28° C

Agência de Regulação
de Pernambuco

ARPE Informa

Clipagens de jornais e sites

Clipagens de jornais e sites

ARPE Informa

CLIPAGEM 29 DE SETEMBRO DE 2020. 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO -AÇÃO- 28.09.2020

Mutirão online do Procon Recife negocia débitos com a Compesa

O Procon Recife realiza o terceiro mutirão online de negociação de dívidas vencidas. Desta vez, o consumidor terá a oportunidade de quitar os débitos com a Compesa. A ação vai acontecer desta segunda-feira (28) até a próxima sexta-feira. As negociações são feitas através do site procon.recife.pe.gov.br, no ícone "Mutirão Online Compesa". No primeiro mutirão online, foram mais de 1.100 atendimentos de negociação com a Celpe e, no segundo, quase 1.500 com bancos.

Os consumidores que tiverem dificuldade em aderir ao sistema online poderão ser auxiliados pelo Procon Recife, através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., das redes sociais @proconrecife ou ainda de forma presencial, com prévio agendamento, através do site www.procon.recife.pe.gov.br.

Ao receber o formulário do consumidor, o Procon Recife encaminha para a Compesa e o cidadão recebe uma resposta em até 48h com uma proposta de quitação. "Esses mutirões são oportunidades muito interessantes para os consumidores, porque a intermediação de órgãos de defesa do consumidor possibilita descontos e parcelamentos realmente diferenciados, facilitando a recuperação de crédito por parte do consumidor", explica Ana Paula Jardim, presidente do Procon Recife.

NE 10- BLOG DO JAMILDO-- 28.09.2020

TCE-PE suspende licitação de Petrolina que pode afastar Compesa de serviços de água e esgoto

Uma medida cautelar, expedida pelo conselheiro Carlos Neves, do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), suspendeu um processo de concorrência nacional, da Prefeitura de Petrolina, para “Exploração dos Serviços Públicos de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário naquele Município”.

A concorrência visa à escolha de uma nova empresa para os serviços de água e esgoto na cidade, substituindo a Compesa, estatal do Governo de Pernambuco.

As informações constam do Diário Oficial do Tribunal de Contas do Estado.

Supostas irregularidades

O conselheiro atendeu um pedido de uma das empresas interessadas na concorrência, a IGUÁ SANEAMENTO S/A.

A abertura dos envelopes das propostas estava marcada para a manhã desta segunda-feira (28), segundo o TCE.

Carlos Neves apontou três supostas irregularidades na licitação, conduzida pelo prefeito Miguel Coelho (MDB).

“a) disponibilização dos Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMI) a todos os interessados, em cumprimento ao disposto no art. 21 da Lei 8.987/95;

  1. b) inclusão no edital e na minuta de contrato, da metodologia de cálculo de eventual indenização relativa aos bens reversíveis não amortizados por ocasião da extinção do contrato, conforme manda o art. 10-A, III, Lei Federal nº 11.445/2007, com a redação dada pela Lei 14.025/2020, novo Marco do Saneamento Básico;
  2. c) reabertura do prazo para formulação das propostas em razão das alterações do edital por meio de resposta a questionamentos dos licitantes, nos termos do que determina o Art. 21, §4º, da Lei 8.666/93″

O conselheiro do TCE-PE determinou a notificação “na pessoa do seu Prefeito, Sr. Miguel Coelho” para que “prestem os esclarecimentos que entender cabíveis em 05 (cinco) dias”.

Mote eleitoral

As críticas ao serviço de água e esgoto prestados pela Compesa, estatal do Governo do Estado, tem sido uma constante na gestão de Miguel Coelho, em Petrolina, e de aliados, como o deputado estadual Antonio Coelho (DEM).

A escolha de uma nova empresa, nesta concorrência, tem sido um dos principais motes da campanha eleitoral para reeleição do atual prefeito. Já a oposição defere críticas às propostas de Miguel pela autonomia do município em água e esgoto.

Outro lado

A reportagem procurou a Prefeitura de Petrolina. O espaço está aberto, caso julguem necessário.

 

CANAL ENERGIA- NEGÓCIOS- 29.09.2020

Aneel autoriza produção independente solar em PE

PCH de 9,5 MW também recebe outorga para 35 anos de exploração no Rio Grande do Sul

A diretoria geral da Aneel autorizou o Consórcio São Pedro e Paulo, vencedor do leilão A-4 de 2018, a implantar e explorar as centrais fotovoltaicas São Pedro e Paulo V, VI e VIII sob o regime de Produção Independente, somando 57,5 MW de potência instalada e um prazo de outorga de 35 anos no município de Flores (PE). A associação é liderada pela Kroma Gestão e Serviços em Energia Elétrica e tem participação da importadora e exportadora Êxito.

Nos mesmos moldes, a Aneel deu provimento para a companhia Cerquinha II Energética, concedendo a outorga de construção e exploração da PCH Cerquinha II, totalizando 9,5 MW de capacidade no município de Bom Jesus (RS).

 

CLIPAGEM 14 DE SETEMBRO DE 2020.

TV JORNAL – NOTÍCIAS- 14.09.2020

 Celpe: Mutirão online para renegociação de dívidas começa hoje (14)

Será o primeiro Mutirão Online de Negociação de Dívidas Vencidas. Veja como participar e resolver suas dívidas com a Celpe

Se você tem débitos com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e é morador do Recife, essa notícia lhe interessa. Um mutirão do Procon Recife vai ajudar na renegociação das dívidas com a companhia a partir desta segunda-feira (14), até a próxima sexta feira (18). O atendimento é feito via internet. 

Será o primeiro Mutirão Online de Negociação de Dívidas Vencidas. Os consumidores poderão negociar débitos com a Celpe por meio de um formulário no site do órgão municipal de defesa do consumidor.

"Faremos uma série de mutirões online, divididos por semana, começando com a Celpe. Depois, faremos de débitos com a Compesa, com bancos, empresas de telefonia, cartões de crédito, etc.", explica Ana Paula Jardim, presidente do Procon Recife.

Procedimento

Ao receber o formulário de negociação preenchido, o Procon Recife abre o processo de reclamação e aciona a Celpe, através de ofício.

Em até 48h, o Procon Recife dá um retorno ao consumidor sobre a proposta de pagamento e parcelamento, conseguida junto à concessionária de energia.

Contato

O Procon Recife não está realizando atendimentos presenciais. Para abrir reclamações ou tirar dúvidas, o consumidor deve entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelas redes sociais do órgão.

G1- ECONOMIA- 14.09.2020

Distribuidoras e consumidores disputam na Aneel a maior restituição da história do setor elétrico.

Agência estima que a União terá de devolver R$ 50 bilhões por ter cobrado impostos a mais dos contribuintes. Valor poderá gerar desconto médio de 30% na conta de luz.

Empresas distribuidoras e consumidores disputam na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) os direitos pela maior restituição da história do setor, que pode gerar um desconto médio de 30% nas contas de luz nos próximos anos.

A Aneel estima que a União terá de devolver R$ 50 bilhões às concessionárias por ter cobrado impostos a mais dos contribuintes, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2017.

O tribunal entendeu que o ICMS, principal imposto estadual, não poderia compor a base de cálculo do PIS e da Cofins, dois tributos federais, como acontecia até então.

O valor a ser devolvido pode ser abatido integralmente das contas de luz. No entanto, as empresas entendem que têm direito a ficar com parte do montante, mesmo que os tributos indevidos tenham sido arcados integralmente pelos contribuintes.

“Se as empresas não tivessem identificado o mal feito dessa cobrança indevida e tomado a iniciativa de recorrer à Justiça para que isso fosse interrompido, o consumidor não veria nenhum desses recursos, zero”, afirma o presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales.

Segundo a Aneel, cada concessionária pleiteia um porcentual diferente dessa devolução:

  • Algumas querem ser ressarcidas pelos custos processuais, uma vez que a disputa na Justiça durou mais de dez anos
  • Outras entendem que deveriam receber um bônus de sucesso, já que foram elas que entraram com as ações para reaver os valores pagos indevidamente pelos consumidores;
  • E outras afirmam que o consumidor só tem direito, pelas regras do Código Civil, à devolução referente aos últimos dez anos. E que os valores anteriores a essa data deveriam ir para o caixa das empresas.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) se enquadra nessa última opção. “Dos R$ 6 bilhões que o consumidor de Minas Gerais arrecadou e que agora o governo terá de devolver, a Cemig acredita que R$ 2 bilhões devam ser dela”, afirmou o relator do caso na Aneel, o diretor Efrain Cruz.

Cruz manifestou que tem um entendimento diferente da empresa.

“Não há que se falar em prescrição, porque ela [distribuidora] está tutelando um direito que é do consumidor. Então eu diria que, nesse momento, nós devemos ter um raciocínio de utilizar todo esse recurso para atenuar as tarifas no Brasil”, disse.

Procurada, a Cemig disse que não vai se manifestar.

O relator também não vê necessidade de ressarcir os custos processuais: “A tarifa de energia já remunera as distribuidoras para que elas mantenham os seus jurídicos e todos os custos judiciais. Portanto, seria pagar de forma dobrada.”

A decisão final será tomada pelo colegiado da Aneel, que inclui um diretor-geral e quatro diretores, e deve ser anunciada até o fim do ano.

Desconto na conta de luz

Caso todo o valor seja restituído aos consumidores, a Aneel estima que será possível conceder um desconto médio de 30% na conta de luz. “Se considerarmos que a cada R$ 1 bilhão a gente consegue reduzir a tarifa em 0,6% no Brasil, teríamos facilidade em dizer que R$ 50 bilhões têm capacidade de dar um desconto na ordem de 30%”, calcula Cruz.

O abatimento, porém, deve ser dividido ao longo de alguns anos, segundo o relator, e não vai ser igual para todos os consumidores do país. Isso porque algumas distribuidoras têm processos maiores e mais antigos, como é o caso da Cemig, que deve receber R$ 6 bilhões, e da Enel, de São Paulo, que tem direito a R$ 7 bilhões, segundo números da Aneel.

Já a Cemar, do Maranhão, por exemplo, deve receber R$ 700 milhões. Segundo a Aneel, 49 das 53 concessionárias do país têm valores a serem reembolsados.

Do total estimado de R$ 50 bilhões, a agência afirma que praticamente metade (R$ 24 bilhões) já foi habilitado junto à Receita Federal. Ou seja, as distribuidoras já começarão a ter o recurso em caixa para iniciar as devoluções.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) defende que o bônus bilionário seja revertido na íntegra aos contribuintes e pede celeridade.

“Há um grande potencial de redução de tarifa e quanto antes isso for feito melhor, porque ajuda nesse momento de crise, no qual os consumidores não tiveram tantas benesses quanto as empresas”, diz o coordenador do programa de energia e sustentabilidade do Idec, Clauber Leite.

CANAL ENERGIA- POLÍTICA-15.09.2020

Aneel fixa CDE de julho em R$ 71,8 milhões para transmissoras

Regulador também definiu em R$ 18,9 milhões relativo aos valores do PROINFA de novembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica determinou nesta segunda-feira, 14 de setembro, os valores das cotas referentes ao encargo da Conta de Desenvolvimento Energético referente ao mês de julho para as

transmissoras que atendem consumidor livre e/ou autoprodutores conectado ao SIN. São R$ 71.884.059,09 divididos entre 15 concessionárias que devem recolher o encargo até 10 de outubro.

A Aneel também definiu os valores das quotas de custeio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica para o mês de novembro, relativos às transmissoras que atendam consumidor livre e/ou autoprodutor com unidade de consumo conectada ao Sistema. O valor, segundo a agência, é de R$ 18.964.526,50 e deve ser recolhido à Eletrobras até o dia 10 de outubro. O montante está dividido entre 15 agentes, que devem aportar os recursos para crédito da conta Proinfa.

 PORTAL SOLAR-NOTÍCIAS-15.09.2020

Padarias economizam 15% com energia solar em Minas Gerais

Mais de 100 padarias mineiras estão economizando na conta de luz por meio da energia solar. Uma parceria entre o Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão) e a desenvolvedora de projetos solares Solatio está fornecendo energia limpa e 15% mais barata desde o primeiro semestre deste ano, quando entrou em operação a primeira usina produtora de energia fotovoltaica destinada às empresas associadas à Amipão.

A usina está instalada na cidade de Manga, no Norte do estado, e permitiu aos empresários do segmento unir a redução de custos de operação com a sustentabilidade nos negócios. “Qualquer dono de padaria deseja reduzir os gastos com energia elétrica. A parceria com a Solatio foi importante para esse momento delicado que estamos vivendo. Cada redução conta para manter as portas abertas”, argumenta o presidente da Amipão, Vinícius Dantas.

A conta de luz é um dos principais custos para manter a indústria e as lojas em funcionamento e, nesse momento de pandemia, a proposta alivia o bolso dos panificadores. Outra vantagem da parceria é que para aderir ao modelo de negócio não é necessário nenhum investimento prévio.

“Estamos muito animados com o abastecimento de energia fotovoltaica. Ainda estamos no início do processo, mas certamente a economia vai ajudar muito”, afirma o empresário Romualdo Garcia de Oliveira, proprietário da panificadora Sabor de Pão, localizada no bairro Calafate, em Belo Horizonte, e que está há 28 anos no ramo.

Outro que preferiu o fornecimento diretamente da usina foi o sócio proprietário da padaria Luciana, Marcelo Francisco Pimenta, instalada no bairro Nova Cintra. Ele chegou a pesquisar preços para colocar as placas fotovoltaicas em seu estabelecimento, mas decidiu pela usina. “Achei a proposta da Solatio vantajosa por não termos de fazer nenhum investimento para obter o desconto, além da parte ambiental. Já o investimento para instalação das placas é muito alto, além dos gastos com manutenção.”

No Brasil, a geração de energia fotovoltaica é regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em Minas, o estado oferece condições ideais para produção de energia solar, a Solatio possui 20 usinas prontas para operar, já com o parecer de acesso concedido pela reguladora de energia estatal. 

“A redução de custos gerada com compra da energia fotovoltaica possibilita investir em melhorias nas padarias, quitação de dívidas ou, ainda, redução de preços dos produtos. É uma ferramenta de otimização dos negócios e, para quem está em uma situação delicada, um fôlego no orçamento. O papel da Amipão é encontrar oportunidades para o segmento conseguir avançar”, destaca Dantas.

No entanto, a capacidade produtiva desta usina fotovoltaica já está totalmente utilizada, mas as padarias que quiserem aderir ao modelo de consumo de energia sustentável podem procurar a Amipão. Segundo o presidente da entidade, há outras duas usinas da Solatio destinadas às padarias vinculadas à Amipão, prontas para fornecerem energia limpa e renovável, que contribuem com o meio ambiente, com a produtividade do segmento e com o desenvolvimento de negócios mais responsáveis.

 

30 DE JULHO DE 2020. 

JORNAL DO COMMERCIO- ECONOMIA

Gás encanado para indústrias, casas e carros ficará até 16% mais barato em Pernambuco

Os novos valores entram em vigor no sábado (1º). De acordo com o governo estadual, a maior diminuição, de 16,2%, é para o segmento industrial

O preço final do gás natural canalizado para indústrias, uso residencial e veicular terá uma redução de 9% a 16% em Pernambuco, a partir do sábado (1º). A medida foi anunciada pelo governador Paulo Câmara (PSB) em pronunciamento nesta quarta-feira (29).

De acordo com o governo, a maior diminuição, de 16,2%, é para o segmento industrial. Na cogeração, a redução média foi de 12,2%, enquanto as tarifas para o comércio diminuíram 11,7%, em média. No segmento residencial, a diminuição foi de aproximadamente 9%. Na tarifa do Gás Natural Veicular (GNV), houve um arrefecimento de 10,3%. “Quem consome o gás veicular, por exemplo, vai perceber uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível”, explicou o governador.

Movimentação de R$ 13,5 milhões em novos negócios 

No pronunciamento, o governador também informou que a Agência de Empreendedorismo do Estado (AGE) atingiu o patamar de R$ 13,5 milhões em novos negócios. 

“Esse apoio tem sido importante para os microempresários do nosso polo de confecções, salões de beleza, clínicas de estética e outros milhares de empreendedores que voltaram a negociar após a flexibilização das atividades econômicas”, afirmou o chefe do Executivo estadual.

“É dinheiro sem burocracia para o capital de giro dos empreendedores já estabelecidos e para os trabalhadores que estão iniciando um novo negócio”, acrescentou. Segundo o governo, mais de seis mil pessoas tiveram acesso a empréstimos com os menores juros do mercado.

 

FOLHA DE PERNAMBUCO- ECONOMIA

Gás natural canalizado em Pernambuco terá redução de até 16% no preço final

Paulo Câmara informou que a redução terá início a partir de sábado, 1º de agosto

Em pronunciamento oficial nesta quarta-feira (29), o governador Paulo Câmara anunciou uma redução entre 9% e 16% no preço final do gás natural canalizado em Pernambuco. Os valores serão repassados a partir do próximo sábado (1º), e a redução será feita de acordo com o tipo de serviço. 

A maior redução está no setor industrial, de 16,2%. Na cogeração, a redução média foi de 12,2%. Já as tarifas para o comércio diminuíram 11,7%, em média. No segmento residencial, a diminuição foi em torno de 9%, enquanto a tarifa do Gás Natural Veicular (GNV) sofreu um arrefecimento de 10,3%.

“Quem consome o gás veicular, por exemplo, vai perceber uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível”, explicou Paulo Câmara. 

 

DIÁRIO DE PERNAMBUCO - ECONOMIA  
 
Gás canalizado terá redução entre 16% e 9%
 
Em comunicado divulgado ontem, o governo do estado afirmou que, a partir do próximo sábado, o gás canalizado vendido em Pernambuco terá redução entre 16% a 9% no preço final, de acordo com o tipo de serviço. Com relação ao gás natural, a maior redução será no segmento industrial, de 16,2%; na cogeração, a redução média foi de 12,2%.No comércio, as tarifas cairão, em média, 11,7%. No segmento residencial, a diminuição foi em torno de 9%, enquanto a tarifa do Gás Natural Veicular (GNV) sofreu um arrefecimento de 10,3%, com uma queda de R$ 2,65 para R$ 2,49 no preço do metro cúbico do combustível. O governo também informou que a Agência de Empreendedorismo do Estado (AGE) atingiu o patamar de R$ 13,5 milhões em novos negócios.
 

18 E 19 DE FEVEREIRO DE 2020. 

AGÊNCIA BRASILIA- NOTICIAS - 18/02/2020

GDF e Aneel assinam acordo para a Avenida das Cidades

Termo de cooperação dará andamento ao projeto de via que vai unir as cidades da região Sul ao Plano Piloto.

A avenida que vai unir as cidades da região Sul (Samambaia, Taguatinga, Águas Claras, Park Way e Guará) ao Plano Piloto terá extensão de 26 km

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) e da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap), assina nesta quarta-feira (19) termo de cooperação com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que autoriza Furnas a fazer intervenções em instalações de transmissão. A cooperação vai atender ao projeto Avenida das Cidades e visa o enterramento de 16 km de cabo de alta tensão.

“A Avenida das Cidades é um projeto antigo que já foi promessa de campanha de vários candidatos ao governo do Distrito Federal nos últimos 20 anos. A pista de ligação entre Samambaia e o Plano Piloto é considerada como a maior obra viária da história de nossa cidade e virou uma das prioridades do Governo Ibaneis Rocha”, explica o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros. “A Aneel contribui com o desenvolvimento do DF, e essa autorização viabiliza a continuidade desse importante projeto”, afirma o presidente da Terracap, Izídio Santos Junior.

A avenida que vai unir as cidades da região Sul (Samambaia, Taguatinga, Águas Claras, Park Way e Guará) ao Plano Piloto terá extensão de 26 km. A obra deve começar em 2022 com o enterramento e também remanejamento das linhas aéreas de alta tensão que estão no trajeto da via. O valor estimado do investimento é de R$ 2,9 bilhões, desse valor R$ 1 bilhão é para o enterramento.

Além da melhoria da infraestrutura de transporte, da integração das cidades e da conexão com o sistema viário existente, o complexo urbanístico vai contribuir para a geração de novos centros de negócios, lazer e habitação. “Vamos obter um sentido de contra fluxo em direção a novos eixos, descentralizando a oferta de trabalho e emprego, que hoje é concentrada no Plano Piloto”, esclarece Gueiros.

A obra terá duração de 8 anos e deverá gerar mais de 20 mil empregos diretos no período de construção. E, depois de pronta, mais de 80 mil empregos diretos devem ser criados. De acordo com o secretário Everardo Gueiros, além de valorizar toda a região sul do DF, o projeto vai valorizar também os imóveis adjacentes à avenida, dando mais qualidade de vida a população.

“Essa via vai privilegiar muito mais a convivência das pessoas, com ciclovias, calçadões, jardins, praças, parques. É uma via muito mais para unir as cidades que hoje estão segregadas e divididas”, pontua o secretário.

Etapas do projeto

O projeto da Avenida das Cidades está em fase de análise final dos estudos e após aprovação do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas, presidido pelo governador, será encaminhado para análise do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). Depois serão feitas consulta e audiência pública.

A licitação, por meio de Parceria Público-Privada (PPP), será conduzida pela Sepe e Terracap. O edital deve ser publicado em meados do 2° semestre de 2020. A empresa ou consórcio vencedor terá 1 ano para apresentar o Projeto Executivo, obter as licenças ambientais e ter o projeto aprovado no Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

Após todas essas etapas, as obras terão início no final de 2022.

Contrapartida

As terras adjacentes à Avenida da Cidades serão concedidas pelo GDF para o setor privado que, por sua vez, será responsável por toda construção da infraestrutura e manutenção da via por um período de 25 anos. Após esse período, a área retornará para a administração pública.

“Hoje essas áreas não têm valor econômico, porque não podem ser utilizadas. Com o projeto, haverá uma supervalorização dos terrenos. A iniciativa privada custeia essas obras, custeia a manutenção e se ressarce desses investimentos a partir da venda dos imóveis ao longo da via. Então, é impensável até você fazer uma obra de R$ 3 bilhões que vai beneficiar a população, sem que não haja um investimento direto do governo”, explica Everardo Gueiros.

CANAL ENERGIA- POLITICA- 18/02/2020

Aneel autoriza repasse de R$ 25 milhões à Santo Antônio Energia

Valor se refere à prestação de serviços de interesse do sistema por um transformador instalado na Subestação Coletora Porto Velho

A Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou o repasse de R$ 25 milhões à Santo Antônio Energia, como ressarcimento pelo período em que o transformador provisório instalado pela geradora na Subestação Coletora Porto Velho passou a desempenhar funções de interesse do Sistema Interligado Nacional. O valor corresponde ao investimento e aos custos de operação e manutenção do equipamento, entre dezembro de 2012 e novembro de 2019, a preços de novembro do ano passado.

A Saesa também vai receber parcelas mensais de R$ 37,4 mil em custos de operação e manutenção, de dezembro de 2019 até 90 dias após a publicação do ato, ou até a transferência do equipamento para a Eletronorte, o que ocorrer primeiro. Essa transferência será sem custos para a estatal, que passara a receber pelos custos de O&M do transformador.

O transformador TF13 foi instalado provisoriamente pela Santo Antônio Energia na subestação Porto Velho, com o objetivo de antecipar a entrada das primeiras unidades geradoras da hidrelétrica Santo Antônio. O equipamento seria retirado pela empresa, mas, por solicitação do ONS, ele permaneceu em operação por interesse sistêmico, após a entrada em operação da estação conversora back-to-back.

Por conta disso, a Saesa terá direito ao pagamento pela prestação do serviço ao Sistema Interligado, que será feito em parcela única, no primeiro processo de contabilização e liquidação financeira realizado após a publicação da resolução autorizativa da Aneel. O valor não inclui o período de oito meses de operação em que o TF 13 foi usado para garantir a a antecipação das  unidades geradoras da usina, nem a a depreciação correspondente a esse período. Os recursos virão da cobrança do Encargo de Serviços do Sistema, que remunera serviços ancilares de geração.

A subestação coletora Porto Velho é parte do sistema de transmissão da energia produzida pelas usinas do rio Madeira (Santo Antônio e Jirau), composto por uma série de equipamentos. A instalação tem uma estação conversora back-to-back (CA/CC/CA) que atende parte da carga do Sistema Acre-Rondônia , por meio de três circuitos em 230 kV.

CANAL ENERGIA- NOTICIAS - 18/02/2020

Leilão de transmissão é homologado pela Aneel

Certame contratou 12 lotes de linhas e subestações com deságio médio superior a 60%

O resultado do leilão de transmissão realizado em 19 de dezembro do ano passado foi homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica na reunião semanal desta terça-feira, 18 de fevereiro. No certame foram contratados todos os 12 lotes de empreendimentos de transmissão ofertados, com deságio médio de 60,3%, o mais alto na história dos leilões da Aneel.

A Receita Anual Permitida total dos projetos será de R$ 285,7 milhões, e o investimento previsto de R$ 4,2 bilhões. Os empreendimentos somam 2.470 km de linhas de transmissão situadas nos estados do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

CANAL ENERGIA- POLÍTICA- 18/02/2020

Aneel mantém multa à Chesf de R$ 2,1 milhões

Penalidade foi aplicada em 2017 por problemas de manutenção e operação da UHE Paulo Afonso IV

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica manteve multa de R$ 2,1 milhões, aplicada à Chesf em 2017 por operação e manutenção inadequadas da usina hidrelétrica Paulo Afonso IV. A fiscalização da Aneel apontou prazos de indisponibilidade de unidades geradoras da usina “longos e incompatíveis com as boas práticas de gestão de manutenção”, além da ultrapassagem do limite de indisponibilidade total da usina, que ficou em 23% naquele ano, quando o estabelecido no contrato de concessão é de 13,66%.

A penalidade foi aplicada após inspeção in loco nas instalações da usina, para apurar as causas do baixo desempenho apontado no processo de monitoramento realizado pela agência. Entre março de 2012 e fevereiro de 2017, a UHE Paulo Afonso IV gerou 1.072 MW médios, 16% a menos que a garantia física de 1.280  MWmed.

A disponibilidade apurada em maio de 2017 era de 0,765, inferior ao índice de referência, de 0,863. A autuação, segundo a Aneel, foi feita principalmente pela gestão inadequada da manutenção e dos ativos, e não apenas pelo descumprimento dos indicadores. O valor da multa ainda será atualizado no momento em que a empresa fizer o pagamento.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO- LOCAL - 18/02/2020

Em Olinda, monumento histórico é entregue após limpeza e consolidação de estrutura.

A estrutura conhecida como Ruínas do Senado, na Ribeira, na Rua Bernardo Vieira de Melo, no Sítio Histórico de Olinda, foi entregue, na manhã desta terça-feira (18),  à população após uma obra de limpeza e consolidação da estrutura. O serviço custou R$ 30 mil e foi realizado ao longo de três meses pelo Estúdio Sarasá, contratado pela Prefeitura de Olinda.

No local onde estão as ruínas foi dado o primeiro Grito de Independência das Américas, 70 anos antes da Revolução Francesa e 60 antes da dos Estados Unidos. Algumas pedras das ruínas foram repostas depois de localizadas com comerciantes do Mercado da Ribeira e moradores da rua.

Outra novidade anunciada, nesta manhã, para o patrimônio da cidade é a assinatura da Ordem de Serviço para o início das obras de reforma da Igreja de São Pedro, no próximo dia 12 de março, dia de aniversário da cidade. O espaço está fechado há cinco anos.

A arquiteta Magda Rosa explicou que duas histórias rondam as ruínas. Elas seriam realmente remanescentes do Senado ou são um monumento construído para representar o local onde existiu o Senado. Em uma espécie de placa na frente do monumento está escrito “Em 10 de novembro de 1970, Bernardo Vieira de Melo deu o 1º grito em favor da fundação da República.” “Informações do arquivo público apontam que a segunda hipótese, de ser monumento, é mais real”, destacou. Segundo ela, isso não tira o simbolismo do espaço.

Das ruínas, foram retiradas muitas raízes, pois há três anos havia uma árvore próxima. Nos espaços vazios, foi colocado biocida, para evitar vegetação nas ruínas, além de argamassa tradicional. “Também resgatamos algumas pedras que faltavam. Algumas delas estavam com Coquito, um comerciante do Mercado da Ribeira que costumava guardá-las pensando em uma possível reforma do monumento. Muitas pessoas costumavam pegar as pedras para fazer esculturas”, explicou Magda.

Na parte de trás das ruínas, que ficam em um prédio da Compesa, foi feita uma intervenção com um pilar de concreto para evitar a queda do monumento. “Passamos duas semanas lavando a estrutura com água de cal para dar mais sustentação às pedras, que são porosas.” Ao todo, oito pessoas trabalharam na limpeza e consolidação das ruínas.

Segundo o secretário de Patrimônio, Cultura, Turismo e Desenvolvimento Econômico, João Luiz, a obra foi financiada com recursos do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio. Onde hoje estão as ruínas, funcionava o Senado de Olinda, algo que hoje corresponderia à Câmara de Vereadores. Depois que foi fechado e o Poder Legislativo olindense foi transferido para outro bairro, onde está o prédio da Prefeitura Municipal, o imóvel ruiu e acabou desmoronando.

Reforma igreja - A Igreja de São pedro é a paróquia mais antiga da Arquidiocese de Olinda e Recife. A interdição aconteceu por questões de segurança estrutural. A obra está orçada em R$ 1,7 milhão, oriundo do PAC Cidades Históricas e liberado em julho do ano passado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O valor será aplicado na recuperação do telhado, piso e sistemas elétricos e hidráulicos, além dos chamados bens integrados, como altar. A previsão é concluir os serviços em 10 meses.

Após a interdição, a maioria dos fiéis migrou para a Igreja do Carmo, que reabriu em 2012 após 17 anos em reformas. O templo foi erguido em 1590, nove décadas após a chegada dos portugueses ao Brasil, embora sua atual arquitetura seja do fim do século 18.

JORNAL DO COMMERCIO- ECONOMIA - 18/02/2020

Lucro da Celpe cresce 62% em 2019

No comparativo entre o quarto trimestre de 2019 e o mesmo período de 2018, a Companhia teve incremento de 303%

As Despesas Operacionais da Celpe tiveram redução de 10,3% no quarto trimestre de 2019

O primeiro ano após a sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) trouxe um resultado recorde ao grupo Neoenergia e suas distribuidoras, como a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) aqui em Pernambuco. Ao longo do ano passado, a Neonergia alcançou um lucro líquido de R$ 2,229 bilhões, resultado 45,1% superior ao apurado em 2018 e que fez, pela primeira vez, a companhia elétrica superar a cifra de R$ 2 bilhões. Seguindo esse ritmo de crescimento, a Celpe teve um incremento de 62% no seu lucro, alcançando R$ 181,3 milhões ao longo de 2019. 

Se isolado o resultado apenas do quarto trimestre do ano passado, a Celpe saltou de um lucro líquido de R$ 17,7 milhões no quarto trimestre de 2018 para R$ 71,4 milhões ( Variação de 303,4%) no mesmo período de 2019. Considerando os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização - o EBITDA - a companhia alcançou no quarto trimestre u resultado de  R$ 233,1 milhões (+22,4% no comparativo com o quarto trimestre de 2018). No ano, o EBITDA foi de R$ 826,7 milhões, variação de 21,8% se comparado o resultado do ano de 2018.

Nos últimos três meses de 2019,  a Margem Bruta,  que mede a rentabilidade do negócio, ou seja, qual a porcentagem de lucro por venda ou oferta de serviço, cresceu 10,2% quando comparado com o quarto trimestre de 2018, alcançando os R$ 417,9 milhões. No ano, a Margem Bruta atingiu R$ 1.599,5 milhões, crescimento de 11,2%. 

De acordo com o balanço da companhia, o resultado foi impulsionado "pela expansão na base de clientes e maiores temperaturas, gerando maior consumo – refletido na maior energia distribuída no período e também pela atualização do Ativo Financeiro da Concessão", que foi impactado pela inflação (IPCA) mais alta no quarto trimestre de 2019 frente o mesmo período de 2018.

No ano passado, a Celpe chegou ao total de 3,757 mil clientes, crescimento de 1,8%, sendo acrescido 68 mil novos consumidores frente 2018. A maior alta veio do segmento rural, com 21,2%, seguido pelo segmento comercial (12,7%) e residencial (2,2%). Os clientes industriais ficaram praticamente estáveis, com 0,8% de crescimento. 

De acordo com a Neoenergia, o consumo residencial apresentou aumento em todas as distribuidoras (Coelba, Cosern, Elektro e Celpe), sendo na ordem dos  4,2%. A classe industrial cativa, cuja retração foi de 17,3% no quarto trimestre de 2019 e 12,7% em 2019 frente 2018, teve, conforme a Neonergia, seu comportamento influenciado pela migração de clientes para o Ambiente de Contratação Livre (ACL).

Dívidas

As Despesas Operacionais da Celpe tiveram redução de 10,3% no quarto trimestre de 2019 e de -0,8% no ano. 2018. No os últimos três meses do ano, as Provisões para Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD) totalizaram R$ 37,1 milhões, aumento de R$ 13,0 milhões (53,9%) em comparação ao mesmo período de 2018.

A inadimplência, razão entre o faturamento e a PECLD, ficou em 1,99% no quarto trimestre  e 1,85% no ano passado, acima do limite regulatório de 1,40%.  Em 2019, a dívida bruta da Celpe, incluindo empréstimos, financiamentos, debêntures e instrumentos financeiros foi de R$ 4,4 milhões (dívida líquida de 4,1 milhões), caindo 2,1% frente 2018. Pelo menos 83% da dívida é de longo prazo, 

 A Companhia apresentou como resultado financeiro líquido uma despesa de R$ 79,8 milhões no quarto trimestre, contra
R$ 96,2 milhões no mesmo período de 2018, representando melhora de 17% (R$ 16,4 milhões). No ano, o resultado financeiro
registrou despesa financeira de R$ 337,5 milhões, montante R$ 50,9 milhões maior do que a despesa financeira líquida de 2018.

Desse total, o resultado de dívida e de gestão de caixa apresenta piora de R$30,1 milhões, dos quais R$ 37,9 milhões é de uma piora nas receitas de aplicações financeiras e encargos da dívida e R$ 7,8 milhões são fruto de variações monetárias e instrumentos financeiros derivativos.

 G1- PERNAMBUCO - 18/02/2020

Comerciantes que vão trabalhar no carnaval devem solicitar ligação temporária de energia elétrica

A solicitação deve ser feita à Celpe, até a sexta-feira (21), e seguir critérios prévios de instalação e segurança.

Comerciantes e ambulantes que vão montar barracas durante os dias de carnaval têm até a sexta-feira (21) para solicitar à Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) ligação provisória de energia elétrica. Para formalizar o pedido, os interessados devem apresentar, além dos documentos de identidade e CPF, um descritivo dos equipamentos que serão instalados.

De acordo com a gerente de atendimento da Celpe, Michele Mota, no ato da solicitação, serão repassadas as orientações técnicas referentes à instalação. Os pedidos podem ser feitos nas lojas de atendimento, além de duas unidades móveis localizadas na área externa da Loja Varadouro, em Olinda, e Loja Madalena, na Zona Oeste do Recife.

“É importante que os comerciantes se organizem para solicitar as ligações provisórias com o máximo de antecedência possível. A companhia atenderá a todos os pedidos, desde que as instalações atendam aos critérios de segurança e sejam realizadas dentro do prazo”, afirmou.

Durante a vistoria prévia, será observado o cumprimento dos padrões técnicos e de segurança, como disjuntores, aterramento, condutores e tomadas. A instrução é de que os comerciantes atendam ao padrão de entrada para ligação de energia, que é de responsabilidade do consumidor e deve ser feito por profissional qualificado.

“Equipes estarão inspecionando os polos de folia. Ligações clandestinas, que colocam em risco a vida de pessoas, não serão toleradas”, disse a gestora. Caso uma irregularidade seja verificada, o fornecimento de energia é interrompido e o responsável pode responder criminalmente.

O órgão lembra que não será possível o atendimento a cargas móveis como carroças, automóveis e caminhões, obedecendo às normas técnicas de segurança do setor elétrico.

 Confira dicas de segurança

  • A montagem de barracas deve ser feita distante da rede elétrica
  • Não faça ligação clandestina para iluminar barracas ou aumentar a iluminação das ruas. O desvio de energia elétrica resulta em riscos de segurança e é crime
  • Sempre que possível, monte a barraca no mesmo lado da rede elétrica, atendendo ao layout apresentado pela prefeitura no momento do licenciamento
  • Verifique se a instalação elétrica interna da barraca está adequada para suportar todos os equipamentos elétricos e a iluminação
  • Evite utilizar fios com emendas
  • Evite o uso de tomadas tipo “T” ou benjamins – isso pode sobrecarregar e causar curto-circuito na instalação
  • Jamais entre em contato com as tomadas ou interruptores de iluminação, caso esteja com as mãos molhadas ou com os pés descalços
  • Siga as orientações da concessionária para a instalação do padrão de entrada de energia elétrica que atenda as especificações técnicas exigidas, com aterramento instalado adequadamente para evitar acidentes com a rede elétrica e garantir a segurança da festa

FOLHA DE PERNAMBUCO- NOTICIAS - 18/02/2020

Força-tarefa fiscaliza corredores de segurança para o Carnaval do Recife

Um grande público é esperado para a celebração carnavalesca que inicia nesta sexta-feira (18)        

Com o Carnaval já batendo na porta, uma força-tarefa, no fim da tarde desta terça-feira (18), esteve garantindo a segurança para os foliões nas via da Avenida Marquês de Olinda e Avenida Rio Branco, no Marco Zero, bairro do Recife Antigo.

Integraram essa força-tarefa o Corpo de Bombeiros,  a Dircon, a Celpe, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE),  o Samu, o Controle Urbano da Prefeitura do Recife, a Secretaria de Turismo e a Secretaria de Empreendedorismo do Recife. Os integrantes analisaram a estrutura da montagem dos corredores no local. A abertura do Carnaval no Recife acontece nesta sexta-feira (21). Um grande público é esperado para a celebração carnavalesca que irá durar cinco dias.

O tenente coronel do Corpo de Bombeiros Erick Aprígio, responsável pela operação, comentou sobre os esquemas de segurança planejados para o local. “As avenidas Marquês de Olinda e Rio Branco contarão com corredores de segurança e ambulâncias para o atendimento ao folião. Na Torre Malakof também haverá um posto médico do Samu e do Corpo de Bombeiros para garantir essa segurança.”rígio.

Também de olho no fornecimento de energia elétrica das barracas de comidas e lanchonetes, o tenente comentou o trabalho da Celpe. “A companhia elétrica permite as ligações oficias e provisórias solicitadas, além de bloquear as clandestinas, que podem provocar incêndios e grandes acidentes. Então, esse é o nosso trabalho conjunto, para sempre poder dar segurança a quem vai trabalhar e a quem vai brincar", finaliza o tenente coronel do Corpo de Bombeiros.

31 DE OUTUBRO DE 2019. 

Celpe remove mais de 800 quilos de fios irregulares em Olinda

Após um mês de operações no Sítio Histórico de Olinda, as equipes técnicas da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) removeram mais de 800 quilos de fios de telefonia instalados irregularmente nos postes da concessionária. A força tarefa, que deve durar até o final de novembro, já fiscalizou 230 postes e visa o cumprimento das normas técnicas e de segurança preestabelecidas em contrato firmado com as empresas de telecomunicações.

Durante a ação, os técnicos devem inspecionar postes de 34 ruas e ladeiras da cidade alta,  onde as fiações instaladas pelos provedores se encontram fora dos padrões estabelecidos pela distribuidora. A operação conduzida pela Celpe é informada, com antecedência, para as empresas de telecomunicações. Previamente, a concessionária alerta, ainda, sobre a necessidade de ordenamento dos fios – quando esses estão fora dos padrões. As empresas que não cumpriram o prazo de adequação estão tendo as redes irregulares removidas.

Por ser uma área com museus, escolas, faculdades, prédios públicos e hospitais, a concessionária reforça que, em caso de instabilidade no funcionamento de serviços como internet e telefonia, o cliente deve entrar em contato com a empresa responsável pela rede, para que sejam feitas as devidas correções. O abastecimento de energia na região não deve ser afetado durante a operação.

Em julho e setembro, a Celpe fiscalizou a fiação da Avenida 17 de Agosto. A ação resultou no arranque de mais de 800 quilos de fios. Em agosto, a patrulha energética passou pela Rua Lins Petit, na Boa Vista.

 

17 DE OUTUBRO DE 2019. 

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Obra da Compesa suspende abastecimento de água em 15 bairros do Recife

Interrupção do serviço vai durar 15 horas, a partir das 17h desta quinta (17), afetando cerca de 300 mil pessoas. 

O abastecimento de água em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife será interrompido durante 15 horas por conta de uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Uma paralisação emergencial em uma das adutoras do Sistema Tapacurá será iniciada às 17h desta quinta-feira (17), deixando sem água 300 mil pessoas.

A interrupção do fornecimento de será necessária para conserto de vazamento em trecho de uma tubulação em aço, de grande porte (1.200 milímetros), localizada na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio. A previsão é concluir os trabalhos na sexta-feira (18), às 8h, quando a operação da adutora será retomada e iniciado o processo de regularização do abastecimento das áreas afetadas.

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. Informações podem ser obtidas pelo canal de atendimento da Compesa, o 0800 081 0195.

Os bairros que ficarão sem abastecimento são Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Já os bairros da Torre e Madalena podem ser afetados com queda de pressão.

 

Blog OP9

Noticias

Obra da Compesa deixa 22 bairros sem água no Recife até a sexta-feira

Localidades afetadas ficarão cerca de 15 horas sem água. Serviço se inicia às 17h desta quinta-feira (17) e deve ser concluído na sexta-feira (18), às 8h

Uma paralisação emergencial em uma das adutoras do Sistema Tapacurá vai interromper o fornecimento de água por 15 horas em 22 bairros do Recife. O serviço se inicia às 17h desta quinta-feira (17) e deve ser concluído na sexta-feira (18), às 8h. O reparo é necessário para conserto de um vazamento em trecho de uma tubulação em aço de grande porte na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio.

Os bairros onde o abastecimento será interrompido são Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Por conta da obra, os bairros da Torre e da Madalena também podem ser afetados com queda de pressão.

Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), os serviços são considerados de natureza complexa pela necessidade de interferência de outras empresas prestadoras de serviços e por conta da necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. Para mais informações, a Compesa recomenda entrar em contato pelo número 0800-081-0195.

 

TV Jornal

Notícias

Obra no Sistema Tapacurá deixa bairros do Recife sem água

Confira os bairros que ficarão sem o abastecimento de água nesta quinta-feira (17)

Tapacurá responde hoje pelo abastecimento de água de 25% da população do Grande Recife.

Uma paralisação emergencial em uma das tubulações do Sistema Tapacurá será iniciada nesta quinta-feira (17), às 17h. A interrupção do fornecimento de água será pelo período de 15 horas, para conserto de um vazamento no trecho de uma tubulação em aço, de grande porte (1.200 milímetros), localizada na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio, no Recife.

Bairros afetados

Os bairros sem abastecimento são: Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e Mustardinha. Já os bairros da Torre e Madalena podem ser afetados com queda de pressão.

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. 

Conclusão

A previsão é concluir os trabalhos na sexta-feira (18), às 08h00, quando a operação da tubulação será retomada e iniciado o processo de regularização do abastecimento das áreas afetadas.

Informações

Maiores informações podem ser obtidas pelo canal de atendimento da Compesa, o 0800 081 0195.

 

Diário de Pernambuco

Local

Obra interrompe abastecimento de 22 bairros do Recife por 15 horas

Abastecimento será interrompido em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife. 

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) irá interromper, durante 15 horas, o abastecimento de água em 22 bairros das zonas Norte e Oeste do Recife. A paralisação começa às 17h desta quinta-feira (17), motivada pela necessidade de fazer um conserto emergencial em uma tubulação de aço de grande porte, na Rua do Bom Pastor, em frente à Escola Municipal do Engenho do Meio. 

Ficarão sem água os bairros de Alto do Mandu, Apipucos, Casa Amarela (parte plana), Caxangá, Dois Irmãos, Engenho do Meio, Iputinga, Jaqueira, Jiquiá, Macaxeira, Mangueira, Monsenhor Fabrício, Monteiro, Poço da Panela, Roda de Fogo, San Martin, Santana, Torrões, Cidade Universitária, Várzea, Prado e a Mustardinha. Torre e Madalena também podem ser afetados, mas com queda de pressão da água. 

Os serviços são considerados de natureza complexa, tendo em vista a interferência de outras empresas prestadoras de serviços e, também, devido a necessidade da realização do escoramento do muro da Escola Municipal Engenho do Meio. A tubulação alvo do serviço mesmo tem 1.200 milímetros.

O trabalho está previsto para ser concluído na sexta (18), às 8h, com o devido reabastecimento das áreas afetadas. Em caso de dúvidas, a Compesa disponibiliza o número 0800-081-0195 para maiores informações.

 

14 DE OUTUBRO DE 2019. 

Blog Portal do Detalhe

Destaque

Compesa suspende operação na Barragem de Jucazinho

A operação do Sistema Jucazinho foi suspensa nesta tarde (12), pela Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa, para possibilitar a instalação de equipamentos que permitam captar o volume de água ainda existente na Barragem de Jucazinho, localizada em Surubim, que atingiu o seu volume morto. A medida é consequência da falta de chuvas na Bacia do Rio Capibaribe, no último inverno. A Barragem de Jucazinho é responsável pelo abastecimento de água de 15 cidades do Agreste. Com paralisação de hoje, 11 cidades da região tiveram o abastecimento suspenso. São elas: Riacho das Almas, Cumaru, Passira, Salgadinho, Casinhas, Surubim, Vertente do Lério, Santa Maria do Cambucá, Frei Miguelinho, Vertentes e Toritama. As três cidades restantes estão sendo atendidas por outro sistema.

Quando um manancial chega no estágio de volume morto não há mais como bombear água e direcioná-la para a estação de tratamento. Por isso, para aproveitar a água que se encontra abaixo do nível ideal de bombeamento, é necessário instalar uma captação flutuante, em Jucazinho.

Os serviços para instalação do equipamento já foram iniciados e como o trabalho é minucioso ainda não é possível determinar o prazo para conclusão das atividades e retorno do abastecimento para as cidades afetadas. Os técnicos da Compesa estimam que a ação seja concluída nos próximos dias.

A companhia pede a compreensão dos moradores das cidades atendidas pelo Sistema Jucazinho, lembrando que os invernos dos últimos anos não foram satisfatórios, e que a pouca existente na barragem é consequência do oitavo ano consecutivo de seca que passa o Agreste pernambucano. O calendário de distribuição de água será ajustado e divulgado, assim que o sistema voltar a operar.

A barragem de Jucazinho, que tem capacidade de armazenamento de 204 milhões de metros cúbicos de água, não acumulou água neste inverno e a Compesa está utilizando ainda a água que resta, acumulada no inverno do ano passado. O volume atual é de apenas 3,8 milhões de metros cúbicos, o suficiente, segundo a Compesa, por apenas cinco meses.

Jornal do Commercio

Cidades

Obra da Compesa interdita rua no bairro de Campo Grande

A previsão é de que a obra seja concluída em 45 dias            

A partir desta segunda-feira (14), a Rua Marques de Abrantes, no bairro de Campo Grande, na Zona Norte do Recife, será interditada para a realização de uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). De acordo com o órgão, o serviço compreende a implantação de 82 metros de rede coletora de esgoto. O trecho bloqueado fica entre as ruas Oliveira Fonseca e Mario Sete. A previsão é de que a obra seja concluída em 45 dias.

Obra

Os serviços serão feitos para aumentar a capacidade de coleta da rede de esgotamento sanitário do local. As tubulações, de 150 milímetros de diâmetro, serão trocadas a 1,5 metro de profundidade. O desvio do tráfego será feita pelas ruas transversais.

Jornal do Commercio

Cidades 

Obra da Compesa altera o trânsito de Candeias, em Jaboatão

O serviço tem início a partir das 22h desta sexta-feira

Uma obra de implantação de sistema de esgotamento sanitário interditará o sentido Recife da Avenida Castelo Branco, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR). A interdição tem início a partir das 22h da noite desta sexta-feira (11). A obra é promovida pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e tem previsão de conclusão na próxima segunda-feira (14).

A Compesa informou que cerca de 600 metros serão interditados entre as Ruas Aníbal Varejão e Jangadeiro. De acordo com o órgão, será necessário promover um desvio para acesso a Avenida Bernardo Vieira de Melo. No sentido subúrbio, o trânsito não será afetado. Os ônibus que transitam pelo local também terão seus itinerários alterados e seguirão o mesmo desvio indicado para os demais veículos.

 

02 DE OUTUBRO DE 2019. 

NE10

TV Jornal

Compesa diminui rodízio de água em municípios pernambucanos

Segundo a companhia, o sistema deve beneficiar cerca de 700 mil pessoas

O esquema começará a valer a partir desta quarta-feira (02) - Foto: Reprodução/ O Povo na TV/ TV Jornal Interior

A Companhia de Saneamento Básico (Compesa), anunciou que vai reduzir o rodízio de água nos municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda, a partir desta quarta-feira (02). O rodízio será de um dia com água e quatro sem. O maior volume de água é acumulado na barragem de Botafogo e deve beneficiar cerca de 700 mil pessoas.

Chuvas ajudaram

As fortes chuvas que caíram no mês de julho, na Região Metropolitana do Recife, contribuíram significativamente para o aumento da vazão do sistema que atende as cidades.

Segundo a Compesa, a vazão do sistema Botafogo passou de 1.100 litros por segundo para 1.500 litros por segundo. Isso melhorou a oferta de água para a área norte do Grande Recife.

Calendário completo

O calendário será divulgado na internet. Quem tiver dúvida, poderá entrar em contato através do número 0800 081 0185 ou pelo site da Compesa (adiciona o link no nome Compesa).

 

Jornal do Commercio

Cidades

Alívio no abastecimento de água para 700 mil pessoas do Grande Recife

Moradores de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima que ficavam seis dias por semana sem fornecimento vão passar a ter quatro dias sem água. 

O principal motivo foi a intensidade das chuvas durante o inverno, que aumentaram os níveis do Sistema Botafogo

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou nesta terça-feira (1º) que vai reduzir o rodízio de distribuição de água para a população de Olinda, Paulista, Abreu e Lima e Igarassu que mais sofre com a escassez. 

As casas que passavam seis dias por semana sem água vão, a partir desta quarta-feira (2), passar quatro dias. O novo esquema vai beneficiar cerca de 700 mil pessoas. Os moradores podem conferir o calendário pelo site oficial da Compesa.

O principal motivo foi o aumento dos reservatórios do Sistema Botafogo, que abastecem as quatro cidades. Por conta da intensidade das chuvas, especialmente em julho, os níveis de água saltaram de 10% em março deste ano, quando a barragem operava em ponto crítico, para 66% em agosto, o maior percentual desde 2012. Setembro fechou em 62%, de acordo com a Companhia. 

Com isso, será possível captar por volta de 400 litros por segundo a mais, aumentando a vazão para os municípios.

A demanda acrescida, no entanto, não oferece risco de esgotar a reserva, garantiu o diretor técnico e de engenharia da Companhia, Rômulo Aurélio Souza. “Os modelos matemáticos que a gente utiliza nas nossas áreas de controle operacional é o mesmo que a APAC trabalha. Nós realizamos simulações de doze meses, captando essa vazão que a gente vai retirar, e nos dá a segurança de que essa barragem não vai entrar em colapso antes do próximo inverno”, afirmou.

 

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Compesa aumenta tempo de abastecimento de água em alguns municípios

A diminuição do tempo de espera pelo abastecimento ocorre em Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou que haverá uma redução no rodízio de água nos municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista e Olinda. A diminuição foi estabelecida dentre alguns fatores, graças às recentes chuvas que atingiram a Região Metropolitana do Recife (RMR) e ocasionaram o aumento do volume de água na Barragem Botafogo.

Após as fortes chuvas, houve um aumento substancial no volume reservado na barragem, que até o mês de agosto chegou aos 77% da capacidade total. Diante desse cenário, o Governo do Estado de Pernambuco solicitou à Compesa um estudo sobre a possibilidade da melhoria no abastecimento da Região Norte, que de acordo com o órgão é a região mais crítica no quesito abastecimento de água da RMR.

A Companhia analisou as condições estabelecidas e observou durante uma semana como funcionaria uma possível redução. Com o aumento do abastecimento, os rodízios que antes funcionavam no esquema um dia com água e seis sem água, passarão a ser de um dia com água e quatro sem água.

Durante a ação, cerca de 700 mil pessoas serão beneficiadas. Mas, no modelo atual, 200 mil pessoas já utilizam um esquema de abastecimento diferenciado. Aproximadamente 40 mil tem água todos os dias nas torneiras, e os outros 160 mil restantes utilizam o estilo 3x3, que consiste em três dias com água e três dias sem.

Segundo Rômulo Aurélio, diretor técnico e de engenharia da Compesa, a implantação desse projeto será positiva para a população. “É uma melhoria porque conseguiremos reduzir substancialmente o rodízio para melhorar a condição atual e fazer com que a população aos poucos consiga ter realmente água todos os dias”, afirmou.

Ainda de acordo com o diretor, um estudo minucioso foi feito para que a ação não entre em colapso e seja interrompida. “Realizamos algumas simulações com modelos matemáticos assim como a Apac trabalha, e isso nos deu a segurança de mantermos esse esquema até o inicio da próxima quadra chuvosa de 2020 sem maiores problemas.”

A Companhia informou que outras obras estão sendo planejadas e licitadas para resultar em uma melhoria completa da distribuição. Os técnicos estão tomando como base o fornecimento de água da adutora do Alto do Céu, que leva mais de 200 litros de água por segundo para Olinda.

A população pode conferir o calendário que está disponível no site da Compesa para saber mais detalhes sobre os dias de abastecimento de água no seu município.

 

Blog OP 9 (TV CLUBE)

Notícias

Paulista, Olinda, Igarassu e Abreu e Lima com mais água nas torneiras

A partir desta quarta-feira (2), 700 mil moradores das quatro cidades terão um dia de abastecimento d’água para quatro dias sem água

Quatro cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) terão racionamento reduzido.

Cerca de 700 mil moradores de Paulista, Olinda, Igarassu e Abreu e Lima vão ser beneficiados com a redução no rodízio do fornecimento d’água na Região Metropolitana do Recife (RMR). A partir desta quarta-feira (2), os quatro municípios terão um dia de abastecimento para quatro dias de torneiras secas. Antes disso, o regime era de um dia com água e seis dias sem.

O novo calendário de abastecimento foi divulgado pela Compesa nesta terça-feira (1º). O reforço só foi possível porque houve um aumento no volume de água na Barragem de Botafogo.

Em março de 2019, a barragem alcançou o nível mais crítico, com apenas 10% da capacidade. Graças às chuvas de julho, o nível subiu para 62% da capacidade.

 G1

Caruaru e Região

Celpe realiza projeto 'Energia com Cidadania' em Quipapá

Iniciativa promove troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia.

Iniciativa vai promover troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) está realizando o projeto Energia com Cidadania em Quipapá, na Mata Sul de Pernambuco. O projeto vai acontecer até a sexta-feira (4).

A iniciativa promove troca de lâmpadas LED, orientações e palestras sobre consumo eficiente de energia, além de atendimentos comerciais para a negociação de dívidas, inscrição na Tarifa Social de Energia Elétrica e segunda via de boletos.

Os moradores que desejarem fazer a troca de lâmpadas devem levar no máximo cinco lâmpadas fluorescentes, incandescentes ou halógenas, estar cadastrado na Tarifa social de Energia, levar a fatura paga do mês de setembro e não ter recebido o benefício antes.

O evento está acontecendo na Praça Fernando Pessoa de Melo, a partir das 8h às 12h e das 13h às 15h.

Serviço

Projeto Energia com Cidadania em Quipapá

Data: até 4 de outubro

Hora: das 8h às 12h e das 13h às 15h.

Local: Praça Fernando Pessoa de Melo.

 

01 DE OUTUBRO DE 2019. 

Blog Nada Mais

Economia

ANEEL divulga bandeira amarela e prevê luz mais barata em outubro

Depois de dois meses seguidos no vermelho, a ANEEL divulga que bandeira tarifária para outubro será amarela. Conta deve ficar mais branda

A Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL – divulgou nesta segunda-feira (30) que a bandeira tarifária em outubro de 2019 será amarela. Significa custo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. A boa notícia é que nos próximos meses a situação pode melhorar para o consumidor, com tarifas um pouco mais baixas.

Isto porque outubro, de acordo com a ANEEL, é considerado mês de transição entre estação seca e início de período úmido, daí a bandeira amarela. A previsão é que ocorra elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, pois se espera mais chuva do que se tem visto. A elevação do volume de água nos principais reservatórios significa redução de custos de geração de energia, economia que proporcionalmente será sentido no bolso do consumidor. Conforme se armazena, o custo reduz.

É a combinação da redução dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) com a preço da energia (PLD) que determina a cor da bandeira a ser acionada. O sistema de bandeiras visa a mostrar o custo real da energia gerada. Com ele, o consumidor pode ter ideia do bom uso da energia elétrica.

As bandeiras tarifárias funcionam com as cores verde, amarela ou vermelha. Servem para indicar se a energia terá custo maior ou menor, conforme as condições de geração.

NE10

Cidades

Obra da Compesa interdita trecho de avenida em Jaboatão dos Guararapes

A partir desta terça-feira (1), às 9h, a Avenida Bernardo Vieira de Melo (sentido Recife) receberá intervenções para o assentamento de 800 metros de tubulações de esgoto.

A partir desta terça-feira (1), às 9h, em Jaboatão dos Guararapes, a Avenida Bernardo Vieira de Melo (sentido Recife) receberá intervenções para o assentamento de 800 metros de tubulações de esgoto. De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), as duas faixas da direita serão bloqueadas a partir do Banco do Nordeste até a Go Temakeria. Os motoristas devem ficar atentos à sinalização. 

As obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Jaboatão dos Guararapes, nessa etapa, já alcançaram mais de 80% de realização. As intervenções nesse trecho da Avenida Bernardo Vieira de Melo prosseguem até o mês de dezembro deste ano.

Sistema de Esgotamento Sanitário

A  iniciativa faz parte da primeira etapa da ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Jaboatão dos Guararapes, empreendimento iniciado em maio de 2017 e  que, segundo a Compesa, já  concluiu o assentamento  de 80% do total de 61 mil metros de rede coletora prevista. A obra recebe o investimento de R$ 85 milhões, por meio do Programa Cidade Saneada, beneficiando 73 mil pessoas nos bairros de Candeias, Piedade e Barra de Jangada.

O novo sistema ainda contará com uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que está sendo construído na Rua Corumbá, no bairro de Candeias, além de cinco estações elevatórias (bombeamento). Essa etapa da obra tem previsão de término em fevereiro do próximo ano.

Rádio Fandango

Ultimas noticias

Bandeira tarifária nas contas de energia de outubro será amarela, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou  que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos.

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

 

30 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diário de Pernambuco

Vida Urbana 

Serviço Compesa regulariza abastecimento após obra emergencial na Adutora de Tapacurá

O abastecimento foi regularizado em áreas do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe.

A previsão inicial era de o serviço ser finalizado às 17h desta segunda-feira (30), mas, após 24 horas de trabalho ininterrupto, a equipe concluiu o trabalho por volta de 12h do sábado. Segundo informações da Compesa, com o término da obra foi liberado o enchimento da adutora e a partir da meia noite deste domingo (29), o abastecimento foi retomado de forma gradativa. A Compesa ressaltou, no entanto, que nas áreas de rodízio, a distribuição de água ocorrerá de acordo com o calendário.

O abastecimento de água em áreas do Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe foi restabelecido neste sábado (28) pela Compesa, após a companhia realizar obra para reparar um vazamento em um trecho da Adutora de Tapacurá. O serviço foi realizado em uma tubulação em aço e de grande porte, de 1.600 milímetros, localizada na BR-408, próximo ao condomínio Alphaville, em Jaboatão dos Guararapes. 

 

Agência Brasil

Economia 

Bandeira tarifária de outubro será amarela, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde de hoje (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos. 

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota. Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

 

27 DE SETEMBRO DE 2019.

Jornal de Caruaru

Local

Compesa não cumpre calendário de abastecimento de água na parte alta do bairro José Carlos de Oliveira

Moradores contam que não receberam uma gota sequer de água.

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) não honrou o seu compromisso estabelecido no calendário de abastecimento de água de Caruaru para o mês de setembro no bairro José Carlos de Oliveira.

Moradores da Rua Rosália Ferreira/Zadir Barbosa de Oliveira disseram ao Jornal de Caruaru que o abastecimento que estava previsto para acontecer nos dias 24, 25, 26, 27 e 28 não aconteceu e várias famílias ficaram sem o liquido precioso, tendo que esperar quase vinte dias para que a Compesa envie um caminhão pipa.

A Rua Rosália Ferreira/Zadir Barbosa de Oliveira, é integrante da parte oeste de Caruaru 2 (Setor 4) juntamente com os bairros Maria Auxiliadora (parte alta), Boa Vista I e II (COHAB 1 e 2), Três Bandeiras, Nova Caruaru, Jardim Panorama, Vila Andorinha, Caruá, Baraúnas, Mandacaru, Novo Mundo, Demóstenes Veras, José Carlos de Oliveira (parte alta), Ramiro de Souza, Jardim Boa Vista , Severino Afonso, Residencial Vitória, Parque Real, Residencial Ipojuca, Residencial Xique Xique, Santos Dumont, João Batista, Pinheirópolis (Vila dos Oficiais), Rendeiras (parte baixa), Loteamento Paraíso, Morada Nova, Serranópolis, Loteamento São José, Luiz Gonzaga, Fernando Lira, Polo Caruaru UFPE, Alphaville, Hospital Mestre Vitalino, Parque da Cidade Jardim dos Coqueiros, Portal do Sol Vassoural (parte alta), Rosanópolis, UPA, Parte do Petrópolis (ruas: 1ª TV, 2ª TV, 3ª TV e Rua Prof. Adelia Leal, Manoel Lopes, Henrique Soares, Sta Catarina, Cristo Rei, Sanharó, 2ª TV Cícero José Dutra e Teófilo Otoni) Adalgisa Nunes 3 e 4 e Residencial Wirton Lira.

Nem vale a pena a gente comentar, novamente aqui, que a Compesa não cumpre com o que diz. Todo mundo sabe que a Compesa é campeã de reclamações por não manter a palavra em anda. E o caso parece que piora, todas vez que se troca a diretoria.

Blog de Jamildo

Noticias 

Copergás bate mais um recorde na distribuição

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) bateu recorde, na distribuição de gás natural não térmico.

A Companhia atingiu a expressiva marca de 1.557 mil m³/dia de gás natural não térmico comercializado no último mês de agosto. O não térmico engloba os segmentos de mercado residencial, comercial, veicular, industrial e cogeração atendidos pela estatal pernambucana.

De acordo com a estatal, o segmento veicular atingiu 301 mil m3/d em agosto de 2019, patamar alcançado pela primeira vez na história da Copergás.

“O resultado, fruto do empenho e trabalho de todos os colaboradores da companhia, representa um crescimento de 6,82% nos números totais de venda da empresa, se comparado ao mesmo período do ano passado. Os números são importantes, pois revelam a nossa preocupação em atuar como agente indutor do desenvolvimento de Pernambuco. O gás natural aumenta a competividade da nossa economia em todas as áreas em que é utilizado”, observa o diretor presidente da Companhia, André Campos.

“A conquista vem para mostrar que a Copergás segue bastante ativa no mercado, ampliando a infraestrutura necessária, gerando segurança, confiabilidade e competitividade a todos os seus clientes. A Copergás proporciona conforto, segurança e economia aos usuários, possibilitando que o mercado consumidor de Gás Natural do Estado de Pernambuco se desenvolva e cresça a níveis superiores a diversos estados da nação”, diz o supervisor da GCVI, Bruno Sousa.

Canal Energia

Noticias

Aneel libera operação comercial de solar em Pernambuco

Agência também autoriza testes em eólicas no RN e MA

A Agência Nacional de Energia Elétrica liberou nesta quinta-feira, 26 de setembro, o começo da operação comercial da unidade geradora UG1 da UFV Fazenda Esmeralda. A usina fica localizada na cidade de Agrestina, em Pernambuco.

A Aneel também liberou o começo da operação em teste das unidades UG10 a UG12 da EOL União dos Ventos 15, com 2,6 MW cada. A usina fica em São Miguel do Gostoso (RN). quem também já pode operar em teste é a unidade UG7, de 2,7 MW da EOL Delta 7 II Energia, que fica na cidade de Paulino Neves, no estado do Maranhão. Outra usina liberada para testes foi a UTE Canutama – COE, na cidade de mesmo nome, no Amazonas. As unidades UG1 a UG7 somam 5,4 MW de capacidade.

Diário Digital

Geral

Agepan e Aneel avaliam plano de concessionária para melhorar serviços

Plano proposto pela Energisa MS nos temas faturamento, religação e geração distribuída é analisado pelas agências reguladoras.

Agepan e Aneel avaliam plano de concessionária para melhorar serviços.

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan), em conjunto com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), analisa a proposta de Plano de Resultados da concessionária Energisa MS em relação ao diagnóstico técnico realizado no âmbito das atividades de Análise dos Serviços de Distribuição para o biênio 2019-2020. As agências estão definindo a metodologia de acompanhamento das ações contidas na proposta que visa melhoria do atendimento ao usuário nos três temas indicados: faturamento, religação e geração distribuída. Integrantes da Câmara Técnica de Energia, da Diretoria de Gás e Energia, participaram neste mês de setembro, de reunião na Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade, da Aneel.

A equipe levou para discussão com a SFE o Plano de Resultados proposto pela distribuidora. A Análise dos Serviços de Distribuição foi realizada pela Agepan por meio de Relatórios Analíticos para os temas selecionados para a concessionária com base no monitoramento da Aneel. Essa análise considerou o total de reclamações, as reclamações procedentes e indicadores técnico-comerciais, em que foram diagnosticados os serviços com maiores problemas e necessidade de ajustes. Após os relatórios de análises, a distribuidora elaborou o Plano de Resultados, onde propõe ações e investimentos para melhoria dos serviços e redução nos valores dos indicadores para níveis satisfatórios.

O Plano será acompanhado pela Agepan no período de um ano, com verificação do andamento das providências propostas e os respectivos compromissos na melhoria da qualidade do serviço. Ao fim desse período, os temas que não obtiverem os resultados esperados serão sujeitos a fiscalização específica da agência estadual. Após a reunião realizada com a Aneel, a equipe técnica e da diretoria de Gás e Energia terá na próxima semana nova discussão técnica com a concessionária para a definição dos indicadores, o aceite do plano e o início de sua execução e acompanhamento.

 

24 DE SETEMBRO DE 2019. 

Jornal do Commercio

Cidades

Tubulação se rompe e cria 'piscina' na Presidente Kennedy, em Olinda

Trânsito ficou lento no trecho próximo ao Ciretran, em Peixinhos

Moradores mergulham no buraco e protestam, na manhã desta segunda-feira

Um cano da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) se rompeu e criou um cratera na Avenida Presidente Kennedy, no bairro de Peixinhos, em Olinda, Região Metropolitana do Recife (RMR). O incidente ocorreu na manhã desta segunda-feira (23) e deixou o trânsito lento no trecho entre as ruas Débora Régis de Carvalho e Rua João Guimarães, próximo ao Ciretran. Com o rompimento do cano, moradores da localidade estão sem abastecimento de água.

De acordo com Seu Marcos, comerciante local, o buraco atrapalha no fluxo de clientes, que já ficam com o pé atrás enquanto a localidade. " Devido a esse transtorno que acontece, nosso comércio não só fica fechado, como você conta a dedo os comércios para alugar. Quando o cliente liga para minha loja, ele pergunta logo: 'tem água ai? tem buraco? vamos afundar?'", relata.

Além do problema no trânsito, o rompimento da tubulação vem causando falta de abastecimento de água nas casas de moradores do bairro. Segundo os populares, o problema já persiste por mais de 15 dias, antes mesmo do rompimento do cano.

Faxaju

Noticias

SERGIPE PARTICIPA ENCONTRO NORDESTINO DE EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE GÁS

O segmento de distribuição de gás do Nordeste se reuniu nesta quinta-feira, 19, em Natal, no Rio Grande do Norte. O encontro contou com dirigentes de sete concessionárias de gás. Estavam presentes o estado do Ceará (Cegás), Rio Grande do Norte (Potigás), Paraíba (Pbgás), Pernambuco (Copergás), Alagoas (Algás), Sergipe (Sergás) e Bahia (Bahiagás) que discutiram temas como o Novo Mercado de Gás no Brasil, desafios regulatórios e a política setorial de gás natural para o Nordeste. Também integrou a pauta o andamento da Chamada Pública para compra do suprimento que irá possibilitar a competitividade do combustível.

O encontro aconteceu no salão de eventos do Hotel Barreira Roxa e contou com a participação da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, que na abertura destacou a relevância das companhias estaduais de gás para o desenvolvimento da região Nordeste. “Estamos diante da abertura do novo mercado de gás, por isso a importância de fazermos essa discussão, não só do ponto de vista do Rio Grande do Norte, mas do ponto de vista regional”, disse.

A governadora disse ainda que “o Rio Grande do Norte tem grande produção na área de gás e o que nós esperamos e estamos lutando é que o novo mercado traga redução de preços para o consumidor, e que promova o desenvolvimento do nosso Estado e da região Nordeste com a geração de novos empregos”, afirmou. Fátima Bezerra também colocou para os dirigentes das companhias de gás, dirigentes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS) que “é preciso conhecer e assegurar os compromissos das empresas que entrarão para o mercado de gás com o nosso povo”.

O  diretor da ANP, Cesário Cecchi, essa reunião em Natal será repetida em outras oportunidades defendendo  “ajustes entre as regulações federal e estaduais, em função dos elos da cadeia que a indústria de gás compõe. E se um elo falha, tanto a montante quanto a jusante, o processo não se conclui. Então, é necessário harmonia entre a regulação federal e a regulação dos estados”.

Já o senador Jean Paul Prates informou que não soube acerca da definição de compromisso em manter a malha de dutos de gás no Nordeste, assim como da venda por parte da Petrobras.

“Também não tive conhecimento sobre o compromisso para expansão. Não ouvi nada sobre isso. Portanto, é muito importante que o Nordeste esteja unido. Nossas personalidades são específicas, mas nossas distribuidoras têm uma história em comum, sócios, configurações e um modelo tripartite, formado pelo governo, Petrobras e empresa privada. E essa história em comum deve promover um futuro em comum diante dos desafios de negociações e novas descobertas”.

O diretor presidente da Sergipe Gás, Valmor Barbosa, fez uma explanação do quadro vivenciado pela companhia em Sergipe. Ele também questionou e solicitou ao diretor da ANP presente no evento, algumas demandas pertinentes a Sergas. A primeira delas foi no sentido de que o gás produzido em Sergipe, seja priorizado para a distribuidora local. De sorte que a Petrobrás retire o volume de gás necessário para reinjeção, queima e consumo próprio, o excedente forneça a Sergas. A segunda solicitação refere-se que a ANP autorize a Petrobrás a realizar pequenas modificações operacionais, passando do duto de transporte para a rede de distribuição da Sergas, com isso, não pagaríamos o transporte. Diante dessa aprovação, teríamos condições para diminuir a tarifa.   Cesário Cecchi achou razoável as demandas apresentadas por Valmor Barbosa e solicitou que formalizasse através de ofício para fins de avaliação dos pleitos.

Portal Solar

Blog Solar

Aneel promete mais rigor na disputa entre elétricas e investidor de Geração Distribuída

Representantes do setor argumentam que as concessionárias de distribuição estariam atrasando a adesão de clientes à tecnologia ou mesmo travando alguns processos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou que vai atuar mais forte na disputa entre elétricas e investidor de geração distribuída (GD). Hoje, representantes do setor argumentam que as concessionárias de distribuição estariam atrasando a adesão de clientes à tecnologia.

A regulamentação da Aneel que permite que a produção desses sistemas seja abatida da conta de luz e a forte alta das tarifas elétricas nos últimos anos têm atraído cada vez mais consumidores para a energia solar. Porém, do ponto de vista das distribuidoras, a migração para a modalidade traz custos extras devido ao grande crescimento desse mercado. Isso porque o uso desses sistemas depende de uma liberação de acesso à rede pelas distribuidoras, o que muitas vezes tem levado prazos bem acima do previsto.

“Existem muitos casos, envolvendo descumprimento de prazos e, às vezes, exigências, por parte das distribuidoras, além do que os geradores entendem como razoáveis. Estamos analisando caso a caso, atuando, porque todos prazos são previstos em norma, e a distribuidora tem de cumprir”, disse o diretor da Aneel, Rodrigo Limp.

Em junho, o Brasil atingiu a marca de mais de 1 gigawatt em sistemas de GD operacionais, que atendem 114,3 mil unidades consumidoras. As soluções de GD reúnem mais de 10 mil empresas no Brasil e recebeu R$ 5,5 bilhões em investimentos desde 2012.

Segundo Limp, o crescimento acelerado levou a Aneel avaliar mudanças nas atuais regras para esses sistemas, com previsão de que uma nova regulamentação entre em vigor no primeiro semestre de 2020 para novas instalações, enquanto unidades já operacionais até essa data terão um prazo extra sem alterações, que deverá ser de cerca de dez anos.

Hoje, toda a energia gerada pelas instalações por meio de placas fotovoltaicas é descontada da conta de luz do consumidor-gerador. A proposta da Aneel, em discussão, é de que a partir de determinados patamares em termos de sistemas instalados a regra mude e alguns custos gerados pela GD sejam abatidos dos créditos gerados para esses consumidores.

Essa possível mudança tem gerado uma corrida pela conclusão de instalações, o que aumenta a frustração de empreendedores de GD, alegando que as distribuidoras são resistentes a autorizar que clientes adotem os sistemas.

A consultora Barbara Rubim, da Bright Strategies e vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), disse que a entidade criou um canal de ouvidoria para registrar queixas contra as distribuidoras, com o registro de mais de 400 reclamações em seis meses.

Segundo ela, os consumidores relataram dificuldades para obter respostas adequadas do regulador, e citou exemplo de uma queixa protocolada em setembro do ano passado e ainda sem resposta.

Em relação a essa questão, Limp, da Aneel, afirmou que a agência pretende tornar “mais rígidos” alguns pontos da regulamentação para evitar os descumprimentos de prazos e regras pelas distribuidoras quando publicar as mudanças na regulamentação do segmento de GD.

Canal Energia

Politica

Aneel constitui comissão para coordenar leilões e concessões públicas do setor

Comissão Especial de Licitação (CEL) ficará responsável por todas providências necessárias à realização dos processos de contratação de energia, serviços e à emissão dos atos administrativos correspondentes

A diretoria da Aneel anunciou a nova constituição da Comissão Especial de Licitação – CEL para coordenar os processos de realização dos leilões para contratação de energia elétrica e dos serviços públicos de transmissão e distribuição, além da outorga à hidrelétricas e chamadas públicas de geração e certames que envolvem eficiência energética. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 23 de setembro, por meio da portaria nº 6.012, assinada pelo Diretor-Geral da Agência, André Pepitone.

De acordo com o documento, estão incluídos os leilões de novos empreendimentos para o Sistema Interligado Nacional – SIN, abarcando os projetos estruturantes no Ambiente de Contratação Regulada – ACR, de energia reserva, fontes alternativas e contratação de geração existente. Também estão inclusos os certames para contratação de eletricidade e potência associada nos sistemas isolados e para os serviços públicos de transmissão, com a construção e a manutenção das instalações da rede básica do SIN.

Outros processos contemplados são as outorgas de concessões de usinas hidrelétricas submetidas ao regime de alocação de cotas de garantia física e da área de distribuição, além das chamadas públicas relacionadas à geração e transmissão, dos mecanismos competitivos de descontratação de energia e dos leilões de eficiência energética.

Caberá a CEL adotar todas providências necessárias à realização dos leilões e à emissão dos atos administrativos correspondentes, analisando contribuições, pedidos de esclarecimentos e recursos, cumprindo os prazos e condições estabelecidos no cronograma dos editais. Solucionar eventuais divergências decorrentes da interpretação  ou aplicação de disposições dos documentos também será de responsabilidade do órgão.

A Comissão será presidida pelo Especialista em Regulação e Gerente Executivo da Secretaria Executiva de Leilões, Romário de Oliveira Batista, seguido por seu Vice-Presidente, André Luiz Tiburtino da Silva. A equipe de regulação contará com cinco especialistas, enquanto a área de apoio administrativo terá três técnicos.

 

18 DE SETEMBRO DE 2019.

Folha de Pernambuco

Cotidiano

Obra emergencial da Compesa vai interditar ruas no bairro do Parnamirim

A obra terá inicio na noite desta terça-feira (17), e a previsão das equipes da Compesa é de que o serviço seja finalizado na próxima sexta-feira (20)

Serão instaladas tubulações na rua Pedro Roma a partir das 22h desta terça-feira (17)

A partir das 22h desta terça-feira (17), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) dará início a uma obra emergencial para recuperação da rede coletora de esgoto no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife.

As equipes da Compesa começam as intervenções na rua Padre Roma, nas proximidades da Praça Melvin Jones, local onde serão substituídos cerca de quatro metros da tubulação situada a quase cinco metros de profundidade.

Durante o serviço de manutenção serão bloqueadas a rua São Sebastião, no cruzamento com a rua Padre Roma, e uma das faixas da Padre Roma. Os motoristas que trafegam nessa área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

NE10

Notícias

Compesa realiza obra em esgoto na Zona Norte do Recife e interfere em trânsito

As intervenções começam nesta terça-feira (17), a partir das 22h

Os motoristas que trafegam na área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito.

A Compesa irá iniciar uma obra emergencial para a recuperação de um trecho da rede de esgoto na Rua Padre Roma, no bairro do Parnamirim, na Zona Norte do Recife. As intervenções começam a partir das às 22h, desta terça-feira (17), nas proximidades da Praça Melvin Jones. A intenção é substituir cerca de quatro metros da tubulação que está situada a quase cinco metros de profundidade. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

Interdição

Para realizar os serviços de manutenção, será feito o bloqueio da Rua Padre Roma, que também terá uma das faixas interditadas, no cruzamento com a Rua São Sebastião.

Atenção

Os motoristas que trafegam na área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito.

Diário de Pernambuco

Local

Obra emergencial interditará Rua no Parnamirim nesta terça-feira

Uma obra emergencial para recuperação de um trecho da rede coletora de esgoto no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife, será iniciada nesta terça-feira (17) à noite. As equipes da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) começam as intervenções, às 22h, na Rua Padre Roma, nas proximidades da Praça Melvin Jones.

Serão substituídos cerca de quatro metros da tubulação (250 milímetros de diâmetro) que está situada a quase cinco metros de profundidade. Para realizar os serviços de manutenção, será feito o bloqueio da Rua São Sebastião no cruzamento com a Rua Padre Roma - havendo a necessidade de interditar também uma das faixas da Padre Roma. 

Dessa forma, os motoristas que trafegam nessa área devem seguir a sinalização para realizar os desvios no trânsito. A previsão dos técnicos é que os serviços sejam finalizados até a próxima sexta-feira (20).

 

16 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diário de Pernambuco

Local

Operação Celpe vai retirar fiação irregular de 88 postes na Avenida 17 de Agosto

Companhia já removeu cerca de 16 toneladas de fios clandestinos no Grande Recife neste ano. 

Técnicos da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) iniciaram, nesta segunda-feira (16), uma operação para remover fiação irregular de telefonia dos postes na Avenida 17 de Agosto, que cruza os bairros de Casa Forte, Parnamirim, Santana, Poço da Panela e Monteiro. A ação prosseguirá até 30 de setembro. As equipes vão percorrer 88 postes com o objetivo de assegurar o cumprimento das normas técnicas de segurança estabelecidas com as empresas de telefonia e internet para instalação de cabos nos postes da distribuidora.

"Após informar preventivamente às empresas responsáveis sobre a necessidade de ordenamento dos fios e não identificar avanços por parte dos provedores, a distribuidora deve realizar a operação que, apenas em 2019, já retirou mais de 16 toneladas de cabos instalados clandestinamente e irregularmente nos postes em todo o Estado. As empresas comunicadas que não cumpriram o prazo de adequação determinado pela concessionária terão as redes irregulares removidas", informou a Celpe, em comunicado à imprensa.

"Em caso de necessidade de instalação de cabos de telefonia e internet, a autorização é condicionada à regularização com a distribuidora, por meio de contrato de uso mútuo preestabelecido. A partir disso, a empresa provedora pode instalar os fios, sempre obedecendo as normas técnicas de segurança e conformidade determinadas pela Celpe", segue a nota.

Segundo a concessionária de energia, o fornecimento para as localidades que circundam a 17 de Agosto não deve ser afetado, mas, por se tratar de região com hospitais, lojas e museus, a Celpe ressalta que em caso de instabilidade nos serviços de telefonia e internet, o cliente deve entrar em contato com a empresa responsável pela rede, para que sejam feitas as devidas correções.

 

13 DE SETEMBRO DE 2019. 

Folha de Pernambuco

Economia

Celpe dá descontos de 50% para painel solar

Empresa vai subsidiar a compra dos sistemas a partir de segunda. Até 2020, meta é atender 500 clientes em Pernambuco.

O projeto é viabilizado por meio do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

Para ter acesso ao desconto, é preciso se inscrever no site ww.neoenergiasolar.com/celpe. O primeiro lote será aberto já na segunda-feira, com 150 sistemas disponíveis, e os demais lotes terão suas datas divulgadas posteriormente pela Companhia. No programa serão disponibilizados quatro kits de sistemas, onde o consumo médio varia de 350 a 650 kWh por mês, que proporcionam uma economia de até 90% na conta de energia, com um investimento que varia de R$ 5.619 a R$ 9.963.  Os municípios que serão contemplados pelo programa são Jaboatão dos Guararapes, Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ipojuca, Moreno, Olinda, Paulista, Recife e São Lourenço da Mata. A Gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Mascarenhas, destaca que as solicitações para o projeto vão passar por uma análise de cadastro e técnica. “Só os consumidores residenciais podem participar do projeto e a gente tem um limite de 500 sistemas. Vamos abrir lotes de inscrição, lotes de 150 vagas, as pessoas se inscrevem e vamos avaliar se o telhado atende, se o WiFi é correto, o quadro de energia, se tiver tudo certo ele é liberado, assina um contrato, paga 50% do valor via boleto, e o restante é pago pela Celpe”, disse a Gerente.  Caso o cliente não consiga o cadastro para o primeiro lote do programa, Ana Mascarenhas recomenta que a inscrição seja feita para receberem uma notificação informando a data do próximo lote. “As pessoas precisam ficar atentas porque quando fechamos o lote, não tem como fazer, só quando liberar. É importante fazer esse cadastro, mesmo que a inscrição fique fechada, mas para avisarmos o próximo lote”, reforçou. Com o recurso, o cliente de geração distribuída tem o sistema conectado à rede elétrica da Celpe, e a energia gerada é consumida diretamente na unidade, e convertendo em créditos para as próximas contas. 

Jornal do Commercio

Noticias

Moradores do Cordeiro denunciam vazamento em cano da Compesa

Os moradores da Rua Antero Mota temem ainda que o asfalto da via ceda por causa do vazamento. Vazamento já acontece há mais de uma semana.

Uma moradora do bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, entrou em contato com a produção da TV Jornal para denunciar um vazamento de água na Rua Antero Mota.

De acordo com ela, o vazamento é de um cano da Compesa  que está derramando água limpa há mais de uma semana. Além da denúncia de desperdício, os moradores ainda temem que o asfalto da rua ceda por causa do cano estourado, uma vez que a água está vazando pelo pavimento.

 

12 DE SETEMBRO DE 2019. 

OP9

Noticias

Obra suspende abastecimento de água em quatro cidades da RMR

Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima serão afetadas. Previsão é de que o serviço seja normalizado nesta quinta-feira (12).

Localidades atendidas pelo Sistema Botafogo serão afetadas pelo desabastecimento. Uma obra emergencial da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) precisou suspender o abastecimento de água nas cidades de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. O reparo se destina ao conserto de um vazamento ocorrido em um trecho de uma adutora de grande porte do Sistema Botafogo, na Estrada de Monjope, em Igarassu.

Segundo o gerente de produção da Compesa, Euris Oliveira, os serviços são de natureza complexa e por isso os técnicos da companhia estão realizando uma força-tarefa. A previsão que o sistema volte a funcionar plenamente nesta quinta-feira (12), permitindo a retomada da distribuição de água. Inicialmente, os reparos estavam previstos para terminar as 12h da quarta-feira (11).

A obra começou na terça-feira (10) e apenas algumas áreas das quatro cidades seriam afetadas. Mas em função do rodízio e como as intervenções precisaram ser prorrogadas, todas as cidades atendidas pelo Sistema Botafogo tiveram o abastecimento de água comprometido. Após a conclusão dos serviços, a Compesa retomará a distribuição de água, obedecendo ao calendário de cada localidade.

Econômico Valor

Economia

Aneel diz que não cria regra para custo de consumidor que gera energia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não tem o papel de formular políticas públicas para definir uma maior alocação de custos relacionados à geração distribuída aos consumidores de energia, disse Rodrigo Limp, direto.
Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link www.valor.com.br/brasil/6430819/aneel-diz-que-nao-cria-regra-para-custo-de-consumidor-que-gera-energia ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Canal Energia

Politica

Aneel estuda permitir troca de créditos de GD entre distribuidoras

Medida poderia ser implementada já em 2020; venda de excedentes também está no radar da agência. Wagner Freire, da Agência CanalEnergia, de São Paulo (SP).

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estuda permitir que consumidores troquem créditos de geração distribuída entre diferentes áreas de concessão, deste que as distribuidoras estejam no mesmo estado. Em evento em São Paulo nesta quarta-feira, 11 de setembro, o diretor da Aneel Rodrigo Limp disse que esse é um dos aprimoramentos que podem ser incorporados na proposta de revisão da Resolução Normativa n° 482/12.

Caso a proposta prospere, um consumidor que tenha sistema de geração instalado na área da EDP São Paulo poderá compensar créditos de energia em uma outra unidade na área da Enel São Paulo. Pela regra atual, essa troca de créditos não é possível. Logo, um consumidor que tenha uma casa no litoral paulista com um sistema solar instalado não pode utilizar os créditos para compensar o consumo em um apartamento do mesmo proprietário na capital. Esse é um dos pleitos defendidos há anos pela Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen).

Em 2019, a Aneel tem interagido com os agentes para definir uma regra para geração distribuída que não transfira custos para os demais consumidores da rede elétrica e garanta a continuidade do negócio de GD. Em meados de outubro, a agência pretende abrir uma nova etapa de discussões. Os agentes terão um prazo de 60 dias para fazer as contribuições. A ideia é que o novo regulamento esteja aprovado até meados de março de 2020.

Para Limp, essa é uma proposta que tem boas chances de ser implementada. Outra proposta, um pouco mais difícil de prosperar nesse momento, seria permitir que os ‘prosumidores‘ comercializassem o excedente de energia.

“Na medida em que a gente vai cobrar pelo uso da rede, temos que buscar o leque de possibilidade para a geração distribuída. Entendemos que os dois são caminhos possíveis, a troca de crédito entre distribuidoras do mesmo estado e a venda de excedentes”, disse o diretor durante evento promovido pelo escritório de advocacia Souto Correa.

“A comercialização de excedentes é um desafio, mas tenho convicção de que isso no futuro vai acontecer... Não sei se nessa revisão da norma vamos conseguir avançar nesse ponto”, disse Limp.

 BARREIRA TRIBUTÁRIA

Já a troca de créditos entre distribuidoras de diferentes estados esbarrar na tributação, uma vez que as alíquotas de ICMS são diferentes. Uma possível solução seria construir um acordo junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para pacificar a questão. A tributação da compensação de energia esteve muito presente no início do negócio de geração distribuída. Tanto é que foi necessário construir um convênio n° 16/15 para evitar que os Estados cobrassem ICMS na troca de créditos. Para Giácomo Paro, sócio da área de direito tributário da Souto Correa Advogados, a cobrança de ICMS no modelo de compensação de créditos de geração distribuída é uma discussão que se quer deveria existir, uma vez que não há uma operação de compra e venda de energia. “Não nos parece certo dizer que há ICMS no modelo de compensação… Esse convênio nos parece muito mais uma corrida dos estados não sabendo o que fazer com aquilo… Não tem operação que justifique a cobrança de ICMS”, disse o advogado. Por outro lado, Paro explicou que do ponto de vista da legislação, não há barreiras para se implementar a compensação de créditos de GD entre diferentes distribuidoras, desde que elas estejam no mesmo estado. “Para diferentes Estados, acredito que precisaria de um convênio com o Confaz”, disse.

11 DE SETEMBRO DE 2019. 

Diario de Pernambuco

Local

Compesa faz obra emergencial na Avenida Rui Barbosa

Desde as 20h desta terça-feira (10), a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realiza uma obra emergencial na Avenida Rui Barbosa, bairro das Graças, Zona Norte do Recife. O trecho da avenida entre os cruzamentos com as ruas Senador Alberto Paiva e Amélia, perto do Museu do Estado, estão com duas faixas de 30 metros de extensão interditadas para viabilizar os trabalhos. Os motoristas que trafegam pela área devem redobrar a atenção, pelo menos, até às 8h desta quarta (11). A escolha do horário atende a uma orientação da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano da capital (CTTU), visto que a Rui Barbosa é uma via de grande fluxo. A equipe da Compesa está substituindo de seis metros de tubulação da rede coletora de esgoto. O tubo tem 400 milímetros de diâmetro e foi danificado, acidentamente, por uma obra na região nessa segunda-feira (9). “A Compesa informa que restarão intervenções a serem realizadas pela Emlurb com relação a execução de serviços de drenagem serviços de drenagem (galeria de águas pluviais) em curso nessa área”, conta a instituição, em nota.

G1

Notícias

Obra emergencial interdita duas faixas da Avenida Rui Barbosa, no Recife

Serviço da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) afeta cerca de 30 metros da via, nas Graças, na Zona Norte.

Obra da Compesa interdita parte de via na Zona Norte do Recife

Uma obra emergencial da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) interdita duas faixas da Avenida Rui Barbosa, no bairro das Graças, a partir das 22h desta terça-feira (10). A via é uma das mais importantes da Zona Norte do Recife. Um trecho de 30 metros será afetado. O trecho afetado pela obra fica nas proximidades do Museu do Estado de Pernambuco. Na área, a Rui Barbosa faz cruzamento com uma via. De um lado, o nome dela é Alberto Paiva e do outro, Rua Amélia. Segundo a Compesa, os reparo será realizado durante o período noturno, por se tratar de uma via de grande fluxo de veículos. O serviço deverá ser finalizado até as 8h da quarta-feira (11). A obra é realizada para substituir seis metros de tubulações da rede coletora de esgoto, de 400 milímetros de diâmetro. O sistema foi danificado, acidentalmente, na noite de segunda-feira (9), durante uma obra em execução no local, segundo a companhia. Ao fim da obra, disse a Compesa, restarão no local intervenções realizadas pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), de serviços de drenagem.

Jornal do Commercio

Cidades

Após negociação, Celpe religa energia do TI CDU

A companhia informou ainda, que a dívida de quase R$ 80 mil foi negociada e será paga até a próxima sexta (13) pelo Grande Recife Consórcio

A luz foi religada na tarde desta terça-feira (10)

Em menos de 24 horas após a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) interromper o fornecimento de energia do TI CDU, na Avenida Caxangá, na Várzea, Zona Oeste do Recife, a luz foi religada na tarde desta terça-feira (10). Segundo a Companhia, a dívida de quase R$ 80 mil, que gerou desligamento, foi negociada e será paga até a próxima sexta-feira (13) pelo Grande Recife Consórcio de Transporte

Negociação

Nessa segunda-feira (9), em nota, a Celpe informou que realizou contato com o Grande Recife para negociação do débito e restabelecimento do fornecimento de energia.

"O Grande Recife informa que está em negociação com a Celpe o débito das contas de energia do TI CDU, no valor de R$ 79.387,76. Ficou acordado que o pagamento deverá ser feito até sexta-feira (13) e que a energia será restabelecida pela concessionária ao longo desta terça-feira (10)."

TI CDU

O TI CDU foi inaugurado no dia 29 de setembro de 2018 e era um dos equipamentos previstos para a Copa do Mundo de 2014. O terminal opera com quatro linhas, em dias úteis, e atende aproximadamente 3,5 mil usuários. O investimento na construção do equipamento foi de R$ 12,6 milhões.

Privatização

Em maio deste ano, o Governo de Pernambuco publicou um edital de Chamamento Público para receber propostas de parcerias com o setor privado para gestão dos 26 terminais integrados do Grande Recife, incluindo o TI CDU. De acordo com o Governo à época, o objetivo do chamamento é atrair investimentos para os terminais que integram o Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros. Entre os serviços contemplados pelo Programa de Parcerias Estratégicas do Estado (PPPE) estão a administração, manutenção, conservação e requalificação dos terminais. A contrapartida oferecida pelo governo era a exploração comercial dos espaços.

G1

Economia

Aneel autoriza aumento na remuneração da linha de transmissão de energia entre Manaus e Boa Vista

Valor pago à concessionária passará de R$ 185,7 milhões por ano para R$ 275,5 milhões. Ao autorizar o reajuste, Aneel determinou que obras estejam concluídas em 36 meses.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (10) um aumento na remuneração anual da concessionária responsável pela linha de transmissão de energia entre Manaus (AM) e Boa Vista (RR). O novo valor, definido por um aditivo do contrato, passará de R$ 185,7 milhões para R$ 275,5 milhões.

O valor autorizado é, no entanto, menor do que aquele que foi pedido pela empresa (R$ 395,66 milhões). Em 2011, o Consórcio Boa Vista, formado pela Eletronorte e pela Alupar Investimentos, venceu o leilão para construir a linha de transmissão, conhecida como Linhão de Tucuruí. Até agora, as obras não começaram, porque a concessionária enfrentou problemas com o licenciamento ambiental. A linha deveria ter entrado em operação em 2015. Obras do Linhão de Tucuruí devem começar ainda este ano. O governo do presidente Jair Bolsonaro, no entanto, declarou a obra como de interesse nacional, o que deve acelerar o processo. A remuneração das concessionárias de linhas de transmissão, chamada de Receita Anual Permitida (RAP), é paga pelos consumidores de todo o país e está incluída nas tarifas de energia. Quando assina o contrato, a concessionária, em troca, se compromete a construir e operar as linhas. Segundo a decisão da Aneel, a obra do Linhão de Tucuruí deve ficar pronta 36 meses após a assinatura do aditivo do contrato, prevista para outubro. A Aneel também decidiu manter o prazo original do contrato. Assim, a remuneração anual será paga durante 19 anos e meio. Ao autorizar o aumento da remuneração anual, a Aneel disse que o consórcio não teve responsabilidade nos atrasos durante a fase de licenciamento. “Esse atraso, atualmente superior a 7 anos, sem sombra de dúvidas impactou econômica e financeiramente o contrato, conquanto lhe tenha suprimido a possibilidade de exploração do regime estabelecido no contrato, retirando-lhe o acesso à RAP disponível após o início da operação comercial”, afirmou o relator do processo, o diretor da Aneel Efrain da Cruz.

Folha de Boa Vista

Cidades

Aneel aprova receita maior para consórcio continuar obra de energia

Valor da receita anual foi corrigida para R$ 275,6 milhões. Proposta da TNE era de R$ 396 milhões

O Linhão de Tucuruí é um sonho antigo dos roraimenses que esperam sua conclusão desde 2011

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta terça-feira aprovar reequilíbrio financeiro do contrato para a construção do linhão de transmissão de energia que irá conectar o Estado de Roraima ao sistema elétrico do Brasil. A diretoria da agência aprovou em parte o pedido, ao definir uma receita anual de 275 milhões de reais para o linhão e autorizar a recomposição do prazo de construção, para 36 meses após a assinatura de um aditivo contratual, prevista para até o final de outubro. O valor aprovado, no entanto, ficou bem aquém dos cerca de 395 milhões de reais solicitados pela Transnorte (TNE), que alegou custos extras com o longo atraso e com adaptações no projeto para reduzir seu impacto ambiental. Os diretores da Aneel disseram que não poderiam aceitar totalmente o pleito de revisão de receita dos empreendedores, uma vez que isso iria contra as regras da licitação promovida em 2011. "Chegamos a esse cálculo usando, digamos assim, toda a interpretação necessária, porque reconhecemos a necessidade e a importância desse empreendimento para o país. Mas não temos liberdade total, estamos vinculados a um instrumento licitatório, a um edital", disse o diretor-geral da agência, André Pepitone.

A concessionária responsável pela interligação solicitou correção no valor da RAP (Receita Anual Permitida) de R$ 396 milhões, a preços de janeiro de 2019. Para a TNE, o valor calculado pela Aneel é insuficiente para garantir o reequilíbrio da concessão. A nova RAP inclui uma parcela de receita R$ 7,4 milhões, relativa ao compensador estático de reativos da subestação Boa Vista, única instalação do projeto em operação comercial. A agência reguladora não reconheceu o custo adicional de R$ 546 milhões pelo alteamento das torres de transmissão, além de R$ 205 milhões de acréscimo no orçamento de cabos condutores. Em relação às torres, os custos adicionais estão dentro do que a autarquia considera risco do empreendedor. Sobre o acréscimo no preço dos cabos, a Aneel discordou do cálculo da TNE, que apontou aumento de 130% no valor quando, segundo a agência, o banco de preços de transmissão mostra que houve redução média de 50% no custo do produto. A aprovação do pedido de reequilíbrio do contrato era uma condição estabelecida pela Transnorte para a retomada do empreendimento. Em 2015, a empresa formada por Eletronorte (49%) e Alupar (51%) chegou a solicitar à Aneel a rescisão amigável do contrato, em razão do impasse no licenciamento ambiental. O empreendimento obteve a licença prévia do Ibama em dezembro de 2015, após manifestação favorável da Funai, mas não havia previsão para a emissão da LI. A Aneel recomendou ao Ministério de Minas e Energia (MME) a revogação da outorga, mas o MME devolveu o processo à autarquia por considerar a possibilidade de reequilíbrio contratual. Existe também uma ação judicial protocolada em setembro do ano passado pela TNE, na qual a empresa solicita a caducidade da concessão. Segundo a decisão da Aneel, a obra do Linhão de Tucuruí deve ficar pronta 36 meses após a assinatura do aditivo do contrato, prevista para outubro. A expectativa é que a licença ambiental do linhão seja aprovada também em outubro, o que poderia permitir o início das obras logo após a assinatura do aditivo contratual pelas empresas.

 

23 DE AGOSTO DE 2019. 

Folha de PE
Economia 
 
Compesa investe em esgotamento sanitário de Bezerros
Companhia vai investir R$ 44 milhões em obras de esgotamento sanitário no município. A primeira etapa das obras tem duração de 18 meses, e vai beneficiar 35% da população.

Com um investimento de R$ 44 milhões, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai realizar obras de esgotamento sanitário no município de Bezerros, no Agreste Central. A previsão é que as obras tenham duração de 18 meses, a partir da assinatura da ordem de serviço, que será feita nos próximos dias, e deve beneficiar 35% da cidade.
O aporte financeiro vem de recursos do Governo de Pernambuco e financiados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Do total investido, o aporte assegura a primeira etapa da obra, que contempla os bairros de São Pedro, São Sebastião, Cruzeiro, além do Centro da cidade. 
Esse foi o primeiro anúncio de obras da gestão de Manuela Marinho, que assumiu a presidência da Compesa na última segunda-feira. A gestora destacou que essa obra vai beneficiar boa parte da cidade. “Esse é mais um passo importante para o saneamento das cidades que estão inseridas na bacia do Rio Ipojuca, o que vai representar um ganho imensurável para o meio ambiente. Com essa primeira etapa do sistema concluída, a Compesa passará a se responsabilizar pela coleta e tratamento do esgoto de 35% da cidade de Bezerros, cidade que integra o polo têxtil de Pernambuco”, destacou a presidente. 

Com as obras de esgotamento sanitário no município, a expectativa é de que quando concluída, os moradores tenham uma qualidade de vida melhor, e que ela contribua de forma direta com a recuperação e despoluição da bacia hidrográfica do Rio Ipojuca. 
O investimento prevê a construção de uma Estação Elevatória de Esgoto, com um sistema de bombeamento, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e a implantação de 45 quilômetros de rede coletora. 
PSA IPOJUCA
A obra faz parte do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do rio Ipojuca (PSA Ipojuca), que prevê obras de implantação de sistemas de esgotamento sanitário em 11 cidades banhadas pelo Rio Ipojuca, com um investimento de R$ 1,2 bilhão, com recursos do governo do Estado e do BID. O PSA já tem obras concluídas em Tacaimbó, e fases de testes em Gravatá. As obras ainda estão em andamento em Caruaru, Belo Jardim e Sanharó. Em breve o PSA também deverá chegar ao município de Escada. O Programa tem previsão de encerrar as obras em 2020. 

 
Diário de PE
Local 
 
Uberização" pode ser saída para ônibus
 
Aplicativos como City Bus 2.0 levam ao transporte coletivo o formato popularizado nos carros

GOIÂNIA - Apontados como um dos motivos para a diminuição no número de passageiros nos ônibus, os serviços de deslocamento de pessoas por aplicativo são um desafio, mas podem ser uma solução para o transporte coletivo no Brasil. A experiência do City Bus 2.0, o primeiro transporte público coletivo por app da América Latina, que funciona desde fevereiro deste ano em Goiânia (GO), foi apresentado pela Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), como exemplo de inovação a empresários do setor, incluindo representantes do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE).

Atualmente, a legislação sobre o transporte no Recife e Região Metropolitana não contempla serviços como o City Bus 2.0. Na regulamentação do transporte por aplicativo da capital pernambucana, de abril deste ano, é autorizado o serviço compartilhado de transporte por app, mas em veículos de até sete lugares. 
 
Em operação há seis meses, o City Bus 2.0 opera com 29 veículos na capital de Goiás. O serviço atende 28 bairros da cidade, numa área de 40 quilômetros quadrados. Cerca de 50 mil downloads do aplicativo foram feitos nesse período. A opção funciona dentro do sistema de transporte público de Goiânia. São vans com 14 lugares sem rotas ou pontos de embarque e desembarque fixos.
 
O parceiro tecnológico da HP, operadora do City Bus 2.0, é a empresa israelense Via, que oferece serviços semelhantes em outras 50 cidades nos Estados Unidos, Europa, Canadá e em países da Ásia.
Trata-se de um serviço de transporte coletivo por aplicativo de celular - que pode ser baixado em celulares com sistemas Android e iOS - em que o usuário escolhe seu destino, confirma a viagem e é direcionado para o ponto virtual, onde deve pegar o miniônibus que será identificado na plataforma. Os deslocamentos para embarcar em uma das vans é de até 400 metros.
 
“Identificamos uma queda de usuários no transporte coletivo convencional e fizemos um estudo, que revelou um desejo do consumidor pela escolha de suas próprias rotas e viagens mais curtas, que atualmente, não são contempladas pelo serviço de transporte comum. As principais demandas foram tempo, conforto e segurança”, afirmou a diretora-executiva da HP, Indiara Ferreira.
 
Para usar o serviço, depois de baixar o app e fazer um cadastro, o usuário pode solicitar uma viagem. No mapa, há a identificação dos locais de partida e de destino. O aplicativo indica uma van disponível. Em seguida, a plataforma direciona o usuário para um ponto virtual - local de embarque - mais próximo. Como o serviço é coletivo, o usuário precisa se deslocar alguns metros para pegar o transporte. O nome do motorista, um canal para contato e a placa do veículo também são disponibilizados no app. Ao entrar no veículo, o usuário é identificado e segue viagem até o destino informado.
 
A tarifa-base do serviço é de R$ 2,50, mas o valor é variável pela distância percorrida. Como é flexível e calculado pelo trajeto, o aplicativo faz o cálculo total do descolamento e informa ao usuário antes do embarque. Em viagens de até cinco quilômetros, o valor pago é cerca de 30% mais barato do que nas viagens pelos aplicativos de transporte individuais.
 
O pagamento é feito por cartão de crédito cadastrado no aplicativo ou em dinheiro. Até três minutos após confirmar a viagem, o cancelamento é gratuito. Após esse tempo, o usuário paga uma taxa de desistência. O tempo de espera pelo passageiro é de dois minutos. Caso ele não esteja no ponto de embarque, o motorista liga para o usuário e, então, caso ele não apareça, segue viagem com os demais passageiros. O City Bus 2.0 funciona segunda-feira a sábado, das 6h às 23h.
 

22 DE AGOSTO DE 2019. 

G1

Caruaru e Região

Compesa divulga novo calendário de abastecimento de água do mês de agosto em Caruaru

Motivo da mudança é a falta de chuva na região. Segundo Compesa, serão cinco dias com água e 15 sem.

O calendário de abastecimento de água de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, sofreu alteração no rodízio. O motivo da mudança é a falta de chuva na região. Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), serão cinco dias com água e 15 sem água. Antes, o abastecimento era de cinco dias com água e dez sem. Já nas localidades de Contendas, Juriti, Rafael, Cachoeira Seca, Juá, Lajes, Jacaré Grande, Malhada de Barreira Queimada, Gonçalves Ferreira e Jacaré de Gonçalves Ferreira, na zona rural do município, o abastecimento será suspenso pela rede e o atendimento será feito por meio de carros-pipa, que alimentarão os pontos de distribuição de água em áreas estratégicas dessas localidades. A Companhia reforça que a alteração no regime de abastecimento é provisória, tendo em vista que, no primeiro semestre do próximo ano, serão concluídas duas grandes obras hídricas estruturadoras: as adutoras do Alto do Capibaribe e de Serro Azul, que estão sendo executadas em ritmo acelerado e levarão segurança hídrica, a partir da água captada na Transposição do Rio São Francisco para 16 cidades do Agreste, entre elas, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe, cidades que, historicamente, sofrem com ciclos de seca extrema.

Confira o novo calendário:

20 ,21, 22, 23 e 24 

Cidade Jardim Salgado (parte baixa) Centenário Divinópolis Maurício de Nassau Universitário São Francisco José Liberato Vila Agamenon Residencial Alto do Moura Vista Alegre ;

25, 26, 27, 28 e 29 

Nossa Senhora das Dores Centro Vassoural (parte baixa) Santa Rosa (parte baixa) Indianópolis (parte baixa) Riachão Alto da Balança Petrópolis Parque 18 de Maio Jardim Liberdade (Alto da Banana) Residencial Shopping Unifavip e prédios da Brapor Inocoop Cedro Jardim dos Pinheiros Monte Sinai Encanto da Serra Salgado (parte baixa) São João da Escócia (parte baixa) ;

30 e 31 

Rendeiras (parte alta) Monte Carmelo Lagoa do Algodão Quintas da Colina São João da Escócia (parte alta) Parte oeste de Caruaru 1: Maria Auxiliadora (parte baixa) Hosana Vila do Aeroporto José Carlos de Oliveira (parte baixa) Vila Padre Inácio Vila Diocesano João Barreto João Mota Vila Kennedy Kennedy Sol Poente Caiucá Portal do Agreste Posto Agamenon Sítio Campos Vila Cipó Lagoa de Pedra Mestre Vitalino Alto do Moura Village Residencial Luiz Bezerra Torres I e II Bares (Alto do Moura) Alto das Sete Luas Tcheguevara Parte do Vassoural próximo ao presídio - ruas no trecho entre Luiz Gonzaga e Rua do Vassoural: Maria Tereza Ivanildo Cordeiro de Souza João Cordeiro de Souza Maria Cordeiro de Miscena Asa Branca Travessa Henrique Soares Ruas: Com. Luiz Gonzaga, Luiz Serafim de Souza 1ª, 2ª e 3ª TV Henrique Soares Filadelfia A. da Costa Juazeiro do Norte Todos os Santos Rua do Vassoural 5ª TV Alfredo Pinto (Goiana) José Nunes de Araújo José do Patrocínio Espírito Santo Carlos Alexandre Petrolândia 5ª TV do Vassoural Nazaré da Mata Belmonte TV e Rua Imperial (acima da Bernardo Vieira de Melo) Estrada de Campina Luiz de França Pereira Santa Rosa (parte alta) Vila Serena Campo Novo do Sul Vila Campo Novo de Baixo e de Cima Sest/Senat Cidade Alta: Adalgisa Nunes 1 e 2 ;

Próximo ciclo de abastecimento em Setembro 

Maria Auxiliadora (parte alta) Boa Vista I e II (COHAB 1 e 2) Três Bandeiras Nova Caruaru Jardim Panorama Vila Andorinha Caruá Baraúnas Mandacaru Novo Mundo Demóstenes Veras José Carlos de Oliveira (parte alta) Ramiro de Souza Jardim Boa Vista, Severino Afonso Residencial Vitória Parque Real Residencial Ipojuca Residencial Xique Xique Santos Dumont João Batista Pinheirópolis (Vila dos Oficiais) Rendeiras (parte baixa) Loteamento Paraíso Morada Nova Serranópolis Loteamento São José Luiz Gonzaga Fernando Lira Polo Caruaru UFPE Alphaville Hospital Mestre Vitalino Parque da Cidade Jardim dos Coqueiros Portal do Sol Vassoural (parte alta) Rosanópolis UPA Parte do Petrópolis (ruas: 1ª TV, 2ª TV, 3ª TV e Rua Prof. Adelia Leal, Manoel Lopes, Henrique Soares, Sta Catarina, Cristo Rei, Sanharó, 2ª TV Cícero José Dutra e Teófilo Otoni) Adalgisa Nunes 3 e 4 Residencial Wirton Lira;

Monte Bom Jesus

3, 4, 11, 12, 19, 20, 27 e 28 
Rua Bélgica, Rua Suíça, Rua Fortaleza e Rua Paraná;

5, 6, 13, 14, 21, 22, 29 e 30 
Rua da Sé;

7, 8, 15, 16, 23, 24 e 31
Av. São José e Rua Professor Ferrúcio;

1º, 2, 9, 10, 17, 18, 25 e 26 
Travessa da Sé;

Alto do Moura
1º, 2, 12 ,1 3, 14, 15, 16, 26, 27, 28, 29 e 30 
Vila Nossa Senhora das Graças 1 Cícero das Carroças Mestre Vitalino 2 / Parte alta do Alto do Moura;

5, 6, 7, 8, 9, 19, 20, 21, 22 e 23 
Parte Baixa do Alto do Moura Rua do Cemitério Vila Nossa Senhora das Graças 2;

Fins de semana 
Por trás dos bares: Rua Antônio Vitalino Rua da Elevatória (Rua Alto São José);

Taquara
4, 5, 6, 7, 8, 19, 20, 21, 22 e 23 
Taquara parte baixa (da igreja católica até o Rio);

9, 10, 11, 12, 13, 24, 25, 26 e 27 
Taquara parte intermediária (da igreja católica até a Av. Expedito Antônio da Silva);

1º, 2, 3, 14, 15, 16, 17, 29, 30 e 31
Taquara parte alta (da Av. Expedito Antônio da Silva até a linha férrea);

Zona Rural Sul
5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 19, 20, 21, 22, 23, 24 e 25 
Taquara de São Pedro Peladas;

1º, 2, 12, 13, 14, 15, 16, 26, 27, 28, 29 e 30 
Vila Murici Sítio Murici Araçá Lagoa do Paulista Mata Negra Sítio Estivas;

10, 11, 24 e 25 
Alecrim.

NE10

Noticias

Copergás sinaliza estudo para instalação de gás natural em Limoeiro

Presidente da Copergás, André Campos, se reuniu com o prefeito João Luís (PSB)

Reunião foi realizada entre presidente da Copergás e a prefeitura de Limoeiro (Divulgação)

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) sinalizou que iniciará estudos para a instalação de Gás Natural Veicular (GNV) no trecho da Rodovia PE-50, entre os municípios de Glória do Goitá e Limoeiro, no Agreste. A informação foi confirmada nessa segunda-feira (19) durante reunião entre o presidente da Copergás, André Campos, e o prefeito de Limoeiro, João Luís (PSB).

De acordo com a secretaria executiva de Imprensa e Comunicação da prefeitura de Limoeiro, o gasoduto deverá beneficiar o futuro Distrito Industrial (DI) do município, que fica as margens da rodovia. Na reunião também foi discutida a possibilidade de instalação de um posto de combustível com gás natural em Limoeiro.

Copergás

A Copergás foi criada em 17 de setembro de 1992, pela Lei Estadual 10.656/1991, e entrou em operação em 1994. É uma empresa de economia mista, que tem como sócios o Governo do Estado de Pernambuco, a Petrobras Gás S.A – Gaspetro e a Mitsui Gás e Energia do Brasil.

Atualmente, atende aos mercados industrial, automotivo, residencial, comercial, termoelétrico, cogeração de energia e a Refinaria Abreu e Lima. Ela tem um plano de investimentos (2018-2022) que totaliza R$ 227,8 milhões. Tais recursos serão destinados à ampliação da rede no Interior, especialmente em áreas ainda desprovidas de gasodutos.

 

20 E 21 DE AGOSTO DE 2019. 

Folha de PE – 20/08/2019

Economia

ELETROBRAS

Congresso derruba MP que facilita privatização da Eletrobras

Parlamentares entraram em acordo na reunião de líderes da Câmara para derrubá-la e destravar a pauta de votações.

O Congresso derrubou a medida provisória que previa repasses de R$ 3,5 bilhões à Eletrobras. O texto, editado pelo presidente Jair Bolsonaro em abril previa os valores, a serem pagos até 2021, como forma de reembolsar a estatal por despesas de suas distribuidoras de energia no passado. Ele caducaria nesta quarta-feira (21).  Os parlamentares entraram em acordo na reunião de líderes da Câmara para derrubá-la e destravar a pauta de votações. Os deputados articulam rejeitar nesta terça-feira (20) a admissibilidade da medida, para que ela não chegue a ser discutida em seu mérito. Segundo o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), o governo já planeja enviar um projeto de lei para tratar do assunto. "A medida provisória que estava travando a pauta cai, porque não há mais tempo", afirmou a líder da minoria, Jandira Feghali (PC do B-RJ). Apesar do acordo, partidos como PT, PSB e PRB iniciaram um movimento de obstrução à votação da medida provisória. Pouco depois, o centrão retirou sua obstrução, mas a oposição conseguiu segurar a deliberação por cerca de quatro horas. Eles tentavam impedir o avanço para o resto da pauta do dia, que incluía projetos sobre posse e porte de armas.O motivo alegado foi a falta de tempo hábil para a votação nas duas Casas. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) havia dito a integrantes da equipe econômica que se os deputados votassem, garantiria a aprovação com os senadores, o que foi visto como improvável, já que não havia acordo sobre o texto. O problema é que, como informou o Painel, a derrubada da medida pode prejudicar os planos do governo de privatizar a Eletrobras ainda neste ano.
Sem os recursos que seriam advindos dela, a estatal terá que assumir dívidas de subsidiárias, o que comprometerá seu balanço e poderá afetar o preço de suas ações.Os recursos viriam de um fundo setorial mentido com dinheiro da conta de luz, e poderão ser complementados por outorgas obtidas por meio de leilões de ativos. A MP de Bolsonaro já é uma reedição. Em 2018, o então presidente Michel Temer editou medida com o mesmo conteúdo, mas ela caducou em abril depois de não ser votada pelo Congresso. As distribuidoras foram privatizadas pela Eletrobras no fim do ano passado, mas parte das dívidas delas e também dos créditos que elas teriam a receber foi assumida pela estatal antes da venda. A operação tinha o objetivo de tornar os ativos mais atrativos à iniciativa privada.

Jornal do Commercio

Cidades 

Cano estoura e alaga parcialmente pátio do Detran-PE, na Iputinga

A água atingiu também o pátio de provas práticas do Detran-PE

Apesar do incidente, as provas do Detran-PE foram mantidas na manhã desta quarta-feira (21). Após um cano mestre da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) estourar, no cruzamento da Rua Pajeú com a Estrada do Barbalho, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife, ruas e avenidas do entorno ficaram alagadas. Devido ao problema, que chegou a alagar parcialmente o pátio de provas práticas do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), os moradores ficaram sem água nas torneiras. Apesar do incidente, as provas do Detran-PE foram mantidas na manhã desta quarta-feira (21).

Moradores estão sem água nas torneiras

De acordo com moradores, o vazamento teve início por volta das 23h dessa terça-feira (20). Eles comentam que chegaram a ligar para a Compesa, mas um representante do órgão não chegou a ir ao local nessa terça. "Tá muito complicado porque a gente começa a sair de manhã cedo para levar as crianças para o colégio. Não estamos levando porque encheu d'água e inundou, desde as 23h. A gente ligou para o rapaz da Compesa e ele disse que ia vir resolver, mas não vieram. Está todo mundo sem água", comenta Roberto Maia, um dos moradores da Rua Pajeú. Na manhã desta quarta-feira (21), técnicos da Compesa começaram o reparo da tubulação. O pátio de provas ficou parcialmente inundado, o que atrasou o início das provas práticas. Segundo o diretor de operações do Detran, Sérgio Reis, os exames foram mantidos para o restante do dia. 

 

04 DE JUNHO DE 2019. 

Folha de PE

Blog da Folha 

Paulo Câmara empossa Severino Otávio na Arpe

O governador Paulo Câmara (PSB) empossou, na manhã desta segunda-feira (03), o conselheiro aposentado Severino Otávio como novo Diretor Presidente da Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe). O cargo tem duração de quatro anos. Criada em 2000, a agência tem as funções de regular, fiscalizar e zelar pela qualidade dos serviços e concessões públicas delegadas pelo Estado, ou por ele diretamente prestados.

“Tenho a satisfação de empossar Severino diante de tudo que ele representa na administração pública de Pernambuco. Ele sempre foi uma pessoa que procurou melhorar o serviço público, ajudar nas boas práticas, ajudar quem mais precisa. E é isso que queremos na Arpe. Queremos que ela esteja cada vez mais próxima da população, regulando o que precisa ser regulado e cobrando a qualidade dos serviços”, destacou Paulo Câmara.

Em seu discurso o governador fez questão de ressaltar a importância do ex-presidente da agência, Ettore Labanca, que faleceu em março deste ano. “Não podia começar de outra forma que não agradecendo e ressaltando o trabalho de Ettore neste órgão. Nosso ex-presidente cumpriu um papel muito importante, que agora vai ser continuado por Severino Otávio”, afirmou.

O presidente da Arpe governou a cidade de Bezerros em duas ocasiões, entre 1973 e 1976 e entre 2013 e maio de 2019, quando renunciou ao restante do mandato para assumir o novo cargo. Antes, foi deputado estadual por dois mandatos (1979-1982 e 1983-1986). Em junho de 1986, foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), órgão que presidiu em duas ocasiões.

Ao expressar sua gratidão pela indicação ao novo cargo, Severino Otávio afirmou que sua experiência na vida pública será um ponto forte, e reforçou a necessidade de realizar um trabalho conjunto no órgão. “Minha responsabilidade é muito grande, mas não tenho medo de desafios. Junto com os servidores da Arpe, vou compreender e desenvolver essa entidade, para que possamos entregar uma agência reguladora que cumpra sua função perante o povo pernambucano”, assegurou.

Participaram do evento o deputado federal Danilo Cabral; o deputado estadual Waldemar Borges; os prefeitos Breno Borba (Bezerros) e Ana Célia (Surubim); os secretários estaduais Alberes Lopes (Trabalho, Emprego e Qualificação), Silvia Cordeiro (Mulher) e Milton Coelho (Chefia de Gabinete); além de diretores e servidores da Arpe.

 

Diário de PE

Economia 

Paulo Câmara dá posse a Severino Otávio na presidência da Arpe

O novo presidente da Arpe (Agência de Regulação de Pernambuco), Severino Otávio, ex-prefeito de Bezerros, no Agreste, tomou posse na manhã desta segunda-feira (3) na sede da instituição nos Aflitos, Zona Norte do Recife. Segundo “Branquinho”, como é conhecido o recém-empossado na presidência, a reguladora deve atuar como ponto de equilíbrio entre concedentes de serviços e usuários.

“Precisamos mostrar à sociedade pernambucana que a Arpe não é aquela que apenas sanciona aumentos. Precisamos entregar uma agência que cumpra suas funções. Vamos fazer todo o esforço para melhorar os serviços públicos com a ajuda do corpo técnico da casa”, disse Severino Otávio, que sucede, no comando da agência reguladora, Ettore Labanca, ex-prefeito de São Lourenço da Mata e falecido no dia 29 de março por infecção generalizada.

A Arpe tem como função regular com os serviços públicos delegados pelo Estado, garantindo o equilíbrio das relações com setores regulados e usuários. A nomeação de Severino Otávio para a Arpe foi feita pelo governador Paulo Câmara (PSB) no mês de maio e aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).  Presente na cerimônia, o governador de Pernambuco destacou que é preciso implantar também um caráter social na gestão da Arpe. 

“É importante olhar para os mais carentes, defendê-los e prezar pela melhoria do serviço público. Além disso, também se pode coibir abusos. O Brasil passa por um momento difícil, sem rumo e sem planejamento, mas cabe a nós melhorar a qualidade do que é oferecido à população”, disse Paulo Câmara em discurso para uma plateia de cerca de 150 pessoas. Branquinho é bacharel em Direito pela Sociedade Caruaruense de Ensino Superior e delegado especial aposentado da Polícia Civil, tendo sido eleito para dois mandatos de deputado estadual em 1979 e 1983. Em junho de 1986, foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), tendo presidido o órgão em duas ocasiões. Severino Otávio também foi prefeito de Bezerros por três mandatos, entre 1973 e 1976 e de 2013 a maio de 2019, quando renunciou ao posto. Severino Otávio também é conselheiro e já foi presidente do Sport Club do Recife entre 2002 e 2003. 

Estiveram presentes na cerimônia de posse o deputado federal Danilo Cabral, o estadual Milton Coelho e o chefe de gabinete do governador, Milton Coelho, todos do PSB. A vice-presidente da Amupe, Ana Célia Farias (PSB), prefeita de Surubim, no Agreste, o secretário estadual do Trabalho, Alberes Lopes, e a secretária da Mulher de Pernambuco, Silvia Cordeiro, também compareceram, além do prefeito de Bezerros, Breno Borba (PSB), que assumiu o cargo após a renúncia de Severino Otávio, no dia 2 de maio. 

 

22 DE MAIO DE 2019. 

Diário Oficial de PE

COMISSÃO DE JUSTIÇA SABATINA NOVO DIRETOR-PRESIDENTE DA ARPE 

 

03 DE ABRIL DE 2019. 

Jornal do Commercio 

Cidades 

Obra de drenagem muda itinerário de linhas de ônibus no Cordeiro

A interdição será no trecho entre a Rua Honório Correia e Avenida Caxangá

A partir desta quarta-feira (3), a Rua Gregório Júnior, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife, será interditada no trecho entre a Rua Honório Correia e Avenida Caxangá para que sejam realizadas obras de drenagem no local. Por esse motivo, o Grande Recife Consórcio de Transporte (GRCT) irá modifica o itinerário de duas linhas de ônibus que passam pela área.

A previsão é que todo o trabalho seja concluído no dia 10 de abril.

Mudança

Para diminuir os transtornos causados pela interdição, a Avenida General San Martin será mão dupla também no trecho que vai da Rua Honório Correia à Avenida Caxangá enquanto durar a obra.

Linha

412 – San Martin (Largo da Paz)

Desvio

Sentido subúrbio/cidade: Avenida General San Martin (terminal), Avenida Caxangá.

Parada

Com a interdição, a parada de nº 080048, na Rua Gregório Júnior, deixará de atender esta linha. A opção para o usuário é utilizar a parada nº 080373, antes do cruzamento com a Rua Frei Teófilo de Virgoleta, na Avenida Caxangá.

Linha

2422 – Monsenhor Fabrício/TI Getúlio Vargas

Desvio

Sentido TI Getúlio Vargas/Monsenhor Fabrício: Terminal Integrado Getúlio Vargas, Rua Manoel Moreira, Avenida Caxangá, Avenida General San Martin, Rua Gomes Taborda, Rua Cláudio Brotherhood, Rua Antero Mota, Rua Maria Quitéria, Rua Nossa Senhora da Saúde, Avenida Maurício de Nassau (Radial Leste), Estrada do Barbalho.

Paradas

Com a interdição, as paradas de nº 080048, na Rua Gregório Júnior; nº 080337, na Rua Odete Monteiro; nº 080338 e nº 080061, na Avenida Maurício de Nassau, deixarão de ser atendidas por esta linha. As opções para o usuário são as paradas nº 080372, na Avenida Caxangá, em frente ao TI Getúlio Vargas; e nº 080049, na Rua Nossa Senhora da Saúde, após o cruzamento com a Rua Coronel Fernando Furtado.

 

26 DE FEVEREIRO DE 2019. 

Folha de PE

Economia 

Aneel abre consulta para reajustar bandeiras tarifárias

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras tarifárias amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2. A iniciativa consta de uma proposta de consulta pública anunciada nesta terça-feira (26) pela agência reguladora. A consulta ficará aberta entre 27 de fevereiro a 1º de abril.


O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.


Na amarela, há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; já no 2, o valor extra sobe para R$ 5.Pela proposta, os custos adicionais com as bandeiras tarifárias serão reajustados entre maio desse ano e abril de 2020. Com isso, o adicional da bandeira amarela pode passar de R$ 1 para R$ 1,50 a cada na kWh; de R$ 3 para R$ 3,50 na vermelha patamar 1 e de R$ 5 para R$ 6 no patamar 2. Os valores propostos pela área técnica da Aneel ainda podem ser alterados até o final da consulta.De acordo com a agência, a proposta mantém a combinação entre risco hidrológico e preço de liquidação de diferenças (PLD) como as principais variáveis para adoção das bandeiras tarifárias. As variáveis estão ligadas ao volume de chuvas.

 

Jornal do Commercio 

Economia 

Aneel abre consulta para reajustar bandeiras tarifárias

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer reajustar o preço das bandeiras tarifárias amarela e vermelha, nos patamares 1 e 2. A iniciativa consta de uma proposta de consulta pública anunciada nesta terça-feira (26) pela agência reguladora. A consulta ficará aberta entre 27 de fevereiro a 1º de abril.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

Na amarela, há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; já no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Pela proposta, os custos adicionais com as bandeiras tarifárias serão reajustados entre maio desse ano e abril de 2020. Com isso, o adicional da bandeira amarela pode passar de R$ 1 para R$ 1,50 a cada na kWh; de R$ 3 para R$ 3,50 na vermelha patamar 1 e de R$ 5 para R$ 6 no patamar 2. Os valores propostos pela área técnica da Aneel ainda podem ser alterados até o final da consulta.

Risco hidrológico

De acordo com a agência, a proposta mantém a combinação entre risco hidrológico e preço de liquidação de diferenças (PLD) como as principais variáveis para adoção das bandeiras tarifárias. As variáveis estão ligadas ao volume de chuvas.

 

Diário de PE

Economia 

Aneel: distribuidoras terão que pagar mais de R$ 7 milhões por apagão

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou hoje (26) pedido de 11 distribuidoras de energia de exclusão de penalidade pelo apagão ocorrido em março do ano passado.

As distribuidoras pediram à agência a exclusão, de seus indicadores de continuidade, da interrupção no fornecimento de energia decorrente do blecaute que causou a queda de energia em 13 estados das regiões Norte e Nordeste e afetou estados do Sul e Sudeste. Com isso, as distribuidoras terão que fazer pagamentos de compensações superiores a R$ 7 milhões como compensação aos consumidores.

A penalidade foi aplicada às distribuidoras: Celpa (PA), Celpe (PE), Cemar (MA), Coelba (BA), Cosern (RN), Enel Ceará, Energisa Borborema (PB), Energisa Paraíba, Energisa Sergipe, Energisa Tocantins e Sulgipe (SE).

Ocorrido no dia 21 de março, o apagão foi ocasionado por problemas em uma linha de transmissão da empresa Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE), que transporta energia da hidrelétrica para a Região Sudeste. O blecaute deixou cerca de 70 milhões de pessoas sem luz. Na ocasião, o Operador Nacional do Sistema (ONS) recomendou a aplicação de multa de 10% na Receita Anual Permitida por descumprimento de algumas exigências previstas em contrato.

No início do mês, a Aneel já havia aplicado multa à BMTE e ao ONS de R$ 11 milhões relativas ao apagão.

De acordo com a área técnica da Aneel, no caso da BMTE, foi apurada "falha no processo de manutenção", além de "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa proposta de R$ 6,184 milhões. Quanto ao ONS, a Aneel diz que o órgão "deixou de observar procedimentos de rede" e que houve "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa indicada de R$ 4,912 milhões.

 

04 DE JANEIRO DE 2019. 

Folha de PE

Economia 

Pedágio sobe e ameaça gasolina em Pernambuco

Aumento de 10,96% na Rota do Atlântico poderá ter efeito cascata no frete e, consequentemente, no gás e combustível.

Passar pela Rota do Atlântico - via concessionada que dá acesso ao Complexo de Suape - está mais caro. É que o pedágio da rodovia subiu 10,69% à 0h dessa sexta-feira (4). O reajuste é bem maior que a inflação anual de 4,05%, mas foi autorizado pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) para compensar a perda de arrecadação provocada pela lei que isentou a cobrança da tarifa de eixos suspensos para tentar pôr fim à greve dos caminhoneiros no ano passado. Por isso, pegou de surpresa a categoria: segundo a Federação das Empresas de Cargas do Nordeste (Fetracan), essa alta vai impactar o valor do frete e dos produtos trazidos de Suape, como a gasolina e o gás de cozinha. 

“Suape tem a maior base de abastecimento de combustíveis, GLP (gás liquefeito de petróleo) e contêineres de Pernambuco. E não tem como fazer o escoamento desses produtos fora da Rota do Atlântico. Então, o aumento vai incidir no preço do frete. E isso encarece tudo, chegando ao consumidor final”, declarou o presidente da Fetracan, Nilson Gibson, explicando que, com isso, os caminhoneiros perdem a economia conquistada pela lei dos eixos suspensos. “É um absurdo fazerem essa compensação com um reajuste desses, muito superior à inflação”, reclamou, lembrando que o reajuste do ano passado foi de 4,29%. 

Na época, o pedágio passou de R$ 7 para 7,30 no caso de carros de passeio. Agora, porém, essa tarifa subiu para R$ 8,10. No caso de caminhões leves e ônibus passou para R$ 16,20. Mas esse valor salta para R$ 24,30 em caminhões de três eixos e para R$ 32,40 em caminhões com reboque de quatro eixos. E a tarifa continua subindo de acordo com a quantidade de eixos. Por isso, um caminhão de nove eixos terá que pagar R$ 72,90 para passar pela Rota do Atlântico. 

Diretor de regulação econômico-financeira da Arpe, Frederico Maranhão reconheceu que o reajuste foi elevado, mas afirmou que altas superiores à inflação também estão sendo autorizadas em rodovias de outros estados por conta da lei do eixo suspenso. “Só essa questão justificaria um aumento de 12,33%. Mas, como outros eventos puxaram a tarifa para baixo, o reajuste ficou em 10,96%”, calculou, dizendo que o aumento foi necessário porque o fluxo se manteve, mas a arrecadação caiu na Rota do Atlântico. 

“Esta é uma via unidirecional - cobra para entrar, mas não para sair. Então, quem entra com o caminhão descarregado paga uma tarifamenor porque está com o eixo suspenso, mas transita carregado, desgastando a via do mesmo jeito, porque sai do porto carregado”, argumentou Maranhão, dizendo que, por isso, agora, na data contratual de reajuste do pedágio, o governo acatou o pedido de reequilíbrio financeiro, realizado ainda no ano passado, pela Rota. "A tarifa é uma das formas de remuneração dos mais de R$ 350 mi investidos pela concessionária até o momento", lembrou a empresa.

 

04 DE JANEIRO DE 2019. 

G1 – PE

Tarifa de pedágio sobe 10,96% em rodovia de acesso ao Complexo de Suape e ao Litoral Sul.

Novos valores da Rota do Atlântico entram em vigor a partir da 0h de sexta-feira (4), segundo texto publicado no Diário Oficial de Pernambuco desta quinta-feira (3).

 As tarifas de pedágio cobradas pela Concessionária Rota do Atlântico, no Grande Recife, ficam 10,96% mais caras a partir da 0h de sexta-feira (4).

O aumento, autorizado pela Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), foi publicado nesta quinta-feira (3), no Diário Oficial. Em 2018, o reajuste ficou em 4,29%.

A Rota do Atlântico dá acesso ao complexo Industrial de Suape e ao Litoral Sul de Pernambuco. Ela engloba as Rodovias PE-09 e VPE-052.

O trecho sob concessão começa na BR-101 Sul, nas proximidades do Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, passa pelo contorno do Cabo e segue até a PE-038, no distrito de Nossa Senhora do Ó, em Ipojuca.

O reajuste da tarifa de pedágio da rodovia, este ano, é mais do que o dobro da inflação prevista para o Brasil, em 2018. De acordo com o mercado financeiro, a meta era fechar o ano na casa dos 3,69%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

De acordo com a nova tabela de tarifas, automóveis, caminhonetes e furgões passam a pagar R$ 8,10. O valor anterior para essas categorias era de R$ 7,30.

Para caminhão leve, ônibus, caminhão e furgão com dois eixos e rodagem dupla, a tarifa sai de R$ de 14,60 para 16,20.

O pedágio mais caro é cobrado para caminhão com reboque e caminhão com semirreboque de nove eixos e com rodagem dupla. Esses motoristas deixam de pagar R$ 65,70 e passam a desembolsar R$ 72,90.

A tarifa mais barata é para motocicleta, motoneta e bicicleta a motor com rodagem simples. Ela custava R$ 3,70 e sobe para R$ 4,10.

Justificativa

De acordo com o diretor de regulação econômico-financeira da Arpe, Fred Maranhão, o índice de reajuste foi estabelecido por causa da necessidade de reequilíbrio do contrato de concessão, em virtude da lei de isenção de pagamento para veículos com eixos suspensos.

"Essa foi uma decisão tomada depois do movimento nacional dos caminhoneiros, em maio de 2018. O contrato inicial não previa que veículos deixariam de pagar pedágio, caso trafegassem com eixos suspensos", afirmou Maranhão.

Segundo ele, foram feitos três pedidos de reequilíbrio contratual. A regulação nesse caso é realizada pela Arpe e pelo Complexo de Suape.

"Caso não existisse essa norma de isentar os eixos suspensos, o reajuste da tarifa de pedágio seria de 2,74% e ficaria abaixo do acumulado do IPCA, que foi de 4,05%. O valor-base sairia de R$ 7,30 para R$ 7,50", observou.

Rota

Por meio de nota, a Rota do Atlântico informou que a tarifa de pedágio é uma das formas de remuneração dos mais de R$ 350 milhões investidos pela Concessionária até o momento, para garantir a agilidade e a segurança na prestação de serviço.

Ainda segundo a concessionária, o valor engloba o Serviço de Auxílio ao Usuário (SAU), 24 horas, que conta com o suporte de inspetores de tráfego, guinchos leve e pesado, ambulância com resgatistas e viaturas de inspeção de tráfego, que pode ser acionado pelo telefone de emergência 0800.031.0009.

A Rota do Atlântico justificou que o reajuste do valor da tarifa ocorre a cada 12 meses, contados do início da cobrança de pedágio, em 2014, com base no IPCA.

A concessionária disse também que, para o atual reajuste, foram considerados os efeitos da Lei 13.711/2018, que determinou a isenção da cobrança de eixos suspensos em todos as rodovias do país.

Confira a nova tabela

Novos valores de pedágio

Categoria

 

 

Tipo de Veículo

Número de Eixos

Rodagem

Tarifa

1

Automóvel, caminhonete e furgão

2

Simples

8,10

2

Caminhão leve, ônibus, caminhão e furgão

2

Dupla

16,20

3

Caminhão, caminhão com semirreboque e ônibus

3

Dupla

24,30

4

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

4

Dupla

32,40

5

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

5

Dupla

40,50

6

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

6

Dupla

48,60

7

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

7

Dupla

56,70

8

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

8

Dupla

64,80

9

Caminhão com reboque e caminhão com semirreboque

9

Dupla

72,90

10

Automóvel ou caminhonete com semi-reboque

3

Simples

12,20

11

Automóvel ou caminhonete com reboque

4

Simples

16,20

12

Motocicleta, motoneta e bicicleta a motor

2

Simples

4,10

Fonte: Diário Oficial de Pernambuco

  

26 DE OUTUBRO 2018. 

Folha de PE

Economia 

ENERGIA

Painel solar será pago na conta de luz de pessoas físicas

Parceria da Sdec com a Celpe vai permitir a oferta do programa PE Solar, que facilita a instalação dos painéis, para as pessoas físicas. Antes, só empresas eram beneficiadas

Instalar painéis de energia solar em casa está mais fácil. É que o investimento realizado para gerar a própria energia agora pode ser pago na conta de luz, através da economia criada com os painéis fotovoltaicos - o que reduz a obrigação de pagar mais um boleto no fim do mês. A possibilidade faz parte do programa PE Solar, que foi ampliado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado (Sdec-PE) através de uma parceria com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). 

“O futuro da energia é a geração distribuída, através de usinas pequenas no teto das casas. Por isso, ampliamos o PE Solar e estamos facilitando o pagamento dos painéis”, contou o secretário executivo de energia de Pernambuco, Lula Cardoso Ayres. Ele explicou que o PE Solar existe desde 2015, mas funcionava apenas para pessoas jurídicas. Agora, passa a atender pessoas físicas e de forma facilitada, por conta da parceria com a Celpe. “Estamos ampliando o programa para os consumidores residenciais e ainda estamos dando a possibilidade de eles descontarem as parcelas dos painéis na conta de luz”, contou Ayres, garantindo que tudo isso será feito de forma simples. 

Os consumidores interessados em gerar a própria energia devem entrar no site do PE Solar para ver as empresas de instalação de painéis fotovoltaicos credenciadas no programa - atualmente, 19 estão cadastradas pelo governo. O consumidor pode, então, negociar os preços e a instalação da sua usina solar diretamente com a empresa. Só na hora do pagamento é que ele vai optar por descontar o financiamento na conta de luz. “O consumidor não precisa fazer essa negociação com a gente. E isso não tem um custo extra”, acrescentou a gerente de relações institucionais da Celpe, Érica Ferreira.

O programa ainda deve gerar economia para o consumidor. É que a geração dos painéis vai reduzir o consumo da energia da Celpe. E é essa redução que será usada para pagar os painéis. “Tudo o que for gerado na residência vai para o consumidor. Se houver sobras, elas serão injetadas na rede da distribuidora, mas servirão como crédito para serem usadas em até 60 meses. E ainda há a possibilidade de o consumidor indicar outro imóvel, que também esteja vinculado ao seu CPF, para ser alimentado por essa sobra. Ou seja, ele vai se atender. Então, haverá redução de consumo e economia”, explicou Érica, dizendo que, por conta disso, a Celpe só vai cobrar o consumo extra, que não for gerado pelas placas solares.

Se o consumidor chegar ao ponto de gerar toda a sua energia, a companhia só vai cobrar a taxa mínima de luz, que é de R$ 24 para residências e de R$ 80 para estabelecimentos comerciais. E a Sdec garante que, dependendo do tamanho dos painéis, é possível que isso aconteça. Caso o cliente gaste R$ 500 com luz, mas passe a gerar toda a sua energia, por exemplo, será cobrada apenas a tarifa de R$ 24. 

Nos primeiros anos, contudo, a conta também virá com o valor das parcelas dos painéis. Se o financiamento for de R$ 326, por exemplo, a conta será de R$ 350. “Mas o tempo de vida médio dos painéis é de 25 anos e os financiamentos normalmente duram menos. Por isso, o desconto da conta de energia será usado para pagar os painéis apenas nos primeiros anos. Depois, vai todo para você”, concluiu Lula.

 

05 DE OUTUBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 05 de outubro de 2108

 

05 DE OUTUBRO 2018. 

Folha de PE

Economia 

Abastecimento de energia terá reforço em Pernambuco

Celpe está investindo mais de R$ 31 milhões na construção de cinco subestações em diversas regiões de Pernambuco e em um novo alimentador, que vai beneficiar o Agreste.

Para melhorar o abastecimento energético em diversas regiões de Pernambuco, serão construídas cinco subestações de energia elétrica. Além disso, um novo alimentador de média tensão vai beneficiar a produção do polo de confecções de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste. A partir da demanda feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Sdec), com aval do Governo do Estado, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) vai realizar as obras. Com investimento de R$ 31.552.333,49, o projeto deve ser concluído até o início de 2020.

Essas construções fazem parte de uma cláusula do contrato assinado entre a Celpe e o Governo no ano de 2000, época da privatização da companhia. “Foi previsto em contrato que 1% da receita operacional líquida anual da Celpe, o que gira em torno de R$ 40 milhões, fosse aplicado em obras de benefícios sociais. São obras para melhoria nas condições de atendimento”, explicou o secretário executivo de Energia do Governo, Luiz Cardoso Ayres Filho.

As subestações de 69/13,8 quilovolts (kV) vão ser construídas nas seguintes cidades: Recife (subestação Pau Ferro), Goiana(subestação Tejucupapo), Ipojuca (Subestação Nossa Senhora do Ó), Petrolina e Tacaratu. “Essas construções vão beneficiar diversas áreas a fim de melhorar a qualidade de energia. Vão ampliar a capacidade e levar desenvolvimento para as regiões. Vão aumentar a oferta de energia de forma geral, para indústrias, casas e comércio”, registrou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Antonio Mário Pinto. O sistema alimentador de 13,8 kV, de Santa Cruz do Capibaribe, terá 4,5 km de extensão e seu principal objetivo é beneficiar o desenvolvimento econômico do polo têxtil da região.

Ainda segundo o secretário de Desenvolvimento, o investimento vem de recursos oriundos da Celpe, na espécie de um fundo que vai sendo utilizado quando a demanda é apresentada. “Ainda deve ter acumulado em torno de R$ 60 milhões atualmente, mas o fundo vai recebendo a verba a cada ano”, disse o secretário.

A partir dessa parceria entre o Governo e a Celpe, outras obras já estão em fase de execução. Uma delas é a trifasicação de mais de 140 quilômetros (km) de redes monofásicas. Além disso, há a construção da linha de transmissão Bom Nome/Carnaubeira da Penha de 49 km em 138 kV, que vai propiciar a conexão de usinas de geração solar de grande porte no Sertão.

 

04 DE OUTUBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 04 de outubro de 2018

 

02 DE OUTUBRO DE 2018. 

Jornal do Commercio 

Economia 

Compesa investe R$ 32 milhões em nova adutora

Sistema irá levar água do da Transposição do rio São Francisco direto para o município de Custódia

 A Adutora do Moxotó deve começar a levar água até pesqueira neste fim de semana

A partir do mês de novembro, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) deve tirar do papel a construção de mais uma adutora em Pernambuco. Ao custo de R$ 32 milhões, por meio de empréstimo firmado entre o Estado e o FGTS, o Novo Sistema Adutor de Custódia, no Sertão, deverá levar água do Rio São Francisco direto para as torneiras da cidade.

De acordo com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, a obra será suficiente para tirar os cerca de 36 mil habitantes do município da dependência das chuvas. “Iremos aproveitar a mesma estrutura de captação da Adutora do Moxotó. A cidade de custódia já tem uma barragem, mas não aguenta um ano sem chuva. Com a conclusão da obra, teremos água durante todos os meses no município”, diz Tavares.

Embora já esteja em fase final do processo licitatório e com uma empresa (ainda não revelada) já vencedora, a obra, caso seja iniciada em novembro, deve ser concluída em meados do fim de 2019. O serviço consiste na construção de uma estação elevatória (sistema de bombeamento), no distrito de Rio da Barra, em Sertânia, da adutora de 23 quilômetros de extensão, às margens da BR-232, e de uma nova estação de tratamento de água - com capacidade para tratar até 85 litros de água por segundo - o que, segundo a Compesa, é suficiente para atender o município. Custódia conta atualmente apenas com o manancial de Marrecas, que tem a capacidade de armazenar 21 milhões de metros cúbicos de água, mas está em pré-colapso.

Além dessa adutora, a companhia também mantém em obras as adutoras de Serro Azul, do Alto Capibaribe e Moxotó, essa última faz o mesmo traçado do Ramal do Agreste, que deveria captar água do Eixo Leste da Transposição a partir de Sertânia e levar até Arcoverde, mas só deve ser concluída pelo Governo Federal em 2020.

MOXOTÓ

Como alternativa ao Ramal, a adutora do Moxotó, que pode transportar 450 litros por segundo, está em fase operacional e já abastece com água do Rio São Francisco cerca de 75 mil pessoas no município de Arcoverde, no Sertão. O próximo passo, segundo a própria Compesa, é fazer com que a água chegue até Pesqueira, antes do sistema adutor encontrar o começo da Adutora do Agreste, obra que carece do repasse de recursos federais.

“Moxotó já está numa fase operacional, mas funcionando com abastecimento só para Arcoverde. A perspectiva é de chegar água em pesqueira até o fim de semana que vem, depois levaremos água para Sanharó, Belo Jardim, Tacaimbó e São Caetano”, confirma Tavares.

 

27 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 27 de setembro de 2018

 

21 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 21 de setembro de 2018

 

20 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Suape avança para construir térmica a gás

Complexo anunciou arrendamento de área e três empresas já expressaram interesse em ergue usina, como a multinacional Golar Powerl

Em busca de novos negócios, o Complexo Industrial e Portuário de Suape está se movimentando para destravar o projeto que pretende construir uma usina térmica a gás no Litoral Sul do Estado. E o porto já tem um novo aliado neste processo: a Golar Power multinacional que atua na geração de energia a gás em Sergipe e agora quer erguer outro empreendimento deste tipo em Pernambuco. Por isso, Suape está arrendando uma área de 15 hectares para a implantação da usina, que, se for realmente tocada pela Golar, pode gerar 2,5 mil empregos e R$ 4,5 bilhões em investimentos só na fase de construção.

Presidente de Suape, Carlos Vilar explicou que três empresas já demonstraram interesse no projeto da térmica, que pode ser leiloado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) ainda neste ano. A Golar é uma delas, mas não teria condições de participar do leilão federal porque ainda não dispõe de nenhum terreno em Suape. “A Gasen e a CHPK, que são as outras interessadas, já têm áreas arrendadas em Suape para isso. Mas a Golar não. Por isso, vem negociando conosco e pediu a realização de um processo de licitação com urgência para poder se habilitar ao leilão previsto para dezembro”, contou Vilar, dizendo que este processo de arrendamento realmente acontece desta forma, por provocação do setor privado. “A empresa apresenta o pedido e a gente faz o chamamento. Mas o arrendamento fica aberto para todos os interessados. Outras empresas podem participar. Vai ganhar quem apresentar as melhores condições de preço. Afinal, o interesse maior de Suape é pelo negócio que vai surgir com a implantação da usina, gerando empregoinvestimento arrecadação para o Estado”, garantiu Vilar.

Por conta disso, o arrendamento, que foi publicado no Diário Oficial do Estado dessa quarta-feira (19) e recebe propostas até 22 de outubro, é bem específico: busca interessados na implantação de uma usina termelétrica com unidade regaseificadora de gás natural liquefeito. Segundo Suape, o processo deve ser concluído em novembro e estima em R$ 30 milhões o arrendamento do terreno por um período de 300 meses.

Térmica

Suape já conta com uma usina térmica a gás, que, inclusive, está para ser ampliada. Mas já há alguns anos é discutida construção de um novo empreendimento deste tipo no complexo industrial do porto pernambucano. E essa possibilidade ganhou força neste mês, quando o Ministério de Minas e Energia anunciou a intenção de realizar leilões regionais, começando pelo Nordeste, para incentivar a geração de energia térmica a gás natural, que é mais barata e menos poluente que a térmica a óleo combustível, no País. “Suapetem vantagem nesse processo porque permite que o navio atraque a apenas 400 metros da área da usina. Já em Sergipe, o navio que traz o gás natural fica no alto mar, a um quilômetro de distância”, argumentou Vilar, dizendo que isso reduz o gasto necessário para a construção dos dutos que vão levar o gás dos navios para a térmica.

 

20 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Agência Nacional de Águas prepara cobrança pela água

Os valores só começarão a ser cobrados depois da assinatura de contrato entre o operador estadual e a Codevasf

Os valores para o fornecimento da água bruta do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) para 2018 foram definidos pela Agência Nacional de Águas (ANA). Em publicação divulgada no Diário Oficial da União de ontem, a ANA estabeleceu os preços para a tarifa de disponibilidade (R$ 0,801 por metro cúbico), que cobre os custos fixos para fornecer a água, e a tarifa de consumo (R$ 0,244), relativa ao que for efetivamente utilizado da água. Essas tarifas serão pagas pelo operador estadual à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), responsável por operar o PISF, fornecendo a água bruta aos estados.

Os valores só começarão a ser cobrados depois da assinatura de contrato entre o operador estadual e a Codevasf. “Até o dia 31 de dezembro deste ano é o prazo para assinatura do contrato. A data que vai começar a cobrança da operação ainda não está definida. O Estado de Pernambuco tem indicado que será a Compesa [Companhia Pernambucana de Saneamento] a responsável por comprar a água bruta do São Francisco”, explicou o superintendente adjunto de regulação da ANA, Patrick Thomas.

Atualmente, o projeto da transposição está em fase de pré-operação, ou seja, em teste. Ele ainda entrará em fase de operação comercial após a assinatura do contrato. “A partir dessa assinatura, o Estado vai pagar pela tarifa de disponibilidade, que serve para cobrir os custos fixos, como aluguel da sede da Codevasf e o salário dos funcionários. Quando a água começar a ser entregue para o operador estadual, começará a cobrança da tarifa de consumo, que será de acordo com a água que for efetivamente entregue, ou seja, o custo de energia para bombear a água” explicou Thomas.

No último dia 9, a ANA aprovou a resolução estabelecendo o primeiro Plano de Gestão Anual (PGA), que determinou a quantidade máxima da água a ser disponibilizada para os estados. “A Codevasf pode entregar para Pernambuco até 0,75 metro cúbico por segundo (m³/s)”, informou Thomas.

Esses valores das tarifas servirão apenas nos meses em que começar a operação neste ano. Em 2019, serão outras tarifas. “Esses pagamentos são importantes para a sustentabilidade financeira do projeto. A Codevasf precisa cobrir custos de operação e manutenção para que os estados recebam a água com segurança”, destacou Thomas.

 

13 DE SETEMBRO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Comitê mantém usinas termelétricas mais caras acionadas

A decisão desta quarta-feira vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh e vale para o período de 15 a 21 de setembro.

Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, ligado ao Ministério de Minas e Energia, decidiu nesta quarta-feira (12), em reunião extraordinária, manter o acionamento de usinas termelétricas mais caras fora da ordem de mérito, pela terceira semana seguida.

A decisão desta quarta-feira vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh e vale para o período de 15 a 21 de setembro. A medida diz respeito a um conjunto de 14 usinas e reafirma decisão tomada pelo CMSE no início do mês, no dia 1° de setembro, quando acionou as usinas, após uma reunião extraordinária e, posteriormente, no dia 5 quando manteve o acionamento.

Segundo nota do comitê, que é responsável por monitorar as condições de abastecimento e o atendimento ao mercado de energia elétrica do país, o principal motivo para manter o despacho das termelétricas é o baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de geração de energia no país.

A medida levou em consideração os atuais níveis de armazenamento dos subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN) e a perspectiva até o final do mês de novembro de 2018. Também foi realizada uma análise específica do volume dos reservatórios no subsistema Sudeste/Centro-Oeste e também de reservatórios de usinas de cabeceira dos rios Grande e Paranaíba, “visando a garantia de controle da cascata hidráulica e a manutenção da navegabilidade da Hidrovia Tietê-Paraná”, infromou o CMSE.

CMSE disse ainda que há previsão meteorológica para os próximos sete dias de precipitações entre o norte da Região Sul e o sul da Região Sudeste. Segundo o comitê, as bacias mais beneficiadas serão Iguaçu, Jacuí e Uruguai, no subsistema Sul.

Comitê reiterou a garantia do suprimento no ano de 2018 e destacou que há recursos energéticos disponíveis, inclusive além dos montantes já despachados de usinas termelétricas.

 

05 DE SETEMBRO 2018.

Folha de PE

Cotidiano

Implantação de rede de distribuição de água altera itinerário de ônibus em Olinda

As mudanças acontecem a partir desta quarta (5), alterando linhas que circulam pelo bairro de Rio Doce

Grande Recife Consórcio de Transporte mudará o itinerário de 14 linhas de ônibus a partir desta quarta-feira (5) até o próximo dia 24 de setembro. A alteração vai ocorrer para obra de implantação de rede de distribuição de água no bairro de Rio Doce, interditando a Rua Clídio de Lima Nigro, conhecida como ‘Rua 01’, no trecho entre a Av. Coronel Frederico Lundregn e a Rua Fenelon Átilo Leite.

Confira as mudanças nos itinerários das linhas:

881 - TI Xambá/Rio Doce
884 - Jardim Brasil/Rio Doce

885 - Sítio Novo/Rio Doce
886 - Ouro Preto/Rio doce
1983 - Rio Doce (Princesa Isabel) - feira de Rio Doce
2920 - Rio Doce/CDU
2930 - Rio Doce/Dois Irmãos
1985 - Rio Doce (Bacurau)

Sentido Varadouro/Rio Doce
Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, Rua Belo Horizonte...

Sentido Rio Doce/Varadouro
Av. Governador Carlos De Lima Cavalcanti, Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

1907 - Paulista/Rio Doce - via Bultrins
1996 - Arthur Lundgren II/Rio Doce (Paratibe)

Av. Brasil, giro à direita na Rua São João Batista, giro à esquerda na Rua Rogaciano de Santana, giro à esquerda na Rua Manoel Graciliano De Souza, giro à direita na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

882 - TI Xambá/Rio Doce (Carlos de Lima Cavalcanti)
1986 - TI Rio Doce/TI PE-15

Rua Manoel Graciliano De Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

1981 - Rio Doce (Conde da Boa Vista)

Sentido subúrbio/cidade
Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, Rua São João Batista...

Sentido cidade/subúrbio
Rua Manoel Graciliano de Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Avenida Brasil...

1907 - Paulista/Rio Doce - via PE-022

Av. Brasil, Av. Coronel Frederico Lundgren, giro à direita na Rua São João Batista, giro à esquerda na Rua Rogaciano de Santana, giro à esquerda na Rua Manoel Graciliano de Souza, giro à esquerda na Av. Coronel Frederico Lundgren, Av. Brasil.

Em caso de dúvidas, sugestões ou reclamações o usuário pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou no WhatsApp (9 9488.3999), exclusivo para reclamações.

Folha de PE

Economia 

Aneel aprova aumento de R$ 1,9 bi para conta de políticas públicas

O valor do aumento aprovado pela Aneel será repassado por meio da tarifa de energia, na conta de luz das distribuidoras de energia que ainda passarão por reajustes tarifários esse ano

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (4) um aumento extraordinário de R$ 1,937 bilhão no orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que passará de R$ 18,843 bilhões para R$ 20,053 bilhões. Com a medida, haverá aumento nas contas de luz. O impacto médio previsto nas tarifas será de 1,6% para os consumidores dos estados do Centro-Sul e de 0,3% do Norte e Nordeste.

valor será repassado por meio da tarifa de energia, na conta de luz das distribuidoras de energia que ainda passarão por reajustes tarifários esse ano. Para as demais, o valor deverá ser compensado nos processos do ano que vem como componente financeiro. A CDE é usada para custear diversas políticas públicas do setor elétrico brasileiro, como o subsídio à conta de luz de famílias de baixa renda; programas como o Luz Para Todos; pagamento de indenizações a empresas e compra de parte do combustível usado pelas termelétricas.

A revisão dos valores já havia sido proposta pela Aneel no início de agosto. Na ocasião, a pedido da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que controla os repasses das CDE, a agência propôs um reajuste de R$ 1,446 bilhão. O aumento, no entanto, acabou 2% maior em relação ao previsto.

Segundo a agência, o aumento se deve, entre outros fatores, ao acréscimo de 20% nos descontos tarifários concedidos aos usuários dos serviços de distribuição de energia elétrica, em decorrência da migração de consumidores especiais de energia (com carga mínima de 500 kW) para o chamado mercado livre. Desta forma, os descontos passaram de R$ 6,944 bilhões para R$ 8,362 bilhões.

Também pesou a inclusão de mais recursos para cobrir os gastos da Conta de Consumo de Combustíveis (CC), que passaram de R$ 5,346 bilhões para R$ 5,849 bilhões. O montante maior de recursos, cerca de R$ 406 milhões, irá para o acionamento de usinas termelétricas em Roraima, por conta da eventual interrupção do fornecimento de energia elétrica da Venezuela para o estado.

De acordo com o diretor da agência e relator do processo, Rodrigo Limp, caso a linha de transmissão que vai conectar Manaus (AM) a Boa Vista (RR) estivesse pronta, o acionamento de térmicas não seria necessário. Ainda não foi concedido o licenciamento ambiental para iniciar a obra. “Se tivéssemos essa linha pronta, o fornecimento a Roraima seria mais seguro e muito mais barato”, disse Limp.

Outro fator que pesou no aumento foi a prorrogação, até dezembro, do regime de operação temporária pela Eletrobras das distribuidoras dos estados de Alagoas, Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima e Piauí. A medida impactou a Reserva Global de Reversão (RGR), outro fundo setorial que compõe a receita da CDE. Em razão da prolongação do regime temporário dos contratos de operações das distribuidoras, a conta deixará de receber cerca de R$ 770 milhões.

 

01 DE SETEMBRO 2018.

Assessoria de Imprensa - Compesa  

Chuva impede conclusão de obra de esgoto no bairro do Arruda

Em virtude das chuvas registradas neste fim de semana, a  Companhia Pernambucana de Saneamento-Compesa não conseguiu  concluir  a segunda etapa  da obra de esgoto iniciada na última sexta-feira (31), na Rua Professor José dos Anjos, no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife. Por isso, as intervenções continuam até amanhã (4 ). A obra, que pretende recuperar um trecho de 20 metros da rede coletora de esgoto,  estava prevista para ser concluída ontem (2). O trecho de 500 metros da Rua Professor José dos Anjos no sentido Peixinhos ? Arruda, entre as Ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho, permanece interditado, assim como o cruzamento da Rua Professor José dos Anjos com a Rua Petronila Botelho.

Para os veículos que trafegam no sentido Arruda ? Peixinhos pela Rua Professor José dos Anjos, será proibido realizar a conversão à esquerda para acessar a Rua Petronila Botelho. Para quem vem do bairro da Encruzilhada em direção ao bairro do Arruda, pela Rua Petronila Botelho, terá que entrar à direita na Rua Professor José dos Anjos. Os veículos, nesses dois fluxos, deverão realizar um desvio pela Rua Desenhista Eulino Santos, acessar a Rua Professor José dos Anjos (sentido Peixinhos ? Arruda) e seguir o desvio pela Rua Pedro Rodrigues de Barros, para em seguida entrar à esquerda na Rua das Moças e seguir até a Avenida Beberibe. De lá, os condutores podem retornar à Avenida Professor José dos Santos. Já para os veículos que trafegam pela Rua Petronila Botelho no sentido Arruda ? Encruzilhada, o desvio será realizado pela Rua Professor José dos Anjos para acessar a Avenida Beberibe. Os motoristas devem estar atentos à sinalização nas vias.

A obra é realizada pela BRK Ambiental, parceira privada da Compesa, e é uma ação de extrema importância para a manutenção do bom funcionamento do sistema e fluxo de esgoto da região.

 

01 DE SETEMBRO 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 01 de setembro de 2018

 

31 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Açudes não se recuperam e comprometem retomada no NE

Na faixa costeira que vai do sul da Bahia ao Rio Grande do Norte, por exemplo, as chuvas acontecem entre abril e julho.

O Nordeste, região que enfrenta sete anos consecutivos de estiagem, tem três regimes de chuvas em condições normais. Na região mais ao norte, que inclui Ceará e partes do Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão, o período mais chuvoso é entre fevereiro e maio. Mais ao sul, o que inclui Bahia e norte de Minas, as chuvas concentram-se entre novembro e fevereiro. Já na faixa costeira que vai do sul da Bahia ao Rio Grande do Norte, as chuvas acontecem entre abril e julho.

Neste período e região, choveu. O resultado, porém, é que, mesmo com um volume maior de precipitações do que em anos anteriores, a maioria dos reservatórios do semiárido ainda tem restrições de uso -cenário que mantem estagnada a atividade econômica dos municípios atingidos. Dos açudes no semiárido monitorados pela ANA (Agência Nacional de Águas), apenas 10% atingiram uma cota de água suficiente para garantir os seus usos múltiplos -da irrigação ao abastecimento humano- no próximos 18 meses.

Os demais 90% dos açudes monitorados têm algum tipo de restrição para captação de água -62% deles estão no chamado estado hidrológico vermelho, situação considerada de escassez hídrica que impacta não só a atividade econômica, mas também a pequena agricultura e até o abastecimento das cidades. O Castanhãomaior açude para usos múltiplos da América Latina, localizado no sertão do Ceará, resume bem a situação da segurança hídrica da região.

Em fevereiro deste ano, o açude atingiu o nível mais baixo de sua história -com 6,7 bilhões de metros cúbicos de volume útil, chegou a 2,04% de sua capacidade e atingiu o volume morto. Com as chuvas que caíram entre fevereiro e abril, o açude ganhou volume. Foi a 8,8% em abril. Mas desde então, vem perdendo volume dia após dia. Nesta terça-feira (27), estava em 6,8% de sua capacidade.

"Estamos perdendo entre três e quatro centímetros de lâmina d'água por dia com abastecimento e com a evaporação", diz Fernando Pimentel, administrador do Complexo Castanhão. Ao todo foram cerca de 400 milímetros de chuva na região no primeiro semestre deste ano, o dobro registrado no mesmo período de 2017: "Foi pouco. A chuva veio em um volume pequeno e muito irregular", diz Pimentel.

A situação não é diferente em outras regiões do semiárido. Na Paraíba, o açude Epitácio Pessoa, conhecido como Boqueirão, chegou a 34,3% de sua capacidade em julho após o ciclo de chuvas e a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco, em abril ano passado.

A chegada da água fez com que o racionamento de água para consumo humano fosse suspenso em Campina Grande. Contudo, ainda há restrições do uso da água para indústrias e para irrigação. Segundo a ANA, a água está liberada apenas para agricultura de subsistência para áreas plantadas de até meio hectare.

No sistema Curema-Mãe D'Água, sertão da Paraíba, o nível de água chegou a 18,8% no açude Curema e 9,7% no açude Mãe D'Água. O volume, contudo, foi insuficiente para a retomada dos perímetros agrícolas da região. "Foi um respiro. Os barreiros e pequenos açudes voltaram a encher. Mas ainda está longe de termos água para produzir", afirma o agricultor Francisco Honorato Filho, 63, presidente do sindicato dos trabalhadores rurais de Sousa (440 km de João Pessoa).

cidade é o centro polo de fruticultura Alto Piranhas, que engloba mais de dez municípios da região e ganhou fama por produzir uma das águas de coco de melhor qualidade do país. Desde 2012, contudo, o acesso a irrigação foi sendo paulatinamente suspenso na região. Dono de um lote no perímetro irrigado, Francisco Honorato chegou a ter mais de dois mil coqueiros plantados em suas terras, mas viu todas as árvores morrerem nos últimos seis anos por falta de água. "Foi um prejuízo absurdo", diz.

Já no rio São Francisco, o nível de reservatório de Sobradinho –que há um ano era de 9,3%– chegou a 29,1%. Com isso, o uso da água para os perímetros irrigados foi flexibilizado. A irrigação que estava suspensa um dia por semana –todas as quartas-feiras– passou a ser interrompida apenas uma vez a cada 15 dias desde julho deste ano. Ainda assim, os produtores dos perímetros de fruticultura da região de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE) reclamam de prejuízos.

"Temos uma perda de cerca de 15% da safra. É uma situação que gera um desestímulo a novos plantio e faz com que a região não cresça", afirma José Gualberto de Freitas, presidente da Valexport, entidade que congrega produtores e exportadores de frutas da região. Também houve flexibilização no uso da água para fins industriais e de mineração: as empresas que captam água do São Francisco por mais de 13 horas por dia, que vinham reduzindo o volume de água usada em 14% atualmente são obrigados a reduzir apenas 7%. Se as chuvas caíram de forma esparsa no semiárido, houve chuva acima da média em algumas regiões do litoral nordestino, sobretudo nas regiões sul e do recôncavo baiano.

O resultado é que os reservatórios que abastecem as maiores regiões metropolitanas da região, que há um ano estavam a beira do colapso há cerca de um ano, voltaram a encher. Na Grande Salvador, o reservatório Joanes II, que em maio de 2017 atingiu 8% de sua capacidade, em julho deste ano chegou a 94%, afastando a possibilidade de racionamento na capital baiana. O mesmo aconteceu com reservatórios que abastecem a região metropolitana do Recife, como os açudes de Botafogo, Goitá e Duas Unas.

 

Folha de PE

Economia 

Venezuela pode suspender repasse de energia elétrica a Roraima

Roraima é a única unidade da federação brasileira que não está interligada ao sistema elétrico nacional e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A estatal energética venezuelana Corpolec, que fornece energia elétrica para Roraima, ameaça suspender o fornecimento para o estado por causa de uma dívida da Eletronorte. Roraima é a única unidade da federação brasileira que não está interligada ao sistema elétrico nacional e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelana, mas diz que o débito não resulta de falta de dinheiro em caixa para pagar a Corpoelec, e, sim, de “dificuldades operacionais” para transferir os US$ 4 milhões mensais atualmente pagos pelo fornecimento de energia – serviço que vem sendo prestado regularmente desde 2001.

Ainda de acordo com a Eletronorte, as dificuldades de transferência de dólares para o país vizinho por meio do banco em que a Corpoelec tem conta começou após o governo dos Estados Unidos impor uma série de medidas restritivas contra a Venezuela, seu presidente, Nicolás Maduro, e altos funcionários do governo.

Fornecimento por termelétricas

O Ministério de Minas e Energia confirmou que a Eletronorte tem enfrentado dificuldades para remeter os pagamentos à Corpoelec e garantiu que o governo federal está empenhado em buscar uma solução institucional para o problema. Na última terça-feira (28), o tema foi tratado em uma reunião ministerial no Palácio do Planalto.

O ministério minimizou o potencial de prejuízo para a população de Roraima caso o fornecimento seja temporariamente suspenso, pois a demanda seria suprida por usinas termelétrica acionadas em casos emergenciais.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reitera que as usinas termelétricas de Roraima estão preparadas para suprir eventual falha no fornecimento de energia elétrica pela Venezuela, mas isso irá encarecer os custos e pode ocasionar uma alta no preço da conta de luz de todos os brasileiros.

“As termelétricas têm um custo de operação mais elevado e, portanto, trazem custo adicional para a operação do sistema. Esse custo eventual é recuperado no âmbito da Conta de Desenvolvimento Energético, portanto, é custeado por todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional”, informou a Aneel à Agência Brasil.

Para o chefe da Casa Civil do governo de Roraima, Frederico Linhares, além de encarecer a conta de luz, contar com o aporte das termelétricas não é a solução adequada. “O parque térmico não é suficiente para suprir a demanda do estado, que já sofre com a falta de energia elétrica quase que diariamente e paga uma das tarifas mais caras do país. Precisamos de uma solução rápida para este problema com a Venezuela e acredito que o governo federal tem os instrumentos necessários para, em conjunto com as autoridades venezuelanas, buscar uma alternativa a qualquer problema operacional”, argumentou Linhares.

Pedido de informações

Segundo Linhares, o governo estadual ainda não recebeu informações oficiais a respeito da situação. “No ofício que enviamos na segunda-feira [27], pedimos respostas em um prazo de 48 horas. Mesmo assim, até o momento, não recebemos nenhuma informação”, disse Linhares, sobre os questionamentos feitos a órgãos federais como o Ministério de Minas e Energia, Casa Civil, Itamaraty e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), além do Banco Central e das empresas Eletrobras e a sua subsidiária, a Eletronorte.

De acordo com o chefe da Casa Civil, representantes do governo estadual têm conversado com autoridades venezuelanas e com diretores da Corpoelec. “É um contato extraoficial, facilitado pelo fato de sermos um estado fronteiriço que tem relações comerciais diretas com o país vizinho, mas eles nos dizem muito pouco. Nem sequer confirmam se de fato há uma ameaça de suspender o fornecimento para Roraima”, acrescentou Linhares, criticando a falta de informações que permitam ao governo estadual tranquilizar a população.

 

30 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

TRF2 suspende leilão de compra de energia marcado para esta sexta

Decisão foi tomada após a empresa Evolution Power Partners, uma geradora de energia térmica, ter interposto um agravo de instrumento pedindo a regularização

O presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), desembargador federal André Fontes, suspendeu nesta quinta (30) a realização do leilão para a contratação de empreendimentos de geração de energia A-6, marcado para esta sexta-feira (31).

certame deveria ocorrer por meio de sistema eletrônico na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) a partir das 10h, em São Paulo.

decisão foi tomada após a empresa Evolution Power Partners, uma geradora de energia térmica, ter interposto um agravo de instrumento pedindo a regularização, por parte da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), de informação relativa à habilitação técnica para o certame.

Ao suspender o leilão, o desembargador postulou que a medida visa a afastar “possível violação do princípio da isonomia”. Ele entendeu que, como o leilão é para compra de energia futura, prevista para entrega em seis anos, não haveria prejuízo econômico.

“Seria salutar permitir aos agentes econômicos o exercício da livre concorrência, que é própria de um regime democrático, com a observância das regras de igualdade para todos os participantes”, disse o desembargador.

O presidente do TRF2 determinou ainda a abertura de um prazo de 15 dias para que as partes se manifestem.

O leilão de geração A-6 visa a contratar energia proveniente de novos empreendimentos de usinas hidrelétricas, térmicas (carvão, gás natural e biomassa) e eólicas. O prazo para início do fornecimento de energia é de seis anos, em 2024. Do montante que seria ofertado, 928 projetos referem-se a empreendimentos eólicos, representando cerca de 45,91%.

 

Folha de PE

Economia 

Três distribuidoras da Eletrobras são vendidas em leilão sem disputa

Não houve concorrência em nenhum dos leilões das distribuidoras, com a apresentação de apenas uma proposta em cada um deles

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) vendeu nesta quinta-feira (30), em leilão, três empresas da Eletrobras. Não houve concorrência em nenhum dos certames das distribuidoras, com a apresentação de apenas uma proposta em cada um deles. A Energisa arrematou duas distribuidoras. O outro vencedor foi o Consórcio Oliveira Energia. Pelas regras do leilão, foi considerada vencedora a proponente que ofereceu o lance com maior índice de deságio na flexibilização tarifária, que deveria ser acima de zero.

A Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) foi vendida por índice de deságio de 31, o que significa que a compradora não abriu mão de toda a flexibilização tarifária concedida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nos casos de empréstimos adquiridos antes do edital de licitação, por exemplo, a Energisa receberá 59% do saldo devedor dos empréstimos a pagar. A Energisa também arrematou a Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) pelo índice 21. O Consórcio Oliveira Energia comprou a Boa Vista Energia – distribuidora de energia em Roraima – pelo índice de deságio zero.

Demais distribuidoras

O leilão da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) continua suspenso devido a uma decisão judicial do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, que impediu a venda da companhia, após ação movida pelo governo do estado. A venda da Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas Energia), que também ocorreria nesta quinta (30), foi remarcado pelo BNDES para o dia 26 de setembro.

primeira distribuidora a ser vendida foi a Companhia Energética do Piauí (Cepisa), em leilão realizado no dia 26 de julho. A Cepisa foi adquirida pela única proponente, a Equatorial Energia S.A., que ofereceu índice de deságio na flexibilização tarifária de 119. Antes do início do certame, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, disse que a venda de distribuidoras da Eletrobras é uma medida para corrigir distorções entre os consumidores de diferentes regiões do país.

“Desde que assumi o ministério, estamos nessa luta para que pudéssemos privatizar essas distribuidoras e superamos todas as dificuldades. (…). Esperamos hoje garantir a mais de 3 milhões de brasileiros que vivem sendo abastecidos por essas três empresas que possam usufruir da mesma condição, mesma qualidade e tarifa”, acrescentou.

 

Diário de PE

Economia 

Venezuela pode suspender repasse de energia elétrica a Roraima

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelanaA estatal energética venezuelana Corpolec, que fornece energia elétrica para Roraima, ameaça suspender o fornecimento para o estado por causa de uma dívida da Eletronorte. Roraima é a única unidade da federação que não está interligada ao sistema elétrico nacional, e depende do país vizinho para garantir o abastecimento energético.

A Eletronorte reconhece que tem uma dívida de US$ 30 milhões com a estatal venezuelana, mas diz que o débito não resulta de falta de dinheiro em caixa para pagar a Corpoelec, e sim de “dificuldades operacionais” para transferir os US$ 4 milhões mensais atualmente pagos pelo fornecimento de energia – serviço que vem sendo prestado regularmente desde 2001.

Ainda de acordo com a Eletronorte, as dificuldades de transferência de dólares para o país vizinho por meio do banco em que a Corpoelec tem conta começou após o governo dos Estados Unidos impor uma série de medidas restritivas contra a Venezuela, seu presidente, Nicolás Maduro, e altos funcionários do governo.

Fornecimento por termelétricas

O Ministério de Minas e Energia confirmou que a Eletronorte tem enfrentado dificuldades para remeter os pagamentos à Corpoelec e garantiu que o governo federal está empenhado em buscar uma solução institucional para o problema. Na última terça-feira (28), o tema foi tratado em uma reunião ministerial no Palácio do Planalto.

O ministério minimizou o potencial de prejuízo para a população de Roraima caso o fornecimento seja temporariamente suspenso, pois a demanda seria suprida por usinas termelétrica acionadas em casos emergenciais.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) reitera que as usinas termelétricas de Roraima estão preparadas para suprir eventual falha no fornecimento de energia elétrica pela Venezuela, mas isso irá encarecer os custos e pode ocasionar uma alta no preço da conta de luz de todos os brasileiros.

“As termelétricas têm um custo de operação mais elevado e, portanto, trazem custo adicional para a operação do sistema. Esse custo eventual é recuperado no âmbito da Conta de Desenvolvimento Energético, portanto, é custeado por todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional”, informou a Aneel à Agência Brasil.

Para o chefe da Casa Civil do governo de Roraima, Frederico Linhares, além de encarecer a conta de luz, contar com o aporte das termelétricas não é a solução adequada. “O parque térmico não é suficiente para suprir a demanda do estado, que já sofre com a falta de energia elétrica quase que diariamente e paga uma das tarifas mais caras do país. Precisamos de uma solução rápida para este problema com a Venezuela e acredito que o governo federal tem os instrumentos necessários para, em conjunto com as autoridades venezuelanas, buscar uma alternativa a qualquer problema operacional”, argumentou Linhares.

Pedido de informações

Segundo Linhares, o governo estadual ainda não recebeu informações oficiais a respeito da situação. “No ofício que enviamos na segunda-feira [27], pedimos respostas em um prazo de 48 horas. Mesmo assim, até o momento, não recebemos nenhuma informação”, disse Linhares, sobre os questionamentos feitos a órgãos federais como o Ministério de Minas e Energia, Casa Civil, Itamaraty e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), além do Banco Central e das empresas Eletrobras e a sua subsidiária, a Eletronorte.

De acordo com o chefe da Casa Civil, representantes do governo estadual têm conversado com autoridades venezuelanas e com diretores da Corpoelec. “É um contato extraoficial, facilitado pelo fato de sermos um estado fronteiriço que tem relações comerciais diretas com o país vizinho, mas eles nos dizem muito pouco. Nem sequer confirmam se de fato há uma ameaça de suspender o fornecimento para Roraima”, acrescentou Linhares, criticando a falta de informações que permitam ao governo estadual tranquilizar a população.

 

29 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Obra de esgoto altera trânsito no Arruda

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos será interditado a partir desta quarta-feira (29), às 9h.

Primeira intervenção será concluída às 19h da sexta-feira (31)

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no Arruda, Zona Norte do Recife, será interditado para a realização de obras de esgoto, a partir desta quarta-feira (29), às 9h. Segundo a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), a mudança ocorrerá entre as ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho. Intervenção será concluída às 19h da sexta-feira (31).

No período em que a obra estiver acontecendo, os motoristas que costumam trafegar pela Professor José dos Anjos precisarão fazer o desvio pela Rua Pedro Rodrigues de Barros, em seguida entrar à esquerda na Rua das Moças, para depois acessar a Avenida Beberibe. 

As Obras 

As obras serão realizadas para adequar a tubulação da rede de esgoto na região. A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) programou executar o serviço em duas etapas. Nesse primeiro momento, está prevista a substituição de cerca de 20 metros de rede, que está assentada a seis metros de profundidade. Com o término dos trabalhos nesse primeiro trecho, na sexta-feira (31) será iniciada a segunda etapa da obra, que continuará na mesma via, desta vez, no cruzamento da Rua Petronila Botelho com a Avenida Professor José dos Anjos.

A previsão é que os serviços da segunda etapa comecem às 19h da sexta-feira (31) e durem até as 5h do domingo (2), quando as duas vias já estarão livres para o tráfego novamente.

 

29 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Cotidiano 

Obra da Compesa interdita trecho de rua no Arruda

Um trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no sentido Peixinhos/Arruda será interditado, a partir das 9h desta quarta-feira (29), para que a Compesa realize uma obra de manutenção do sistema de esgotamento sanitário da localidade.

Os motoristas que pretendem circular pelo bairro do Arruda, na Zona Norte do Recife, devem ficar atentos a alteração no trânsito da regiãoUm trecho de 500 metros da Avenida Professor José dos Anjos, no sentido Peixinhos/Arruda será interditado, a partir das 9h desta quarta-feira (29), para que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realize uma obra de manutenção do sistema de esgotamento sanitário da localidade. A via será fechada no trecho entre as ruas Pedro Rodrigues de Barros e Petronila Botelho e liberada às 5h do domingo (2), quando a obra será concluída.

Neste período, os motoristas que costumam trafegar pela Professor José dos Anjos precisarão desviar pela rua Pedro Rodrigues de Barros, em seguida entrar à esquerda na rua das Moças, para depois acessar a avenida Beberibe. De lá, os motoristas poderão retornar à Avenida Professor José dos Anjos. De acordo com a companhia, os desvios estarão sinalizados para orientar os condutores. 

A obra, ainda segundo a Compesa, será executada em duas etapas. Na primeira, está previsto a substituição de 20 metros de rede, assentada a seis metros de profundidade do solo. Após a conclusão, será iniciada a segunda fase, que acontecerá na mesma via, no cruzamento da Rua Petronila Botelho com a Avenida Professor José dos Anjos. Os desvios da segunda etapa ainda estão em análise pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e assim que forem definidos serão divulgados.

 

28 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 28 de agosto de 2018

28 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Energia furtada em Pernambuco abasteceria 510 mil residências por dois meses, diz Celpe

Dado é do balanço da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), que deflagrou uma série de ações para combater o furto de energia elétrica no Estado

A quantidade de energia furtada em Pernambuco no primeiro semestre de 2018 seria suficiente para abastecer 510 mil residências, equivalente a um município como Jaboatão dos Guararapes, por dois meses. O dado é do balanço da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), que deflagrou uma série de ações para combater o furto de energia elétrica no Estado.

No primeiro semestre, foram realizadas mais de 88 mil inspeções e identificadas mais de 31 mil irregularidades. A operação recuperou mais de 64 giga-watt hora (GWh) de energia furtada, o equivalente a R$ 28 milhões. Segundo a Celpe, caso não identificada a fraude, o valor seria dividido entre todos os consumidores no reajuste anual de energia homologado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A ação já fiscalizou e autuou estabelecimentos como academias, casas de shows, mercadinhos, padarias e empreendimentos de grande porte, como fábricas e hotéis. Após inspeção técnica e suspeita de fraude, a Celpe protocola denúncia junto à Secretaria de Defesa Social (SDS) para que o caso seja investigado. Constatada a irregularidade, a concessionária notifica o proprietário e realiza a cobrança pelo período fraudado. Além disso, é aplicada uma multa, conforme determinação da Aneel.

 

27 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Jovem morre eletrocutado em obra na própria casa na Iputinga

Segundo a família, ele estava trabalhando na construção da sua casa, para poder morar com a filha de 10 anos.

Um jovem de 25 anos morreu eletrocutado durante uma obra na sua residência na Comunidade do Detran, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste do Recife, na tarde desse sábado (25).  

Segundo as informações da família, Alisson Barbosa trabalhava como gesseiro e estava trabalhando na construção da casa, para poder morar com a sua filha de dez anos. Durante o serviço, ele acabou levando um choque no fio da furadeira e devido à gravidade dos ferimentos, morreu na hora.  

Investigação 

A família da vítima espera que a tragédia possa servir de alerta para outras pessoas. O corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML). O caso está sendo investigado pela Delegacia do Cordeiro.   

 

27 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 27 de agosto de 2018

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário de PE

Economia 

Cinco empresários são detidos por furto de energia elétrica

Segundo a Celpe, em um mês foram desviados R$ 1 milhão, além de R$ 300 mil em impostos que deixaram de ser arrecadados

A Polícia Civil deteve cinco empresários do Recife, acusados de furtar energia elétrica. Os comerciantes são acusados de desviar energia da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), causando um prejuízo de R$ 1 milhão, somente em um mês, além de R$ 300 mil em evasão fiscal de impostos. Batizada de Clandestinus, a Polícia Civil deflagrou a operação na manhã desta quarta-feira (22), que teve como alvo três frigoríficos, dois supermercados e uma academia de gisnástica. O resultado da investigado foi divulgado no final da manhã, na sede da Polícia Civil, no bairro da Boa Vista.

O chefe de Polícia Civil, o delegado Josellito Kehrle do Amaral, informou que a quantia de energia desviada em um mês daria para abastecer o bairro da Torre, no Recife, pelo mesmo período. "Desde a Operação Sucata, que teve como objetivo combater o furto de cabos de transmissão de dados, feitos por concesionárias, há um mês, vinhámos investigando o caso", completou.  

O diretor de polícia lembrou que o crime parece ser de menor potencial ofensivo, mas atinge toda a população no repasse das concessionárias, no aumento da energia. As inspeções foram realizadas pela Celpe. Essa operação vai continuar porque o objetivo maior é coibir essa prática criminosa, reduzir o custo da energia repassada ao consumidor", explicou Joselito Kehrle. 

Segundo a Celpe, os empresários autuados nesta quarta-feira já eram reincidentes na mesma prática criminosa. “Monitorávamos essas empresas há seis meses. Já havíamos notificado os estabelecimentos e eles tinham pago o equivalente ao total roubado de energia, mas fizeram novamente. Desta vez, oferecemos a denúncia a Secretaria de Defesa Social, que determinou a operação”, contou o gerente de transmissão da Celpe, Fábio Barros. 

Os três frigoríficos alvos da operação estão localizados nos bairros do Parnamirim, Água Fria e no Centro do Recife. Já os supermercados ficam em San Martin e na Mustardinha, ambos na Zona Oeste do Recife. A academia de ginástica, no bairro do Ibura, também foi autuada. Segundo a Polícia, os estabelecimentos foram fechados após a ação. 

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Adolescente morre eletrocutado em cerca de vizinho na Zona da Mata

Outro adolescente, que também estava no local, também sofreu a descarga elétrica e foi socorrido para o Hospital da Restauração (HR). Ele está na Unidade de Trauma.

O jovem foi transferido para o HR, na área central do Recife.

Dois adolescentes de 14 anos sofreram uma descarga elétrica em uma cerca de arame da casa de um vizinho na tarde desta quarta-feira (22), em Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Um dos jovens não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no local.  

Acidente

De acordo com as informações da Polícia Civil, os adolescentes estavam juntos no momento do acidente na Rua João Alves Cantalice, no bairro de Sertãozinho. Os dois foram socorridos para o Hospital Ermírio Coutinho, mas um dos jovens já chegou sem vida na unidade hospitalar. O outro adolescente precisou ser transferido para o Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife, devido à gravidade do seu estado de saúde. Ele está na Unidade de Trauma.  

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Nazaré da Mata.   

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Economia

Celpe já registra R$ 28 milhões em furtos de energia este ano

De janeiro a julho a companhia identificou 31 mil consumidores que fraudaram o consumo de energia elétrica

A Polícia Civil de Pernambuco, prendeu nesta quarta-feira (22), 11 representantes de empresas sob a acusação de desvio e furto de energia em estabelecimentos comerciais. A operação chamada Clandestinus foi deflagrada a pedido da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e teve como alvo três frigoríficos, dois supermercados e uma academia de ginástica. Segundo a Celpe, os desvios de energia acarretaram um prejuízo de R$ 1 milhão em consumo não faturado, além de R$ 300 mil em impostos que deixaram de ser recolhidos num período de alguns meses. As empresas estão localizadas nos bairros de Mustardinha, Parnamirim, San Martin, Ibura, Boa Vista e Água Fria.

Foram constatados crimes de furto e estelionato e irregularidades nas medições de energia em cinco dos seis estabelecimentos alvos da operação. Os acusados prestaram depoimentos no Grupo de Operações Especiais (GOE), da Policia Civil. Um homem, de 36 anos, que não teve o nome divulgado pela polícia, proprietário da academia de ginástica, foi preso em flagrante pelo crime de estelionato. Ele será apresentado em audiência de custódia. Os donos de três estabelecimentos (dois frigoríficos e um supermercado) não foram localizados. Somente no frigorífico, localizado no bairro de Água Fria, não foram constatadas irregularidades.

O gerente operacional da Celpe, Fábio Barros, explicou que os acusados são reincidentes. “Já havíamos detectado o furto de energia nestas mesmas empresas algum tempo atrás. Os empresários foram notificados e pagaram pelo consumo que deixaram de faturar. Como agora se trata de uma reincidência, decidimos acionar a polícia”, explica Fábio Barros. O gerente diz ainda que o prejuízo com o furto de energia diz respeito a toda a sociedade. “Toda ligação clandestina, conhecida por macaco, ou adulteração de medidor de consumo de energia, além de ser crime, é feita sem critérios técnicos, provocando riscos de acidentes, como choques elétricos ou até mesmo incêndios”, alerta Barros. Além disso, parte do que a empresa distribuidora de energia perde com consumo não faturado é absorvido como prejuízo. Mas outra parte compõe os custos de operação e entram no cálculo que vai formar o índice de reajuste das contas de energia, homologado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e vai parar na conta de luz de consumidor, por isso, a Celpe estimula que furtos de energia sejam denunciados pela população.

CELPE

De janeiro a julho deste ano, a Celpe realizou mais de 88 mil inspeções, e identificou cerca de 31 mil irregularidades. A operação recuperou mais de 64 giga-watt hora (GWh) de energia furtada, o suficiente para abastecer 510 mil residências, ou um município como Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, durante dois meses. Segundo os cálculos dos técnicos da Celpe, a energia elétrica consumida e não faturada foi avaliada em R$ 28 milhões. As perdas consideradas não técnicas, como os furtos de energia, defeitos em equipamentos de medição e erros nos processos de faturamento, representaram 8,57% do balanço energético da empresa, no segundo trimestre deste ano. É o maior índice entre as empresas do grupo Neonergia. A Coelba registrou 3.33%; Elektro 2,60%.; Cosern 1,30%. Em compensação, ainda de acordo com o balanço energético da empresa, no segundo trimestre deste ano foram realizadas ações de otimização das perdas globais das distribuidoras. Segundo o relatório, a Celpe foi a única das quatro empresas do grupo que apresentou uma pequena redução do índice de perdas globais em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Celpe realiza cerca de 125 mil inspeções anuais contra potenciais consumidores fraudadores. São encontradas irregularidades em pelo menos 30% desses casos. Após inspeção técnica e suspeita de fraude, a Celpe protocola denúncia junto à Secretaria de Defesa Social para que o caso seja investigado. Constatada a irregularidade, a concessionária notifica o proprietário e realiza a cobrança pelo período fraudado, além disso, é aplicada uma multa, conforme determinação da Aneel. O furto de energia elétrica é crime, previsto no artigo 155 do Código Penal com pena que pode chegar a quatro anos de reclusão.

O delegado Joselito Kehrle, Chefe da Polícia Civil de Pernambuco, informou que a Operação Clandestinus terá continuidade visando combater as ligações clandestinas de energia elétrica, realizadas em grandes estabelecimentos comerciais no Recife e Região Metropolitana. “Os fraudadores podem ser presos por furto, quando, por exemplo, é feito um macaco, ou estelionato, que é uma forma de furto mais elaborada com pena de cinco anos e não direito à fiança na fase policial”, explica o delegado.

 

23 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 23 de agosto de 2018

Arquivo para download - DO 23 de agosto de 2018

 

22 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Economia

Energia solar vai superar a hidrelétrica no Brasil

Segundo a ONU, investimentos ultrapassam os U$160 milhões no mundo.

Acredita-se que até 2040 a energia eólica superará a energia elétrica no Brasil.

No mundo, os investimentos em energia solar crescem diariamente, com recursos que já ultrapassam US$ 160 bilhões, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), e o Brasil não fica atrás. 

 A energia solar está ganhando espaço no mercado nacional e já é usada em mais de 30 mil residências e empresas. Até 2040, a estimativa é que a produção de energia solar e eólica vá superar a produção de energia hidrelétrica no Brasil, podendo atingir 40% da matriz energética nacional.  

Uma das empresas que está injetando investimentos em energia solar fotovoltaica no Brasil é o Grupo Rio Alto, que acaba de entregar em Coremas, no sertão da Paraíba, um complexo de 10 usinas com capacidade de gerar 300 MWp. Três delas já estão em operação, gerando 93 MWp em uma área de 300 hectares, os outros sete parques com capacidade de 210 MWp já estão totalmente desenvolvidos e prontos para implantação.  

“Fundamos o Grupo Rio Alto em 2009 com o objetivo de desenvolver projetos de energia renovável, mas, acima de tudo, pensando no futuro das próximas gerações e em um desenvolvimento sustentável. Tenho orgulho de participar da transformação da cidade de Coremas e contribuir para uma economia mais verde no Brasil”, comenta Rafael Brandão, cofundador do Grupo Rio Alto.  

Para viabilização do projeto, que irá gerar empregos e oportunidades na região, o Grupo Rio Alto teve como financiadores o Banco do Nordeste e o Banco BTG Pactual, além disso, firmou importantes parcerias com a União Europeia, pioneira em energias renováveis e em soluções contra as mudanças climáticas. Entre as empresas parceiras estão a Nordic Power Partners, uma join venture entre o IFU (Fundo Soberano da Dinamarca) e a EE (European Energy). 

Projetos como este estimulam o uso de recursos energéticos renováveis, limpos e inesgotáveis. Além disso, incentivam empresas e consumidores a investir no mercado de geração de energia como um negócio de longo prazo. 

 

22 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Aneel aprova separação de ativos da Amazonas Distribuidora

A distribuidora Amazonas está na previsão da Eletrobrás para ser leiloada

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça (21) a desverticalização da Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas D), umas das distribuidoras da Eletrobras previstas para ser leiloada. A medida, na prática, determina que os empreendimentos de geração e transmissão (Amazonas GT) serão separados dos de distribuição, viabilizando o processo de venda da distribuidora. O leilão da Amazonas Distribuidora está marcado para o dia 26 de setembro. A decisão resolve uma disputa entre a Eletrobras e a Petrobras em torno da quitação de dívidas de R$ 17 bilhões, envolvendo a compra de combustível para o acionamento de usinas termelétricas.

A disputa envolveu a empresa Cigásdistribuidora de gás do Amazonas, que questionou compra e venda de combustível, com o argumento de não ter sido consultada sobre os termos do contrato. No seu voto, o relator do processo, diretor Sandoval Feitosa Neto, disse que o acordo “garante que a Amazonas GT se responsabilizará pelas diferenças que eventualmente vierem a se verificar entre o preço provisório praticado no Contrato de Gás e o preço regulatório, considerando as observações feitas em relação às condições de eficácia do ajuste”. De acordo com o relator, sem os recursos, utilizados para bancar a oferta de energia em áreas isoladas, não seria viável manter a operação da empresa.Com a conclusão do processo de desverticalização, a Amazonas Distribuidora poderá continuar a receber pagamentos referentes à CCC (Conta de Consumo de Combustíveis Fósseis). 

Segundo o relator, a decisão garante “a necessária neutralidade do contrato para AmD, de forma a permitir que a AmD possua, sob o ponto de vista econômico e financeiro situação idêntica àquela do cenário de cessão do contrato, entendo como atendido o aspecto relacionado à cessão formal do contrato de gás”, disse o relator

 

20 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Cotidiano

Quatro municípios da RMR terão o fornecimento de água suspenso; confira os bairros.

Paralisação é necessária para a instalação de três válvulas no Sistema Botafogo, responsável pelo abastecimento de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima; interrupção ocorre desta segunda-feira (20) até a quinta-feira.

A partir das 22h desta segunda-feira (20), uma média de 500 mil moradores dos municípios de OlindaPaulistaIgarassu e Abreu e Lima terão o fornecimento de água suspenso até as 8h da quinta-feira (23). A paralisação de 58 horas é necessária, segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), para a instalação de três válvulas de grande porte na saída do Reservatório de Navarro, que integra o Sistema Botafogo, responsável pelo abastecimento das quatro cidades. 

Após o término das intervenções, que ainda incluem manutenção eletromecânica preventiva em unidades do sistema, o abastecimento de água será restabelecido seguindo o calendário de cada localidade. Com 70% concluído, o projeto de automação do Sistema Botafogo contempla 118 unidades operacionais, entre reservatórios, válvulas de controle do sistema e estações de bombeamento, e tem previsão de ser finalizado em fevereiro de 2019.

Orçada em R$ 11 milhões -com recursos financiados pelo Governo do Estado junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) -, a iniciativa prevê a automação de toda malha da rede distribuidora que faz a macro operação do sistema, que corresponde a cerca de 50 quilômetros de adutoras e sub-adutoras, desde a saída da estação de tratamento de água de Botafogo, em Igarassu, até as dezenas de reservatórios que abastecem as localidades nos quatro municípios.

Segundo a Compesa, atualmente, as ações de controle operacional da rede distribuidora de Botafogo são feitas manualmente, o que se torna muito complicado, diante das dimensões e abrangência do sistema. A tecnologia da automação permite que os sistemas funcionem de forma autônoma com a supervisão e o comando realizados de forma remota pelo centro de controle operacional a qualquer momento. 

Confira a lista dos bairros afetados pela obra, de acordo com a Compesa:

Olinda
Todos os bairros da cidade

Paulista
Alameda Paulista
Aurora
Arthur Lundgren 1
Arthur Lundgren 2
Centro
Engenho Maranguape
Janga
Jaguarana
Jaguaribe
Jardim Paulista
Maranguape 1
Maranguape 2
Nossa Senhora da Conceição
Paratibe
Pau Amarelo
Vila Torres Galvão

Abreu e Lima
Alto São Miguel
Boa Esperança
Caetés 3
Caetés Velho
Centro
Desterro
Fosfato
Matinha
Planalto
Timbó

Igarassu
Agamenon Magalhães
Areia Branca
Bonfim
Centro
Cohab
Cruz de Rebouças
Nossa Senhora da Conceição
Posto de Monta
Rubina
Santa Rita
São Sebastião
Saramandaia

 

20 DE AGOSTO DE 2018. 

Jornal do Commercio

Cidades

Serviço deixa 500 mil moradores do Grande Recife sem água até quinta

Compesa realiza processo de automação do Sistema Botafogo, atingindo moradores de Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima.

Cerca de 500 mil moradores de Olinda e áreas de Paulista, Igarassu e Abreu e Lima, no Grande Recife, ficarão sem abastecimento de água das 22h de hoje até às 8h da próxima quinta-feira (23). A medida é necessária para que a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) possa realizar mais uma etapa do processo de automação de toda a rede distribuidora do Sistema Botafogo, que abastece a esses municípios. O serviço está 70% concluído, contempla 118 unidades operacionais, entre reservatórios, válvulas de controle e estações de bombeamento, e tem previsão de ser finalizado em fevereiro de 2019.

Além de modernizar o sistema de abastecimento, a automação tem o objetivo de melhorar sua eficácia operacional e reduzir as perdas. “Hoje, as ações de controle operacional da rede distribuidora de Botafogo são feitas manualmente, o que se torna muito complicado, diante das suas dimensões e abrangência. A tecnologia permite que os sistemas funcionem de forma autônoma com a supervisão e o comando realizados de forma remota pelo centro de controle operacional, 24 horas por dia, sete dias por semana. Com apenas um clique se ajusta todo ele”, explica Anderson Quadros, gerente de Automação da Compesa.

O gestor salienta que também há mais assertividade no cumprimento do calendário onde há rodízio. “Nas localidades atendidas por poços, por exemplo, conseguimos identificar falhas, em tempo real, acelerando os serviços de manutenção e ações corretivas para restabelecer o abastecimento”, explica. Estão sendo investidos no serviço R$ 11 milhões, financiados pelo Governo do Estado junto ao BIRD (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento), para automatizar cerca de 50 quilômetros de malha.

SERVIÇO

Durante o tempo em que os moradores ficam sem água, a companhia vai instalar três válvulas de grande porte na saída do Reservatório de Navarro, em Paulista, e fazer a manutenção eletromecânica preventiva em unidades do sistema. O prazo inclui o esvaziamento e enchimento das adutoras, reservatórios e rede de distribuição, antes e depois das intervenções. Após o prazo, cada localidade tem retomado seu calendário de abastecimento. “O Reservatório de Navarro é um local estratégico para o abastecimento de Olinda e depois dessa intervenção vai melhorar o atendimento da cidade que já recebe investimentos com o projeto Olinda+Água”, salienta Anderson. 

JÁ REALIZADOS

O plano de automação em execução pela Compesa prevê investimentos de R$ 210 milhões, com a execução de 37 projetos até o ano de 2020. No Grande Recife já contam com unidades automatizadas e interligadas aos centros de controles os sistemas produtores de água de Pirapama, Tapacurá e Suape. No interior, estão concluídos os sistemas adutores do Oeste, Jucazinho, Belo Jardim, Siriji e Afrânio/Dormentes.

 

18 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 18 de agosto de 2018

16 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download - DO 16 de agosto de 2018

Arquivo para download - DO 16 de agosto de 2018

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Imprensa Grande Recife 

Linhas de ônibus do TI Joana Bezerra têm redução no tempo de viagem

As 11 linhas de ônibus que operam no terminal de Joana Bezerra reduziram o tempo de viagem. A novidade na operação ocorre após o Grande Recife, em parceria com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), remover os blocos de concreto que interditavam a Rua Ibiporã. Com a liberação da via, os veículos não precisam fazer o contorno no Posto de Saúde São José do Coque e diminuem em 220 metros o seu percurso.

Confira, abaixo, as linhas e o novo itinerário:

 021 - TI Joana Bezerra/Shopping RioMar

026 - TI Aeroporto/TI Joana Bezerra

080 - Joana Bezerra/Boa Viagem

100 - Circular (Conde da Boa Vista/Prefeitura)

101 - Circular (Conde da Boa Vista/Rua do Sol)

104 - Circular (IMIP)

825 - Jardim Brasil/Joana Bezerra

861 - TI Xambá/TI Joana Bezerra

1909 - TI Pelópidas/TI Joana Bezerra

1913 - TI PE-15/TI Joana Bezerra

2443 - EBRT (BR-101)/TI Joana Bezerra - BRT

Novo itinerário:

Rua Jaraguari, Rua Conceição de Macabu, Terminal Integrado De Joana Bezerra.

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

Arquivo para download DO - 14 de agosto de 2018

 

14 DE AGOSTO DE 2018. 

Diário de PE 

Últimas 

ENERGIA ELÉTRICA

Ministro defende abrir caixa-preta da conta de luz para reduzir preços

"É preciso que todo cidadão, ao receber a conta, entenda o que está naquela conta", afirma o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou hoje (13), em entrevista exclusiva a veículos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que a população está pagando um valor muito alto na conta de energia elétrica sem nem sequer saber a composição real dos preços. Nos seis primeiros meses do ano, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tarifa média na conta de luz aumentou 13,79%, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, subiu 2,94% no mesmo período. 

"É preciso que todo cidadão, ao receber a conta, entenda o que está naquela conta. É um conjunto de siglas, tem uma série de subsídios que estão embutidos na conta que as pessoas não sabem que estão pagando. É fundamental que se entenda que o consumidor precisa ter conhecimento dos aumentos e das razões desses aumentos", afirmou o ministro. Desde o início do ano até agora, já foram autorizados quatro aumentos na conta de luz. 

De acordo com Moreira Franco, a maioria dos subsídios vinculados à conta de luz não tem nada a ver com o setor elétrico -  algo que ele classificou como uma "caixa-preta". "É na conta de energia, por exemplo, que se contribui para o subsídio do saneamento [básico]. Não há como se explicar isso. Além do que, subsídio tem que ser uma decisão transparente, que tem que constar do orçamento da União. As pessoas precisam saber que estão pagando o imposto e que uma parte dele vai para A, B, C ou D e não como é hoje, que é uma caixa-preta. Nós precisamos avançar nisso e diminuir a carga tributária", argumentou.

Na semana passada, o ministro já havia proposto um estudo para verificar a viabilidade de ampliação dos tipos de usuários do mercado livre de energia, com a possibilidade de entrada inclusive dos consumidores residenciais. Na visão dele, essa seria outra forma de baratear o custo da energia no país. Atualmente, somente quem tem demanda contratada maior ou igual a 500 quilowatts (KW) pode utilizar esse mercado, que permite, entre outras condições, a negociação da quantidade contratada, do fornecedor, do preço, do período de suprimento e das formas de pagamento. Já no mercado cativo, a energia tem preço fixado por tarifas, sem margem de negociação.

Na entrevista à EBC, Moreira Franco afirmou que o governo vem priorizando a diversificação da matriz energética brasileira para fontes limpas e renováveis, que têm um custo muito mais baixo. "Hoje, pela sistemática operacional do setor elétrico, esses custos baixos não estão chegando na conta, porque quando entra na distribuição acaba sendo absorvido pelo conjunto do setor". Sem especificar medidas, o ministro afirmou que é preciso dar apoio à Agência Nacional de Energia Eletrica (Aneel)  para que promova ação regulatória capaz de reduzir os custos de geração de energia - obtida por meio de tecnologias como energia eólica, fotovoltaica e biomassa -, e que essa redução se reflita na conta do consumidor final.

Para o titular do Ministério de Minas e Energia, é preciso trazer mais inovação e tecnologia ao setor para permitir que a própria população possa administrar o seu consumo. Ele deu exemplo da implantação de um aplicativo de celular que permite ao consumidor controlar, em tempo real, o consumo de energia com base em informações do relógio medidor instalado na residência. "[Com esse modelo], as pessoas fazem uma administração pessoal da sua conta. Pelo relógio e um aplicativo, ela gasta mais ou menos de acordo com sua vontade. A energia é cada vez mais um elemento indispensável e é fundamental que possamos dar ao brasileiro as condições de ter uma matriz energética limpa, robusta e com preço justo".

 

10 DE AGOSTO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

 
Copergás quer abrir setor de gás natural

Em parceria com mais seis estados nordestinos, companhia vai buscar novos fornecedores de gás, o que pode acabar com o monopólio da Petrobras e baixar o preço do combustível

monopólio da Petrobras no fornecimento de gás naturalbrasileiro pode ser quebrado. Distribuidoras de gás de sete estados nordestinos, inclusive Pernambuco, vão lançar uma chamada pública a fim de receber propostas de outras empresas do setor para futura compra de gás natural. A ideia é buscar condições mais competitivas, que possam baratear o combustível, e já pode render frutos no fim deste ano. 

Assistente da diretoria técnica comercial da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), Fábio Morgado explicou que a chamada pública será lançada na próxima segunda-feira (13), já que os contratos de fornecimento firmados entre a Petrobras e as distribuidoras de gás do Nordeste estão perto de vencer. “As distribuidoras vão buscar novas fontes de fornecimento. Já mapeamos as empresas que produzem gás natural e vamos entregar a chamada para elas. Assim, poderemos criar uma concorrência no suprimento de gás”, contou Morgado, lembrando que, quando há competição, todos saem ganhando, inclusive o consumidor final. “Em um ambiente competitivo, o custo tende a cair, o que gera um preços baratos”, defendeu, dizendo que, assim como o da gasolina, o preço do gás natural está sujeito às variações do mercado internacional. Hoje, o metro cúbico varia de R$ 1,20 a R$ 5 no Estado, de acordo com o consumo e o uso (residencial, comercial, industrial ou veicular).

Morgado garantiu, por sua vez, que o atual fornecimento da Petrobras é satisfatório. “A empresa sempre atendeu aos requisitos, mas tem o projeto de ser um pouco menor no futuro. E isso abre espaço para que outras empresas atuem no mercado”, alegou, dizendo que a própria Petrobras já incentivou a abertura do mercado. Procurada pela reportagem, a empresa confirmou esse posicionamento. “A Petrobras é favorável à entrada de novos ‘players’ nos diferentes elos da cadeia de valor do gás natural, visando à formação de um mercado com maior competitividade”, disse a empresa, que ainda avaliou esta iniciativa “como um movimento natural e positivo do mercado no atual momento de abertura gradual, rumo à formação de um mercado competitivo e com maior pluralidade de agentes”. 

Por conta disso, é possível que, nos próximos contratos de fornecimento de gás, distribuidoras estaduais como a Copergás firmem contrato apenas com a Petrobras, apenas com empresas privadas ou contratos mistos, que contemplem diversas companhias. “Temos tempo para avaliar as propostas e definir os compromissos de compra”, disse Morgado, contando que o contrato firmado entre a Copergás e a Petrobras expira em 2021. Caso o consumo estadual supere as cotas fechadas com a estatal antes disso, porém, é possível que o excedente de gás natural seja comprado de empresas privadas. Afinal, a expectativa é que as propostas das outras empresas sejam apresentadas até novembro.

 

08 DE JUNHO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 08 de junho de 2018

Arquivo para download: DO - 08 de junho de 2018

 

07 DE JUNHO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

Arquivo para download: DO - 07 de maio de 2018

 

06 DE JUNHO DE 2018. 

Folha de PE

Economia 

Justiça do Trabalho suspende privatização da Eletrobras

Suspensão do processo de privatização foi decidida pela 49° Vara do Trabalho do Rio de Janeiro

A 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro determinou a suspensão do processo de privatização da Eletrobras e de suas subsidiárias. Segundo a Justiça do Trabalho, a empresa precisa apresentar, no prazo de até 90 dias, um estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho da estatal e das empresas vinculadas a ela.


A medida atinge tanto a empresa principal (holding) quanto as subsidiárias Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia, Eletroacre, Companhia Energética de Alagoas e Companhia Energética do Piauí. A informação foi divulgada nesta terça-feira (5) pela própria Eletrobrás, em comunicado ao mercado.

 

Diário de PE

Economia

Privatização suspensa

A 49ª Vara do Trabalho do Rio determinou a suspensão do processo de privatização da Eletrobras e de suas subsidiárias. Segundo a Justiça do Trabalho, a empresa precisa apresentar, no prazo de até 90 dias, um estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho da estatal e das empresas vinculadas a ela. A medida atinge tanto a empresa principal (holding) quanto as subsidiárias Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e Companhia Energética do Piauí (Cepisa).

A privatização não deve sair neste ano. O desgaste do governo, acentuado pela greve dos caminhoneiros, e a proximidade do calendário eleitoral inviabilizaram a aprovação do projeto.

 

Jornal do Commercio

Economia

Servidores fazem ‘vaquinha’ por liminar contra Eletrobras

As ações da Eletrobras reagiram negativamente à noticia da liminar desde a abertura e fecharam com uma queda de 7%

A liminar que interrompeu o processo de privatização das seis distribuidoras deficitárias da Eletrobrás foi o primeiro resultado positivo de uma "vaquinha" iniciada pelos empregados da estatal, e que tem grandes chances de trazer mais dores de cabeça para o governo. As ações da empresa reagiram negativamente à notícia da liminar desde a abertura e fecharam com queda na casa dos 7%.

A liminar, concedida pela juíza Raquel Maciel, da 49.ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho 1.ª Região, foi decorrente de um movimento iniciado em janeiro por sindicatos de empregados da estatal e que já arrecadou cerca de R$ 200 mil, o suficiente para tentar barrar a privatização da estatal, afirmou o diretor da Associação dos Empregados da Eletrobras e do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Energia Emanuel Mendes.

Segundo a liminar, a Eletrobras terá de apresentar, nos próximos 90 dias, estudos que mostrem o impacto da venda das distribuidoras do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Piauí e Alagoas para os trabalhadores dessas empresas. "Isso faz com que a gente ganhe tempo, e tempo é tudo o que o governo não tem", explicou Mendes. A Eletrobras informou em um comunicado que está "avaliando as medidas cabíveis" para tentar derrubar a liminar. A empresa tem até 31 de julho para vender as distribuidoras ou serão liquidadas, a não ser que uma assembleia extraordinária prorrogue a data de liquidação.

Com o recolhimento de contribuições espontâneas mensais dos empregados - inicialmente de R$ 120 e atualmente de R$ 40 por mês -, os sindicatos reunidos no Coletivo Nacional dos Eletricitários, que reúne vários sindicatos dos funcionários da holding Eletrobrás e das empresas coligadas, pretende espalhar ações pelo País inteiro e dar muito trabalho para o governo prosseguir com a venda. "Esta liminar foi conseguida por um escritório de advogados contratado pelo sindicato dos empregados das distribuidoras, mas outras (liminares) virão", afirmou o diretor.

O escritório de advocacia Souza Neto & Sena, contratado pelos empregados, entrou com oito ações contra o processo de privatização do Sistema Eletrobrás, além de fazer denúncias na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e no Tribunal de Contas da União (TCU), que já aprovou a privatização das distribuidoras.

De acordo com Mendes, os próximos passos dos empregados serão em direção aos parlamentares do Congresso Nacional, para evitar que a privatização da holding aconteça. "O governo está encontrando dificuldade no Congresso para aprovar qualquer coisa, mas apesar dos deputados estarem dispersos, o presidente da Eletrobrás (Wilson Ferreira Jr.) trabalha dia e noite para abrir caminho para a privatização, temos que ficar atentos", afirmou.

Mercado

Para um analista que acompanha a Eletrobras, a concessão da liminar foi uma notícia "horrorosa" para as ações da companhia, que vinham conseguindo se recuperar nos últimos dias, depois que o TCU aprovou a venda das distribuidoras por entender que é favorável para o governo. "Sem vender as distribuidoras, a Eletrobras fica menos atraente para a capitalização que o governo quer fazer. Só no primeiro trimestre, as seis distribuidoras tiveram prejuízo de R$ 2 bilhões", diz o analista "É um poço de perda há muitos anos para a Eletrobras", completou.

O profissional observou que o prazo de 90 dias joga a capitalização da Eletrobras na BMF&Bovespa para o período eleitoral, e a operação ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional. "Quem vai querer votar a favor da privatização no meio de uma corrida eleitoral?", questiona. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Jornal do Commercio

Economia

Justiça do Trabalho suspende processo de privatização da Eletrobras

A 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro pede que a Eletrobras apresente estudo de impacto sobre os contratos de trabalho

A Eletrobras foi informada de decisão de tutela de urgência do juízo da 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro (Tribunal Regional do Trabalho 1ª Região), determinando que a companhia e distribuidoras se abstenham do processo de desestatização para que apresentem estudo de impacto sobre os contratos de trabalho

Em fato relevante, a empresa diz que "analisará as medidas cabíveis e manterá o mercado informado."

As demais rés são Amazonas Energia, Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e Companhia Energética do Piauí (Cepisa). As empresas devem apresentar individualmente ou de forma coletiva no prazo de até 90 dias estudo sobre o impacto da privatização nos atuais contratos de trabalho.

Como publicado pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, no último dia 1º de junho, segundo fontes, a privatização da Eletrobras não deve sair este ano. O desgaste do governo, acentuado pela greve dos caminhoneiros, e a proximidade do calendário eleitoral inviabilizaram a aprovação, ainda neste ano, do projeto que permite a desestatização.

Responsável por colocar o projeto em votação, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite nos bastidores que dificilmente a medida será votada antes das eleições. O projeto foi enviado no dia 22 de janeiro, mas está emperrado em uma comissão especial da Câmara, de onde ainda precisaria seguir para o Senado.

 

Governo de PE

Reparo em abastecimento de água interdita avenida em Rio Doce

A Avenida Tiradentes, em Rio Doce, Olinda, foi interditada no início da tarde desta segunda-feira (04) para reparos na rede de abastecimento de água do bairro. O serviço deve durar até o fim da tarde de amanhã (05), período em que o Grande Recife muda temporariamente o itinerário de algumas linhas que passam pela localidade. Confira, abaixo, os desvios:

881 - TI Xambá/Rio Doce (Avenida Getúlio Vargas)

882 - TI Xambá/Rio Doce (Carlos de Lima Cavalcanti) - Via Av. Chico Science

884 - Jardim Brasil/Rio Doce

886 - Ouro Preto/Rio Doce

...Avenida Brasil, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Brasil...

885 - Sítio Novo/Rio Doce

...Avenida Brasil, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Brasil...

1907 - Paulista/Rio Doce

...Avenida Coronel Frederico Lundgren, Avenida México, Avenida Nápoles (segue em frente até a Avenida das Garças), Avenida Brasil...

1966 - Rio Doce (Circular)

Terminal Integrado de Rio Doce, Avenida Tiradentes, Avenida das Garças, Rua da Amora, Rua 37, Avenida Nápoles (à direita), Avenida das Garças, Avenida Tiradentes e Terminal Integrado de Rio Doce.

1987 - Rio Doce (Príncipe)

...Avenida Brasil, Avenida México, Avenida Nápoles (segue em frente até a Avenida das Garças), Avenida Tiradentes, Terminal Integrado de Rio Doce...

Em caso de dúvidas, sugestões ou reclamações os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou Whatsapp para reclamações (99488.3999).

 

31 DE MAIO DE 2018. 

G1 - PE

Deputados aprovam indicações de gestores para agência de regulação de Pernambuco.

Diretores de regulação econômico-financeira e regulação técnico-operacional e ouvidora foram indicados pelo Governo do estado.

Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, nesta quarta-feira (30), a indicação de três novos gestores para a agência de Regulação de Pernambuco (Arpe). A votação nominal ocorreu durante a sessão ordinária no Plenário Eduardo Campos, no Recife.

Com o parecer favorável de 33 deputados e nenhum contrário, Frederico Arthur Maranhão Tavares de Lima terá o nome encaminhado para a nomeação pelo Governo do Estado para o cargo de diretor de Regulação Econômico-Financeira.

Com o mesmo número de votos favoráveis e contrários, Isadora Maia Correia da Silva obteve o parecer dos parlamentares para exercer o cargo de ouvidora da agência.

Juliana Dias Medicis também recebeu 33 votos a favor e nenhum contrário. Com a nomeação, vai exercer o cargo de diretora de Regulação Técnico-Operacional.

Os nomes foram apresentados ao Legislativo pelo Governo de Pernambuco. O projeto de lei partiu do presidente da Alepe, deputado Guilherme Uchoa (PSC). Na terça-feira (29), os três passaram pela sabatina na Comissão de Legislação, Constituição e Justiça.

Antes das votações, os deputados voltaram a falar sobre a crise provocada pela paralisação nacional dos caminhoneiros.

O deputado Antonio Moraes (PP) alertou para os problemas que serão enfrentados pelo governo e prefeituras após o fim do movimento. Segundo ele, por causa da falta de arrecadação, ficará difícil pagar a folha de servidores.

Nilton Mota (PSB), ex-secrtário do governo Paulo Câmara (PSB), ressaltou os esforços da administração estadual para retirar manifestanates das estaradas e do Complçexo Portuário de Suape, no Grande Recife.

Os parlamentares também falaram sobre a alíquota cobrada em Pernambuco de Imposto Sobre Circulação de Serviços e Mercadorias (ICMS) incidente no óleo diesel.

 

 

 

30 DE MAIO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 30 de maio de 2018

 

19 DE MAIO DE 2018. 

Diário Oficial (ver anexo) 

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018 

Arquivo para download: DO 19 de maio de 2018

 

12 DE ABRIL DE 2018. 

G1 - PE

Paralisação de sistema de bombeamento deixa 92 mil pessoas sem água em dez localidades no Recife

Chuvas registradas na capital pernambucana ocasionaram suspensão das atividades na Estação Elevatória dos Morros, segundo a Compesa.

Aproximadamente 92 mil moradores de dez localidades do Recife estão sem abastecimento de água desde o início da noite desta quarta-feira (11). De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), o motivo é uma paralisação de 24 horas na Estação Elevatória dos Morros, responsável pelo sistema de bombeamento para bairros da Zona Norte da cidade.

A suspensão das atividades nessa estação pertencente ao Sistema Alto do Céu foi realizada por conta das fortes chuvas registradas na capital pernambucana desde segunda-feira (9), segundo a Compesa. A previsão é que a operação seja retomada a partir das 18h de quinta-feira (12), quando começa a ser regularizada a distribuição de água, conforme o calendário de cada localidade.

“O objetivo da iniciativa é atuar de forma preventiva e evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morros da Zona Norte do Recife. Nos últimos dias, o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos”, explica a Compesa por meio de nota.

 Confira as localidades no Recife que ficam sem água:

  • Água Fria
  • Alto José Bonifácio
  • Alto Santa Terezinha
  • Ponto de Parada
  • Porto de Madeira
  • Alto do Pascoal
  • Ladeira de Pedra
  • Alto Antônio Meira
  • Alto do Deodato
  • Alto do Brasil

 Em caso de dúvidas, a Compesa disponibiliza o número 0800 081 0195. A ligação é gratuita.

 

G1 - PE

Conta de água e esgoto fica 2,78% mais cara em Pernambuco

Reajuste provisório foi publicado no Diário Oficial do estado desta quinta-feira (12) e entra em vigor em 12 de maio.

A conta de água e esgoto vai ficar mais cara em Pernambuco. A Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Pernambuco (Arpe) homologou o reajuste de 2,78% nas tarifas da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Os novos valores entram em vigor no dia 12 de maio.

Com o aumento autorizado, uma conta de R$ 100 vai subir para R$ 102,78. A autorização da cobrança dos novos valores pelos serviços de abastecimento e coleta e tratamento de esgoto foi publicada no Diário Oficial de Pernambuco nesta quinta-feira (12).

A Arpe informa que este será um aumento provisório, uma prática pouco comum em Pernambuco. Isso ocorreu por causa de uma solicitação da Compesa, que pretende reavaliar todo o sistema para pedir um reajuste definitivo ainda este ano.

Segundo a diretora de Regulação de Tarifas da Arpe, Angela Freitas, a Compesa pediu a suspensão do aumento convencional previsto em meio ao processo de discussão. Uma audiência pública estava marcada para 26 de março, mas a empresa optou por reavaliar a situação de investimentos e custos operacionais.

Ela explicou que até o fim de 2018 esse aumento definitivo será definido. Quando o valor for aplicado, será abatido esse percentual de 2,78%, já definido como reajuste provisório.

De acordo com a Arpe, o percentual provisório foi definido a partir da avaliação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado entre 1º de fevereiro de 2017 e 28 de fevereiro deste ano. Também foi levada em consideração a variação do Índice Geral de Preços (IGPM), no mesmo período.

“Aplicamos a metodologia que vem sendo usada desde 2014 e que estava prevista para os três anos seguintes. Quando for finalizado o processo de reavaliação de ativos da Compesa, adotaremos outra forma de cálculo” observou.

G1 entrou em contato com a Compesa para falar sobre o aumento da tarifa de água e esgoto e aguarda retorno.

 

Jornal do Commercio - Cidades 

Compesa suspende por 24h abastecimento de bairros da Zona Norte

A população atingida com a paralisação é de 92 mil pessoas

A previsão é retomar a operação do sistema a partir das 18h desta quinta-feira (12).

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) suspenderá o bombeamento de água da Estação Elevatória dos Morros a partir da noite desta quarta-feira (11), por um prazo de 24h. A estação atende bairros da Zona Norte do Recife.

De acordo com a Compesa, o objetivo da iniciativa é atuar de forma preventiva e evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morros por causa das chuvas dos últimos dois dias.

As localidades que ficarão sem água até amanhã são: Água Fria, Alto José Bonifácio, Alto Santa Terezinha, Ponto de Parada, Porto de Madeira, Alto do Pascoal, Ladeira de Pedra, Alto Antônio Meira, Alto do Deodato e Alto do Brasil. A população atingida com a paralisação é de 92 mil pessoas.

 Retorno

A previsão é retomar a operação do sistema a partir das 18h desta quinta-feira (12), quando será iniciado o processo de regularização da distribuição de água, seguindo o calendário de cada bairro.

 

Folha de PE - Cotidiano 

92 mil pessoas ficam sem água na Zona Norte devido às chuvas

Compesa explica que o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos, e a iniciativa pretende evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações

Dez bairros da Zona Norte do Recife tiveram o abastecimento de água suspenso nesta quarta (11) devido às fortes chuvas. De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a operação da Estação Elevatória dos Morros, sistema de bombeamento pertencente ao Sistema Alto do Céu, foi paralisada por um prazo de 24 horas.

Com isso, ficam sem água os bairros de Água Fria, Alto José Bonifácio, Alto Santa Terezinha, Ponto de Parada, Porto de Madeira, Alto do Pascoal, Ladeira de Pedra, Alto Antônio Meira, Alto do Deodato e Alto do Brasil. No total, 92 mil pessoas foram atingidas com a falta de abastecimento.

Por meio de nota, a Compesa explica que o solo dessas áreas está bastante encharcado devido aos altos índices pluviométricos, e a iniciativa pretende evitar eventuais ocorrências relacionadas às tubulações que cortam as áreas de morro da Zona Norte do Recife. 

abastecimento deve ser regularizado a partir das 18h desta quinta (12), de acordo com o calendário de cada localidade. Para mais informações, a Compesa disponibiliza o telefone 0800.081.0195.