcerias com a União Europeia, pioneira em energias renováveis e em soluções contra as mudanças climáticas. Entre as empresas parceiras estão a Nordic Power Partners, uma join venture entre o IFU (Fundo Soberano da Dinamarca) e a EE (European Energy). 

Projetos como este estimulam o uso de recursos energéticos renováveis, limpos e inesgotáveis. Além disso, incentivam empresas e consumidores a investir no mercado de geração de energia como um negócio de longo prazo. 

 

22 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Aneel aprova separação de ativos da Amazonas Distribuidora

A distribuidora Amazonas está na previsão da Eletrobrás para ser leiloada

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça (21) a desverticalização da Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas D), umas das distribuidoras da Eletrobras previstas para ser leiloada. A medida, na prática, determina que os empreendimentos de geração e transmissão (Amazonas GT) serão separados dos de distribuição, viabilizando o processo de venda da distribuidora. O leilão da Amazonas Distribuidora está marcado para o dia 26 de setembro. A decisão resolve uma disputa entre a Eletrobras e a Petrobras em torno da quitação de dívidas de R$ 17 bilhões, envolvendo a compra de combustível para o acionamento de usinas termelétricas.

A disputa envolveu a empresa Cigásdistribuidora de gás do Amazonas, que questionou compra e venda de combustível, com o argumento de não ter sido consultada sobre os termos do contrato. No seu voto, o relator do processo, diretor Sandoval Feitosa Neto, disse que o acordo “garante que a Amazonas GT se responsabilizará pelas diferenças que eventualmente vierem a se verificar entre o preço provisório praticado no Contrato de Gás e o preço regulatório, considerando as observações feitas em relação às condições de eficácia do ajuste”. De acordo com o relator, sem os recursos, utilizados para bancar a oferta de energia em áreas isoladas, não seria viável manter a operação da empresa.Com a conclusão do processo de desverticalização, a Amazonas Distribuidora poderá continuar a receber pagamentos referentes à CCC (Conta de Consumo de Combustíveis Fósseis). 

Segundo o relator, a decisão garante “a necessária neutralidade do contrato para AmD, de forma a permitir que a AmD possua, sob o ponto de vista econômico e financeiro situação idêntica àquela do cenário de cessão do contrato, entendo como atendido o aspecto relacionado à cessão formal do contrato de gás”, disse o relator

 

20 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Cotidiano

Quatro municípios da RMR terão o fornecimento de água suspenso; confira os bairros.

Paralisação é necessária para a instalação de três válvulas no Sistema Botafogo, responsável pelo abastecimento de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima; interrupção ocorre desta segunda-feira (20) até a quinta-feira.

A partir das 22h desta segunda-feira (20), uma média de 500 mil moradores dos municípios de OlindaPaulistaIgarassu e Abreu e Lima terão o fornecimento de água suspenso até as 8h da quinta-feira (23). A paralisação de 58 horas é necessária, segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), para a instalação de três válvulas de grande porte na saída do Reservatório de Navarro, que integra o Sistema Botafogo, responsável pelo abastecimento das quatro cidades. 

Após o término das intervenções, que ainda incluem manutenção eletromecânica preventiva em unidades do sistema, o abastecimento de água será restabelecido seguindo o calendário de cada localidade. Com 70% concluído, o projeto de automação do Sistema Botafogo contempla 118 unidades operacionais, entre reservatórios, válvulas de controle do sistema e estações de bombeamento, e tem previsão de ser finalizado em fevereiro de 2019.

Orçada em R$ 11 milhões -com recursos financiados pelo Governo do Estado junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) -, a iniciativa prevê a automação de toda malha da rede distribuidora que faz a macro operação do sistema, que corresponde a cerca de 50 quilômetros de adutoras e sub-adutoras, desde a saída da estação de tratamento de água de Botafogo, em Igarassu, até as dezenas de reservatórios que abastecem as localidades nos quatro municípios.

Segundo a Compesa, atualmente, as ações de controle operacional da rede distribuidora de Botafogo são feitas manualmente, o que se torna muito complicado, diante das dimensões e abrangência do sistema. A tecnologia da automação permite que os sistemas funcionem de forma autônoma com a supervisão e o comando realizados de forma remota pelo centro de controle operacional a qualquer momento. 

Confira a lista dos bairros afetados pela obra, de acordo com a Compesa:

Olinda
Todos os bairros da cidade

Paulista
Alameda Paulista
Aurora
Arthur Lundgren 1
Arthur Lundgren 2
Centro
Engenho Maranguape
Janga
Jaguarana
Jaguaribe
Jardim Paulista
Maranguape 1
Maranguape 2
Nossa Senhora da Conceição
Paratibe
Pau Amarelo
Vila Torres Galvão

Abreu e Lima
Alto São Miguel
Boa Esperança
Caetés 3
Caetés Velho
Centro
Desterro
Fosfato
Matinha
Planalto
Timbó

Igarassu
Agamenon Magalhães
Areia Branca
Bonfim
Centro
Cohab
Cruz de Rebouças
Nossa Senhora da Conceição
Posto de Monta
Rubina
Santa Rita
São Sebastião
Saramandaia

 

20 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Serviço deixa 500 mil moradores do Grande Recife sem água até quinta

Compesa realiza processo de automação do Sistema Botafogo, atingindo moradores de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima.

Cerca de 500 mil moradores de Olinda e áreas de Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, no Grande Recife, ficarão sem abastecimento de água das 22h de hoje até às 8h da próxima quinta-feira (23). A medida é necessária para que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) possa realizar mais uma etapa do processo de automação de toda a rede distribuidora do Sistema Botafogo, que abastece a esses municípios. O serviço está 70% concluído, contempla 118 unidades operacionais, entre reservatórios, válvulas de controle e estações de bombeamento, e tem previsão de ser finalizado em fevereiro de 2019.

Além de modernizar o sistema de abastecimento, a automação tem o objetivo de melhorar sua eficácia operacional e reduzir as perdas. “Hoje, as ações de controle operacional da rede distribuidora de Botafogo são feitas manualmente, o que se torna muito complicado, diante das suas dimensões e abrangência. A tecnologia permite que os sistemas funcionem de forma autônoma com a supervisão e o comando realizados de forma remota pelo centro de controle operacional, 24 horas por dia, sete dias por semana. Com apenas um clique se ajusta todo ele”, explica Anderson Quadros, gerente de Automação da Compesa.

O gestor salienta que também há mais assertividade no cumprimento do calendário onde há rodízio. “Nas localidades atendidas por poços, por exemplo, conseguimos identificar falhas, em tempo real, acelerando os serviços de manutenção e ações corretivas para restabelecer o abastecimento”, explica. Estão sendo investidos no serviço R$ 11 milhões, financiados pelo Governo do Estado junto ao BIRD (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento), para automatizar cerca de 50 quilômetros de malha.

SERVIÇO

Durante o tempo em que os moradores ficam sem água, a companhia vai instalar três válvulas de grande porte na saída do Reservatório de Navarro, em Paulista, e fazer a manutenção eletromecânica preventiva em unidades do sistema. O prazo inclui o esvaziamento e enchimento das adutoras, reservatórios e rede de distribuição, antes e depois das intervenções. Após o prazo, cada localidade tem retomado seu calendário de abastecimento. “O Reservatório de Navarro é um local estratégico para o abastecimento de Olinda e depois dessa intervenção vai melhorar o atendimento da cidade que já recebe investimentos com o projeto Olinda+Água”, salienta Anderson. 

JÁ REALIZADOS

O plano de automação em execução pela Compesa prevê investimentos de R$ 210 milhões, com a execução de 37 projetos até o ano de 2020. No Grande Recife já contam com unidades automatizadas e interligadas aos centros de controles os sistemas produtores de água de Pirapama, Tapacurá e Suape. No interior, estão concluídos os sistemas adutores do Oeste, Jucazinho, Belo Jardim, Siriji e Afrânio/Dormentes.

 

18 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 18 de agosto de 2018

16 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 16 de agosto de 2018

Arquivo para download - DO 16 de agosto de 2018

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Imprensa Grande Recife 

Linhas de ônibus do TI Joana Bezerra têm redução no tempo de viagem

As 11 linhas de ônibus que operam no terminal de Joana Bezerra reduziram o tempo de viagem. A novidade na operação ocorre após o Grande Recife, em parceria com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), remover os blocos de concreto que interditavam a Rua Ibiporã. Com a liberação da via, os veículos não precisam fazer o contorno no Posto de Saúde São José do Coque e diminuem em 220 metros o seu percurso.

Confira, abaixo, as linhas e o novo itinerário:

 021 - TI Joana Bezerra/Shopping RioMar

026 - TI Aeroporto/TI Joana Bezerra

080 - Joana Bezerra/Boa Viagem

100 - Circular (Conde da Boa Vista/Prefeitura)

101 - Circular (Conde da Boa Vista/Rua do Sol)

104 - Circular (IMIP)

825 - Jardim Brasil/Joana Bezerra

861 - TI Xambá/TI Joana Bezerra

1909 - TI Pelópidas/TI Joana Bezerra

1913 - TI PE-15/TI Joana Bezerra

2443 - EBRT (BR-101)/TI Joana Bezerra - BRT

Novo itinerário:

Rua Jaraguari, Rua Conceição de Macabu, Terminal Integrado De Joana Bezerra.

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário de PE 

Últimas 

ENERGIA ELÉTRICA

Ministro defende abrir caixa-preta da conta de luz para reduzir preços

"É preciso que todo cidadão, ao receber a conta, entenda o que está naquela conta", afirma o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou hoje (13), em entrevista exclusiva a veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que a população está pagando um valor muito alto na conta de energia elétrica sem nem sequer saber a composição real dos preços. Nos seis primeiros meses do ano, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tarifa média na conta de luz aumentou 13,79%, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, subiu 2,94% no mesmo período. 

"É preciso que todo cidadão, ao receber a conta, entenda o que está naquela conta. É um conjunto de siglas, tem uma série de subsídios que estão embutidos na conta que as pessoas não sabem que estão pagando. É fundamental que se entenda que o consumidor precisa ter conhecimento dos aumentos e das razões desses aumentos", afirmou o ministro. Desde o início do ano até agora, já foram autorizados quatro aumentos na conta de luz. 

De acordo com Moreira Franco, a maioria dos subsídios vinculados à conta de luz não tem nada a ver com o setor elétrico -  algo que ele classificou como uma "caixa-preta". "É na conta de energia, por exemplo, que se contribui para o subsídio do saneamento [básico]. Não há como se explicar isso. Além do que, subsídio tem que ser uma decisão transparente, que tem que constar do orçamento da União. As pessoas precisam saber que estão pagando o imposto e que uma parte dele vai para A, B, C ou D e não como é hoje, que é uma caixa-preta. Nós precisamos avançar nisso e diminuir a carga tributária", argumentou.

Na semana passada, o ministro já havia proposto um estudo para verificar a viabilidade de ampliação dos tipos de usuários do mercado livre de energia, com a possibilidade de entrada inclusive dos consumidores residenciais. Na visão dele, essa seria outra forma de baratear o custo da energia no país. Atualmente, somente quem tem demanda contratada maior ou igual a 500 quilowatts (KW) pode utilizar esse mercado, que permite, entre outras condições, a negociação da quantidade contratada, do fornecedor, do preço, do período de suprimento e das formas de pagamento. Já no mercado cativo, a energia tem preço fixado por tarifas, sem margem de negociação.

Na entrevista à EBC, Moreira Franco afirmou que o governo vem priorizando a diversificação da matriz energética brasileira para fontes limpas e renováveis, que têm um custo muito mais baixo. "Hoje, pela sistemática operacional do setor elétrico, esses custos baixos não estão chegando na conta, porque quando entra na distribuição acaba sendo absorvido pelo conjunto do setor". Sem especificar medidas, o ministro afirmou que é preciso dar apoio à Agência Nacional de Energia Eletrica (Aneel)  para que promova ação regulatória capaz de reduzir os custos de geração de energia - obtida por meio de tecnologias como energia eólica, fotovoltaica e biomassa -, e que essa redução se reflita na conta do consumidor final.

Para o titular do Ministério de Minas e Energia, é preciso trazer mais inovação e tecnologia ao setor para permitir que a própria população possa administrar o seu consumo. Ele deu exemplo da implantação de um aplicativo de celular que permite ao consumidor controlar, em tempo real, o consumo de energia com base em informações do relógio medidor instalado na residência. "[Com esse modelo], as pessoas fazem uma administração pessoal da sua conta. Pelo relógio e um aplicativo, ela gasta mais ou menos de acordo com sua vontade. A energia é cada vez mais um elemento indispensável e é fundamental que possamos dar ao brasileiro as condições de ter uma matriz energética limpa, robusta e com preço justo".

 

10 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

 
Copergás quer abrir setor de gás natural

Em parceria com mais seis estados nordestinos, companhia vai buscar novos fornecedores de gás, o que pode acabar com o monopólio da Petrobras e baixar o preço do combustível

monopólio da Petrobras no fornecimento de gás naturalbrasileiro pode ser quebrado. Distribuidoras de gás de sete estados nordestinos, inclusive Pernambuco, vão lançar uma chamada pública a fim de receber propostas de outras empresas do setor para futura compra de gás natural. A ideia é buscar condições mais competitivas, que possam baratear o combustível, e já pode render frutos no fim deste ano. 

Assistente da diretoria técnica comercial da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), Fábio Morgado explicou que a chamada pública será lançada na próxima segunda-feira (13), já que os contratos de fornecimento firmados entre a Petrobras e as distribuidoras de gás do Nordeste estão perto de vencer. “As distribuidoras vão buscar novas fontes de fornecimento. Já mapeamos as empresas que produzem gás natural e vamos entregar a chamada para elas. Assim, poderemos criar uma concorrência no suprimento de gás”, contou Morgado, lembrando que, quando há competição, todos saem ganhando, inclusive o consumidor final. “Em um ambiente competitivo, o custo tende a cair, o que gera um preços baratos”, defendeu, dizendo que, assim como o da gasolina, o preço do gás natural está sujeito às variações do mercado internacional. Hoje, o metro cúbico varia de R$ 1,20 a R$ 5 no Estado, de acordo com o consumo e o uso (residencial, comercial, industrial ou veicular).

Morgado garantiu, por sua vez, que o atual fornecimento da Petrobras é satisfatório. “A empresa sempre atendeu aos requisitos, mas tem o projeto de ser um pouco menor no futuro. E isso abre espaço para que outras empresas atuem no mercado”, alegou, dizendo que a própria Petrobras já incentivou a abertura do mercado. Procurada pela reportagem, a empresa confirmou esse posicionamento. “A Petrobras é favorável à entrada de novos ‘players’ nos diferentes elos da cadeia de valor do gás natural, visando à formação de um mercado com maior competitividade”, disse a empresa, que ainda avaliou esta iniciativa “como um movimento natural e positivo do mercado no atual momento de abertura gradual, rumo à formação de um mercado competitivo e com maior pluralidade de agentes”. 

Por conta disso, é possível que, nos próximos contratos de fornecimento de gás, distribuidoras estaduais como a Copergás firmem contrato apenas com a Petrobras, apenas com empresas privadas ou contratos mistos, que contemplem diversas companhias. “Temos tempo para avaliar as propostas e definir os compromissos de compra”, disse Morgado, contando que o contrato firmado entre a Copergás e a Petrobras expira em 2021. Caso o consumo estadual supere as cotas fechadas com a estatal antes disso, porém, é possível que o excedente de gás natural seja comprado de empresas privadas. Afinal, a expectativa é que as propostas das outras empresas sejam apresentadas até novembro.

 

08 DE JUNHO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 08 de junho de 2018

Arquivo para download: DO - 08 de junho de 2018

 

07 DE JUNHO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

 

06 DE JUNHO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Justiça do Trabalho suspende privatização da Eletrobras

Suspensão do processo de privatização foi decidida pela 49° Vara do Trabalho do Rio de Janeiro

A 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro determinou a suspensão do processo de privatização da Eletrobras e de suas subsidiárias. Segundo a Justiça do Trabalho, a empresa precisa apresentar, no prazo de até 90 dias, um estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho da estatal e das empresas vinculadas a ela.


A medida atinge tanto a empresa principal (holding) quanto as subsidiárias Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia, Eletroacre, Companhia Energética de Alagoas e Companhia Energética do Piauí. A informação foi divulgada nesta terça-feira (5) pela própria Eletrobrás, em comunicado ao mercado.

 

Diário de PE

Economia

Privatização suspensa

A 49ª Vara do Trabalho do Rio determinou a suspensão do processo de privatização da Eletrobras e de suas subsidiárias. Segundo a Justiça do Trabalho, a empresa precisa apresentar, no prazo de até 90 dias, um estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho da estatal e das empresas vinculadas a ela. A medida atinge tanto a empresa principal (holding) quanto as subsidiárias Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e Companhia Energética do Piauí (Cepisa).

A privatização não deve sair neste ano. O desgaste do governo, acentuado pela greve dos caminhoneiros, e a proximidade do calendário eleitoral inviabilizaram a aprovação do projeto.

 

Jornal do Commercio

Economia

Servidores fazem ‘vaquinha’ por liminar contra Eletrobras

As ações da Eletrobras reagiram negativamente à noticia da liminar desde a abertura e fecharam com uma queda de 7%

A liminar que interrompeu o processo de privatização das seis distribuidoras deficitárias da Eletrobrás foi o primeiro resultado positivo de uma "vaquinha" iniciada pelos empregados da estatal, e que tem grandes chances de trazer mais dores de cabeça para o governo. As ações da empresa reagiram negativamente à notícia da liminar desde a abertura e fecharam com queda na casa dos 7%.

A liminar, concedida pela juíza Raquel Maciel, da 49.ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho 1.ª Região, foi decorrente de um movimento iniciado em janeiro por sindicatos de empregados da estatal e que já arrecadou cerca de R$ 200 mil, o suficiente para tentar barrar a privatização da estatal, afirmou o diretor da Associação dos Empregados da Eletrobras e do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Energia Emanuel Mendes.

Segundo a liminar, a Eletrobras terá de apresentar, nos próximos 90 dias, estudos que mostrem o impacto da venda das distribuidoras do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Piauí e Alagoas para os trabalhadores dessas empresas. "Isso faz com que a gente ganhe tempo, e tempo é tudo o que o governo não tem", explicou Mendes. A Eletrobras informou em um comunicado que está "avaliando as medidas cabíveis" para tentar derrubar a liminar. A empresa tem até 31 de julho para vender as distribuidoras ou serão liquidadas, a não ser que uma assembleia extraordinária prorrogue a data de liquidação.

Com o recolhimento de contribuições espontâneas mensais dos empregados - inicialmente de R$ 120 e atualmente de R$ 40 por mês -, os sindicatos reunidos no Coletivo Nacional dos Eletricitários, que reúne vários sindicatos dos funcionários da holding Eletrobrás e das empresas coligadas, pretende espalhar ações pelo País inteiro e dar muito trabalho para o governo prosseguir com a venda. "Esta liminar foi conseguida por um escritório de advogados contratado pelo sindicato dos empregados das distribuidoras, mas outras (liminares) virão", afirmou o diretor.

O escritório de advocacia Souza Neto & Sena, contratado pelos empregados, entrou com oito ações contra o processo de privatização do Sistema Eletrobrás, além de fazer denúncias na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e no Tribunal de Contas da União (TCU), que já aprovou a privatização das distribuidoras.

De acordo com Mendes, os próximos passos dos empregados serão em direção aos parlamentares do Congresso Nacional, para evitar que a privatização da holding aconteça. "O governo está encontrando dificuldade no Congresso para aprovar qualquer coisa, mas apesar dos deputados estarem dispersos, o presidente da Eletrobrás (Wilson Ferreira Jr.) trabalha dia e noite para abrir caminho para a privatização, temos que ficar atentos", afirmou.

Mercado

Para um analista que acompanha a Eletrobras, a concessão da liminar foi uma notícia "horrorosa" para as ações da companhia, que vinham conseguindo se recuperar nos últimos dias, depois que o TCU aprovou a venda das distribuidoras por entender que é favorável para o governo. "Sem vender as distribuidoras, a Eletrobras fica menos atraente para a capitalização que o governo quer fazer. Só no primeiro trimestre, as seis distribuidoras tiveram prejuízo de R$ 2 bilhões", diz o analista "É um poço de perda há muitos anos para a Eletrobras", completou.

O profissional observou que o prazo de 90 dias joga a capitalização da Eletrobras na BMF&Bovespa para o período eleitoral, e a operação ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. "Quem vai querer votar a favor da privatização no meio de uma corrida eleitoral?", questiona. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Jornal do Commercio

Economia

Justiça do Trabalho suspende processo de privatização da Eletrobras

A 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro pede que a Eletrobras apresente estudo de impacto sobre os contratos de trabalho

A Eletrobras foi informada de decisão de tutela de urgência do juízo da 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro (Tribunal Regional do Trabalho 1ª Região), determinando que a companhia e distribuidoras se abstenham do processo de desestatização para que apresentem estudo de impacto sobre os contratos de trabalho

Em fato relevante, a empresa diz que "analisará as medidas cabíveis e manterá o mercado informado."

As demais rés são Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e Companhia Energética do Piauí (Cepisa). As empresas devem apresentar individualmente ou de forma coletiva no prazo de até 90 dias estudo sobre o impacto da privatização nos atuais contratos de trabalho.

Como publicado pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, no último dia 1º de junho, segundo fontes, a privatização da Eletrobras não deve sair este ano. O desgaste do governo, acentuado pela greve dos caminhoneiros, e a proximidade do calendário eleitoral inviabilizaram a aprovação, ainda neste ano, do projeto que permite a desestatização.

Responsável por colocar o projeto em votação, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite nos bastidores que dificilmente a medida será votada antes das eleições. O projeto foi enviado no dia 22 de janeiro, mas está emperrado em uma comissão especial da Câmara, de onde ainda precisaria seguir para o Senado.

 

Governo de PE

Reparo em abastecimento de água interdita avenida em Rio Doce

A Avenida Tiradentes, em Rio Doce, Olinda, foi interditada no início da tarde desta segunda-feira (04) para reparos na rede de abastecimento de água do bairro. O serviço deve durar até o fim da tarde de amanhã (05), período em que o Grande Recife muda temporariamente o itinerário de algumas linhas que passam pela localidade. Confira, abaixo, os desvios:

881 - TI Xambá/Rio Doce (Avenida Getúlio Vargas)

882 - TI Xambá/Rio Doce (Carlos de Lima Cavalcanti) - Via Av. Chico Science

884 - Jardim Brasil/Rio Doce

886 - Ouro Preto/Rio Doce

...Avenida Brasil, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Brasil...

885 - Sítio Novo/Rio Doce

...Avenida Brasil, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Brasil...

1907 - Paulista/Rio Doce

...Avenida Coronel Frederico Lundgren, Avenida México, Avenida Nápoles (segue em frente até a Avenida das Garças), Avenida Brasil...

1966 - Rio Doce (Circular)

Terminal Integrado de Rio Doce, Avenida Tiradentes, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Tiradentes e Terminal Integrado de Rio Doce.

1987 - Rio Doce (Príncipe)

...Avenida Brasil, Avenida México, Avenida Nápoles (segue em frente até a Avenida das Garças), Avenida Tiradentes, Terminal Integrado de Rio Doce...

Em caso de dúvidas, sugestões ou reclamações os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou Whatsapp para reclamações (99488.3999).

 

31 DE MAIO DE 2018. 

G1 - PE

Deputados aprovam indicações de gestores para agência de regulação de Pernambuco.

Diretores de regulação econômico-financeira e regulação técnico-operacional e ouvidora foram indicados pelo Governo do estado.

Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, nesta quarta-feira (30), a indicação de três novos gestores para a agência de Regulação de Pernambuco (Arpe). A votação nominal ocorreu durante a sessão ordinária no Plenário Eduardo Campos, no Recife.

Com o parecer favorável de 33 deputados e nenhum contrário, Frederico Arthur Maranhão Tavares de Lima terá o nome encaminhado para a nomeação pelo Governo do Estado para o cargo de diretor de Regulação Econômico-Financeira.

Com o mesmo número de votos favoráveis e contrários, Isadora Maia Correia da Silva obteve o parecer dos parlamentares para exercer o cargo de ouvidora da agência.

Juliana Dias Medicis também recebeu 33 votos a favor e nenhum contrário. Com a nomeação, vai exercer o cargo de diretora de Regulação Técnico-Operacional.

Os nomes foram apresentados ao Legislativo pelo Governo de Pernambuco. O projeto de lei partiu do presidente da Alepe, deputado Guilherme Uchoa (PSC). Na terça-feira (29), os três passaram pela sabatina na Comissão de Legislação, Constituição e Justiça.

Antes das votações, os deputados voltaram a falar sobre a crise provocada pela paralisação nacional dos caminhoneiros.

O deputado Antonio Moraes (PP) alertou para os problemas que serão enfrentados pelo governo e prefeituras após o fim do movimento. Segundo ele, por causa da falta de arrecadação, ficará difícil pagar a folha de servidores.

Nilton Mota (PSB), ex-secrtário do governo Paulo Câmara (PSB), ressaltou os esforços da administração estadual para retirar manifestanates das estaradas e do Complçexo Portuário de Suape, no Grande Recife.

Os parlamentares também falaram sobre a alíquota cobrada em Pernambuco de Imposto Sobre Circulação de Serviços e Mercadorias (ICMS) incidente no óleo diesel.

 

 

 

30 DE MAIO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 30 de maio de 2018

 

19 DE MAIO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018 

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018

 

12 DE ABRIL DE 2018. 

G1 - PE

Paralisação de sistema de bombeamento deixa 92 mil pessoas sem água em dez localidades no Recife

Chuvas registradas na capital pernambucana ocasionaram suspensão das atividades na Estação Elevatória dos Morros, segundo a Compesa.

Aproximadamente 92 mil moradores de dez localidades do Recife estão sem abastecimento de água desde o início da noite desta quarta-feira (11). De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o motivo é uma paralisação de 24 horas na Estação Elevatória dos Morros, responsável pelo sistema de bombeamento para bairros da Zona Norte da cidade.

A suspensão das atividades nessa estação pertencente ao Sistema Alto do Céu foi realizada por conta das fortes chuvas registradas na capital pernambucana desde segunda-feira (9), segundo a Compesa. A previsão é que a operação seja retomada a partir das 18h de quinta-feira (12), quando começa a ser regularizada a distribuição de água, conforme o calendário de cada localidade.

“O objetivo da iniciativa é atuar de forma preventiva e evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morros da Zona Norte do Recife. Nos últimos dias, o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos”, explica a Compesa por meio de nota.

 Confira as localidades no Recife que ficam sem água:

  • Água Fria
  • Alto José Bonifácio
  • Alto Santa Terezinha
  • Ponto de Parada
  • Porto de Madeira
  • Alto do Pascoal
  • Ladeira de Pedra
  • Alto Antônio Meira
  • Alto do Deodato
  • Alto do Brasil

 Em caso de dúvidas, a Compesa disponibiliza o número 0800 081 0195. A ligação é gratuita.

 

G1 - PE

Conta de água e esgoto fica 2,78% mais cara em Pernambuco

Reajuste provisório foi publicado no Diário Oficial do estado desta quinta-feira (12) e entra em vigor em 12 de maio.

A conta de água e esgoto vai ficar mais cara em Pernambuco. A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Pernambuco (Arpe) homologou o reajuste de 2,78% nas tarifas da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Os novos valores entram em vigor no dia 12 de maio.

Com o aumento autorizado, uma conta de R$ 100 vai subir para R$ 102,78. A autorização da cobrança dos novos valores pelos serviços de abastecimento e coleta e tratamento de esgoto foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco nesta quinta-feira (12).

A Arpe informa que este será um aumento provisório, uma prática pouco comum em Pernambuco. Isso ocorreu por causa de uma solicitação da Compesa, que pretende reavaliar todo o sistema para pedir um reajuste definitivo ainda este ano.

Segundo a diretora de Regulação de Tarifas da Arpe, Angela Freitas, a Compesa pediu a suspensão do aumento convencional previsto em meio ao processo de discussão. Uma audiência pública estava marcada para 26 de março, mas a empresa optou por reavaliar a situação de investimentos e custos operacionais.

Ela explicou que até o fim de 2018 esse aumento definitivo será definido. Quando o valor for aplicado, será abatido esse percentual de 2,78%, já definido como reajuste provisório.

De acordo com a Arpe, o percentual provisório foi definido a partir da avaliação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado entre 1º de fevereiro de 2017 e 28 de fevereiro deste ano. Também foi levada em consideração a variação do Índice Geral de Preços (IGPM), no mesmo período.

“Aplicamos a metodologia que vem sendo usada desde 2014 e que estava prevista para os três anos seguintes. Quando for finalizado o processo de reavaliação de ativos da Compesa, adotaremos outra forma de cálculo” observou.

G1 entrou em contato com a Compesa para falar sobre o aumento da tarifa de água e esgoto e aguarda retorno.

 

Jornal do Commercio - Cidades 

Compesa suspende por 24h abastecimento de bairros da Zona Norte

A população atingida com a paralisação é de 92 mil pessoas

A previsão é retomar a operação do sistema a partir das 18h desta quinta-feira (12).

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) suspenderá o bombeamento de água da Estação Elevatória dos Morros a partir da noite desta quarta-feira (11), por um prazo de 24h. A estação atende bairros da Zona Norte do Recife.

De acordo com a Compesa, o objetivo da iniciativa é atuar de forma preventiva e evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morros por causa das chuvas dos últimos dois dias.

As localidades que ficarão sem água até amanhã são: Água Fria, Alto José Bonifácio, Alto Santa Terezinha, Ponto de Parada, Porto de Madeira, Alto do Pascoal, Ladeira de Pedra, Alto Antônio Meira, Alto do Deodato e Alto do Brasil. A população atingida com a paralisação é de 92 mil pessoas.

 Retorno

A previsão é retomar a operação do sistema a partir das 18h desta quinta-feira (12), quando será iniciado o processo de regularização da distribuição de água, seguindo o calendário de cada bairro.

 

Folha de PE - Cotidiano 

92 mil pessoas ficam sem água na Zona Norte devido às chuvas

Compesa explica que o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos, e a iniciativa pretende evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações

Dez bairros da Zona Norte do Recife tiveram o abastecimento de água suspenso nesta quarta (11) devido às fortes chuvas. De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a operação da Estação Elevatória dos Morros, sistema de bombeamento pertencente ao Sistema Alto do Céu, foi paralisada por um prazo de 24 horas.

Com isso, ficam sem água os bairros de Água Fria, Alto José Bonifácio, Alto Santa Terezinha, Ponto de Parada, Porto de Madeira, Alto do Pascoal, Ladeira de Pedra, Alto Antônio Meira, Alto do Deodato e Alto do Brasil. No total, 92 mil pessoas foram atingidas com a falta de abastecimento.

Por meio de nota, a Compesa explica que o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos, e a iniciativa pretende evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morro da Zona Norte do Recife. 

abastecimento deve ser regularizado a partir das 18h desta quinta (12), de acordo com o calendário de cada localidade. Para mais informações, a Compesa disponibiliza o telefone 0800.081.0195.